História Aimer - Love - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Amor, Casal, Drama, Jovens, Romance
Visualizações 1
Palavras 992
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ficção, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 3 - Festa


Bom, realmente, a conversa de Tyler era maravilhosa. Ele me entreteu durante a ida, contando sobre tudo que eu poderia saber sobre ele. Família, amigos, sonhos, e sobre seu curso na faculdade. 

- Eu faço a faculdade aqui, porque é meu futuro garantido. Mas meu sonho sempre foi jogar basquete profissionalmente. Eu sei que parece sonho de criança, mas sério... Jogar basquete é uma das únicas coisas que eu sinto que me traz mais perto de mim mesmo. É meu ponto fraco e ponto forte.

- Além de jogador de basquete, você deveria ser escritor... Já pensou na ideia?

Rimos bastante e o tempo passou, chegamos e eu nem vi. 

Uma parede improvisada de espuma foi colocada em volta de um pátio, o que fazia a balada. A música era ouvida a pelo menos vinte metros antes de chegar no local. Luzes piscavam até pra fora da espuma. Só havia dois seguranças de fora, sinalizando a entrada. 

- É aqui que a gente se separa. Se quiser eu volto com você, a gente com toda a certeza vai se encontrar aqui na festa. Cuidado, de novo.

- Tudo bem. Tomarei cuidado sim. Falo com você na saída. Papai. - Sorri e entrei na balada.

Havia combinado com Gabriela de nos encontrarmos no bar. E lá estava ela, com seu vestido roxo fluorescente rodado no meio das pessoas.

Pedimos um Martini de maçã. Como amanhã seria apenas as apresentações de primeiro dia de aula, cada aluno tinha direito a duas taças de qualquer bebida alcoólica. E como não sou muito de beber, duas taças já eram suficientes pra me fazer ficar em câmera lenta. Vendo tudo mais bonito, ou mágico do que realmente é.

- Você ainda não viu nada, cherie. - Gabriela zombou - Isso aqui é uma selva. Toma cuidado, viu? Se não...

- Mais um falando pra eu ter cuidado... Relaxa Gabi, eu tô nas nuvens, não vai acontecer nada comigo.

Com um ar de advertência, ela se retirou e disse que ia ao banheiro. Fiquei lá na multidão, dançando como uma louca. Já que eu podia me soltar que ninguém vai notar mesmo, que se exploda todo mundo.

- Oi linda... Como vai? - Estava demorando...

- Bem. Obrigada. - Me virei para o outro lado e continuei dançando. Até que senti um puxão carinhoso no braço.

- Você é tão bonita. Por que a gente não dá uma volta? Curte o clima agradável do verão de Nova Iorque...

- Que gentil da sua parte, querido. Mas eu acho que você procurou a pessoa errada pra você levar pra dar uma volta. Não é uma boa, não comigo.

- Ah, vamos lá... - Ele apertou meu braço e me levou mais próximo dele. - Vamos logo princesa... Você nem sabe a sorte que está dando de poder ter a chance de ir pra cama comigo, facilite.

- Não sei se você entendeu, alteza, mas eu não estou interessada em sexo com você. Eu quero apenas dançar aqui, com você e sua corte bem longe de mim. Não me interessa quem é você.

- Que droga amor, você está me obrigando...

Senti o braço dele me puxar pra valer, me colando a ele. Se inclinou pra me beijar, e eu dei uma joelhada justamente naquele lugar.

- Que merda, não sabe ouvir um "não"? - Me exaltei e bati em seus braços.

- Scott?

Olhei para o lado e vi Tyler, olhando para o garoto no chão. Sabia que conhecia ele de algum lugar... Ontem, naquela rodinha de amigos...

- O que você veio fazer aqui Tyler? Me dar liçãozinha de moral?

- Não. Seu caso já está perdido, meu amigo. O que você fez dessa vez? - Ele não parecia ter me visto ali.

- Essa louca, não sabe ouvir uma cantada que já fica exaltadinha, batendo nas pessoas.

- Sou muito boa ouvinte. Tão boa, que me lembro de você querendo me levar pra cama na segunda frase que disse pra mim. Isso me parece bem babaca pra ser uma cantada normal.

Tyler finalmente me viu, e seu rosto expressou a confusão em sua cabeça. Olhou de novo pro amigo e balançou a cabeça negativamente.

- Realmente, Scott, você é um completo babaca. Você deveria pelo menos tentar ser mais sutil,  cara. Garotas como ela não são qualquer garota que você manipula com seus status nisso aqui.

- Cala a boca Tyler. Você não é meu pai. Não é nada meu além de amigo, não me ensina como fazer as coisas. Afinal, você está solteiro até hoje.

- E é por esse fato que eu sei do que estou falando.

Visivelmente decepcionado, Tyler fez sinal para eu o acompanhar. Me levou até umas cadeiras que estavam no cantinho e examinou a festa.

- Me... Me desculpa, por ele. Eu não deveria ter deixado você sozinha aqui na festa, sabendo dos perigos. Deveria ter te avisado do babaca que meu amigo.

- Não se desculpe, está tudo bem. Você não tem culpa em nada. Você é meu amigo, certo? - Olhei pra ele e ele acenou a cabeça afirmando - Então, como meu mais novo amigo, você me avisou dos perigos, eu não segui um dos seus conselhos. Mas eu já sou maior de idade, e mais velha que aquele cara, e sei me cuidar em baladas. Você tem que aproveitar também... Não precisa se culpar.

- Obrigado... - Sorriu e ficou em silêncio. Por bastante tempo. - E pensar que nós nos conhecemos ontem.

- É o destino... - Sorri abertamente. - Te falando assim: Ela é demais!!! Cuida dela!

- Esse destino, é um cara bem inteligente mesmo...

Começamos a conversar novamente. E lá estava ele me fazendo rir, e me fazendo contar histórias sobre a França. Até que ouvimos uma vozinha aguda familiar.

- Charlie... E Tyler? Vocês juntos?

Gabriela fez uma cara de que queria explicações sobre o que eu fazia com "seu garotinho lindo".


Notas Finais


Duas da manhã postando? Quando a ideia vem meu amigo... Levantamos de dentro do chão, mas começamos a escrever XD


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...