1. Spirit Fanfics >
  2. Ainda estou aqui, por você >
  3. Capítulo 1: Ainda estou aqui

História Ainda estou aqui, por você - Capítulo 1


Escrita por: Luanesbarreto

Notas do Autor


Olá meus amores, tudo bem com vocês?
Estou aqui para mais história, espero que vocês apreciem.

Queria agradecer muito pela capa belíssima que foi feita pela incrível @NediarSly.

Também agradecer pela betagem sem igual da @Uchira_Hinatta, obrigada Luh você e incrível.

Nos vemos nas notas finais.

Capítulo 1 - Capítulo 1: Ainda estou aqui


Fanfic / Fanfiction Ainda estou aqui, por você - Capítulo 1 - Capítulo 1: Ainda estou aqui

Já faz três semanas que Hinata se encontra daquela mesma forma, deitada naquela cama ligada aos aparelhos, médicos e mais médicos entravam e saiam naquele quarto branco procurando, de alguma forma, trazer ela de volta. Todavia nenhum procedimento realizado surtia efeito algum na garota.


― Minha irmã, você precisa trazer a minha filhinha de volta ― pediu Hiashi com olhos suplicantes.


― Estamos tentando fazer todo o possível para isso Hiashi, mas a quantidade incerta dos medicamentos que ela ingeriu e a perda de sangue estão dificultando resultados mais precisos ― revelou Hiromi.


― O que aconteceu com a minha sobrinha, meu irmão, deve ter sido muito grave para ela tentar se matar dessa forma ― Hizashi se mostrava preocupado.


― Estávamos esperando por ela na casa de praia, não devia ter ido viajar sem ela. Minha garotinha ― se culpou beijando a testa da filha.


― Por qual motivo deixaram a Hinata sozinha em casa, seriam apenas mais dois dias para ela finalizar as apresentações ― retrucou a mulher.


― Ayandra junto a Hanabi me convenceram que não seria perigoso deixar a Hinata sozinha, afinal ela já tem 18 anos e a casa é cheia de empregados para cuidar dela ― respondeu sério.


― E você não pensou que a Hinata queria vocês nas apresentações que ela iria fazer? Ela estava tão ansiosa por isso, passava tanto tempo ensaiando  ― Hiromi não conseguia esconder a crítica em sua voz.


― Você podia ter avisado que iriam antes, ela poderia muito bem ter ficado com um de nós dois ― criticou o irmão.


― Isso não importa mais, só quero que a minha filha acorde, preciso saber o que levou ela a tentar tirar a própria vida ― Hiashi respondeu passando a mão sobre os cabelos.


― Vamos deixar ela descansar, vou verificar se saíram os novos resultados dos exames que eu solicitei. ― Hiromi beijou a testa da sobrinha e saiu do quarto.


Os três se direcionaram  ao consultório da mulher. Todos estavam muito preocupados com a situação que se encontrava Hinata, mas não conseguiam explicar porquê ela ainda não tinha acordado.


― Doutora, aqui estão os resultados dos novos exames que a senhora pediu ― a enfermeira informou entregando alguns papéis ainda no corredor do hospital.


― Muito obrigada, poderei ver se o novo procedimento surtiu algum efeito. Vamos até o meu consultório ― indicou aos irmãos.


Enquanto isso, na mansão dos Hyuuga:


A matriarca estava na sala olhando futilmente as revistas de moda, procurando por modelos mais novos e sofisticados para comprar.


― Com licença, gostaria de saber o que a senhora vai querer para o jantar? ― perguntou a governanta.


― Boa tarde, Marina, você poderia fazer os pratos favoritos da Hanabi e da Hana, as meninas estão muito tristonhas ― indicou.


― Sim senhora. Eu poderia saber como está a menina Hinata? ― perguntou um pouco acanhada.


― Ainda não sei, o Hiashi está no hospital com os médicos, espero que ela acorde logo ― respondeu de forma direta.


― Certo, também espero que a menina acorde logo, a casa fica muito triste sem ela. Com licença, vou preparar o jantar ― falou a mulher saindo.


As meninas chegaram em casa procurando pelos pais, estavam ansiosas por notícias da irmã.


― Mamãe, vamos ao hospital? Eu quero muito ver como minha irmã está, será que ela já acordou?  ― perguntou Hanabi.


― Não acho que seria bom, nem para você como para sua irmã, pois ela ainda não acordou ― Ayandra respondeu séria.


― Mas a minha irmã precisa sentir que estamos aqui para ela, mamãe, que podemos ajudar ― pediu Hana.


― Vou ver com o pai de vocês qual o melhor momento para podermos ir visitar a Hinata, pois tenho certeza que ela não pode ter emoções muito fortes ― falou a mulher com um tom de quem desejava encerrar o assunto.


― Tudo bem então. Hana, quando você vai voltar para a faculdade? ― perguntou Hanabi.


― Assim que a nossa irmã estiver bem. Eu entrei em contato com a reitoria e avisei o que estava acontecendo, eles entenderam ― informou.


― A sua irmã vai ficar bem, você deveria voltar para a faculdade, assim que ela acordar vamos te avisar, meu bem. Seus estudos também são importantes ― reclamou a mais velha.


― Não é tão importante quanto minha irmã, ela precisava da minha ajuda e eu não estava aqui para ela ― retrucou chateada.


Enquanto isso, no hospital: 


― Então, o que os exames mostraram,  Hiromi, a nossa sobrinha vai ficar bem? ― perguntou Hizashi aflito.


― Finalmente o efeito dos medicamentos que ela tomou saiu do seu organismo, e pelo resultado diria que em poucas horas acho que ela pode vir a acordar ― respondeu a médica verificando os resultados e parecendo aliviada.


― Graças a Deus! O que mais esses exames mostram? ― Hiashi estava feliz, mas queria ter certeza quanto ao estado de sua filha.


― Agora, isso aqui é uma surpresa. Ela teve um aborto recentemente, vocês sabiam que ela estava grávida? ― perguntou.


― Grávida? Pensei que a Hinata se cuidasse quando ficava com o namorado, será que ele estava sabendo disso?  ― revelou Hiashi surpreso.


― Minha sobrinha e uma menina tão meiga que essa perda, que talvez tenha sido esse o motivo para ela fazer o que fez ― supôs Hizashi.


― Pode ser, ela é tão sensível que essa perda pode ter feito isso  ― concordou Hiashi.


― Acho que seria bom para ela se fosse ver uma psicóloga, colocar para fora tudo que está no coração dela ― sugeriu Hiromi.


― Eu preciso ir, o Neji e a minha esposa estão chegando hoje ― Hizashi informou aos irmãos, já se levantando.


― Eles já sabem? ― perguntaram.

 

― Não, achei melhor falar pessoalmente. O Neji é muito ligado à prima e isso faria mal à recuperação dele.


― É como meu sobrinho está? Correu tudo bem na cirurgia? ― perguntou Hiashi.


― Sim, a operação foi um sucesso e o sistema imunológico dele já está ótimo ― respondeu.


― Que notícia maravilhosa, tenho certeza que em breve vamos comemorar a recuperação completa dos dois ― afirmou Hiromi.


Os três saíram da sala, os homens foram em direção a suas casas, enquanto Hiromi foi fazer as visitas aos pacientes.


Enquanto isso:


Na mansão, o casal Hyuuga discutia mais uma vez sobre o estado de saúde de sua filha. Até aquele momento eles não sabiam o motivo exato por ela ter tentado se matar.


― Como você pode não ter ido visitar sua filha até agora, já fazem semanas que ela está em coma  ― reclamou Hiashi.


― Mas o que que você quer que eu faça, eu não sou médica, eu não poderia ajudá-la ― retrucou Ayandra.


― É a sua filha que está naquela cama! Como não pode ir vê-la? ― perguntou irritado.


― Sinto muito meu marido, mas não irei vê-la, e espero que você me entenda ― afirmou categórica.


― Eu não consigo entender; Ayandra, o que você tem no lugar do coração? É sua filha que está em coma ― berrou descontrolado


― Não ouse gritar comigo, Hiashi, você sabe muito bem porque eu não vou lá ― retrucou dando as costas para o marido.


Dois dias depois:


         Hinata finalmente abriu os olhos, após vários dias em coma, se acostumando com a claridade que a envolvia e ainda um pouco desnorteada, pois não sabia onde se encontrava.


― Finalmente acordou, como você está se sentido? ― perguntou a enfermeira que se encontrava no quarto.


―  Droga! Estou viva. Por que não posso ir? Vocês não tinham que me salvar ― reclamou incrédula.


― Oh minha querida, apenas fizemos o nosso trabalho, foi muito difícil de estabilizar. Vou avisar a médica que você acordou ― Saiu do quarto, deixando Hinata.


Ficou novamente sozinha naquele quarto, e mesmo tentando evitar que as lembranças povoassem sua mente, não tinha como. Elas sempre a perseguiam, não importava se quando estivesse acordada ou dormindo.


Flashbacks on:


Seus pensamentos entraram em conflito desde que recebeu o resultado do exame naquela manhã, não tinha mais dúvida que estava grávida. 


― Você vai precisar tomar algumas vitaminas, está no primeiro trimestre e esse é o mais delicado ― avisou a médica.


― Poderia me dizer exatamente de quantas semanas eu estou? ― perguntou nervosa.


― Para poder ter a exatidão, precisaríamos fazer uma ultrassonografia. Você sabe quando foi sua última menstruação? ― perguntou atenciosamente.


― Na verdade, o meu período estaria para começar daqui a três dias. Eu utilizo o DIU, não é perigoso? ― perguntou assustada.


― Vamos fazer urgentemente uma ultrassom, e verificar o que aconteceu com seu dispositivo, pois sim, ele pode causar alguns problemas tanto para você como para o bebê ― a médica falou se levantando;


— Certo. Eu não sei o que pensar, doutora... eu simplesmente não sei — falou, seguido a mulher.


Flashback off:


— Você finalmente acordou, minha princesa. Eu fiquei tão preocupada com você, meu anjo ― Hiromi falou, abraçando a sobrinha.


― Oi, tia, você quem foi a minha médica? ― perguntou ainda confusa.


― Oh meu bem, porque você fez isso? Não imagina como ficamos preocupados com você? ― indagou se afastando do abraço.


― Você está perguntando como médica ou como tia? ―  retrucou.


― Isso importa para você, isso mudaria a forma que você me contaria o que aconteceu? ―  Hiromi questionou olhando para a sobrinha.


―  Eu não quero falar sobre isso, mas também não era para eu ter sobrevivido a quantidade de comprimidos que tomei.  Fora que eu ainda cortei os pulsos, como foi que eu ainda acordei? ―  retrucou se ajeitando melhor na cama.


― Você precisa colocar para fora tudo isso, meu bem, tudo que aconteceu com você. Eu posso ajudar?  ―  falou ficando de frente para Hinata e passando as mãos sobre os braços.


―  Você já avisou para os meus pais que eu acordei? ―  A garota mudou repentinamente de assunto.


― Sim, daqui a pouco eles devem estar chegando. Todos estavam muito preocupados com seu estado ―  informou.


―  Tia, eu vou ficar com alguma sequela por conta do que eu fiz? ―  perguntou ansiosa.


―  Os resultados dos seus exames saíram todos normais, por isso acho que não vai passar de um susto, mas os exames também nos mostraram que você teve um aborto muito recentemente ―  abordou o assunto gentilmente para não assustar a mais nova.


―  Era de se esperar que eu perdesse o meu filho. Sabia que eu nem queria o meu filhinho quando eu descobri que estava esperando ele? ―  indagou soluçando.


― Mas porque Hinata? ―  perguntou surpresa.


― Quando eles vão chegar? ―  perguntou curiosa. — Eu quero ver as minhas irmãs!


―  Para de tentar mudar de assunto. Por que você não queria seu filho, ou ainda por que você tentou se matar? Isso é muito grave! ―  retrucou a mulher.


―  Eu não quero mais estar nessa vida, onde eu só faço mal aos meus amigos, tia, eu fiz coisas que eu não consigo esquecer ―  esbravejou chorando.


Notas Finais


Espero que vocês gostem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...