1. Spirit Fanfics >
  2. Ainda Mais Voleibol, Hinata Shouyou (KageHina) >
  3. Capítulo Único

História Ainda Mais Voleibol, Hinata Shouyou (KageHina) - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oie, gente! Como cês tão? Eu tive um surto de epifania depois de ver uma fanart com um texto lindíssimo, e não resisti em escrever algo assim. Eu estou completamente boiola e vomitando arco-íris, eu simplesmente não aguento a fofura desses dois e eu vou morrer, é isso ahuahusa

Bom, sem mais enrolação, uma boa leitura pra vocês <3

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Ainda Mais Voleibol, Hinata Shouyou (KageHina) - Capítulo 1 - Capítulo Único

Essa é a minha última página, velho amigo. Faz tempo que não nos vemos, não é? Eu queria começar com o tão conhecido “Meu querido diário”, mas acho que com quase trinta anos, isso não iria pegar muito bem. Você está bem desgastado, me desculpe por isso. Sei também que fiquei ocupado e te esqueci completamente. 

Mas mesmo assim, eu tenho a notícia de que hoje é a última vez que eu te abro, mas você já sabe o porquê. Mesmo sem folheá-lo, eu consigo lembrar de cada palavra que está aqui, afinal, foi eu mesmo que escrevi. Foram anos depositando a minha frustração nessas páginas amareladas, essa que eu já não tenho mais.  

Na verdade é estranho te abrir e voltar a escrever depois de tanto tempo. É como se eu voltasse àquele tempo. Mas eu não sinto mais nada do que eu sentia antes, é o contrário. Eu sinto tudo ao contrário do que sentia antes, quase como se a vida tivesse me recompensado por tudo. 

Eu ainda lembro da angústia dentro do meu peito, que me fazia questionar o porquê de ninguém estar lá. Do porquê ninguém cortar os meus levantamentos. Eles eram rápidos demais? Lentos? Altos ou baixos demais? Eu sempre me cobrei por isso, mesmo que nunca tenha deixado transparecer. Tudo bem, eu sei que também não era fácil, e parte disso foi minha culpa. Entretanto, eu nunca quis isso… eu só queria conseguir fazer alguma coisa quando as coisas não iam bem. Eu só queria vencer.

Talvez você até tenha ficado pesado com todas as palavras melancólicas que eu escrevi, me desculpe por isso também. 

Só que, no meio de toda essa nostalgia incômoda, eu tenho uma notícia boa. Eu superei. Eu consegui vencer, e da melhor maneira possível. Eu nunca poderia pedir outra vida. Nunca teria coragem de pedir para que tudo fosse diferente. Talvez, com meus quinze anos, eu até pensasse dessa forma. Mas como eu disse, eu consegui. Hoje há uma pessoa especial que sempre pede meus levantamentos. Que sempre está lá para cortar e gritar junto comigo. Ele reclamou algumas vezes, mas nada se compara tanto antes como agora. É bom ter alguém para ser sua companhia quando ninguém mais quer fazer isso. 

Lembra do Hinata? Aquela laranja irritante na qual eu sempre reclamava e que eu dizia ser o pior atacante do universo? Ele virou profissional junto comigo. E por incrível que pareça, foi ele quem mais me apoiou depois de tudo o que aconteceu. 

Ele não tinha nenhuma obrigação de lidar com alguém como eu. Ele não tinha obrigação de insistir em um coração quebrado pelo próprio orgulho. Mas Hinata lidou, e ele insistiu tanto, que eu não tive forças pra negar. No fim, eu sempre quis alguém para estar do meu lado, para cortar meus levantamentos, e também para amar.  

Nem eu mesmo acredito nas coisas que ele me fez dizer quando nos conhecemos. Como a vez que ele disse que não conseguia passar por um bloqueio. Aquele dia eu fiquei furioso, porque eu sabia do seu potencial, sabia que ele podia quebrar qualquer parede que tentasse pará-lo, então eu lhe disse apenas para pular e cortar com toda sua força, que eu faria bola chegar até a palma da sua mão. E de brinde, disse que enquanto eu estivesse com ele, ele seria invencível. Ainda sinto minhas bochechas esquentarem com isso. É constrangedor de qualquer forma que pense. 

Ainda que agora eu esteja com ele e fale coisa piores - acredite, eu falo cada coisa melosa, que se Tsukishima ouvisse, provavelmente vomitaria -, ainda sinto uma vergonha imensa dessa situação. Acho que é porque eu estava na frente do time todo. Mas, estranhamente, naquele dia eu não liguei; a minha ficha só foi cair quando eu cheguei em casa e percebi o que tinha dito. Meu foco só foi fazer com que ele não desistisse, assim como ele insistiu para que eu não parasse com meus toques rápidos. 

Inconscientemente, eu queria retribuir. 

E bom, hoje estamos aqui. 

Eu retribui de uma maneira que nunca pensei em fazer na minha vida. A primeira surpresa da minha vida foi saber que eu era gay. Devo dizer que muitas vezes não é fácil fazer parte do lado arco-íris da força, mas eu estou feliz com isso. Hinata e eu nos casamos há dois anos, um ano depois que ele voltou da sua temporada de treinamento no Brasil. Sim, ele foi louco o suficiente para ir para o outro lado do mundo, apenas para melhorar. 

Se você um dia me veria casado? Pois é, eu também não imaginava, nem que pediria o garoto que mais odiei quando conheci em namoro, nem que ele se declararia pra mim através de uma margarida, nem que eu abriria mão de alguns dias de férias apenas para juntar algumas semanas suficientes para poder ir vê-lo, porque eu já não aguentava mais de saudades. 

Isso tudo porque ele insistiu, e foi idiota o suficiente para gostar de mim da maneira que eu era - devo dizer: que coragem! 

Sei que também devo à Karasuno, e todo o pessoal do vôlei que não ligou para o meu temperamento. Mas ele... Hinata sempre vai ter uma parte especial no meu coração. Porque foi ele quem chegou lá no fundo e disse que não estava sozinho. Que ele sempre estaria lá. 

Pra falar a verdade, eu nem sei como agradecer a ele.

Ele sempre é tão… tão ele. Nunca faz nada por obrigação, sempre, sempre é porque ele sente uma paixão imensa. E eu sempre, sempre agradeço por ser uma das suas paixões. Amar Hinata Shouyou é como amar vôlei na sua forma mais pura. 

E como namorados - e agora casados -, nós crescemos no vôlei também. Viramos profissionais, e ficamos bons pra caralho em voleibol, tanto que fomos chamados para representar o Japão nas olimpíadas. Nós dois, juntos e com mais alguns idiotas do ensino médio. 

Faz tempo desde que eu joguei com ele pela última vez. Desde que nos separamos por causa do seu treinamento, ficamos como rivais a maioria do tempo, jogando um contra o outro e em times diferentes. Eu gosto de ser rival dele, mas também gosto de jogar com ele. Me deixa feliz. 

E ontem, nós fomos para o último jogo das olimpíadas, e como sempre, ele continuou pedindo pelos meus levantamentos. Como se a melhor coisa que ele pudesse fazer, é confiar em mim. Mesmo sabendo de todos os meus defeitos e meus erros, a única coisa que ele faz é confiar e pular. 

Eu amo isso.  Amo que, mesmo depois de tudo, ele continua o mesmo. 

Ontem nós tiramos uma foto também, quer dizer, ele insistiu para que nós tirássemos. Nunca fui ligado em redes sociais ou algo do tipo, exceto pelo dia que quis assumir o nosso namoro e usei o Instagram para isso, eu nunca gostei muito de mexer nessas coisas, simplesmente não levo jeito. Mas bem, o que eu não faço por ele, não é? Eu nunca consegui dizer não para aquele sorriso aberto que ele sempre me dá.

Então nós tiramos essa foto, e claramente, é o meu melhor sorriso. O dele, bem, é normal e de costume, mas desconfio que ele estivesse tão contente quanto eu, afinal, nós ganhamos a olímpiadas. Eu espero poder jogar com ele novamente, é divertido e eu gosto. Me sinto bem ao lado dele. Acho que deveria colocar essa foto emoldurada na nossa parede do quarto, ele vai gostar.

Era isso que eu queria contar. Eu estou feliz e casado com aquele que fez sair de uma gaiola, na qual eu não imaginava que podia sair. Eu tinha o desejo de vencer, e venci: com ele. 

Nesse momento eu estou escrevendo isso enquanto ele está dormindo. Apesar de sempre agitado quando acordado, quando ele dorme, ele fica tranquilo. Ele parece tão pacífico. Daqui a pouco o alarme vai tocar, e provavelmente, eu vou fazer um shake de proteínas para nossa corrida matinal. É sempre assim que costumamos começar o dia, correndo juntos. 

Só queria dizer que não estou mais sozinho. Eu tenho alguém igualmente insano do meu lado, e que sempre enxergou o melhor em mim, que me ajudou e jogou. E na verdade, joga até hoje. 

Nós ainda vamos jogar muito voleibol, Hinata Shouyou. Seja como profissionais ou como um casal entediado dentro de casa. 

E a você, muito obrigado, querido diário.


Notas Finais


Eu só tenho duas coisas a dizer: eu chorei e surtei!
Eu sempre fico extremamente boiola com textos assim, e olha, acho que vou começar a fazer. Essa é mais uma fanfic da coleção de KageHina que pretendo ter no meu perfil!
Então, se quiser entender alguns easter eggs que tem no meio da fanfic, é só entrar no meu perfil que você vai achar as fanfics mencionadas.

a fanart da capa foi feita por: https://twitter.com/starberryteas/status/1313155341043916800

No mais, é isso. Pretendo voltar com mais duas oneshots ainda esse ano pra vocês que me acompanham, então, até lá!

Meu facebook: http://www.facebook.com/sayara.jaeger


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...