História AirPort. - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Visualizações 10
Palavras 2.268
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oi galerous
então, essa é minha primeira fic do BTS, então deem muito amor pra ela ( sempre quis dizer isso )
eu não sei o que falar, então é isto, leiam kkj

Capítulo 1 - Capítulo I.


   Os sete garotos saíam, ou melhor, tentavam sair, do aeroporto de Miami, que por sinal, estava abarrotado de fãs eufóricas por estarem vendo seus ídolos de perto. Porém, a situação começara a ficar desagradável, e até mesmo perigosa para os presentes. As fãs começavam a tentar se jogar em cima dos sete garotos. Nem mesmo os 11 seguranças estavam sendo capazes de conter toda aquela euforia exagerada. 

 

De longe, uma garota observava tudo, indignada com aquele abuso. 

 

Poxa, eles são seres humanos, não produtos expostos em uma vitrine. 

 

Cansada daquilo, a garota subiu em um dos bancos que estava próximo ao tumulto, e gritou; 

 

— EI!- ela tentou chamar atenção das pessoas, porém só conseguiu de algumas, mas foi o suficiente para que o empurra-empurra fosse consideravelmente diminuído.— EI VOCÊS! PAREM COM ISSO! ELES NÃO SÃO OBJETOS EXPOSTOS EM UMA VITRINE PRA CHEGAREM, ENFIAREM A PORCARIA DE UMA CÂMERA NA CARA DELES. ELES SÃO SERES HUMANOS! GOSTAM DE ESPAÇO, ASSIM COMO EU E VOCÊ! NÃO É PORQUE ELES SÃO FAMOSOS, QUE VOCÊS TÊM ESSE DIREITO! AJAM COMO PESSOAS RACIONAIS, NÃO COMO ANIMAIS QUE ATACAM A PRESA PREFERIDA!- continuou gritando a menina, assim que conseguiu a atenção das pessoas ali presentes. 

 

Os sete garotos, que até então, se permaneciam de cabeça baixa, apenas rezando pra chegarem logo à van, prestaram atenção na menina que berrava em cima de um banco. 

 

Embora nenhum deles tenha entendido o discurso da menina- exceto pelo líder Namjoon, que falava inglês- a agradeceram internamente, porque graças àquele discurso, alguns fãs "eufóricos demais"- uma suavização para "loucos"- haviam se desconcentrado das sete imagens à frente, e passaram a focar na menina em cima do banco, dando-lhes espaço necessário para continuar sua travessia até a saída. 

 

Porém, como nem tudo sendo um mar de rosas, havia uma sasaeng no aeroporto, e, vendo que a atenção de seus ídolos estava na menina que berrava, chegou e empurrou-a banco abaixo, fazendo a "salvadora-de-faces"- gentilmente apelidada assim pela mente fértil de Hoseok, ir de encontro ao chão, dispersando a atenção focada em si. 

 

Todos os sete arregalaram os olhos e tentaram localizar a menina, o que foi impossível devido ao tumulto que novamente se formava em volta dos garotos, mas que graças à "distração" de minutos atrás, ganharam tempo, assim chegando mais facilmente à saída. 

 

Namjoon, como o líder preocupado com os fãs que é, pediu a um de seus seguranças que fosse discretamente ajudar a menina e ajudá-la a sair dali inteira, isso é, sem ser alvo de alguma sasaeng, como a que a empurrou do banco em que estava. 

 

#######################

 

*Menina Louca Da Cadeira pov's* 

 

Senti alguém me empurrando, fui direto ao chão e adivinhem?! Ralei meu joelho. Nada que eu já não estivesse acostumada, aproveitei bem a infância- mas dá raiva do mesmo jeito, ainda mais quando alguém te EMPURRA PROPOSITALMENTE. 

 

Eu cada vez sinto mais desgosto dessas Armys que não sabem respeitar a privacidade dos meninos!

 

Aí vocês me perguntam; se você não gosta que elas façam esse tumulto todo, pra que veio no aeroporto?! 

 

Simples, eu queria vê-los, mesmo que de longe. Mas existem fãs- que mais parecem animais- eu não entendem isso e agem como loucos! 

 

Eu não aguentei ver aquilo, e por mais que eu fosse uma pessoa extremamente calma, eu não aguentei e explodi!

 

E olha que eu nem xinguei aqueles doentes por atenção! 

 

Me levantei do chão e peguei meu celular que havia caído da minha mochila. A sorte era que ele está com película, ou eu ia obrigar o filho de Deus que me empurrou e me fez quebrar o celular, pagar o concerto! 

 

 

Quando levantei a cabeça, terminando de analisar meu joelho- que agora escorria um pouco de sangue- estavam algumas das "fãs", me olhando meio torto. 

 

Admito, isso foi meio assustador, assim, beeeem assustador. Me senti uma peça de carne fresca no meio de leões famintos. 

 

Sei que sou uma delicia, mas eu sou tímida, ok?!

 

Pensei em sair correndo, mas como eu sou sedentária, eu cansaria rápido demais, fora uma possível crise de asma, já que eu sou toda fodida por dentro. 

 

Decidi ignorar e ir ao banheiro limpar meu joelho, eu odeio sangue e não aguentaria ficar sentindo aquilo na minha perna por muito tempo. 

 

Antes que eu pudesse dar um passo, senti uma mão no meu ombro. Soltei um berro- mais alto que o da pantera asiática, se me permitem dizer.

 

O moço era alto, beeem alto, parecia um poste. 

Não sei se eu que sou baixinha, ou ele que é alto demais, mas que ele é cosplayer de Golias, ele é!

 

— Com licença, a senhorita poderia me acompanhar?- eita, fudeu Bahia. Aposto que o aeroporto vai me cobrar o assento que eu pisei em cima! Logo agora que eu tava juntando dinheiro! 

 

— Olha, se for pelo assento que eu sujei, eu juro que...- comecei, mas ele agarrou meu pulso e saiu andando. 

 

MEU DEUS EU TO SENDO SEQUESTRADA! 

 

— Calma moço, não é pra tanto! Eu tenho família, não tenho amigos, mas tenho minha família lá no Brasil! Eu sou pobre, não vale a pena me sequestrar!- eu disse desesperada, e ele nem deu bola. 

 

—Eu não sei transportar drogas também, eu sou muito lerda pra isso!- disse. Tentei firmar meus pés no chão, o que não foi útil, já que ele era forte ( bagarai, se me permitem ), e eu em força sou uma lombriguinha. 

 

Paramos em frente a uma van preta, meio grande. Oh não, eu vou ser mesmo sequestrada. 

 

— Deus me ajuda! Eu prometo que nunca mais roubo doces da lojinha do meu tio! Eu juro que vou parar de beber, eu jur...- comecei a rezar, vai que Deus me ouve. 

 

O moço abriu a van e me colocou lá dentro. Estava de olhos fechados, com os olhos já escorrendo. Estava rindo também, eu tenho mania de rir em situações desesperadoras. 

 

— Deus, eu juro que eu paro de ser mal-educada nos jantares de família! Eu nunca mais respondo a Rosinha daquele jeito! Eu só vou tirar notas boas, eu prome....- senti olhares em mim e abri um dos olhos. 

 

Se esses seriam os cafetões, eu teria que me acostumar. 

 

— *barulhos de grito*_ não eram cafetões! É o BTS. 

 

 

Eu não me lembro de ter usado drogas, nem de ter bebido, ou algo parecido... 

 

— Sua garganta é bem potente, em!- ouvi J Hope dizer. 

 

Comecei a rir de nervoso e chorar de alegria, enquanto dizia o quanto eles são bonitos. 

 

Talvez eu seja estranha, só talvez. 

 

— Garota, você tá bem?- perguntou Suga, franzindo o cenho. 

 

— Ela não deve falar coreano, hyung!- ouvi Taehyung dizer. 

 

— Se ela não fala coreano, como vamos falar com ela?- eu queria responder que sabia, mas minha crise de lágrimas e risos ainda não passou. 

 

— O Nam-Hyung fala inglês!- ouvi Jimin.  

 

— Aí... Ai... Meu Deus, que aventura pra uma segunda feira de manhã!- disse em português comigo mesma.

 

Eu misturo idiomas quando estou nervosa, desculpa!

 

— Hi!- disse Namjoon com um meio sorriso. 

 

— Ciao... Não, pera, Oi... Caralho, Hola, Ohayo, Shalom, Aloha, Eai.- COMO FALA OI NA LÍNGUA QUE EU QUERO?

 

— Acho que ela tá drogada!- ouvi Jungkook sussurrar. 

 

— Não, eu juro que não uso drogas desde que nasci!- FINALMENTE COREANO. 

 

 

— Wow, você fala coreano!- disse Suga surpreso. 

 

— Não, não, eu to falando árabe!- respondi irônica. Força do hábito, sorry! 

 

— Toma hyung!- disse Jimin sorrindo. 

 

— Força do hábito, desculpa!- me desculpei com um sorriso amarelo.— Então quer dizer que eu não fui sequestrada?!- mais afirmei do que perguntei.  

 Mas se eu fosse ser sequestrada por eles, eu iria de boas viu. 

 

— Por que você seria sequestrada...?- perguntou Jin, que até agora não tinha se pronunciado. 

 

— Ah, geralmente a vítima não fica sabendo do porquê né?! Mas assim, ser puxada por alguém com o dobro do seu tamanho- e força- pra dentro de uma van preta não é algo que acontece todo dia, sabe?!- disse com a mão no queixo. 

 

— Tem razão!- Jungkook disse, desviando o olhar para o chão. 

 

ITI QUE GRACINHA MEU DEUS. 

 

— Mas por que eu to aqui mesmo?- perguntei, afinal, não era todo dia que seus ídolos te sequestravam. 

 

— Queríamos te agradecer pelo que disse lá no aeroporto!- disse Namjoon sorrindo. Ele estava com as bochechas um pouco coradas, o que o deixava fofo. 

 

— Ah, aquilo não foi nada! Eu só fiquei irritada com a forma que os fãs tratam vocês! Vocês são pessoas, não objetos!- disse revirando os olhos. 

 

— Mas mesmo assim, se não fosse por você, até agora estaríamos lá... E pera, ISSO É SANGUE?!- perguntou Hoseok de olhos arregalados. 

 

— Sim... Me empurraram e eu caí do banco!- disse rindo.

 

— A-Ah, q-que legal sa-saber que você ainda tem sangue no seu corpo, né! Quero dizer, seu sangue existe, ele é líquido, ele tá aí né!- Hoseok disse, parecendo com medo. 

 

— Ele tem medo de sangue!- esclareceu Yoongi. 

 

— Bem vindo à trupe! Eu também tenho, mas é só não olhar que tá bom!- disse tentando lhe passar confiança, coisa que nem eu tenho. 

 

— Qual seu nome mesmo?- me perguntou Jimin. 

 

 

— S/n!- respondi. 

 

Caralho, eu não to nervosa, nem sei como, eu não consigo nem pedir pizza sozinha no telefone, conseguir falar com a porra dos meus ídolos sem fazer papel de trouxa é um avanço 'pra humanidade!

 

— Então, onde é sua casa?- me perguntou Jin.— Iremos te deixar lá!- ele disse. 

 

— Na verdade é em um hotel, eu to fazendo intercâmbio aqui, na verdade!- disse pegando meu celular pra mostrar o endereço. 

 

— Mas quem faz intercâmbio geralmente não fica em uma daquelas casas de famílias?- perguntou Taehyung confuso. 

 

— Sim, só que deram uns problemas com minha antiga família, então eu to ficando num hotel até as coisas se ajeitarem!- disse com um meio sorriso. 

 

— Ah, sim! E não é perigoso? Digo, uma garota menor de idade ficar sozinha num hotel, em outro país? Seus pais não ficam preocupados, ainda mais com os tais problemas?- perguntou Jin. 

 

— Que é perigoso, é, mas não tenho nada a fazer, a não ser aceitar! Meu pai sabe, ele quis até que eu voltasse pro Brasil!- eu disse sorrindo, que nem retardada, por sinal. 

 

— Mas não é melhor voltar e ficar lá segura, do que aqui, correndo riscos?- perguntou Namjoon. 

 

— Nada! Eu gosto de correr riscos!- disse sorrindo ladino.— Fora que eu quero terminar a escola aqui! É o meu sonho - disse sorrindo. Já disse o quanto eu não consigo parar de sorrir que nem retardada? Então, eu não consigo. 

 

 

— Você ainda estuda?!- perguntou Jimin, parecendo surpreso. 

 

— Sim, eu to no 3º ano!- falei. 

 

— Você parece mais velha!- disse Taehyung. 

 

— Sim, eu escutei suas súplicas ao segurança dizendo; "eu juro que nunca mais bebo"...- disse Namjoon me olhando estranho. Maldito inglês! 

 

 

— Geralmente acham que eu tenho 13 anos, obrigada!- realmente, uma vez uma mulher não me deixou entrar no cinema pra um filme de 14 anos.— E sobre a bebida... Então... É que meio que... Eu tava falando de Toddynho, uma bebida brasileira que eu viciei! Minha avó diz que faz mal, por isso jurei que pararia!- eu sou ruim pra disfarçar, mas poxa.... Não que eu beba, seja uma pinguça que não pode bater o dedinho num móvel que já sai e enche a cara. Não! 

Quando eu tinha 14/15 anos, certas "amizades" me levaram pra um caminho ruim, mas nada duradouro, foi algo de duas, três semanas, mas que me arrependo até hoje. 

 

— E a propósito, o hotel é esse!- disse mostrando a localização no meu celular pro motorista.  

 

— Chegamos lá agorinha!- o moço me avisou. 

 

— Obrigada!- agradeci gentilmente. 

 

Ali se instalou um silêncio meio desagradável. Pelo menos pra mim, que odeia silêncio. 

 

— Senhorita, seu celular!- o motorista me deu o celular, que tocava. 

Todos os olhares se direcionaram a mim, e nesse momento, eu realmente preferia o silêncio, pORQUE MEU TOQUE DE CHAMADA É AQUELA VOZ DESGRAMENTA DO JUNGKOOK FALANDO QUE É O MAKNAE DE OURO  

 

**Ligacao On**

 

— NÃO ACREDITO QUE VOCÊ NÃO ME CONTOU QUE TÁ FAMOSA!- escutei meu melhor amigo gritando do outro lado. 

 

— Talvez porque nem eu saiba?- disse.— Que história é essa?

 

— UM VÍDEO DE VOCÊ NO AEROPORTO TÁ NOS TRENDS DO TWITTER!- ele berrou. 

 

— Você não desgruda da internet não?- perguntei, em tom de falsa acusação. 

 

— Tava jogando com os meninos— esclareceu. Rolei os olhos, ele não toma jeito mesmo!

 

— Ei, eu não posso falar agora, mais tarde te ligo!- disse encerrando a chamada, afinal, estava na van ainda, isso era desconfortável quanto pra mim, quanto para os meninos. 

 

*Ligacao Off*

 

Devolvi o celular ao motorista e o silêncio desagradável se instalou de novo. 

 

— Quem era?- escutei Jimin perguntar. 

 

— Jimin! Larga de ser curioso!- ouvi Jin o repreender. 

 

— Desculpa, S/n, Jimin é curioso, e as vezes passa dos limites!- disse a última parte o encarando. 

 

— Não, tudo bem! Eu sou muito assim, entendo ele!- disse sorrindo para o garoto que agora me olhava como se arrependesse.— Era um amigo!- disse. 

 

— Amigo..? Hnmm- disse Hoseok com um sorriso malicioso. Donde que ele tirou essa intimidade eu não sei, mas to adorando. 

 

— Sim, ele é meu amigo desde que eu tinha tipo, 10 anos!- falei sorrindo, ao lembrar do S/a. 

 

 

— Jeongguk tá quieto hoje!- falou Tae puxando a orelha do amigo. Tão aleatório quanto eu, que orgulho!

 

 

— É só sono, ok?!- ele disse olhando pra janela, evitando contato visual com os outros ou comigo. 

 

 

— Ele tá envergonhado, que gracinha!- disse Hoseok provocando. 

 

— Não to não!- iti, as bochechinhas ficaram vermelhas. 

 

— Chegamos!- disse o motorista, me entregando meu celular. O agradeci. K

 

— Obrigada, meninos!— os agradeci descendo da van. 

 

— Nós que te agradecemos!- acenaram. 

 

Ok, esse foi o dia mais louco da minha vida.


Notas Finais


enton, vai sair um capítulo por semana, mAS NÃO GARANTO QUE VÁ TER TODA SEMANA, e se não tiver, eu posto dois em uma semana pra compensar.
e vocês já viram as selcas que o Jungkook postou????? Quase morro ali


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...