1. Spirit Fanfics >
  2. Aishite! >
  3. Aishite!

História Aishite! - Capítulo 1


Escrita por: Skiff

Capítulo 1 - Aishite!


Fanfic / Fanfiction Aishite! - Capítulo 1 - Aishite!

Desde muito jovem, Izuku sempre foi uma criança muito estudiosa e atlética, sempre tirava notas boas, ficava sempre com um largo sorriso em sua face, cogitado por muitas das garotas de seu colégio, definitivamente um prodígio. 


Contudo, o jovem Midoriya sempre teve um pequeno problema mental, Izuku foi diagnosticado desde muito cedo com esquizofrenia, não se sabia ao certo se era tudo por causa do seu problema, mas o jovem, mesmo com todas as suas qualidades, era alguém muito dependente da aprovação dos outros. 


Mesmo já adolescente, sempre que tirava uma nota perfeita, se aproximava de sua mãe e pai com o papel de prova em mãos, tirando-os da concentração de seus afazeres, às vezes importantes, ou simplesmente afazeres de entretenimento. Sempre que ganhava alguma medalha ou troféu em um campeonato do colégio, mostrava para os seus pais, os irritava até os mesmos o ouvirem e parabenizá-lo por seu feito. Não importava a circunstância, o jovem iria direto para seus pais buscar aprovação. Bem… Um dia essa carência o custou muito, o custou até de mais.


Mais um dia estava se passando na vida de Izuku, tudo corria naturalmente bem, sempre recebendo elogios de seus professores, dos colegas de classe, se destacando corriqueiramente na aula de Educação Física. Como já disse, tudo estava correndo bem, chegou o final das aulas, e o professor entregava as provas já corrigidas para os alunos. E como sempre, Izuku sairia por último, por sempre terminar primeiro as suas provas, então, assim que a professora chamou seu nome, foi direto para a mesa da mesma.


Professora: Meus parabéns Midoriya. - O professor afagou os cabelos de Izuku. - Mais uma nota perfeita, continue assim e você vai longe, mais longe que muitos!


Izuku: Muito obrigado professora! - Izuku pegou a prova, e abraçou a professora, saindo da sala assim em seguida.


Tudo estava bem, Izuku havia pedido um táxi para a sua casa, e como sempre, todas as vezes que recebia alguma prova corrigida, mostrou ao taxista, recebendo um parabéns, e um incentivo do motorista. O esverdeado então chegou em sua casa, pagou devidamente ao taxista, e o viu se distanciar para longe, indo direto para dentro da sua moradia depois disso. 


Ao chegar na porta, ouviu algumas coisas um pouco desagradáveis sobre o chefe de seu pai e finalmente entrando, viu Hisashi, sentado em uma cadeira, falando no celular, enquanto apoiava seus cotovelos a mesa, empurrando os seus cabelos brancos para trás em claro desespero.


Hisashi: Não chefe! Por favor!! Eu te imploro, por favor não faz isso, eu tenho um filho e esposa! Eu só não quero… - Ao julgar seu rosto, o chefe de Hisashi havia desligado. - Seu filho da puta!! - Bateu o celular contra a mesa, colocando agora ambas as mãos em seus cabelos.


Izuku não estava entendo o ocorrido, o menor tentava ligar alguns pontos, mas mesmo assim, nada vinha a sua cabeça, e ignorando tudo, se aproximou de Hisashi com o papel de prova em suas mãos, cutucando com sua mão livre as costas do mais velho.


Izuku: Pai! Olha aqui, eu tirei mais uma nota boa! - Ele colocou o teste na frebte do rosto de Hisashi.


Hisashi: Uhum…


Izuku: Ei… Não está bom?


Hisashi: Izuku, agora não é a hor…


Izuku: Pai… O senhor não gostou da minha nota?


Hisashi: Eu tô estressado, Izuku eu tô falando sério! Agora não é hora!


Izuku: Minhas notas não são boas? - A cada palavra sua voz ficava mais fanha, e irritada.


Hisashi: Izuku…!


Izuku: Eu não era uma boa criança? - Izuku mostrou mais o papel para Hisashi.


Hisashi: Izuku, para eu tô falando sério!


Izuku: Eu não era uma criança fofa? - Izuku viu Hisashi se levantar da cadeira, a jogando no chão com raiva.


Hisashi: Izuku, por favor!


Izuku: Me diz pai… Eu não sou uma boa crianç…… 


Izuku foi incapaz de continuar sua frase, já que recebeu um soco de seu pai, caindo no chão, deixando a prova escapar de suas mãos.


Izuku: P-Pa… 


Hisashi se ajoelhou, pairando sobre a barriga de Izuku, começando a dar socos pelo rosto do menor, passando para as costelas e depois para a barriga.


Izuku: Ei, ei isso dói!!! - O menor continha suas lágrimas com uma face absorta, sentindo os socos voltaram para o seu rosto, naquele momento o sangue já tomava conta de todo o corpo de Izuku. - P-Pai… O que eu…


Hisashi pegou Izuku por sua gola, seguindo até uma porta abaixo da escada, abrindo-a, relevando-se um porão escuro e mofado.


Izuku: Pai… - O sardento sentiu seu corpo caindo como uma pluma em direção ao chão, rolando escada a baixo, sujando os degraus com seu sangue, até cair debruçado no final. - P-Pai…


Após isso, longas 2 semanas se passaram, inacreditavelmente o esverdeado sobreviveu a tudo aquilo, já havia saído do porão após 4 dias, tudo aquilo havia o abalado muito, Hisashi por sua vez fingiu que nada daquilo tinha acontecido, e Inko, ingênua, não tinha percebido nada de tudo. 


Então, mais um dia tinha se passado e a escola havia dado um pequeno recesso de 3 dias aos alunos, tudo se encontrava em forte calmaria, e poderíamos acompanhar Inko, tomando seu banho dentro da banheira.


Inko: Arr… Espero que o Hisashi ache um novo trabalho logo… - A esverdeada relaxou um pouco, mas entrou em alerta ao ouvir a porta do banheiro ser aberta, e pela silhueta da porta viu cabelos desgrenhados e grande. - Izuku, a sua mãe tá no banheiro!


A mais velha não teve resposta, e avistou a silhueta se aproximando da porta do banheiro, abrindo-a lentamente, revelando Izuku com uma face desinteressada e um das mãos para trás.


Inko: Izuku?!


Izuku: Mãe… Você me ama?


Inko: Que pergubta é essa?!


Izuku: … Então você não me ama… Por favor… - Izuku tirou sua mão de trás de sua costa, mostrando a mesma com um secador de cabelo. - Aishite… - Falou em um sussuro, mostrando o seu rosto com um sorriso cínico, lançando naturalmente o secador em direção a banheira, caindo dentro da água, causando uma descarga elétrica dentro da banheira. Segundos se passaram, e Inko havia morrido, fagulhas dançavam sob a água, e as laterais da banheira estavam pintadas do fluído rubro. - … ha… hahaHa… HaHaHaHa… HaHaHaHAHAHAHA!!



.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.



Meu one-shot de Páscoa pra vocês, espero que tenham gostado do fundo do meu coração, e lembrem-se:


Aishite!




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...