História Ajudando a se descobrir - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags 18 Anos, Hentai, Pers Originais, Yuri
Visualizações 188
Palavras 2.379
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Drabs, Ecchi, FemmeSlash, Fluffy, Hentai, Lírica, Musical (Songfic), Shoujo-Ai, Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Capítulo único


Fanfic / Fanfiction Ajudando a se descobrir - Capítulo 1 - Capítulo único

I'mma care for you

Eu vou cuidar de você


You make it look like it's magic

Você faz isso parecer mágica


Cause I see nobody, nobody

But you

Pois eu não vejo ninguém, ninguém

Além de você


I'm never confused

Eu nunca estou confuso


I'm so used to being used

Eu estou tão acostumado a ser usado



(The Weeknd - Earned It)



Na época da escola quando eu devia ter um 15 anos na época. Luciana sempre dava um jeito de vir pra minha casa pra nós estudamos ou botarmos as fofocas da escola em dia. Isso no caso da Luciana pois eu só fingia que me interessava!.


Na época eu já tinha me descoberto bissexual e Luciana como minha melhor, e única, amiga sabia muito bem disso. E pra minha sorte não se importou com isso!.


- [...] Você acredita que ele teve a audácia de fazer isso com a coitadinha. Luciana me contava uma de suas várias fofocas descobertas pela mesma com entusiasmo, como se eu me importasse.


- Que otário!. Disse fingindo estar apertando atenção na fofoca. Quando na verdade eu estava sentada na minha escrivaninha/mesa de estudos tentando resolver as expressões de matemática que o professor havia passado na aula daquele dia. - AFF desisto. Grito jogando o lápis na mesa e regendo os braços pra cima. - O jeito é fazer o velho e bom pacto com o Tio Lúcifer mesmo!. Exclamo deitando minha cabeça na mesa.


Vejo Luciana revirar os olhos em sarcasmo e esboçar um sorriso brincalhão por alguns segundos antes de me encarar e engolir em seco. A levanto minha cabeça ainda a encarando e vejo confusão visível em seus olhos. A lanço um olhar que disso a ‘ Conta agora o que foi ‘ e a vejo suspirar depois de muito relutar.


- Becky… ah… co-como foi… Como foi que.. Sabe!... Vo-você se.. Ah. Luciana se enrolava toda nas palavras enquanto se ajeitava melhor na minha cama ainda a mesma se encontrava pra estudar, ou pra fofocar, enquanto evitava me encarar.


- Bissexual. Respondi com calma vendo a vergonha visível em sua fase, vi a mesma confirmar com a cabeça ainda baixa. - Hum… Bem acho que foi porque eu gostava de ver os seios das outras meninas… Ou porque me vi interessada na Taís.. sabe a ex namorada do Adryan… Ou porque comecei a ter um interesse na Maria Eduarda depois que terminei o meu namoro com o obsessivo do Oliver! Vai saber e sou uma pessoa confusa. Terminei esboçando um meio sorriso, pegando minhas madeixas ruivas e as amarrado em um coque bagunçado.


Sabia que Luciana estava passado pela fase de querer se... “descobrir” e por isso iria querer se abrir com alguém mais velho, mas eu confesso que não sabia que eu seria esse “alguém”.


- Becky… Oque você faria se eu te dissesse que… nun-nunca senti.. Ah.. atração por garotos?. Tranco a respiração e olho pro chão sem saber o'que dizer.


Nunca tive preconceito! Afinal sou Bissexual! Sou meio que “problema” pra sociedade, mas não sabia que a conversa se estenderia a esse ponto… Uau!


- Uau… Isso é novo, Sinceramente! Eu não ligo pra isso… mas agora me deixa fazer uma pergunta Luciana. Me levanto da cadeira em que me sentava e me aproximei vagarosamente de Luciana, vendo a mesma se estremecer a cada passo que eu dava em direção a mesma.


Após chegar à beirada da cama vejo Luciana me olhar em pura confusão e… excitação? Enquanto se espremia na parede. Vela assim só me deu vontade de rir, mas me contive pois o momento estava interessante.


Subo na cama e lentamente me a próximo engatinhando, Luciana se encontrava meio ofegante , mas tentava disfarçar apertando os lábios uns nos outros. Lábios esses que era tão carnudos e convidativo em meu ponto de vista.


- Becky oqu-. Luciana tenta dialogar comigo, mas ela ainda não me respondeu minha pergunta.


- Responda Luciana! Você está se assumindo o'que eu acho que está se assumin-


- Sim. Respondeu me cortando antes que eu terminasse minha pergunta. Que menina audaciosa gente!. - Sim, eu sou lésbica. Disse com convicção e total certeza sobre sua resposta.


- Humm, então você já deve ter beijado alguma menina certo?!. Perguntei com deboche na voz, vendo Luciana virar o rosto assim que eu me aproximei o bastante para a encurralar com meus braços, dos quais eu posicionei propositalmente na parede em cada lado na cabeça de Luciana a impedindo de fugir,.


Agora você não foge, não agora!.


Luciana abaixa a cabeça por alguns segundos , mas logo depois levanta a mesma e me olha nos olhos com uma determinação estampada em seu rosto e olhos. Minha garota.


- Do que que isso te interessa!. Luciana me faz uma pergunta ,mas saiu mais como se fosse uma afirmação vinda da mesma.



- Me interessa muito pois eu devia ser a primeira a provar desses lábios vermelhos que tanto me fascinam agora!. Luciana me olha com os olhos arregalados e cora mais do que já estava corada antes.


- Não. Diz quase inaudível, franzi o cenho em total confusão.


Não o'que? Não quer que eu a beije! Arregalo os olhos em surpresa e vergonha. O'Que eu tava pensando! Até parece que Luciana se atrairia por mim!.


Suspiro em frustração e quando estava cogitando a ideia de me afastar sinto Luciana agarrar meu braço esquerdo e o apertar. Olho surpresa para aquilo e então direciono meu olhar para o rosto da mesma me deparando com os seus olhos tão negros quanto seus próprios cabelos. Desço meus olhos para seus lábios e suspiro com a visão da mesma ofegante e de seus lábios tão vermelho e convidativo, como se estivesse me chamando silenciosamente, e eles realmente estavam. Volto meu olhar para os olhos de Luciana em um pedido mudo de sua permissão para os provar nem que seja por alguns segundos, mas eu precisava provar deles. Em resposta vejo Luciana olhar para os meus e foi aí que eu não me aguentei mais.


Ataquei os lábios de Luciana como se fosse um animal sedento por água. Seus lábios era do jeito que eu imaginava. Macios e molhados tudo o'que eu precisava naquela hora, mas aquilo não passava de um roçar de lábios eu precisava de mais e pelo jeito que Luciana ficou de joelho na cama, assim como eu estava, e passou seu braço direito envolta de meu pescoço enquanto apertava meu braço esquerdo, que ainda se encontrava na parede atrás dela, ela também precisava de mais.


Tratei logo de pedir passagem com a língua, o'que foi facilmente atendido, e comecei a dançar em uma dança lenta e controlada com as nossas línguas. Sempre guiando a de Luciana, vendo que a mesma não tinha muito de aprendizado, mas que mesmo assim aprendia rápido. Passei meu braço direito pela cintura de Luciana a trazendo para mais perto de meu corpo praticamente a colando a mim. Mordo seu lábio de baixo o puxando com delicadeza e dando tempo para que ela pudesse pegar fôlego naquele curto período logo atacando seus lábios novamente, mas dessa vez com moradias, chupões nos lábios e apertos na cintura ao ponto de deixar vermelho depois, vindo de minha parte,.


Luciana gemeu entre o nosso beijo quebrando o mesmo, o'que só me fez a forçar a se deitar em minha cama, na mesma hora suas pernas se entrelaçaram em volta do meu quadril, em um pedido silencioso para que eu apressasse as coisas. Eu alisei suas coxas macias e selei nossos lábios novamente. Uma de minhas mãos foi para a barra de sua fina blusa, tentei puxá-la, mas não obtive sucesso.


Luciana me enpurou e na hora achei que eu tivesse passado do limites, mas descartei esse pensamento após ver Luciana puxar a peça que tanto me incomodava. Meus olhos brilharam ao ver seu sutiã rendado.


- Eu preciso provar deles. Falo com a minha voz um pouco rouca e com certa pressa, enquanto ficava em dúvida se os encarava no sutiã, ou olhava nos olhos de Luciana.


Passei a língua por cima do bojo direito e dei uma leve mordida no mesmo. Luciana contorce as costas no colchão em resposta e eu me aproveito para abrir seu sutiã, deixando o folgado em seu corpo. Seu rosto se envermelha de vergonha e pela sua cara eu percebo a insegurança ali. Eu me livro de seu sutiã com delicadeza, enquanto a olho com toda a gentileza que eu posso lhe dar agora, e logo depois encaro seus belíssimos seios expostos ao vento. Luciana vira a cara pra parede em puro constrangimento.


Sorrio e com as pontas dos dedos aliso seu rosto com delicadeza, com o dedo indicador viro seu queixo. A forçando a me olhar e depois dirijo  minha atenção aos seus seios.


- São tão… Lindos, nossa. Sussurro admirada e com toda a minha sinceridade. Vendo Luciana relaxar embaixo de mim.


Aproximo meu rosto do seu e beijo seus lábios de forma leve, passando por seu rosto e tomando direção até seu pescoço onde deixei marcas de diferenciadas cores como vermelhas, roxas, verde a roxoado, marcas de dentes e vários beijos molhados. O'Que causou vários suspiros e arrepios tanto em Luciana por estar sentido as sensações quando em mim por estar às fazendo, ouvindo e sentindo seus suspiros, gemidos e arrepios.


Logo comecei a dar atenção aos seus seios. Eu chupava o esquerdo enquanto rodava com o polegar o mamilo do seio direito. Luciana a flava enquanto puxava meus cabelos ruivos. Vi Luciana olhar para o local onde minha língua trabalhava agilmente e na mesma hora sinto suas pernas apertarem minha cintura com mais pressão. Seu biquinho enrijecido estava molhado por minha saliva. Eu mamava de uma forma que era pra fazer Luciana perder os sentidos. E pelas suas expressões estava dando certo.


- Aaahh… .Gemeu Luciana apertando com mais intensidade meus cabelos em suas mãos. Arrancando um rosnado baixo meu.


Eu sentia que Luciana estava ficando cada vez mais sensível e molhada, se é que é possível. Eu sorriu safadamente em direção a Luciana, o'que fez a mesma corar ainda mais, eu troco de seio, repetindo os mesmos procedimento anteriores. Luciana se contorcia ainda mais com o prazer que lhe era proporcionado.


- Eles são tão deliciosos. Digo após me afastar e chegar perto o bastante de seu ouvido para que pudesse ser sussurrado no mesmo.


A beijei com urgência. Era como uma droga. Eu não tinha controle sobre aquilo.


Meus beijos foram descendo até o seu pescoço. Luciana gemia com os beijos, mordidas e chupões que eu deixava, totalmente embriagada de prazer.


Seguro firme a carne de sua bunda. Apalpando com força e ouvindo um gemido alto ecoa pelo quarto, e agradeço mentalmente por meus pais nunca ficarem em casa,. Selo nossos lábios novamente e minha mão direita passa a apertar, de novo, seu seio.


Beijo cada um de seus seios e passo a alisá-lo com a ponta dos dedos indicadores.


- Tão gostosa. Sussurro, a vendo gemer em antecipação.


Minha língua entrou em contato com o seu bico rígido onde eu lambi toda a região. Rodando a auréola com meus olhos presos em cada faisões de Luciana. Seguro com meus dentes o biquinho do seio e em tal momento sugo-o para dentro de minha boca. Passando a chupá-lo ferozmente enquanto a minha outra mão adentrava lentamente para dentro de seu short.


Vi a respiração de Luciana triplicar a intensidade. Os gemidos vazavam automaticamente, não havia controle.


Comecei a insinuar penetrações com meus dedos. Ela suspirava. Minha mão passou a esfregar seu clitóris rapidamente. Senti o corpo de Luciana ficar quente, pegando fogo. Ela abre mais as pernas para dar mais acesso aos dedos. Eu rio ainda com seu seio na boca. jamais parando de chupa-lo. Faço movimento circulares em seu clitóris


- Aaah… . E tudo o'que saia de sua boca.


Luciana tenta segurar minha mão indicando para tirá-la ou ela gozaria. Eu ignoro e permaneço a intensificar os movimentos de meus dedos. Solto seu seio. Olhava Luciana sendo igualmente correspondida, penetro dois de meus dedos nela. Eu estocava brutalmente e ela parecia amar isso. Amava aquela violência repentina que eu a proporcionava.


- Aaoh… aawww...ooh..


Tiro meus dedos de dentro dela. Ganhando um olhar de indignamente vindo da mesma.


- Calma Rosinha, você não achou que iria gozar nos meus dedos achou?!. O deboche era visível em minha voz, enquanto eu umedecia os meus lábios deixando bem claro minha próxima ação.


Selo nossos lábios, em seguida distribuindo beijos molhados pelo seu pescoço, desde sua clavícula, até a barra de sua shorts. Tiro o mesmo com delicadeza junto da calcinha, passando pela suas belíssimas pernas até os pés.


Minhas mãos massageavam suas pernas, enquanto vejo ela afla. Separo suas coxas e me posiciono o mais perto possível de sua intimidade, fazendo-a engolir a seco.


Luciana suspira, já agarrando em meus cabelos arruivados, ansiosa pelo que viria. Vejo seu corpo responder aos meus toques, levanto meus olhos até os dela, mordendo o lábio inferior. Começo a arranhar seu clitóris com meus dentes. Logo levando a minha língua a percorrer toda a sua intenção. A fazendo sentir com certeza uma das melhores sensações do mundo. Luciana respirava ofegante e me olhava, apertando ainda mais meus cabelos. Minha língua fazia círculos e se enterrava o máximo que podia em sua intimidade.


A cada toque que minha língua dava em sua intimidade, seu abdômen era contraído. Eu chupava com velocidade. Luciana gemia ofegante e me olhava fixamente. Sua intimidade estava molhada com minha saliva e de seu próprio lubrificante.


Passei a lamber o seu clitóris, outra hora a chupar, e ainda usava três dedos para auxiliar no trabalho. Luciana ofegou entrecortada e suas pernas se fecharam, ela apertou com mais força meus cabelos e gemeu mais alto que o normal de minutos atrás. Assim chegando ao seu limite em minha boca.


Ofegante. Essa era a palavra que definia tanto Luciana quanto eu!. Bem… De três coisas eu tenho certeza.


1°: Luciana jamais irá sentir oque sentido hoje com outra pessoa, porque infelizmente eu sou única


2°: Devo estar careca de tanto que Luciana puxou meus cabelos


3°: Como diabos vou devolver Luciana pra mãe dela cheia de marcas no pescoço e seios, e claro não esquecendo os vergões vermelho pela cintura e coxas?


To fundida!



So I'mma care for you

Então, eu vou cuidar de você


I'mma care for you, you, you

Eu vou cuidar de você, você, você


'Cause girl you're perfect

Pois garota, você é perfeita


You're always worth it

Você sempre vale a pena


And you deserve it

E você merece


The way you work it

A maneira como você trabalha


'Cause girl you earned it

Porque garota, você ganhou isso


Girl you earned it

Garota, você ganhou isso



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...