História AKAI ITO - Imagine Jeon Jungkook. - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Akai Ito, Bts, História, Hoseok, Imagine Jungkook, Jimin, Jungkook, Namjoon, Romance, Seokjin, Taehyung, Yoongi
Visualizações 108
Palavras 2.527
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Fluffy, Lírica, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá gente, é a minha primeira fic, espero não decepcionar. Por favor tenham paciência comigo já que sou leiga no assunto. Prometo dar o meu melhor.

🏷 Por enquanto, não vou revelar meu nome ou algo assim. Beijos. Boa leitura.

Capítulo 1 - Céu estrelado e algumas garrafas vazias. PT 1.


Fanfic / Fanfiction AKAI ITO - Imagine Jeon Jungkook. - Capítulo 1 - Céu estrelado e algumas garrafas vazias. PT 1.

SÁB. 18:30 

 

Mais um sábado de primavera, no qual eu estava sentada em minha confortável varanda em um dos meu puffs, os quais eu tinha colocado ali não apenas por decoração, e sim porquê amava observar o céu - que por sinal, hoje estava radiante como nunca - Eu tinha uma bela paisagem dali, eu conseguia ver a minha frente uma avenida extensa, na qual não se passavam muitos carros e nem era tão movimentada, vez ou outra passavam ali algumas pessoas passeando com seus animaizinhos ou andando de bicicleta, era um lugar perfeito para se viver, e essa avenida era bem conhecida por suas sakuras, lindas árvores de cerejeiras, a rua nessa época ficava toda decorada e colorida com aquelas lindas pétalas rosinhas, dava um ar de tranquilidade e aconchego, eu amava, de longe meu lugar favorito era a minha querida varanda do meu quarto. Imersa nos meus pensamentos e naquela bela paisagem de pôr-do-sol, senti algo vibrando embaixo de mim, e logo percebi que era meu celular. 

 

[LIGAÇÃO ON - TAEHYUNG]

 

Taehyung: Cami? 

 

Eu: Oi amor, tudo bem? 

 

Taehyung: Hmm... Talvez, nós precisamos conversar. Antes de tudo, quero te pedir para que não fique chateada ou algo assim, eu realmente gosto muito de você e te considero muito. - Ele deu um suspiro, provavelmente estava tenso, e isso não estava me agradando. 

 

Eu: Ué - ri de nervoso - Eu sei amor, por que você está tão sério? eu também gosto muito de você, meu bem. Vamos conversar sim, vem aqui em casa. 

 

Taehyung: Eu não posso... eu realmente sinto muito, mas não tem como a gente continuar namorando. Eu não me sinto como antes, e eu não quero ser injusto e nem mentir para você. 

 

Eu: Como assim, amor? Se isso for pegadinha senhor Kim, eu não vou te perdoar tão cedo, você sabe que as vezes você estrapola nas brincadeiras. 

 

Taehyung: Eu realmente queria estar brincando dessa vez. Me desculpa, tchau. - e desligou na minha cara. 

 

[LIGAÇÃO OFF]

 

Nesse momento nem reação eu tinha, meu celular caiu, e acho que meu queixo foi junto, eu estava pasma. Como aquele imbecil tem a capacidade de terminar um relacionamento de 2 anos, com uma desculpa de merda POR TELEFONE, eu não aceito isso, não mesmo. 

 

Logo me aprecei, entrei na minha suíte, e tomei um banho mais rápido que o flash, e vesti qualquer coisa que encontrei pela frente; Um moletom rosa bebê que era um pouco maior que eu, uma calça jeans rasgada e um all star branco de cano alto. Prendi meu cabelo em um rabo de cavalo, peguei meu celular e meu fone e sai de casa às pressas. 

 

Mãe: Ei mocinha, onde vai apressada desse jeito? 

 

Eu: Vou no Tae, é rápido prometo. 

 

Mãe: Ah sim, manda um beijo pra ele e diz que a sogrinha está com saudades, ein. 

 

E vai continuar pelo jeito mãe - Pensei. 

 

Eu: Okay, Beijo. 

 

Coloquei qualquer música no aleatório do meu Spotify e sai correndo em direção a casa dos Kim’s, quem me visse correndo daquele jeito nem imaginava que meu hobby era ficar o dia todo hibernando ou assistindo doramas o dia inteiro com meu melhor amigo, Jeon Jungkook. Ele diz que eu sou a pessoa mais sedentária que ele conhece. Nem eu sabia de onde estava vindo tanta agilidade, acho que era movido a raiva mesmo. A casa dele ficava a uns 5 quarteirões da minha casa, e assim fui, destemida a resolver essa palhaçada ou não me chamava Camila. 

 

E no caminho eu fui pensando em todas as minhas desilusões, em 19 anos eu consegui me decepcionar com todas as pessoas com quem me envolvi, a situação era tão crítica que eu estava me culpando por todos esses desamores. 

 

Eu: Não é possível que não exista ninguém pra mim, eu vou morrer sozinha, o que acontece comigo? - Enquanto eu falava sozinha, na verdade estava mais pra resmungo porque eu estava tão ofegante que nem correndo eu estava mais, uma idosa de cabelos branquinhos e bem pequenininha me olhou e disse: 

 

???: Querida, não se preocupe. Acredite no Akai Ito, ele é tão real quanto eu ou você; “Um fio invisível conecta os que estão destinados a conhecer-se, Independente do tempo, lugar ou circunstância... O fio pode esticar ou emaranhar-se, mas nunca irá partir.”

 

Aquilo foi tão bizarro e bonito ao mesmo tempo que eu não conseguia desgrudar minha atenção daquela velhinha tão simpática. Depois dela dizer isso, eu confesso que fiquei meio confusa e perdida, mas apenas segui meu caminho após desejar uma boa noite para ela. 

 

Chegando na casa dos Kim’s, olhei em meu celular e no visor marcava 19:00. E com a maior cara de pau desse mundo bati na porta, três toques para ser mais exata. E ninguém me atendeu. Mais três toques e a senhora Kim me aparece na porta de toalha. 

 

Sra. Kim: Oh, Cami... Tudo bem?? O que te traz aqui? Entra querida. 

 

Eu: Obrigada Sra. Kim, Respondendo sua pergunta não sei se estou muito bem. A senhora pode me dizer se o Taehyung está?

 

Sra. Kim: Taehyung me disse que ia em uma festa de um tal de Hoseok, se não me engano, até disse que você estaria lá, estranhei que você esteja aqui agora, ele foi a uns 10 minutos atrás... O que está acontecendo querida? 

 

Eu: Festa!? 

 

Sra. Kim: Festa. 

 

Eu: Ah claro... a festa do Hoseok, quase me esqueci, eu ia sim mas acabei passando um pouco mal. Posso ir no quarto dele um segundo? só vou pegar uma coisa minha.

 

Sra. Kim: Claro que pode, você sabe que minha casa é a sua casa, meu anjo. 

 

Eu: Muito Obrigada Sra. Kim. 

 

E assim fui, meu sangue estava fervendo, eu quase soltei um palavrão feio naquela sala, mas me segurei pois a Sra. Kim não merece isso, ela é muito boa e não tem culpa de ter um filho tão idiota. 

 

Quando entrei naquele quarto, logo pude sentir aquele cheiro do perfume importado, que ele só usava em ocasiões especiais. Grande DESGRAÇADO. E o quarto estava uma zona, roupas para tudo quanto é lado, arrisco dizer que o closet do Taehyung é maior que o meu, ele realmente é um apreciador da moda, e eu o admirava tanto por isso - NÃO CAMILA, VOCÊ NÃO ADMIRA NADA. 

 

Abri a gaveta da escrivaninha onde ficavam as coisas de estudo e o computador dele, e peguei um post it e uma caneta.

 

“Querido Taehyung, 

 

Eu agradeço suas singelas e GENUÍNAS palavras naquele telefonema, o qual você me disse que tinha toda consideração por mim, a mesma que você jogou no lixo em menos de meia hora, quando saiu pra uma festa. Eu não te culpo por ser um completo BABACA e ter jogado uma história tão bonita fora pra uma simples festinha, espero que não se arrependa, prefiro acreditar que você não esteja preparado pra assumir uma postura de homem ainda. Boa sorte, por mais que você tenha sido um merda te desejo toda felicidade do mundo; Nem tanto. 

Adeus.” 

 

Colei na tela do computador dele e fiz questão de pegar todas as polaroids que estávamos juntos em nossas viagens, que ele tinha deixado em um suporte dele que ficava em cima da escrivaninha para lembrar dos momentos e revive-los todos os dias, como dizia ele. Levei tudo comigo.

 

Sai do quarto e brevemente me despedi da Sra. Kim, e vi que o pai dele tinha chego do trabalho, o cumprimentei, agradeci e fui embora. 

 

Eu sai daquela casa tão plena, que quem me via externamente não tinha ideia do quão destruída eu estava por dentro. As pessoas me viam mas não me enxergavam realmente, quando cheguei na esquina não aguentei e desmoronei, chorei como um bebê, mas chorei sem nenhum pudor, chorei como se não houvesse amanhã, eu o amava, não acredito que perdi 2 anos da minha vida achando que eu havia encontrado o homem da minha vida. NÓS TÍNHAMOS PLANOS. Foi bom, só que acho que mais pra mim do que pra ele. 

 

Tratei de guardar minhas mágoas naquele momento e uma brilhante ideia me veio à cabeça. Por que não encher a cara em uma noite tão estrelada, vai ser ótimo. O álcool entra e a mágoa sai. É isto. 

 

Pude ver ali mesmo naquela esquina uma loja de conveniência, e iria ser ali. 

 

Entrei, e estava praticamente vazia. Claro. Todo mundo deve estar em uma festa agora né. Peguei dois fardos de soju, um era o original com maior teor alcoólico, e o outro com alguns sabores, esses eram mais fracos, porém não tão menos, aproveitei e peguei alguns snacks também.

 

Me encaminhei ao caixa para pagar aquilo tudo, e quando cheguei lá era um garoto que estava atendendo, ele me olhou de cima a baixo e analisou as minhas compras e logo disse: 

 

?????: Uou, a noite vai ser boa mesmo ein. 

 

Eu nem sequer fiz questão de responder, olhei com uma cara de desgosto e fiz um sinal com a mão o apressando. Se tinha uma coisa que eu não tava naquele momento era pra gracinhas. 

 

??????: Ah, me desculpe. Talvez eu esteja sendo um pouco invasivo? 

 

Eu: Sim, você está. Olha me desculpa a grosseria, mas você pode ir logo com isso? 

 

???????: Claro claro, não que você queira saber mas - ele dizia enquanto passava minhas compras no leitor de código de barra - Meu nome é Jimin. Você não me parece bem, eu não gosto de  ver pessoas infelizes. Eu posso ser seu amigo... Talvez? - Ele fez uma cara com um mix de dúvida e insegurança, com medo de que eu fosse grossa ou algo o tipo. 

 

Eu olhei pra ele com uma cara de brava, e ele fez um olhar como se estivesse pedindo mil perdões. Não aguentei, e comecei a rir muito, eu parecia um bicho por acaso? 

 

Eu: Calma, podemos ser amigos sim, eu não sou tão ruim, só estou em um momento péssimo. A propósito, me chamo Camila, prazer Jimin. 

 

Jimin: Oh... entendo, belo nome o seu assim como a dona - Ah pronto; pensei - Quer companhia pra consumir tudo isso? eu adoro beber e conversar, acho que você precisa de uma companhia assim e estou disposto a ajudar, meu expediente acaba daqui meia hora. 

 

Eu: Hmm, eu nunca levei nenhum desconhecido pra casa, não sei se é uma boa ideia...

 

Jimin: Ah entendo, bom... Meu nome é Park Jimin, tenho 20 anos, faço faculdade de Medicina Veterinária. Sou dançarino profissional, e adoro cantar também. Qual foi? eu sou uma boa pessoa, por acaso você já viu uma pessoa ruim ser veterinário? os bichinhos me amam e agora não sou um desconhecido. 

 

Comecei a rir, e pude ver que ele poderia ser uma boa companhia. 

 

Eu: Okay - ri tímida - Vou te passar meu número quando você terminar aqui me manda uma mensagem, aí te passo o meu endereço. 

 

Jimin: É assim que se fala Camila - ele me deu seu celular, anotei meu número e salvei o contato como “Cami”

 

Eu: Ninguém me chama de Camila, pode me chamar de Cami. 

 

Jimin: Íntimos demais - ele ria enquanto falava - Okay senhorita CAMI - deu ênfase no meu apelido - até mais tarde.

 

Eu: ATÉ, Vossa Majestade dos bichinhos.

 

Paguei e sai com aquele monte de sacola, parecia que tinha feito a compra da semana, se eu não sair com um coma alcoólico depois disso, realmente eu sou a pessoa mais forte pra bebida que existe nesse mundo. E depois disso tudo pude perceber uma coisa. Jimin realmente poderia ser uma boa companhia, pude esquecer todo aquele drama do Taehyung por um instante, até esqueci que estava com raiva e o propósito dessas bebidas. 

 

Fui pra casa ouvindo “What 2 do - DEAN”. Chegando no portão, eu dei de cara com a minha mãe, ela estava toda arrumada e perfumada, aparentemente ia sair - Claro Camila, não é porquê você é uma fracassada sem vida social que todos ao seu redor também serão. 

 

Mãe: Amor, você demorou. 

 

Eu: Ah sim, o diálogo foi longo - menti. 

 

Mãe: Tudo bem, mamãe vai ter que sair agora, você já é mocinha, certo? consegue ficar sozinha, hm? - Fez com uma cara de deboche pra mim. 

 

Eu: Oh mamãe, não me deixe sozinha aqui, eu tenho medo de ficar só. - Entrei na brincadeirinha dela, e começamos a rir. 

 

Mãe: Engraçadinha, vá logo pra dentro e se cuida. Chame o Jeon pra ficar com você hoje caso se sinta muito sozinha. Beijos, te amo. 

 

Eu: Tá bom, também te amo, beijos. 

 

Ela arrancou o carro, e eu entrei pra casa, a noite estava agradável. Tirei os sapatos, e fui para o hall da casa, deixei minhas chaves em cima do mini bar que ficava ao lado da porta da entrada, e fui pra cozinha. 

 

Eu: Siri, play Love Scenario by iKON. 

 

A música começou a tocar, e eu imersa na música fui colocando os snacks em algumas tigelas de vidro e pegando copos e colocando em cima da bandeja, e logo aqueles pensamentos no garoto moreno com o sorriso quadrado veio a calhar, por um momento eu quase desisti de tudo e fui só me afundar na cama e me acabar de chorar até o sol raiar, Mas eu não me permiti. 

 

Subi para o meu quarto, e fui para a varanda. Coloquei uns lençóis no chão, ajeitei os puffs e coloquei algumas almofadas e a bandeja.

 

Me sentei, e abri a primeira garrafa, comecei sozinha mesmo. Ouvi a música lá embaixo parar, e um som de notificação, desci as escadas e fui onde estava meu celular. 

 

[MENSAGEM ON - ???]

 

[20:30 - ???]: Eai Cami, já fui liberado, onde é? 

 

Deduzi que fosse Jimin, salvei seu contato e logo tratei de responder. 

 

[20:32 - Eu]: Olá Jimin, o endereço é **************, *** - *****, se não achar te espero no portão. 

 

[20:33 - Jimin]: Tudo bem, Estou indo!!!!

 

[MENSAGEM OFF]

 

Aproveitei para ligar para o Jeon, eu iria chamá-lo de primeira, pois ele é meu parceiro de todos os momentos, ele acompanhou todos as minhas fases boas e ruins, e todos os dramas amorosos. Arriscaria dizer que ele me conhece tão bem quanto eu mesma me conheço. 

 

[LIGAÇÃO ON - BAE]

 

Jeon: Alô?? 

 

Eu: Bae, tudo bem? 

 

Jeon: Sim, é que agora eu estou jogando, sabe? - dizemos juntos: OVERWATCH! - rimos.

 

Eu: Hm, entendi. TAEHYUNGTERMINOUCOMIGO

 

Jeon: QUE? não entendi nada, fala de novo mais devagar meu anjo. 

 

Eu: Taehyung.terminou.comigo 

 

Jeon: O QUÊ? POR QUÊ? ou melhor... você tá bem? meu deus! 

 

Eu: Eu preciso que você venha aqui, tipo AGORA. 

 

Jeon: Ah claro amor, já estou indo, vou terminar a partida aqui e já vou.

 

Eu: Traz roupa, é pra dormir aqui - ri travessa. 

 

Jeon: Okaaaay, jajá estou aí. Beijo. 

 

Eu: Beijo, VEM LOGO. - Desliguei. 

 

Tudo bem agora é só esperar, e ver a merda que vai isso vai dar. Subi para o meu quarto de novo e fui esperar os meninos. Troquei de roupa e coloquei um shorts levinho de seda, e continuei com o moletom. 

 

E logo ouço a campainha.


Notas Finais


O que acharam do primeiro cap? deixem um feedback pra que eu possa sempre melhorar, hm?

🏷 CONTINUA?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...