História AKAI ITO - Imagine Jeon Jungkook. - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Akai Ito, Bts, História, Hoseok, Imagine Jungkook, Jimin, Jungkook, Namjoon, Romance, Seokjin, Taehyung, Yoongi
Visualizações 240
Palavras 2.203
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Fluffy, Lírica, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente, mais um capítulo, esse tá meio curtinho mas era esse ou nenhum mas está de ficar sem ar e vai levar a história pra um novo rumo. Boa leitura.

Capítulo 4 - Caixinha de surpresas.


Fanfic / Fanfiction AKAI ITO - Imagine Jeon Jungkook. - Capítulo 4 - Caixinha de surpresas.

SEG. 00:00

 

O tempo passou tão rápido, que haviam se passado 3 horas que eu estava na companhia do garoto pelo qual eu nutria certos sentimentos, chegamos em casa e ele fez questão de me levar até a porta. 

 

— Está entregue senhorita, foi muito bom estar com você hoje, afinal, você sempre é uma boa companhia. 

 

— Ah, que isso - Sorri tímida. - também adorei passar com você, e fico feliz que você esteja levando numa boa essa questão de que eu preciso de um tempo. 

 

— Pois é, só não demore muito, não sei se vou aguentar - O garoto fez uma expressão exagerada de drama, colocando a mão em seu peito - mas sem pressão! 

 

— Sei... Sei... 

 

O garoto de repente estendeu sua mão, e ficou me encarando como se esperasse algo de mim. Fiquei sem entender então coloquei a minha mão sob a sua e segurei. 

 

— O que você está fazendo? - Riu da minha confusão. 

 

— Segurando sua mão? 

 

— Ah sim. Obrigada por avisar, nem tinha percebido. Aliás sua mão está gelada demais. - eu tinha esse pequeno problema com as minhas mãos e pés, podia estar o calor que fosse mas eles sempre estariam frios, eu não sei o porquê, às vezes o Jungkook me chama de defunto por isso. - Mas é que eu queria as polaroids...

 

O olhei pasma e desconcertada, que vergonha! Meu deus, onde que eu estava com a cabeça, que jumenta. 

 

— Ah sim, claro. Err... As polaroids? Hm...?Eu não sei onde eu as coloquei, mas não vou te devolver. 

 

Taehyung me olhou chocado. 

 

— Mas por quê?

 

— Porque eu não quero. 

 

— Elas ficam melhores na minha mesa, do que no seu lixo. Tenho certeza disso. - Tossiu. 

 

— E se elas não forem pro meu lixo? 

 

— Ah, eu não sei. Você podia só me devolvê-las.

 

— Não mesmo. Agora preciso entrar, já está tarde, cuidado no caminho de volta pra casa, obrigada por hoje. Tchau tchau. 

 

— Nem um beijinho de despedida? - Fez um biquinho esperando que eu desse um selo ali. 

 

— Nenhum. 

 

— Tá bom... Fazer o que né, vou sonhar com hoje à noite, eu realmente senti sua falta. Tchau, te amo. - Fez um finger heart e saiu em direção ao seu veículo preto, sem nem ouvir minha resposta. 

 

Entrei pra casa e fechei a porta, segui para o meu quarto, eu estava tão cansada que nem sequer tomei banho, só coloquei meu pijama, escovei meus dentes e pulei na cama. 

 

Estava assistindo um dorama que era meu favorito, eu já tinha reprisado o mesmo diversas vezes que poderia dizer todas as falas. Goblin realmente me cativava. 

 

Até que cai no sono. 

 

SEG. 11:47

 

Acordo com um ser em cima de mim, essa pessoa estava realmente disposta a me acordar pois se mexia tanto que chegava a ser pesado. 

 

Abri os olhos e pude ver o Jimin em cima de mim, ele sorria divertidamente e dizia algo que eu nem sequer conseguia assimilar direito, eu só tinha aberto os olhos, isso não significa que eu estava acordada ainda. 

 

— Bom dia flor do dia! Já é tarde pra você ficar na cama, sabia? Está um dia tão lindo lá fora, vamos no parque, sei lá... Fazer alguma coisa, tô de folga hoje! - Dizia alegre, esse garoto tinha um sorriso tão contagiante, que nem me importei se ele tinha me acordado. 

 

— Ah... - Resmunguei. - Jimin sai de cima, primeiramente. - Ele saiu, e começou a puxar meu edredom. - Segundamente bom dia, e para de puxar o edredom que eu tô só de calcinha. 

 

Ele me olhou pasmo, e instantaneamente o garoto corou, parecia um pimentão. 

 

— S-sério? 

 

— Não! - Comecei a rir do seu nervosismo, e ele pulou em cima de mim novamente. 

 

— Você é muito engraçadinha pro meu gosto, só por isso vou ficar aqui, tá tão confortável. - Começou a se mexer em cima de mim. 

 

— Jimin-ssi! - O empurrei, quando ele ia cair da cama me puxou e eu fui junto, caindo em cima do mesmo. 

 

Nós dois estávamos em uma posição muito estranha, e eu não sabia onde por minha cara enquanto o mais velho me encarava sem saber o que dizer. Logo me toquei que tinha acabado de acordar, e que devia estar com um bafo de onça ou toda descabelada. 

 

— Me desculpa. - Me levantei e sai correndo pro banheiro da suíte.

 

Depois de ficar um pouco mais apresentável e ter me livrado daquela tensão, voltei para o quarto e o garoto não estava mais lá, pensei que ele tinha ido embora depois disso, mas só até ouvir suas risadas acompanhadas com a de minha mãe no andar de baixo. Desci pra ver o que estava acontecendo e dei de cara com a cena do Jimin super socializando com a minha mãe na cozinha. 

 

— Ué, já se apresentaram pelo jeito. 

 

— Ah sim, seu amigo é muito legal, por que você não tinha me apresentado ele? Já fui com a cara dele logo em que abri a porta ele estava lá perguntando de você. -  Minha mãe olhou pro garoto enquanto voltava a conversar com o mesmo.

 

— Entendi... - Falei sem muito ânimo, pois antes do café da manhã eu não sou ninguém, apesar de estar um pouco tarde eu não pulava essa refeição, é a minha preferida do dia. 

 

Fui em direção da dispensa, e peguei algumas coisas pro meu café. 

 

— Jimin, quer tomar café? - Gritei da dispensa. 

 

— Sim, não comi nada ainda. 

 

Peguei algumas torradas, geléia, bisnaguinhas pra comer com nutella, eu amo essa combinação; peguei também alguns croissants que minha mãe tinha comprado mais cedo aparentemente. 

 

Coloquei tudo na mesa, e acrescentei com suco. 

 

— Pode se servir madame, ou quer que eu coloque na sua boquinha? 

 

— Seria ótimo, se não for incomodar. - Abriu a boca, fazendo graça. 

 

— Hahaha, vai nessa, tá fácil assim. 

 

Comemos e ficamos conversando enquanto isso, Jimin estava mostrando ser uma pessoa maravilhosa, ele é muito atencioso e sempre sendo gentil, eu realmente gostei disso nele.

 

 

— Então... tava pensando na gente fazer um piquenique mais tarde naquele parque novo que abriu, nós podemos chamar o Jungkook, aí a gente fica pra ver o pôr-do-sol e tal. 

 

— Aham, boa ideia. - Essa era uma ótima ideia na verdade, eu adorei essa delicadeza dele, em apreciar as mínimas coisas, que garoto iria propor um piquenique no pôr-do-sol? fiquei bem animada. - Enquanto isso quer ver uns filmes? A gente pode subir lá no quarto e esperar o almoço ficar pronto. 

 

— Vamos!

 

Subimos para o meu quarto, e minha mãe ficou fazendo o almoço, eu perguntei se ela queria minha ajuda mas disse pra que eu não me preocupasse e desse atenção para o Jimin, e assim fiz. 

 

Chegando em meu quarto, eu perguntei qual gênero o garoto gostaria de assistir, e ele logo disse que qualquer coisa não sendo terror, o que me decepcionou já que eu amava filmes de terror, peguei esse vicio com o Jungkook, já que ele é um apreciador de filmes de terror. 

 

Colocamos um filme que ele tinha escolhido e era de comédia romântica, eu também gosto desse gênero. 

 

Depois de alguns minutos Jimin levantou pra ir no banheiro, e eu fiquei na cama refletindo o quão eu me sentia confortável perto dele, eu nunca fui de ter muitas pessoas por perto, mas ele se aproximou tão rápido e foi tão bom sou realmente grata por isso, e além de tudo Jimin é muito atraente, ele tem um sorriso tão lindo e todo o resto é harmonioso, estaria eu criando um interesso pelo garoto, ou será que eu tô muito sensível por conta do Tae? Eu nem sei se o garoto é solteiro e já estou tendo esses pensamentos, eu preciso me controlar. 

 

Jimin voltou e minha mãe logo nos chamou pra almoçar, e assim fizemos, descemos e pro almoço tinha strogonoff, tudo bem que essa receita é de origem russa mas é tão comum no Brasil que minha mãe quis fazer pra mostrar algo diferente pro Jimin.

 

Jimin chegou na cozinha e indagou:

 

— Tia, o que é isso? 

 

— Ah, isso aí é Strogonoff é a comida favorita da Camila, e é muito comum no Brasil, fiz pra você experimentar. Uma vez o Jungkook experimentou e disse que o tempero é bem diferente das comidas daqui o quê dificultou um pouco no paladar, mas ele aprovou. - Ela começou a servir em um prato pra ele arroz. 

 

— Ah entendo, eu gosto de conhecer novas culinárias, tenho certeza que vou gostar. 

 

Durante o almoço tivemos uma refeição agradável, e Jimin foi conquistando o coração da minha mãe e o meu também, a cada palavra proferida do garoto minha mãe interagia e se mostrava interessada, até parecia que eu não estava ali.

 

 

          [...]

 

SEG. 16:00

 

Já tínhamos terminado de assistir o filme e vez ou outra eu cochilava e Jimin me cutucava pra que eu prestasse atenção no filme, eu tenho essa coisa de encostar em qualquer lugar e já dormir. O filme em si foi agradável e Jimin também, tinha vezes que o garoto afagava meus fios e ficava fazendo um carinho na minha cabeça, foi muito confortável.

 

Eu olhei pro meu celular e pude ver que já se aproximava do horário do pôr-do-sol, e então fui dizer pro Jimin pra que fôssemos arrumar as coisas pra levar, mas parece que no mesmo tempo ele resolveu falar algo e como eu estava deitada em seu peito eu levantei o rosto e ele abaixou, nisso demos um selar sem querer, e meu deus! eu não sabia onde colocar minha cara e nem ele, apesar de que só nesse toque eu pude sentir seus lábios carnudos e sedosos, eu queria mais, só que eu não ia me atirar nele, ainda me resta um pouco de bom senso. 

 

Jimin estava corado, e dava pra perceber em sua feição seu envergonhamento. 

 

— Cami, me desculpe, eu não tinha a intenção. 

 

— Ah, que pena. - Soltei instantaneamente, às vezes meu filtro não funciona e eu só solto as coisas sem pensar. Quando percebi o que tinha dito tentei disfarçar mas o garoto não caiu nessa. 

 

— Que pena? Você queria? - Me olhou pasmo, com uma cara de surpresa e malícia ao mesmo tempo. 

 

— Eu não disse isso... Mas afinal, você tem namorada? 

 

— Depende, você tá interessada? 

 

— Ah, para com essa vai, só responde! 

 

— Não, mas se você quiser eu quero. - Olhou pra mim rindo logo formando suas amáveis risquinhas. 

 

— Haha, claro. - Brinquei com o garoto dos lábios suaves, onde meus olhos estavam fixados e eu sequer percebi que estava hipnotizada ali. 

 

— O quê olha tanto? meus lábios são  tão atrativos assim? Eles não são só bonitos, também fazem um bom trabalho. - Me olhou com malícia.

 

— O que você tá querendo dizer com isso? - Indaguei supresa com sua fala. 

 

— Não sei... Tem que testar pra entender. 

 

— Acho que eu posso fazer isso. 

 

Jimin logo encostou seu ósculo em minhas bochechas delicadamente, e fez questão de descer arrastando seus lábios até minha boca, quando encostou seus lábios no meu, ele colocou sua palma da mão em meu rosto e fez um carinho ali, enquanto dava leves selares em minha boca, e enfim começamos um beijo quente mas não desesperado, era ritmado e bem calmo, meus pêlos estavam todos arrepiados, aqueles lábios realmente faziam um ótimo trabalho, a textura era tão gostosa quanto a habilidade daquele garoto de saber onde pegar e o que fazer. Parecia que a cada mordida que ele dava em meus lábios mais eu o desejava, as mordidas eram leves e gostosas, nosso beijo se encaixou completamente bem. 

 

Quando a falta de ar começou a nos atrapalhar, ambos não queríamos parar, e então ele fez questão de me torturar mais um pouco descendo seus lábios para o meu pescoço, ele dava sugadas leves, que não ficariam marcas mas que na hora me proporcionava um arrepio absurdo e gostoso, ele também dava beijos estalados ali que só de ouvir me subia um fogo que eu desconhecia. Nós estávamos tão extasiados ali que Jimin soltou um leve arfar em meu pescoço e pude sentir o ar quente da sua boca em meu pescoço, logo finquei meus dedos em seus cabelos e começamos a nos beijar de novo, o clima estava tão erótico e eu não estava nem ligado pro que acontecia ao meu redor, Jimin não aparentava ter a pegada que tinha, e eu estava impressionada, ele é uma caixinha de surpresas. 

 

Mas nem toda felicidade dura pra sempre, meu celular começou a tocar, e pude ver de cima do meu criado mudo que era Jungkook. 

 

— Jimin, o celular. - Falei com dificuldade. 

 

— Deixa ele, atende depois. - Foi novamente pro meu pescoço e segurou firme a minha cintura. 

 

— É o Jungkook, eu preciso atender. 

 

— Tudo bem. - Saiu de cima de mim chateado aparentemente, e pegou o celular pra mim.

 

[LIGAÇÃO ON - JUNGKOOK] 

 

— Cami, você tinha mandado uma mensagem mais cedo falando do piquenique, tá de pé ainda? 

 

— Ah sim! Claro, encontra a gente no parque novo quando for 17h.

 

— Certo, até lá. Beijo. 

 

[LIGAÇÃO OFF]

 

— Então, vamos arrumar as coisas pra irmos? 

 

— Vamos sim. 

 

E depois disso tudo, fomos em direção a cozinha pra preparar algumas comidas pra levar ao parque.

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Nada a declarar, apenas sentir. Até o próximo capítulo. Byeee! 💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...