História Akai Ito - Jungkook - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Agust D / Suga, Bangtan Boys (BTS), Kim Nam-joon / Rap Monster
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bts, Drama, Jungkook, Romance
Visualizações 20
Palavras 1.426
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiee ❤
Eu de novo :')
Quanto tempo aaaaa sdds de vocês 😂

Desculpa o sumiço :'v a falta de criatividade quase me consumiu, MAS eu consegui escrever esse capítulo! Espero que gostem, tá bem grande :3

Capítulo 5 - Cap 5 - Cute



Jungkook on


(21:09 PM)

Busan, South Korea

Kim's House.



– COMO ASSIM, PAPAI?!! – Gritou S/N ao escutar a notícia.


– Querida, vamos. Dê uma chance a essa oportunidade. 


– Oportunidade?! Quero que eu tenha uma oportunidade de dar na sua cara… – Falou baixo, mas eu escutei – QUE RAIVA! Viu eu disse que deveria ter ficado em Seoul, na casa da Titia Yang-Mi. 


– Kim S/N, eu falei e você obedece! – Falou Sr. Kim


– ARGH! 


– E você papai?! Você mudou quando a mamãe se foi! A mamãe não deveria ter morrido. 


– JEON JUNGKOOK, NÃO OUSE FALAR DE SUA MÃE. – Gritou meu pai.


– COMO NÃO FALAR? VOCÊ NÃO SABE O QUANTO DE RAIVA QUE EU ESTOU COM ESSAS SUAS DECISÕES – Gritei.


– EU ODEIO ISSO – Gritou S/N atraindo as atenções – Por que os adultos sempre fazem essas decisões, pensando só neles mesmos?! POR QUÊ?! Só me diga isso. 


Eu e todos alí presentes a olhamos piedosos, ela segurou o choro e foi para meu quarto, qual havia dormido.

– Parabéns a vocês, conseguiram faze-la chorar. Estão felizes agora? – Pergunto fazendo todos me olharem – Estão conseguindo estragar a nossa vida, espero que estejam satisfeitos.


– Onde você pensa que vai?! – Fala papai enquanto eu me levanto. 


– Não está óbvio? Vou lá tentar a animar um pouco. 


Subo as escadas parando atrás da porta do quarto, a Kim estava chorando enquanto reclamava coisas que eram incapazes de serem entendidas, me senti culpado e estava sentindo pena de presenciar esse momento. Com muito receio bato na porta e falo:


– Licença.


– Vá embora! – Gritou ela com a voz chorosa do outro lado da porta.


– Não vou, esse é o meu quarto – Digo entrando. Me sento na cama e tento pensar em algo para acalma-la, acabei por fazer cafuné em sua cabeça, ela do nada se vira e me abraça, senti meu rosto esquentar e meu coração acelerar. Para ela não perceber continuo com o carinho em sua cabeça.


– Eu só queria ter uma vida normal – Disse entre soluços, colocando sua cabeça em meu peito.


– Ei – Digo e levanto o seu rosto. – Lembre que estamos juntos nessa, e como você vê, nossos pais não iram mudar de ideia, então a única coisa que podemos fazer é manter um bom relacionamento. 


– Certo – Diz balançando a cabeça, colocou a mesma em meu peito novamente e então acontece novamente; meu coração estava batendo rápido e eu sentia que queria que aquele momento durasse para sempre, sentia que a conhecia desde pequeno, que teria de a proteger de todo o mal que tem no mundo. Ela adormece em meus braços, a pego e a deito na cama, a tapando em seguida. 


Fico durante um tempo a fitando, seu rosto era delicado, enquanto dormia parecia tão indefesa. Droga! Não pode estar acontecendo… 


Sorrio confuso e me deito ao seu lado, o dia foi muito longo para nós, então uma noite de sono é essencial.


Quebra de tempo

(07:08 AM)

Busan, South Korea 

Kim's house.



Acordo e fico com os olhos fechados, sem me mexer. Um tempo depois S/N acorda e posso sentir que ela estava corada de algum modo.


– Sua idiota! E se ele pensar que você está  a fim dele?! – Falava ela sozinha, deixo escapar um riso baixo e ela vira sua cabeça me olhando. 


– AA – Ela solta um gritinho e cai da cama, causando um estrondo fazendo eu a olhar.


– S/N? O que ta fazendo aí no chão? Vem te deitar, garota. – Digo segurando o riso, batendo ao meu lado, na cama.


– Ta ficando doido?! – Me pergunta.


– Acha que eu vá fazer algo a você? – Falo rindo. Ela acena com a cabeça – Idiota, se eu quisesse fazer algo com você já teria feito enquanto dormia! 


Ela para e faz uma cara estranha, dou uma risada disso. Se deita ao meu lado e se tapa, em um movimento a abraço, me surpreendo comigo mesmo.


– O que pensa que está fazendo? – sinto seu olhar sobre mim.


– Eu estou te abraçando, não está vendo? – Digo de olhos fechados, como se fosse óbvio.


– Aish, abusado. 


Fico com os olhos fechados e novamente sinto aquela sensação. Tento dormir novamente, mas estava difícil! Parecia que não era pra mim a deixar sair dalí de jeito algum! 

Ela se levanta do nada e por um impulso a puxo fazendo a cair sobre a cama.


– Ow, me deixa levantar. 


– Não, me sinto solitário nessa cama gigante. – Falo.


– Mas se eu não sair, posso me considerar uma pessoa morta – diz fazendo drama.


– Quê? – Falo e abro os olhos – Cê sacudiu o toddynho antes de tomar? 


Ela ri e se levanta, pega seu notebook e liga pra alguém chamado "Amor da minha vida", sem perceber já estava com ciúmes, o que está acontecendo comigo?!?! 


• Ligação •


– MININA TU VAI MORRER HOJE –  Uma garota fala, logo fico confuso. Ela é… lésbica? Não pera, como assim?!


– Calma, garota – Fala S/N, rindo. Rio da minha própria confusão.


– CALMA? CALMA, S/N?! E EU ACHANDO QUE CÊ TINHA MORRIDO, MAS CÊ TA BEM VIVA. – Diz a garota.


Dou uma gargalhada e a menina olha para a Kim confusa.


– Quem ta ai contigo? 


– NINGUÉM – fala rápido.


– Eu sou ninguém agora – Digo, debochado.


– Ô porra, me fala quem ta ai – Diz a menina.


– Sempre educada – Diz irônica. S/N vira o notebook para mim e eu aceno com a mão esquerda, a garota fica quieta e para de se mexer.


– Hana? Hana… O HANA – gritou atraindo sua atenção. Pelo jeito o nome da menina é Hana.


– Minina, ele tem namorada? 


S/N e eu rimos.


– Nã– S/N ia falar não e uma parte de mim ficou magoado, então a interrompi e falei:


– Sou noivo da sua amiga! 


Hana se engasga com a própria saliva e diz:


– Quando que isso aconteceu? Você nem terminou o colegial! Ta grávida? Ceis já fizeram 'aquilo'?


S/N cora e eu rio de sua fofura.


– NÃO! – Fala rápida, corada – É um casamento arranjado, meu pai aprontou isso. 


– Mas ele não tem esse direito, lhe casar com um garoto qualquer, sem ofensas você é muuuito bonito e charmoso – Rio.


– Certo, Hana. Irei desligar agora. Até mais tarde! – Fala acenando com a mão.


– Até! 


S/N desligou o notebook e me olha, fica assim sem se dar conta, estava conseguindo me deixar tímido.


– O que foi? Ta admirando minha beleza ou sendo tonta? – Digo tímido, fingindo uma risada.


– af af – Fala e desvia o olhar, se levanta da cama e vai ao banheiro, me levanto junto e tiro minha camisa, estava indo até o closet quando penso em ver o quê a S/N faria se me visse sem camisa.


Ela ao sair do banheiro, fica um tempo olhando meu abs, ela cora e eu dou uma gargalhada, feliz com o resultado.


– Nunca viu um garoto extremamente bonito, gostoso e incrível sem camisa? – Perguntei.


– Hahah, convencido – Diz ela – e respondendo a sua pergunta, não nunca vi. E por que que eu estou te respondendo?! VAI SE VESTIR GAROTO.


Dei uma risada e fui em direção ao closet, visto uma roupa qualquer saindo do mesmo logo em seguida. S/N havia se arrumado e estava com um short preto e uma regata cinza, destacando seu busto. Desci para a cozinha e fiz um lanche, meu pai e o senhor Jeon devem estar no trabalho agora, mas e a senhora Jeon? Estava sentado a mesa comendo um sanduíche, quando S/N desce para a cozinha, receosa.


S/N se senta ao meu lado e pega um pedaço de pão, colocando a manteiga em seguida.


– O que foi? – pergunto e ela me olha confusa – Por que está tão quieta? 


– A-ah, eu estou quieta? Nem percebi – disse rindo, deu para perceber o nervosismo em seu olhar. A garota a minha frente, claramente estava com medo de ver os pais, sinto pena dela. 


– Vai querer café? – perguntei atraindo sua atenção, ela sorri.


– Por favor. – diz sorrindo, meu coração derreteu ao vê-la sorrir tão gentil na minha direção. Peguei duas xícaras, e coloquei café em uma. 


– Como você gosta? – pergunto sorrindo a olhando. 


– Eu gosto de café preto com pouco açúcar, por favor. – peguei a outra xícara e coloquei café até a borda, peguei o açúcar e despejei duas colheradas no café. Entreguei a xícara a S/N e sorri mostrando os dentes. A Kim pega a mesma de minhas mãos, tocando sua mão a minha sinto uma onda de energia pelo meu corpo. Eu estava me apaixonando, e eu gosto disso. 


Sem me dar conta, fiquei a encarando, e a mesma percebeu, tanto que corou e sorriu tímida, logo falando:


– Ya! Pare de me encarar assim. 'Ta me deixando sem graça… – disse fazendo bico. Fofa.


– Kawaiiiii* – Disse enquanto apertava suas bochechas, a menina sorriu fofa e colocou as mãos sobre as minhas.


Notas Finais


*kawaii: palavra japonesa que pode significar, bonita, fofa, lindo sascoisa ae.

Enfim, gostaram? Aish.

Tchauzenhooo 👋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...