1. Spirit Fanfics >
  2. Akai Ito >
  3. Jane, a estranha

História Akai Ito - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oie! Esta é a minha primeira fic aqui no Spirit. Espero que fique boa... Até agora, só fiz uma fic, lá no Wattpad. E... Tá uma bostinha, mas pronto. Estou com altas expectativas para esta.
Para quem não me conhece, olá! Sou a Wolfgold630, mas podes chamar-me só de Wolf. Sou de Portugal (mas às vezes falo com sotaque BR), e sempre quis escrever uma boa fanfic. Acho que isto é mais uma história, do que uma fanfic em si, mas pronto.
Espero que gostem! Vemo-nos nas notas finais! :3

Capítulo 1 - Jane, a estranha


Geralmente, aqueles que sabem pouco, falam muito, e aqueles que sabem muito, falam pouco. - Jean-Jaques Rosseau


POV Jane:

-"Inspira... Expira... Inspira... Expira..." Repetia eu, vezes sem conta, quase como se fosse uma espécie de oração. Aquela situação já estava a acontecer pela quarta vez esta semana. Estava quase a tornar-se uma rotina. Começou à alguns meses atrás... Ou foram anos? Eu já nem sei... Apenas sei, que aquilo estava a prolongar-se por muito tempo... Michael... Aquele idiota...

Michael era um dos rapazes "populares" da minha turma. Ele parecia que tinha saído de um daqueles filmes chatos de adolescentes. Cabelo loiro, alto, ombros largos, conhecido por toda a escola, tinha sucesso com as miúdas. Enfim... Mais um rapaz como qualquer outro.

Desde que éramos crianças, ele gostava de me infernizar a vida. Fazia isso, sempre que tinha oportunidade. Insultava-me, empurrava-me, culpava-me sempre que algo de mau acontecia. Resumindamente, ele me odiava. E eu também o odiava. Muito. 

Nunca soube o porquê de ele me fazer tudo aquilo. Bem... Talvez por eu ser "antisocial", "estranha", "surda", e todos esses nomes que o Michael me dava. Foi ele que fez com que a escola inteira me conhecesse como "Jane, A Estranha". 

Naquela altura, nunca tentei confrontá-lo. Ele não valia o meu tempo, de qualquer maneira. Mas... Ele deixava-me furiosa. Eu ficava tão frustrada, mas não queria perder o meu tempo... E as minhas notas. Afinal, apesar de "estranha", "estúpida", etc, eu era uma ótima aluna. Era calada, mas tinha boas notas, e os professores gostavam de mim. Eu estava a começar a fartar-me. Eu queria por um fim em toda aquela palhaçada. Eu já não aguentava ouvir sequer uma palavra da boca daquele imbecil. A única coisa que ele sabia fazer, era infernizar-me. Eu já não podia simplesmente ignorar. Eu tinha de fazer algo. 

Estávamos na aula de Geografia. A professora fez uma pergunta, mas ninguém queria responder. Então, ela escolheu à sorte. E, coincidentemente, eu fui a escolhida. E assim que eu (relutantemente) ia responder, o Michael gritou: "Ô, stora! Porque é que escolheu ela para responder? Eu acho que os burros não falam. Além do mais, porque é que ela sequer está na nossa turma? Porque é que ela sequer está na ESCOLA!? Ela devia ir para um hospício. É aí para onde vão as pessoas como ela."

Toda a turma começou a rir. E aquela foi a gota de água.

Eu me levantei, fui até ao Michael, e dei-lhe um soco na cara. Mas não foi qualquer soco. Foi o melhor que já dei. Ele caiu no chão, com o nariz a sangrar, e eu, não sei porquê, continuei a dar-lhe socos. Dava tanto prazer fazer aquilo. Simplesmente ouvir os gritos dele, a implorar para que eu parasse, eram tão satisfatórios. O cabelo loiro dele, agora ligeiramente avermelhado, devido ao sangue que escorria da sua cara, por causa dos meus socos. Eu sorria, enquanto o espancava, até ele ficar inconsciente. E mesmo após isso, continuei a espancar o corpo inconsciente dele. Nem sequer sabia se aquilo estava certo ou errado. Apenas sabia que sabia bem. Sabia mesmo muito bem... "Ele merece pagar por tudo o que me tinha feito passar. Ele merece pagar por tudo o que me fez sofrer! Ele merece provar do próprio veneno!" Até que, de repente, ouvi um som estranho e irritante. E nesse mesmo instante, tudo escureceu...

Estava na minha cama. Tudo aquilo tinha sido um sonho. "O que... O que foi isto...? Eu... Eu não era capaz de fazer aquilo... Como...?" Enquanto tentava desligar o despertador do meu telemóvel, perdida nos meus pensamentos, e em todas as perguntas que, provavelmente, nunca seriam respondidas, ouvi a voz autoritária do meu pai, vinda do fundo das escadas: "Jane, acorda! Veste-te, e vai para a escola!". 


Notas Finais


Olá, outra vez! Espero que tenham gostado deste primeiro capítulo. Lembrando que: Esta é a minha primeira fic. Se estiver meio bostinha, não me culpem. Ainda sou noob nisto. Todos começamos por algum lado, não é?
Mas, mesmo assim, espero do fundo do meu coração que vcs gostem deste "projeto". Talvez poste mais histórias no futuro. Esta aqui, é apenas um experimento, ok?
Enfim... Tenham um bom dia/tarde/noite. Vou postar quando me apetecer, portanto, não esperem atualizações frequentes. Beijos, Wolf!!! ❤️❤️❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...