História Akai Ito - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bts, Lemon, Namjin, Yaoi, Yoonmin, Yoonseok
Visualizações 16
Palavras 1.748
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oie, bebês a quanto tempo não é? bom eu estou de volta finalmente para a tristeza e alegria de vocês hahaha. Eu estou tentando ao máximo continuar as historias como são cinco, estou meio enrolada, então vou terminar uma por vez, espero que sejam pacientes comigo.

Capítulo 17 - E eu cedi.


Seu calor era aconchegante e seu abraço era preciso e perfeitamente acolhedor. Eu sentia que conhecia aquele abraço, aquele perfume adocicado. Mas de alguma forma não me lembrava, parecia que meu corpo o reconhecia, mas em minha mente só tinha um imenso branco, eu sentir meu coração apertar e eu queria chorar, eu queria. Eu não sabia ao certo o que estava fazendo, mas naquele momento me permitir chorar e apertá-lo com toda minha força, podia ouvir seus pequenos gruindo. mas não conseguia me segurar. “Quem é você, quem é você” repetidamente me perguntava. 

 

— Min... Por favor não me deixe. Por favor se lembre. Eu te amo tanto. – Ele pedia é meu peito doía ainda mais, quem era esse rapaz ? Por que me sentia assim? O que deveria saber?  

— Mas eu estou aqui... Jimin. – Aquele nome saiu tão natural, e foi naquela hora que eu sabia que ele era alguém que deveria me lembrar, mas quanto mais eu me forçava mais doloroso era, minha cabeça doía, minhas vistas novamente se turvavam e meu corpo pesava, novamente estava no chão apagado. 

 

“ —Por que suga?”  

— Min Yoongi esse era meu nome ? – me pergunto. 

“— Por que o que? “ 

– Essa voz é.. minha ? Quem? 

“— Por que tinha que ser ele? Por que agora? “ 

“—Porque eu o amo J-Hope, eu sempre amei ele, até mesmo quando me casei com você já o amava e...” 

“— PARE! NÃO QUERO MAIS OOUVI-LO” 

“— Entenda isso... – antes de termina a frase Hoseok pulou no volante me tirando da via que estava, entrando na contra mão.” 

“_HOSEOK! PARE VOCÊ QUER NOS MATAR? – Gritei tentando toma o volante de sua mão.” 

“_PREFIRO MORRE EM VEZ DE VÊ-LO COM AQUELE GAROTO. – Disse aquilo e continuo agarrado no volante, a conta mão tinha muitos carros e em vez de pisar no freio pisei no acelerador.” 

_HOSEOK, NÃO! 

- Em um momento só via a escuridão e o barulho do me parecia água e eu estava me afogando. Mas logo me levantei assustado e está sentando na cama, olhei para os lados, estava em um hospital, em uma das cadeiras o mesmo jovem da noite passada, parecia que estava dormindo. Assim cuidadosamente retirei os aparelhos ligados ao meu corpo jogando sobre a cama, joguei os lençóis que cobriam meu corpo no chão e me levantei. Minha cabeça ainda doía, mas não queria ficar naquele local, procurei por minhas roupas com calma, pois não queira acorda-lo. Logo que as encontrei tratei de vesti-las com pressa. Abri a porta do quarto com cuidado olhando para os lados, assim que constatei que não tinha ninguém ali, sair. Parecia mais um prisioneiro escapando do presídio. Ao encontrar a saída caminhei rapidamente para fora daquele hospital, queria ficar o mais longe possível daquele jovem, digo Jimin. 

— O senhor está bem ? – ouço uma voz calma me perguntando, assim viro meu rosto por cima dos ombros e era uma enfermeira. Ela sorria para mim simplista. 

— Sim, eu estou, não se preocupe já recebi alta. 

— Ah sim, então melhoras senhor e obrigado por ter escolhido nosso hospital. 

 

Apenas acessei com a mão e sair do prédio. 

 — Ufa! Até que não foi... 

— MIN YOONGI! – Olhei para trás e vi aquele lunático me gritando no final do corredor, olhei ao redor vendo um táxi parado, adentrei no mesmo, pedindo para que ele pisasse no acelerador. E foi o que ele fez, olhei pelo retrovisor do carro e vi o tal Jimin parado em frente ao hospital. Por fim finalmente me livrei dele. 

— Senhor, para onde devemos ir?- o taxista perguntou ao me olhar de relance. Assim respirei fundo e lhe disse o meu endereço. Assim que falo ele liga o som que tocava If You do Big Bang. Prestava atenção na letra, o que me causava saudades. “Mas de que ?” Era o que me perguntava, depois de algumas horas estamos em busan. O senhor estacionou o carro e eu procurava por minha carreira. 

— Só um minuto, ela está aqui. – Disse rindo sem graça para o taxista que me olhava feio. Assim não a encontrava de jeito algum, pedi para que ele me esperasse buscar. Ao conseguir o consentimento dele, sair. Entrei na loja e meus irmãos estava todos sentados em uma cadeira, eles me olharam surpresos e com o semblante preocupado.  

— Yung Hyung! – Todos falaram ao mesmo tempo, me assustei no primeiro momento.  

— Aconteceu alguma coisa ? – Olhei para meus três irmãos sem entender ao certo o que estava acontecendo. 

— Yung Hyung... – O pequeno tan correu até mim e eu o peguei no colo, recebendo um abraço bem apertado. 

— Onde você estava ? Por que não nos ligou ? — Woon parecia nervoso como sempre. 

— Mas por que ligaria, um fiquei somente algumas horas e... – Explicava a ele, mas logo o mesmo me interrompe.  

— Horas ? Hyung você sumiu por dois dias, estávamos procurando você em todos os lugares. Ligamos para polícia, mas ele disseram que você já está grandinho, eles nem se quer  ajudaram.  – Ele falava e eu fiquei paralisado, como assim eu tinha  dormido por dois dias ? Como era possível?  

— Jimin... Grr... 

— Quem ? 

—Ninguém, Woon, conversaremos sobre isso depois, preciso pagar o táxi, pegue 23.000 wons no meu quarto por favor e entregue para o senhor lá fora no táxi, preciso descansar. – Falei colocando o pequeno tan no chão e assim subir para meu quarto com a cabeça explodindo, me joguei na cama afundando meu rosto nele. “ Jimin... Quem é você?” – Pensava me remexendo sobre a cama. 

 

Jimin 

Despertei de meu sono olhando para o lados, suga não estava ali, onde ele estava? Assim levantei desesperado correndo para porta, dou de cara com uma enfermeira que me olhar sem entender, olho para os lados e vejo-o  na entrega. — MinYoongi! Gritei ele me fitou correndo, vou atrás dele, mas não consegui alcançar, o vejo ir embora no táxi, sentir um nó na garganta não conseguia perde-lo outra vez e então sinto meu celular tocar.  

— Alô!  

— Jimin, onde você está? Estava preocupado. 

— Ah, oi Jin. Eu estou no hospital. 

— QUE! Onde fica estou indo aí. 

— Calma, não precisa eu estou bem. A propósito Jin Hyung, você ainda tem o endereço do buffet? – Pergunto sem rodeios e escuto um suspiro no fundo. 

— Jimin... Você viu o dono, não  é? Eu tenho, mas Jimin... Min Yoongi não está vivo... Não quero vê-lo triste. 

—Jin... O corpo não foi encontrado, bom eu não vou fazer nada, por favor me dê o endereço. – Falei mordendo os lábios de nervosismo. 

— Tudo bem, vou te enviar. Por favor não faça nada. – Disse preocupado e desligou o celular e me enviou o endereço. Corri para meu carro e dei partida para o tal endereço, ao chegar lá estacionei o carro do outro lado da rua e observei a movimentação na loja onde segundo Jin suga trabalhava, fiquei ali por horas. Até que vejo o mesmo sair do estabelecimento com sacos de lixos em suas mãos e ir para parte de trás do prédio, sair do meu carro e o sigo. 

Suga. 

 

— Suga... – me assusto com a voz do rapaz de antes se ecoado no berço. Respirei fundo e me virei e me dei por vencido. 

— Venha comigo. – Falo sério passando por ele e vejo que ele me seguia, entro na loja e ele também, ele reparava em tudo. Me sento me sento em uma mesa no canto, Jimin sentar ao meu lado e eu me afasto. — Por que você está aqui? – Perguntei sério olhando nos olhos brilhantes do mais novo. Ele mordeu o lábio devagar, me fazendo seguir aquele movimento.  

— Eu vim te ver suga, sentir sua falta. – O olho incrédulo, sentindo meu peito batendo como uma britadeira. E o vejo cora. 

— S-sentiu minha falta? – Pergunto o encarando e ele sorrir levando a mão até meu rosto, eu deixo ele me tocar e assim sinto seus dedos acariciando a maçã de meu rosto. – Por que? – Ele volta a sorrir. 

 

— Por que eu te amo, eu o procurei por tanto tempo... Eu sei que deve está confuso, mas eu não posso te deixar. – Ele falava baixinho se aproximando sua face da minha, minhas mãos automaticamente fora para sua bochecha até mesmo eu me surpreendo com àquilo, realmente não sei o que esse garoto tem, mas ele parecia um ímã e eu estava me deixando leva.  

— Quem é você... – Falo o encarando puxando-o pela nuca, eu já não estava em minha sanidade e assim o puxei um pouco mais e sentir sua respiração contra a mim e meu corpo se arrepiou por inteiro com o toque gelado de seus dedos em meu pescoço. Jimin juntou nossos lábios, calmamente moveu sua boca junto a minha eu estava louco, mas eu queria aquilo e agradeci mentalmente por aquilo está acontecendo sem que meus irmãos estivessem ali. Todos foram para um buffet e levaram tan, eu fiquei por conta da loja. Assim afundei meus dedos em seus cabelos aprofundando o beijo. Deus! eu estava beijando um homem e estava gostando, ouvir os arfares dele, fazia meu membro da sinal de vida, o puxei para meu colo e ele continuou a me beijar, eu descia meus lábios pelo queixo e pescoço do rapaz, sentido o mesmo começa a rebolar em meu colo apertei fortemente sua cintura e quando estava prestes a apertar suas nádegas escutei a porta se abrir, empurrei o menor e olhei para porta vendo meu irmão me olhar incrédulo. Eu olho para Jimin que estava ao meu lado com a mão na boca sem graça. 
 
            — O que está acontecendo aqui?  - Woon perguntou me olhando furioso. Jimin me olhou e eu suspirei. 

—  Acho melhor você ir embora Jimin. – Falo e ele me olha e acena com a cabeça se levantando e saiu dali como uma bala. 

— Ah, então esse é o Jimin. E desde de quando você é gay? O que pensa que esta fazendo? - Ele perguntava e eu apenas me levantei suspirando ignorando o mesmo. 

— Isso não é da sua conta Woon, eu já estou bem grande, agora se me der licença vou me recolher. – Disse e subir para meu quarto me jogando na cama outra vez. Não estava acreditando no que tinha acabado de fazer. Mas era inevitável eu queria beija-lo, toca-lo. Meu consciente dizia não, mas no fundo eu queria. Então deixei meu preconceito de lado e foi a primeira vez que sentir meu coração bater tão forte.  

— Park Jimin... – sussurrei encarando o teto, naquele momento somente ele se fazia presente em minha mente.   

 


Notas Finais


Obrigada por tudo gente, vocês são os melhores.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...