1. Spirit Fanfics >
  2. Akatsuki Em Ação >
  3. Férias quentes

História Akatsuki Em Ação - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Eu acho que pelo título vocês sabem do que se trata o capítulo de hoje, não é ?
Eu acho que demorei pra escrever esse capítulo porque eu tava assistindo jojo' bizarre adventure e vou voltar a assistir fullmetal alchemist. Boa leitura.

Capítulo 9 - Férias quentes


Fanfic / Fanfiction Akatsuki Em Ação - Capítulo 9 - Férias quentes

Pain P.O.V ON 

Eu e Konan estávamos indo ao esconderijo da aldeia da chuva, mas decidimos viajar até a aldeia da névoa, soubemos que lá tem muitas iguarias deliciosas, então usando o meu cartão de crédito compramos uma passagem para a aldeia da névoa. 

A passagem era de uma viagem de primeira classe em um navio, foi ideia da konan, por mim, iamos de avião já que eu fico com enjoou em navios, eu fui feito pra navegar no máximo em rios, não em mar aberto. Eu e Konan estamos admirando a vista do mar, quer dizer, ela, porque  eu estou verde de tanto enjoou.

Konan : Que vista linda, não é pain ?

Pain : Claro.

Eu estou tão enjoado que um marinheiro veio limpar uma "baguncinha" minha três vezes.

Pain : Eu prefiro andar em terra firme, água salgada não é o meu forte.

Konan : Você é um homem ou um frango ?

Pain : Eu prefiro ser um frango, porque pelo menos eles não tem que vir pro mar.

Konan : Nossa pain, onde está seu senso de aventura ?

Pain : Eu deixei em terra firme, se você quiser, eu vou lá pegar.

Konan : Você é chato, viu ?

Pain : Olha quem fala.

Konan : Magoou, mas se quiser, pode pular, as águas são infestadas de tubarões, você pode enfrentar eles ou aturar essa chata aqui o resto da viagem.

Ela falou apontando pra si mesma com o polegar.

Pain : Nesse caso, tubarões, aí vou eu.

Ela só se virou para o outro lado e fingiu não me ver.

Pain : Nossa, isso magoou, você ia deixar eu ser devorado por tubarões ?

Konan : Eles não iam te devorar, não com esse cheiro de quem nunca viu um sabonete na vida.

Pain : Eu não sou fedido.

Ela se distanciou de mim, e eu cheirei minha axila, e realmente estava fedendo.

Pain  : Konan, espera.

Eu corri até ela, ela estava indo até o bar. Sentamos em uma mesa e eu fiquei de frente pra ela 

Pain : Nem pra me esperar.

Konan : Você não ia pular ?

Pain : Não vou mais.

Konan : Que bom, assim eu posso aproveitar seu cartão de crédito.

Eu não estava mais prestando atenção nela, e sim nas mulheres e até alguns homens que olhavam ela com malícia. Eu coloquei o dedo indicador na boca dela, ela me olhou com um pouco de surpresa e eu aproximava meu rosto do dela, eu tirei meu dedo dos lábios dela e dei um pequeno selinho nela, mas eu aprofundei o selinho em um beijo de língua, eu não me importava com as pessoas ao redor, apenas me importava com o quão macio são os lábios dela, nos paramos o beijo por falta de ar, ela me olhou com surpresa, até porque era ela que tomava esse tipo de iniciativa comigo.

Konan : Quem é você e o que fez com o pain ?

Pain : Sou eu mesmo, se quiser, posso te dar outra prova no nosso quarto.

Konan : Quem sabe outra hora, mas porque isso de repente ?

Pain : Tem muita gente te olhando e eu não gostei disso.

Konan : Você tá com ciúmes ?

Pain : Sim, estou.

Konan : Imaginei, bem, que tal bebermos algo e irmos pro quarto, aproveitar que você está tão romântico ?

Pain : Acho uma boa ideia.

Eu e ela pedimos uma bebida leve e depois que terminamos de beber, fomos para o nosso quarto, eu abri a porta e fechei de novo assim que entramos, e por precaução, coloquei uma placa de " não perturbe " na maçaneta da porta e tranquei a mesma, pra ninguém nos incomodar.

Ela já estava tirando as roupas, na verdade, só tiramos o manto da akatsuki e nos sentamos na cama, ambos nós estamos apenas de calça agora.

Pain P.O.V OFF
Konan P.O.V ON 

Pain ficou por cima de mim e me beijou mais uma vez, enquanto ele me beijava, sua mão foi até dentro da minha calça e apertou meu membro já duro pelo tesão.

Pain parou o beijo e tirou a própria calças e eu fiz o mesmo, ele se deitou na cabeceira da cama e eu, praticamente lendo seus pensamentos, coloquei meu rosto próximo do pau dele, eu coloquei apenas a cabeça dentro da boca, chupando de leve, mas eu ia engolindo cada vez mais até colocar tudo na minha boca, eu fazia movimentos de vai e vem com minha cabeça, mas ele me fez parar.

Pain : Eu quero gozar dentro de você.

Konan : Tudo bem.

Eu me virei e fiquei de quatro pra ele, separando minha bunda pra ele poder ver meu ânus.

Konan : Não fique só olhando, quero que você me foda com força, ok painzinho ?

Ele não falou nada, apenas se aproximou de mim, ele estava pronto pra me foder, mas apenas colocou a cabeça dentro, não enfiou tudo. Ele foi enfiando cada vez mais, até enfiar todo o seu pau dentro de mim, ele colou o peito nas minhas costas e segurou minhas mãos que estavam apertando forte o cobertor.

Pain : Porque não solta seus gemidos ?

Konan : Humm, humm.

Ele começou a se mover dentro de mim, pain sabia como me deixar louca, primeiro ele começou acertando minha próstata, então seguiu com chupões no meu pescoço.

Konan : Hummm, hum, isso, com força, mete mais forte, vai.

Ele estocava forte em mim, me fazendo delirar, ele inverteu as posições, agora eu estava cavalgando no colo dele enquanto o abraçava. Ele aproximou a boca da minha orelha e mordia a ponta dela.

Pain : Você gosta disso não é ?

Konan : Sim, eu adoro.

Pain : Você continua cavalgando em mim como uma puta.

Konan : Eu sou sua puta, pain, só pra você usar.

Eu não estava pensando direito, só sei que pain passou a segurar minha cintura para controlar meus movimentos, ele me fez ir devagar, mas meia em mim com força.

Pain : Konan, eu vou gozar, vou gozar dentro de você.

Konan : Sim, pain, goza dentro de mim, quero sua porra pra mim.

Ele se contorceu uma vez e despejou sua porra dentro de mim, com mais algumas estocadas, ele tirou seu pau de dentro de mim. Ele me fez deitar na cama e se abaixou até meu membro, que ainda está duro porque eu não tinha gozado.

Pain : Konan, não quero que você ache que estou te usando pra me satisfazer.

Ele mastubava meu pau com uma mão e a outra enfiava alguns dedos no meu ânus.

Pain : Eu te amo, Konan.

Ele começou a fazer um boquete em mim, ele ia e via com sua cabeça no meu pau.

Konan : Eu também te amo... PAIN.

Eu gritei o nome dele assim que eu gozei, ele chupou todas as gotas que ainda saiam do meu pau e subiu até meu rosto, me beijando com minha porra na boca, me forçando a engolir um pouco também.

Pain : Já está quase na hora de acabar o jantar, acho que perdemos a hora.

Ele olhou para o relógio de parede perto da nossa cama.

Konan : Eu não estou com fome, eu só quero aproveitar sua companhia aqui.

Pain : Certo.

Konan : E pain, eu sei que você não está me usando, além do mais, eu gostei de quando você me xingou daquele jeito, você... pode fazer isso mais vezes ?

Pain : Claro, minha puta.

Konan : Você é o melhor namorado do mundo.

Pain : É, eu sei disso.

Nós nos abraçamos e adormecemos nos braços um do outro. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado, se não gostou, me fale o que te deixou incomodado que eu vou melhorar com meus erros, bem, até mais.
Dattebaki >:3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...