História Alastair- A ascensão de um demônio. - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Anjos e Demônios
Tags Anjos, Demonios, Ficção, Mistério
Visualizações 17
Palavras 1.242
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Luta, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Heterossexualidade, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


E ai pessoal.. Aqui está mais um capitulo fresquinho pra voces, desculpem pela demora, e por qualquer erro de digitação e pontuação, meu notebook não quer funcionar alguns sinais.

Continuem a acompanhar a história do Alastair, postarei os outros 2 capítulos completando 20 ainda essa semana.

Esse capítulo ainda está na versão da Ana, no próximo teremos mais diálogos, que será Ana contando sobre sua vida aos demais da casa.

Ah, e sobre a casa da família do Alastair, para quem tem curiosidade, eu me inspirei na casa dos Salvatore, da serie The Vampires Diaries. Quem nunca assistiu, de uma olhada na imagem da casa para ter uma ideia de como é, por fora e por dentro.

Boa Leitura.

Capítulo 18 - Um único suspiro.


Fanfic / Fanfiction Alastair- A ascensão de um demônio. - Capítulo 18 - Um único suspiro.

 

Acordei com Jerome me chamado para comer algo, já era alta madrugada, e eu não tinha comido nada desde de que me resgataram. 

Nohami cozinha muito bem, fez uma massa com molho de ervas que pelo cheiro estava muito bom, pão saindo do forno, e pela primeira vez, uma jarra de barro com vinho dentro.

- Vinho? Voces bebem?- Perguntei.

- Só os homens, beberemos em honra ao Alastair, se não fosse por ele não estariamos juntos, já me acostumei tanto com voces, que parece que moro aqui- Eleazar era um homem cujo caráter era admirável.

- Não seria uma má ideia Eleazar, a casa é bem grande, e com voces aqui, ficamos mais felizes- Gorgon era um lider de família exemplar, tinha certeza em suas palavras.

- Não queremos incomodar mais Gorgon, iremos esperar Alastair acordar e vamos para casa.

- Como quiserem, mas serão sempre bem vindos para voltar.

- An- indaguei- Percebi que falta alguém aqui, onde está Carter?

Todos me olharam com a expressão de preocupação, e Gorgon me contou sobre a briga dele com o Alas. 

- Novamente, por minha culpa, eu sou um problema na vida de voces.

- Não se preocupe, Carter fez sua escolha, o que temos de fazer agora é cuidar do Alas- Disse Caan.

- Falando nele, está na hora de trocar as ataduras, Jerome leve o caldeirão de água morna para mim sim, Ana e Selena, por favor me ajudem lá em cima assim que terminarem de comer por favor.

- Não estou com muita fome, vamos lá.

Subi com o pessoal para o quarto do Alas, que ainda permanecia imóvel na cama. Olhei para trás e todos os outros no acompanhava.

- Ram, ram- Nohami estava inquieta- Com licença, mas só nós ficaremos aqui, um local muito cheio irá atrapalhar.

Jerome deixou o caldeirão com a água ao nosso lado, e uma bacia com panos limpos, Nohami estava com uma pomada e faixas em mãos. Cortamos as faixas que estava nele e pela primeira vez, vi como ele era por baixo da camisa e da capa que escondia seu corpo.

Confesso que fiquei impressionada, seu corpo era definido, estava pálido, com cortes e rasgos. Até que Selena tirou o tecido de onde a estaca o perfurou.

- Céus- Coloquei minhas mãos na boca, as lágrimas querendo cair.

- Fique calma Ana, ele vai ficar bem.

Nohami era uma mulher incrivel, tentava me acalmar a todo custo.

Começamos a molha-lo com a água morna, minhas mãos tremiam ao passar o pano em seu abdomem, nervoso? Medo? Vergonha? Os tres juntos.

- Ana- Selena ria- Não precisa ter vergonha, quando não estivermos em casa, fará isso sozinha. 

Arregalei meus olhos, as meninas riam de mim, olhei para o rosto de Alas, parecia apenas estar dormindo, queria tanto ele me chamar de anjo novamente, sentir seu abraço e ouvir seu coração bater.

- Quanto tempo ele vai ficar assim?

- Não sabemos- Disse Selena- Pode durar dias, semanas, até meses.

Secamos o corpo dele e voltamos a enrolar as faixas, Nohami passou uma pomada que tinha um cheiro muito bom em seu peito. De repente ela me olhou.

- Ana, termine de passar a pomada no peito dele por favor, vou levar essas coisas lá para baixo, Selena vem comigo sim.

- Claro.

Eu sabia, elas viram como eu estava, nervosa de vergonha ao ver o Alas quase nu em minha frente e resolveram me deixar sozinha.
Peguei a pomada e comecei a passar devagar em seu peito, em circular para espalhar bem, ri entre os dentes e comecei a conversar com

Alastair, não sabia se podia me ouvir, mas tentei.

- Essas meninas, sabem que estou com vergonha ao te ver assim, com o corpo amostra, estou constrangida sim, mas, é para o seu bem, isso vai te ajudar. 

Deixei a pomada ao lado, com cuidado enfaixei seu braço e chamei Jerome para me ajudar a levanta-lo para arrumar o travesseiro.

- Vamos lá- disse Jerome- Ele me parece melhor, esta fazendo milagre Ana? Ou voce é o milagre dele?

- Tiraram o dia para me deixarem envergonhada?

Jerome riu.

- Só estou dizendo, pois ele me parece um pouco mais corado, sua mão- Jerome pegou na mão de Alastair- esta morna, mais cedo estava fria, seu lábio voltou a cor normal, Ana, voce esta fazendo progresso.

Deitamos Alastair na cama, eu peguei um lençol e o cobri, fechei a cortina e voltei para perto dele, Jerome pediu licença e saiu do quarto. Fiquei com Alas no quarto fazendo o que faço de melhor, falar.

- Voce disse que gosta de livros certo? Que tal eu buscar um para ler para voce? Algum pedido especial? 

Desci as escadas correndo e encontrei todos na sala.

- Ana? Aconteceu algo com Alas?- Me perguntou Alec.

- Não, só queria sabe se voces sabem o livro favorito dele, quero ler para ele.

- Venha, vou te mostrar qual é.

Acompanhei Gorgon até a biblioteca, e havia tantos livros lá que fiquei perdida.

- Aqui- ele me entregou um livro com um nome estranho- Charles Dickens é o autor favorito dele, e esse livro em especial.

David Copperfield.

''A história narra o trajeto de David Copperfield da infância à maturidade. David nasceu na Inglaterra em 1820; seu pai havia morrido 6 meses antes de seu nascimento, e sete anos após, sua mãe se casa com Mr. Edward Murdstone. David não simpatiza com o padrasto, nem com a irmã dele, Jane, que passa a morar em sua casa.'' 

- Não sei o porque, mas ele ama essa história.

- Obrigado Gorgon, vou ler para ele.

- Aqui tem vários livros do Charles Dickens, fique a vontade para ler.

Agradeci novamente e voltei para o quarto.

Jerome estava colocando uma poltrona ao lado da cama de Alastair.
- Melhor assim, fica mais confortável.

- Obrigado Jerome- dei um beijo em seu rosto- Alastair tem sorte de ter essa família.

- Voce também Ana, não precisa ir embora quando ele acordar, sabe disso.

- Como voce...

- Ouvi voce falando com seu pai, sabe que ele vai preferir morrer ao ver voce partir, pense bem nisso, ele pode ter a nós, mas sem voce ele não vai querer viver. Ele ficou louco os dias que voce estava em cativeiro, não dormia, nem comia, só dizia que queria voce nos braços dele de volta.

Olhei para Alas, chorando novamente.

- Sei que fará a coisa certa Ana, pense bem. Se precisar de algo me chame, irei dormir no quarto ao lado.

- Boa Noite Jerome.

Jerome saiu do quarto e fechou a porta, me sentei na poltrona, com as penas cruzadas em x, e comecei a ler a história de David Copperfield, segurando uma das mãos dele. 

Enquanto lia, senti algo, que me fez parar de ler, olhei para ele, e uma lágima em seu olho caiu. Sua mão estava quente, e apertou minha mão. 

De repente, ele fez algo que me fez dar um sorriso nunca dado antes, Alastair deu um suspiro, ainda fraco, enquanto apertava minha mão.

- Sim Alas, estou aqui ao seu lado- Me curvei, dei um beijo em sua testa, e encostei a minha testa na dele.- Esperarei voce acordar.

Só espero que ele acorde, meu coração dói a cada segundo o vendo desta forma. Quero ver novamente seus olhos, e ouvir a sua voz. 

- Volte pra mim Alas, por favor, volte pra mim.


Notas Finais


O que acharam do capítulo de hoje? Deem suas opiniões...

Espero que tenham gostado, e não esqueçam de ver como é a casa da família do Alas. É só pesquisar no Google imagens ''Casa dos irmãos Salvatore'' e lá terão uma ideia de como é..

Até a próxima pessoal.. Bjoos..


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...