1. Spirit Fanfics >
  2. Albáfica de Peixes. É possível amar e ser amado? >
  3. O despertar do amor.

História Albáfica de Peixes. É possível amar e ser amado? - Capítulo 6


Escrita por: Luciaholmes

Notas do Autor


A partir deste capítulo a história se desenrola para o despertar do sentimento entre Albáfica e Isis.

Capítulo 6 - O despertar do amor.


Fanfic / Fanfiction Albáfica de Peixes. É possível amar e ser amado? - Capítulo 6 - O despertar do amor.

Isis acordou bem indisposta naquele dia, estava por demais tristonha, nem parecia aquela jovem impetuosa cheia de vida e determinada, parecia deprimida. Não sabia exatamente o que sentia, mas tinha certeza que não estava feliz daquela maneira; embora gostasse de seus treinos com o Mestre Albáfica sentia-se mal por seu mestre manter um distanciamento tão rigoroso com ela. Isso  fazia com que ela se entristecesse.

.Não entendia o porquê daquele comportamento, será que ele sentia repulsa por ela? Já havia deixado claro que o seu sangue não era letal para ela,  que já cuidava muito bem dos jardins de rosas diabólicas sem ser afetada, seu corpo era capaz de produzir anticorpos àquele veneno simultaneamente, então não entendia o motivo dele a ignorar;

Albáfica já a esperava na arena de treino havia um certo tempo mas sua discípula estava atrasada, algo que raramente acontecia, finalmente ela chegou.

Isis o cumprimentou e se escusou pelo atraso de forma bem seca. Albáfica percebeu que algo estava errado, ela era tão cortês com ele, contudo a desculpou e logo iniciou o treinamento.

__Isís, hoje vamos treinar os golpes emanados pelo seu cosmos, vou fazer algo diferente ,dessa vez não usarei um modelo, um boneco como seu oponente, eu mesmo o serei.

__ Pode se concentrar e me golpear quanto estiver pronta;

Isis estava muito estranha, de repente começou a emanar um cosmo diferente do habitual, seu corpo se tornara frio, em vez de um cosmos dourado, dessa vez ela emanva um tom prateado,  que brilhava intensamente, quando ela abriu os olhos, não tinham mas as pupilas, seus olhos estavam brancos, um poder enorme estava para ser lançado. Albáfica estava preocupado e em postura defensiva esperando para o que poderia acontecer, foi aí  que uma névoa densa se formou ao redor, a arena foi tomada por ela e o dia virou noite, como se a arena estivesse envolta por uma redoma de breu, Albáfica nada conseguia enxergar.  Parecia um eclipse. Albáfica contudo sentia o movimento de sua discípula, rápido e certeiro.

Ela havia desferido dezenas de rosas piranha para treino e Albáfica não conseguiu se defender.

___ Que cosmos é esse? disse Albáfica, então passou a chamar por Isis.

___ Isis, Isis, saia desse transe é seu mestre que está falando… Pare por favor!!!!

Isis já estava pronta para golpeá-lo novamente, mas ouviu a voz de seu Mestre e parou.

Foi quase mágico, a nuvem se dissipou e o dia voltou, Isis acordou de seu transe e percebeu que havia machucado bastante seu mestre;

__ Mestre, me perdoe, eu não tive intenção de machucá-lo tanto!!!

__ Como não, Isis, não tive sequer a chance de me defender, embora percebesse seu cosmos não enxergava nada, acho que você estava com raiva de mim!!

__ Deixe-me curá-lo, está bem ferido. Apesar das rosas serem de treino, elas machucam bastante.

__ Eu estou bem, mas preciso saber o que aconteceu aqui. Por que me golpeou dessa maneira???

__ Isis então, emanou seu cosmos de cura e ao mesmo tempo que curava as feridas de seu mestre, pôs-se a chorar copiosamente;

__ Me perdoe mestre, me perdoe!!

__ Perdoar pelo que Isis??

__ Acho que não estou sabendo lidar com meus sentimentos, estou em sofrimento por causa desse distanciamento que você nos impõe. Convivemos sobre o mesmo teto e sequer temos qualquer diálogo, me sinto reprimida, não sei se me odeia ou se sente repulsa por mim( ia falandoaos prantos);

Albáfica percebeu que suas regras de comportamento em relação a sua discípula talvez tinham sido exageradas por demais, era a primeira vez que ele treinava alguém e ainda por cima uma mulher adulta, achava que tinha por obrigação manter esse distanciamento para evitar fofocas no santuário e proteger sua discípula;

Então disse, Me desculpa Isis, não queria que você se sentisse assim. De forma alguma te odeio ou sinto repulsa por você, é justamente o contrário. Há regras no santuário bem claras quanto ao comportamento entre Mestres e discípulos, é preciso manter o foco no treinamento sem envolvimentos sentimentais, mas isso é extremamente difícil. Então eu achei por bem me distanciar de você para que não nós envolvêssemos emocionalmente. Parece que não adiantou. Muitas vezes observava você de longe treinando com Donko e seus amigos, via como se relacionava tão próxima a Degel, por vezes me sentia até enciumado, e quando você passava por mim pela casa, seu perfume delicado era um oásis para mim que só vivia até então cercado pelas rosas diabólicas;  e quando você tocava o violão, eu viajava por aquele momento, me via em outros lugares e em sua companhia.

Isis não podia acreditar no que estava ouvindo, estava atônita com aquela declaração, afinal não era somente ela que estava em sofrimento, Albáfica também estava, tinha imposto uma regra tão radical que os mantinha afastados e frustrados.

Albáfica continuou: __ sendo seu Mestre não posso me envolver sentimentalmente com você Isis, tenho essa premissa tão forte em mim quanto meu compromisso em defender o Santuário e Athena;

__ Albáfica, (agora não o chamou de Mestre) respeito suas convicções mas não posso concordar com elas, é uma afronta, uma violência reprimir os sentimentos por conta de uma regra sem sentido algum;

___Contudo, daqui a quatro meses deixarei de ser sua discípula. Agora mais do que nunca vou obter aquela armadura de Amazona de Prata e você não precisará ser mais meu Mestre.

Albáfica sorriu envergonhado, e disse: __ Isis, sempre serei seu Mestre, não importa se conquistar a armadura que for, esse elo é inquebrável.

Isis sorriu também, só que de forma sutilmente maliciosa: ___ Mestre, por acaso não me conhece?? Se tem algo que faz parte de minha personalidade é romper com paradigmas, nunca aceitei usar aquelas máscaras de metal impostas às amazonas, imagina se vou acatar essa regra. Só não  o faço agora em respeito a você, mas a partir do momento que me tornar uma Amazona de Prata não a aceitarei mais.

Albáfica se espantou com tamanha segurança e domínio, aquela mulher sabia o que  queria e iria lutar por isso.

__ Isis se levantou, e estendeu a mão para seu Mestre.

Albáfica estava tão próximo dela quase podia sentir sua respiração, foi quando sentiu um chamado.

__Isis, me perdoe, preciso ir. O Grande Mestre acabou de me convocar.

Mas quando já estava saindo parou e virou para sua discípula e disse: Isis, não perca a batalha pela armadura! E seguiu.

Isis ficou em êxtase por um bom tempo. O que era aquilo? pensou. Não havia incentivo maior  do que o próprio Albáfica desejar o mesmo que ela, se libertar das amarras que os prendiam.


Notas Finais


A partir do próximo capítulo esse e outros romances vão se consolidando.. talvez tenha que mudar a classificação etária por conta disso, pq apesar a história não ter finalidade erótica, fatalmente a trama desencadeará para alguma narrativa mais sensual e sexual.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...