1. Spirit Fanfics >
  2. Alcatéia >
  3. Nas garras do demônio

História Alcatéia - Capítulo 3


Escrita por: Deusa-soy

Notas do Autor


Oii, boa leitura.🥰

Capítulo 3 - Nas garras do demônio


Fanfic / Fanfiction Alcatéia - Capítulo 3 - Nas garras do demônio





Um ato tão cruel só podia vim mesmo de um uchiha. Afinal a garota só estava sendo caçada pelo simples fato de ser uma mestiça.
O terrível pecado dela foi ter nascido, e por isso deve morrer. De acordo com fugaku, bastardos não devem existir pois são aberrações da natureza.
 
De fato, o lorde da tão temida alcatéia uchiha não passava de um tirano. Talvez um mimado, quem sabe.

Mas, quem sou eu para julga -lo? se farei pior, serei eu o responsável por mata lá. E o mais bárbaro era que estava fazendo isso por pura conveniência. Matar a pobre mestiça será um grande paço a minha vingança.

Talvez eu não seja tão diferente assim de meu pai. Afinal seu sangue maldito corre em minhas veias.
Um gosto amargo tomou conta de meu paladar. Odiava a situação que me encontrava. odiava ser um uchiha, ser filho de fugaku, era a minha maldição.
A única coisa que me faz ser forte e nunca desistir é minha mãe... A única pessoa a quem eu realmente amei verdadeiramente. Mas ela foi tirada de mim, para sempre...

Melhor parar com esses pensamentos, isso não é algo bom para meu psicólogico. Preciso estar focado para achar a bastarda.

Eu sabia onde os vilarejos ficavam, e tinha ciência de que eram distantes do restrito uchiha. 
Porém na minha forma de lobo será impossível acha - lá. Gostaria de observa a situação com calma, estudar a vítima.
Não queria fazer igual a fugaku que invadiu dois vilarejo e matou vários inocentes. 

Vi um garoto de aproximadamente uns treze ou quatorze anos passando por perto. 

- Ei, você! _ pude perceber que o garoto estremeceu, talvez de medo? ..
- Não se faça de desentendido, estou falando com você pirralho!_ pude ouvir o mesmo respirar fundo e vim a minha direção tremendo igual vareta.
- O que deseja, meu senhor _ ele não ousava olhar nos meus olhos. E isso me incomodava.
- Olhe para mim enquanto converso com você! _  o garoto levantou a cabeça rapidamente e me olhava com medo, pude perceber que seus olhos se enchiam de água.
Mas porque ele está tão assustado comigo? 
- Por que está assustado? 
- Porque você é um ser cruel! _ não sei da onde ele tirou coragem para falar isso, pois o mesmo já se encontrava chorando.
- E porque sou cruel como diz? Não me lembro de ter feito mal algum a você.
- Você tentou matar seu próprio irmão! _ Respirei fundo. Porque estou dialogando com está criança? só precisava de um favor, não precisava de isso tudo.
- Olha garoto, eu não vou entrar em detalhes com você sobre o motivo deu ter machucado Itachi. Apenas quero que me faça um favor. _ o menino apenas me olhou esperando.
- Quero que me diga aonde está minha moto.
- E como é a sua moto? _ perguntou curioso.
- É uma Indian preta. _ o menino pareceu lembrar de algo pela cara que fez.
- Meu senhor, quem está responsável pela moto é o senhor Itachi... _ disse receioso.
Apertei meus punhos com certa força. Por que esse cara me persegue em todo lugar?
- Hum, eu quero que você o procure e traga a minha moto aqui. Estarei te esperando, entendido? _ o garoto acentiu e rapidamente saiu do local.

Como não queria esperar de pé me sentei em um banquinho de madeira que se encontrava a minha frente.
Parando um pouco para observar o lugar pude ver como estava "acabado".
Ninguém cuida das plantas ou limpava o lugar. O que trazia consequências, o ambiente estava horrível a grama estava murcha e seca. As árvores por perto se encontrava sem folhas.
O palacete onde fica todos os membros da alcatéia era enorme, porém sua pintura estava escassa.
O lugar não era só sombrio só por causa dos seus habitantes.
Fui despertado de meus pensamentos por um grito deverás escândaloso.-- NÃO ACREDITO NO QUÊ ESTOU VENDO! TEME É VOCÊ!!? _ nem precisei olhar na direção que veio o grito. reconhecia sua voz em qualquer lugar.

Era Naruto, meu antigo e único amigo. 

- não Naruto, eu sou uma alma em busca de vingança. _ o mesmo vinha correndo em minha direção de braços abertos, possivelmente para me abraçar. Porém parou assim que ouviu minha frase.


- O que! Você morreu Sasuke!? Eu estou conversando com seu fantasma!?_ perguntou desesperado. um certo pânico tomava conta de seu rosto.

- Mas é claro que não, seu idiota!_ senti vontade de revira meus olhos com tamanha lerdeza do ser a minha frente.
- Ataa, que bom. _ falou coçando a nuca provavelmente sem graça.
- Mas Iae cara, não sabia que você tinha voltado! A quanto tempo está aqui? _ perguntou animado.
- Deve fazer uns cinco meses _ dialoguei.
- Porra! se eu soubesse que viria não teria aceitado essa merda de missão_ ele parecia chateado com sigo mesmo.
- Que missão? _ estava intrigado com a missão. sabia que Naruto era um dos melhores lobos, então o mais certo era que meu pai tenha lhe passado uma missão complicada.
- Poisé cara, eu tô nessa missão deve fazer sete meses, é tão complicado. Estou exausto. _ bocejou antes de terminar. - Estou em uma missão de espionagem contra a -
- Akatsuki. _ enterronpi sua fala antes do mesmo terminar. Ele me olhou com os olhos arregalados, talvez se perguntando como eu sabia.
- Como você -
- É simples, a Akatsuki e a principal rival da nossa alcatéia. Eu já tinha ouvido fugaku falar sobre uma espionagem  _ disse desinteressado.
Percebi que Naruto focou o olhar para algo atrás de mim.
Porém, só pelo cheiro soube quem era. Infelizmente era Itachi.
- Olha só quem eu encontrei por aqui _ falou simpático colocando a sua mão em meu ombro.
- Se você não tira essa mão imunda do meu ombro eu a arrancarei!  _ Falei entre os dentes. Quem esse merdinha pensa que é?
- Melhor não arriscar não é mesmo _ tirou a mão rapidamente.
Logo o mesmo felizmente me ignorou e foi conversar com o Naruto.
- Naruto, há quanto tempo em! _ parecia empolgado.
- Iae Itachi _ se comprimentaram com um toque ridículo.
Afinal, o que estou fazendo aqui conversando com esses dois patetas? Tenho coisas mais importantes para fazer.
- Itachi, onde está minha moto? _ fui direto, não queria papo nenhum com ele.
- Ae! você tinha pedido um garotinho para ir buscá-la. 
- É
- Sasuke, não me diga que você achou mesmo que um menino de treze anos saberia pilotar uma moto? Que ultraje! _ ele parecia querer me repreender, mas senti um tom de zombaria.
- Foda-se, eu só quero minha moto!
- Construimos uma garagem nos fundos do palácio. Sua moto provavelmente está lá.
Apenas sair rapidamente, não queria mais perder meu tempo com ele.


(...)




Sua formosura encantava muitos, seu olhar único e brilhante parecia o mais belo das esmeraldas. Sua voz era tão calma e serena que trazia a paz de quem a ouvisse.

Mas, se não fosse pelos malditos cabelo cor de rosa, a garota seria perfeita. 
Até porque, para muitos ela era uma bruxa. Avia vários sinais de que a pobre menina era um bruxa.
Ela era bonita demais, inteligente demais. E não podemos esquecer do mais importante o pequeno triângulo que a bela Sakura tinha em sua testa. Bom isso era o que o povo falava.
Apesar de se encantarem com a moça, o medo vencia a empatia.
No final  julgavam a bela dama apenas por sua aparência.


...




Estava exausta, hoje era sexta feira e em dias de sexta a lanchonete lota. Tinha tantas pessoas que não estava tendo mais assentos para os clientes.

Seria muito mais fácil se tivesse outra garçonete, eu não estou conseguindo dá conta sozinha. Eram tantos pedidos, tantas pessoas que mesmo me esforçando ficava confusa no final.

- Calma amiga, dessa jeito vai dá um treco! _ Ino me olhava divertida. Ela ficava tomando conta do caixa, seu único trabalho era receber o dinheiro e dar troco.
Quase choraminguei vendo que a mesma estava sentanda tranquila sem nenhum esforço. As vezes a vida é injusta.

- Queria ver você aqui no meu lugar, porquinha. _ falei mesmo sabendo que isso seria impossível. Ino é filha do dono da lanchonete, ela só trabalhava aqui por que gostava.
- Aí não _ Ino fez cara de desgosto  olhando para entrada da lanchonete.
Curiosa com o que era me virei para olhar, porém me arrependi. Era karui com seu grupinho. 
Se tem uma coisa que até um cego pode enxergar é o ódio que essa garota tem de mim. Não sabia o  motivo de tanto ódio, sendo que nunca conversei ou fiz alguma coisa com ela.
Ela fez cara de deboche olhando diretamente em meus olhos.
Foi andando em direção a uma mesa que tinha um pequeno grupo de meninas.
 Não sei o que ela falou para aquelas pobres meninas, só sei que todas sairam da mesa com cara desanimada. 

Assim que todas se acomodaram a mesa a própria karui fez questão de olhar para mim com aquele olhar maldoso.
- Amiga, se você quiser eu vou atendê-la em seu lugar. _ Ino colocou sua mão em meu ombro me passando um pouco de conforto.
- Mas amiga, isso é obrigação minha, se seu pai te ver fazendo isso ele me demite na hora! _ eu realmente não queria ir lá. Mas deixar Ino ir em meu lugar está fora de cogitação. Eu sabia que ela irá provavelmente arrumar alguma confusão, Ino pode até parecer calma, mas de calma não tem nada.

- Saky, tem certeza que quer fazer isso? _ Ino me olhava com preocupação.
- Não, eu não queria ter que ir lá, Ino. mas como eu disse e obrigação minha, sou paga para atender as pessoas. _ falei forçando um sorriso para a mesma. 
- Tudo bem Sakura, mas se alguma coisa acontecer não me responsabilizo pelos meus atos! _ disse determinada.
- Minha barraqueira _ ambas caíram no riso.
- Eii! aberração rosa, não vai vim nos atender não!? _ uma das amigas do grupo de karui grito.
Respirei fundo e dei uma última olhada para Ino. O olhar que ela me lançou me deu uma certa coragem.
A lanchonete era até grande, tinha dois andares. As meninas se encontravam no segundo andar. Lá tinha apenas três mesas.

A mesa que elas " escolheram" encontrava-se encostada na janela, dando a elas uma bela vista.

- Boa tarde, o que desejam senhoritas? _ tentei ser o mais educada possível.
- Ain olha só como ela fica fofinha com esse uniforme brega ! _ falou a menina loira.
- É porque ela nasceu pra essa vida Mary, ela é a empregada e nos somos as que manda. _ falou karui provocativa.
Eu realmente tentava não ligar para seus comentários maldosos, mas as vezes eles machucavam de verdade.
Não podia revidar, tinha que me manter calada. Precisava muito do emprego para pagar os remédios de minha avó, eles eram muitos caros.

Fui despertadar de meus pensamentos. Uma sensação ruim tomou conta do meu coração, senti meu corpo arrepiar todo.

Sentia que tinha alguém me observando, é não era as meninas a minha frente. Era uma energia pesada e sombria.
Resolvi procurar o olhar ameaçado, olhei em volta e não vi ninguém. Porém ao olhar para fora meu corpo paralisou.
- Ei, além de esquisitona você e louca também.
- Talvez ela só seja lerda mesmo.

Não prestava atenção no que as meninas falava, pois do lado de fora encontrava-se um homem. O homem mais belo que já vi, porém seu olhar era tão maldoso, não tinha brilho e nem vida. Ele olhava diretamente para mim.

 Sentia que poderia cair no abismo negro de seus olhos. Estava assustada, rapidamente fechei os olhos não querendo mais vê-lo.
- Como ousa me ignora sua aberração! _ abri os olhos rapidamente ao ver karui perto de mim. Mal tiver tempo de raciocinar quando ela me empurrou com força.
Meu corpo como não estava preparado para esse ataque foi invutariamente ao chão.
O que eu não esperava era que a escada se encontrava próximo. O que causou uma queda feia e dolorosa.

- SAKURA!!! _ percebi que era a voz de Ino, mas não conseguia vela, minha visão estava curva.

- Mas o que está acontecendo aqui!? _ não sei se foi pela dor do tombo ou pelo medo de perder o emprego, mas ao ouvir a voz do senhor yamaka, desmaiei.

...



Abri os olhos com um pouco de dificuldade. Estranhei ao ver que estava em uma cama enorme e muito linda.
Olhei ao redor e vi que o quarto era digno de uma princesa. Não precisei pensar nem duas vezes para saber que era de Ino. Já tinha vindo aqui algumas vezes então conhecia o lugar.
Me assustei quando a porta foi aberta rapidamente. 
- Ino, assim você me assusta! _ coloquei a mão no peito tentando controlar os batimentos.
- Sakura, você é muito medrosa! _ falou Ino brincalhona logo se sentando ao meu lado da cama me abraçando forte.
- Boba _ falei baixinho a abraçando também.

Ino de fato era uma das pessoas mais importantes para mim. Me lembro que no começo não fui muito com a cara dela. Ela parecia ser muito metida, achava que não passava de uma patricinha.
Mas me surpreendi, ela era o oposto de tudo que eu pensei, talvez um pouco patricinha, isso não posso negar. Mas ela foi a única menina da minha idade que foi legal e gentil comigo.

- Sakura sobre hoje mais cedo- 
-  Eu fui demitida não fui!? _ a interrompi me levantando rapidamente da cama. soltei um pequeno gemido de dor, meu corpo estava todo dolorido.
- Calma amiga, só ia te falar que meu pai resolveu a situação. karui e suas amiguinhas estão proibidas de ir na lanchonete. _ me sentei na cama desacreditada. no fim sorri aliviada.
- Que bom que tudo deu certo no final _  fiquei conversando com Ino que nem notei que o sol já estava se pondo.
- Aí meu Deus, não sabia que já estava tão tarde! Preciso ir embora! _ falei para Ino. ela falou mais algumas coisas comigo enquanto me levava até a porta.
- Amiga, tem certeza que quer embora? você mora muito longe até você chegar em casa já vai tá de noite. _ falou preocupada.
- Não se preocupe comigo Ino, eu conheço o caminho como a palma da minha mão. Vai dá tudo certo amiga, relaxa. _ falei a abraçando e me despedindo.



 fazia uns vinte minutos que já caminhava. minha casa ficava um pouco longe da vila, pra falar a verdade ficava em um canto escondido da floresta.
não que eu reclamasse, gostava do lugar onde morava.
Já estava escurecendo. precisava ser mais rápida se não quisesse ir no escuro. Então foi o que fiz apertei os paços e fui mais rápido.

Porém algo de inesperado aconteceu. poucos metros a minha frente encontrava-se karui e algumas de suas amigas, percebi que tinha mais dois homens com elas.
Pela expressão que faziam percebi que não era algo bom. E o pior de tudo é que dessa vez estava sozinha.
- Olha, olha se não é a garotinha do mato! estranha eu já sei que você é, agora morar no meio do mato já é demais não acha? _ como sempre karui soltava seu veneno.
- Olha a cara dela, tá parecendo um cachorrinho assustado _ falou a garota loira.
- Essa carinha está me exitando ! _ falou um dos homens, o outro apenas concordou não tirando os olhos de mim.
Sentia que meus olhos já ardiam, queria chorar. no fundo eu sabia o que irá acontecer comigo, só não queria aceitar.

- Ela é toda sua rapazes, façam o que quiserem com ela _ Não sabia o porquê karui me odiava tanto. Mas para chegar a esse ponto? o que eu fiz de tão grave.
- Me diga karui, o que foi que eu te fiz para merecer uma coisa dessas!!? _ estava desesperada. as coisas só piorava quando um dos homens segurou meus braços para trás me imobilizando.
- Você nasceu! você é uma maldita! não vou perder meu tempo falando com você. até porque hoje será seu último dia de vida, então aconselho que você o aprecie. _ gargalhou junto de suas amigas.
me assustei quando o segundo homem rasgou a parte da frente do meu vestido. 
o arrancou do meu corpo me deixando apenas com as peças íntimas. estava com medo, com vergonha. a minha dignidade estava prestes a acabar.

- por favor, não façam isso _ implorei já chorando, não queria ser violentada, muito menos perder minha castidade desse modo.
- Cala a boca, sua cadela _ o homem acertou um tapa forte em meu rosto, senti o sangue escorrer de meu nariz.

Eu já estava assustada, mas a coisa piorou quando senti novamente  aquela áurea pesada. ele estava por perto! sentia que sim.
todos se assustaram com a grito de desespero da garota loira.
- O que foi Mary, pra que esse escândalo todo? _ falou karui possívelmente com raiva.
- L -LOBO.. _ apontou o dedo trêmulo em direção aos arbusto.
- Não seja ridícula garota, não tem lobos por essa- _ o homem que me segurava se calou ao ver que era verdade.
um arrepio passou pela minha espinha quando vi aquela besta. aquilo não podia ser chamado de lobo.
Era enorme, talvez cinco vezes maior que um lobo, seu pelo era  mais negro que o escuro. Seus dentes era enorme e pontiagudos.

Além de seu tamanho macabro o que mais me assustou foi os olhos, eram negros iguais o do homem que vi mais cedo. 
meu coração parecia ter parado ao perceber que de negros mudaram para vermelhos.
Se antes eu estava na merda, agora estou nas garras do demônio.
- Ninguém se mexe! fiquem todos quietos _ falou o homem atrás de mim.

para o pavor de muitos o lobo rosnou, seu rosnado era alto e potente. muitos pássaros que se encontraram nas árvores voaram para longe.

Parece que a garota loira estava muito assustada pois a mesma saiu correndo e gritando desesperada.
Entretanto sua fulga não obteve resultados bons, pois em uma bocada só o lobo a pegou pelo estômago.
A jogou para o alto e saltou a abocanhando ao meio.
Os dentes do lobo parecíam navalhas pois precisou de apenas uma boca para que o corpo saudável da bela moça se encontrasse agora partido ao meio.
Segurei o vomito quando vi que a pobre menina estava viva ainda, só que com a metade do quadril sepados do corpo. A coitada não tinha força nem para gritar de dor.
essa cena traumática causou o pânico em todos. 
Eles queriam trazer a morte a mim, mas parece que ela escolheu a eles para morrer hoje.
Tentavam correr, mas o lobo era mais rápido e forte.
Suas mortes foram cruéis, somente um ser diabólico conseguia se divertir fazendo isso. Olhei atentamente para o belo e aterrorizante lobo, talvez para ele isso não passava de uma diversão.
No final restará apenas eu e karui que estava ao meu lado chorando de medo. E eu não estava muito diferente dela.
o local antes belo e cheio de Gramado se encontrava como um rio de sangue.
O lobo foi chegando mais perto com os olhos vermelhos diretamente em minha direção, sua enorme boca estava aberta e por ela escorria sangue.

Eu sentia que seria sua próxima vítima.

Me desesperei quando karui me empurrou. tentei manter o equilíbrio para não cair e isso resultou em alguns passos. fechei os olhos pronto para queda, porém meu corpo bateu em algo forte e peludo.
Engoli seco. Sabia o que tinha enterronpido minha queda.
não tinha coragem de olhar para cima, então permaneci totalmente paralizada no lugar.
podia sentir a respiração quente batendo rude em meus cabelos, algo molhado vindo junto também, possívelmente sangue.
mas para a minha surpresa o lobo me ignorou,  passou direto e correu em direção a karui.
ela estava quase conseguindo fugir, e teria conseguido se o lobo não tivesse me ignorado.
por algum motivo me virei para ver o que irá acontecer com ela, mas me arrependi.

ela tinha tropeçado em um galho que estava a sua frente.

o lobo cruel como era, parecia gostar de torturar suas vítimas. colocou sua enorme pata com enormes garras na cabeça de karui.
Puder ouvir seu grito esganiçado de medo.
Em um único puxão arrancou o couro cabeludo. Ele saiu de cima dela, dando a oportunidade para ela fugir? não, ele apenas queria vê-la corre, talvez da- lá a esperança de que conseguiria fugir.

Como era perverso.

E de fato foi o que aconteceu, a garota saiu correndo, mas o lobo não ficou para trás. E como consequência teve suas pernas arrancadas. ele não a matou, deixou ela agonizando até seu último suspiro.

A besta então virou se novamente para mim, faltava apenas uma vítima para que seu massacre ficasse completo.

Eu iria ser a próxima a morrer. Então diferente dos outros não corri, sabia que seria pior, só iria trazer diversão para o monstro sanguinário.
Apenas fechei os olhos com força, não queria que a minha última visão fosse a do mostro a minha frente.
Tentei pensar em coisas boas, pensei em minha avó, em como eu a amava. Ela era a única família que tinha. Pensava em Ino, minha melhor amiga.
Ou em Sasori, ele foi o único homem que nunca tentou algo a mais comigo, ele era um ótimo amigo e sempre me protegia.

Senti a presença do lobo a minha frente, seu rosnado causava tremores em todas as partes do meu pequeno corpo.
Quase gritei quando senti encostar seu facinho molhado em meu pescoço, ele parecia me cheirar. Ele ficou assim me cheirando por um tempo, como se meu cheiro o agradasse muito.
E em um movimento brusco senti uma perfuração em meu ombro, era a maior dor que já senti em toda minha vida. aquilo queimava igual brasas.
ele me levantou segurando meus ombros com suas presas e me sacudiu.
Senti meu ombro deslocar e alguns osso se quebrarem.
Quando pensei que não poderia ficar pior a enorme fera me arremessou contra uma enorme pedra.
bati minhas costas e minha cabeça fortemente contra a pedra gigante.
senti uma enorme queimação e falta de ar em meus pulmões devido a pacada que recebi na região.
uma grande contidade de sangue saía pelo meu ombro, sabia que desmaiaria a qualquer momento.
nem me dei conta mas o lobo já se encontrava encima de mim. mesmo de olhos fechados podia sentir que ele abria sua boca, talvez para dá seu golpe final.
 Em um ato de coragem abri os olhos, olhando diretamente nos olhos sanguinários do terrível lobo.
Isso pareceu despertar a atenção do mesmo, pois ele logo fechou a boca e ficou me olhando atentamente.
Ele literalmente se deitou em cima de mim e ficou me olhando nos olhos, senti novamente seu fucinho para meu pescoço me cheirando mais uma vez.
meu corpo estava todo dolorido e estava começando a ficar dormente. sentia que minha visão ia se fechando aos poucos.
porém antes de feicha- los completamente pude ver novamente o belo homem de mais cedo. Me olhava profundamente, então me entreguei no abismo de seus olhos.



Seria ele meu anjo da morte?
 


Notas Finais


Desde já queria me desculpar pela minha demora. Eu estive bastante ocupada esses dias então não teve como atualizar a fic.
Eu estou muito animada, pq finalmente o Sasuke e a Sakura se encontraram. Estou muito ansiosa com o desenrolar que a fic vai ter. Já vou avisando que o romance deles vão demora um pouquinho, então peço a paciência de vcs meus caros leitores 🥰

Até o próximo cap😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...