1. Spirit Fanfics >
  2. Álcool Gel (Jikook) >
  3. O Papel

História Álcool Gel (Jikook) - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - O Papel


Fanfic / Fanfiction Álcool Gel (Jikook) - Capítulo 3 - O Papel

No dia seguinte...

Jungkook acordou cedo o suficiente para limpar a casa e ir ao trabalho. Este passou umas duas horas só passando pano pela casa e trocando os lençóis e cortinas, fora que aspirou o sofá, as paredes, o tapete, a cama e tudo mais que julgava ter poeira.

-Eu termino na volta.-disse para si mesmo limpando o suor da testa e correndo o mais rápido possível para o banheiro onde passou uma hora se entupindo de sabão e xampu.

Quando estava no meio do nó da gravata, ouviu seu celular apitar do seu lado e foi ver quem era. Era Jaemin.

-Pff, ele pode esperar.-disse e se concentrou em sua gravata novamente, mas seu celular não parava de apitar, então, irritado, pega um lenço e coloca uma gota de álcool em gel e espalha por seu telefone e suas mãos, e então, vê as mensagens.

11 mensagens não lidas—

Jae: Jungkook.

Jae: J U N G K O O K.

Jae:J

Jae:U

Jae:N

Jae:G

Jae:K

Jae:O

Jae:O

Jae:K

Jae:.

Jk:O que é?!

Jae:Me ajuda.

Jae:Eu tô rachando aqui. (≧▽≦)

Jk: Tchau.

Jae: NÃO.

Jae:Espera, é sério, olha isso:

Jk:O quê?

Jae:Calma que tá enviando, pô.

Jae:

*mídia do Twitter do Jimin*


Jae:Eu não acredito que tu fez isso 

ಡ ͜ ʖ ಡ

Jk:Meu Deus, vá a merda Jaemin.

Jae:Ixi, bom dia para você também, credo. ಠ_ʖಠ

Jungkook terminou o nó em sua gravata pensando se entregou o álcool em gel certo a ele, pois apenas um estava reservado com um certo papel enumerado.

Ele pegou a mala e saiu de casa  para o trabalho, mas ao dar o primeiro passo dentro do escritório já foi abordado por Jaemin batendo palminhas e rindo ao seu lado.

-O que foi?-perguntou sem ânimo algum, só queria trabalhar em paz, afinal, para mexer com números ele tinha que estar com a cabeça fresca.

-Você conseguiu se socializar! Parabéns.-disse o acompanhando até sua mesa, já que se sentava na mesa a frente.

Jungkook suspira tentando ignorar tudo isso e logo retira o plástico de cima de seu teclado, era necessário para não entrar poeira por entre as teclas, já que só de ver um pontinho de poeira ele se sentia obrigado a limpa-lo, pois depois de visto ele não conseguia mais focar em outra coisa.

Ele tem um pote grande de álcool em gel — este que não divide com ninguém por ter sido caro — em cima de sua mesa então pega um lenço, em sua caixinha perto do monitor, e juntamente com um pouco de álcool em gel limpa seu teclado e seu mouse.

Após a limpeza, ele limpa a mão com o álcool e pega seus papéis plastificados dentro de sua gaveta devidamente limpa.

Tinha algumas coisas, pequenas coisas, pela qual ele não tinha nojo algum de pegar por se forçar a imaginar, isso desde pequeno, que se ele limpou então está limpo.

Ele analisa a papelada enquanto seu monitor inicia.

Jungkook sempre fora bom com números e amava a matemática pelo fato de que sempre haverá um só resultado. Era uma facilidade incrível que ele tinha, mas, infelizmente, ele parou de ir a escola no meio do primeiro ano do ensino médio, o ano em que sua simples mania se tornou uma obsessão. Não indo para a escola, ele ouvia videoaulas enquanto limpava a casa. Seus pais, como sempre, nunca deram muita importância a isso, afinal, mal conheciam o próprio filho, mas quando estes perceberam que o garoto estava ficando nervoso, agressivo, paranóico e se isolando de tudo para viver apenas em função de sua mania, eles não tiveram escolha se não o tirar da escola, afinal, Jungkook dera um chute na cara de um garoto apenas por ele ter o tocado.

Enquanto ele digitava códigos, ouvia, ao seu lado, a Jennie conversando com o Jackson.

-Então, eu te disse, olha como ele olha para ele!-sussurrou Jennie para Jackson-Certeza que eles estão tendo algo.

Jackson estreita os olhos na direção do chefe falando com Hoseok e percebe que ambos sorriam meio sem jeito.

-Menina, eu não acredito!-disse colocando a mão na boca invocado com a cena.

-Eu disse. Eles estão tendo alguma coisa e isto é fato.-disse, mas com sua empolgação, bateu na mesa e o barulho fez o chefe direcionar a atenção para si.

-Vish, vou fingir que não sei de nada.-disse Jackson, discretamente, se voltando para seu monitor.

A cada passo que o chefe dava, a garota sentia um arrepio que começava pela nuca e terminava no final das costa, portanto, quando o chefe parou ao seu lado, ela engoliu em seco.

O soberano pós uma mão no braço da cadeira de Jungkook e outra na mesa de Jennie, assim, encarando com olhos inexpressivos o semblante assustado da garota.

-Senhorita Kim.-disse sério-O que você...-è interrompido ao sentir a ponta dos dedos de Jungkook retirando sua mão do braço da cadeira e o olha confuso, mas, ainda assim, ameaçador.

Ao sentir o peso olhar do chefe cair sobre si, ele apenas sorri apreensivo e solta a mão do mesmo se levantando logo em seguida.

-C-com licença.-disse rápido se curvando e indo direto para o banheiro lavar o máximo que pode as mãos.

Ignorando o garoto, ele volta sua atenção a Jennie, esta que aproveitou a distração para pensar numa resposta fácil.

-Enfim-retomou a sua bronca formada-O que você estava fazendo?!

-Bem, eu estava trabalhando, né? Aí vi um inseto e bati nele.-disse tentando soar convencível.

-E onde está esse inseto? Sua mesa está limpa, senhorita. Não tem nenhum inseto esmagado.

-Oh, que pena, parece que errei a mira.-disse e Jackson segura o riso o máximo que pode.

-Yoon... Digo, s-senhor!-chamou Hoseok do outro lado da sala surpreendendo a todos os que o ouviram.

O chefe engole em seco e retoma sua postura.

-Na próxima vez, deixe o inseto em paz e vá cumprir seu trabalho.-diz e vai até Hoseok.

-Uau, o que foi isso?-perguntou Jackson olhando o chefe e Hoseok conversando.

-È o amor, Jackson, mas tenho certeza de que não está no ar porque se estivesse eu não estria aqui agora.-disse se voltando para seu trabalho.

-Ah, que triste amiga.-disse também se voltando novamente para seu trabalho.

Enquanto isso, Jungkook lavava freneticamente as mãos, ele já havia perdido essa mania de lavar muito as mãos após se ferir, mas não resistiu após imaginar as bactérias que passaram para suas mãos através das do chefe, que com certeza também tinha as bactérias de Hoseok. Ao terminar, seus dedos estavam enrugados e suas mãos ardiam, mas ele apenas enxugou com papel e voltou a sua mesa onde colocou um pouco de álcool gel em suas mãos e voltara a fazer as contas.

-Jungkook, olha essa papelada para m...-Jae não conclui a fala e fica olhando para as mãos do mais velho.

-Diga, Jaemin, estou te ouvindo.-disse sem tirar a atenção de sua tela, mas ao perceber o silêncio do mais novo se vira.-O que foi?

-Você não pode fazer isso com a sua mão seu cookie mofado! Porque não usou seu álcool em gel? Sabia que isso te faz mal?-disparou preocupado, mas Jungkook apenas força um sorriso.

-Tudo bem, Jae. Não há nada de errado com isso.-disse e Jae bufa.

-"Nada de errado". Eu só não te encho de porrada porque estamos no trabalho!-disse fazendo gestos exagerados e Jungkook apenas suspira.

-O que você quer, Jae?-pergunta tentando manter a calma.

-Ah, queria que resolvesse esses números aqui para mim, eu meio que me perdi no meio da conta.-diz e estende o papel para Jungkook, este que pega um lenço para o tocar e examina a conta.

-Uh, não é tão complicado, olha.-disse e começou a explicar para Jae.

Enquanto isso, na casa de Jimin, o mesmo estava largado no sofá segurando um pedaço rosa de papel que achara dobrado e colado no fundo da embalagem do álcool em gel que recebera de Jungkook.

Será que ele deveria ligar para o número?

Ou apenas adicionar aos contatos?

Por via das dúvidas, Jimin pega o celular do bolso e salva o número.

Apreensivo, ele pensa se deveria mandar alguma mensagem, mas se fosse, o que diria?

Teria que começar com um jeito significativo, mas talvez só um "oi" já seja o suficiente.

Jm: Olá, Jungkook.

E agora? Ele deveria esperar? Ou já ir puxando um assunto e quando o outro visualizar responder?

Ele prefere a opção 2.

Jm: Obrigado pelo álcool em gel, onde você comprou?

-Meu Deus, eu sou muito idiota.-se lamenta e desliga o aparelho restando-lhe agora apenas fechar os olhos e tentar dormir com a brisa da manhã que invadia a casa pela janela e refrescava, de alguma forma, seus pensamentos um tanto turbulentos.



Notas Finais


Oioi gente, tudo bem?

Bom, eu acho que vou trabalhar mais o TOC do Jungkook, afinal, não pode se passar despercebido. É uma coisa séria então preciso pesquisar bem sobre, portanto, acho que os próximos capítulos demorarão um pouco de sair (acho)  já que vou elaborar mais essa história, e talvez sejam até maiores, então se demorar de atualizar vocês já sabem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...