História Aleatoridades de Outro Mundo - Interativa - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Comedia, Interativa, Sci-fi
Visualizações 29
Palavras 2.215
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela, Sci-Fi
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Rapaz tá um frio danado.
Pelo menos foi bom escrever tomando chocolate quente.
Espero que gostem e boa leitura sz

Capítulo 5 - Outro Alien Para Atrapalhar Tudo...


Aquele povo andando pela rua só atraia olhares, e o pior, parece que eles nunca tinham visto as coisas na rua:

- Ei, o que é isso? – Haru pergunta, apontando para um poste.

- Um poste. – Ken diz.

- E isso? – Mirai pergunta, apontando para uma tampa de bueiro.

- Porta da minha casa. – Yukata diz.

- SÉRIO? QUERO VER COMO ELA É! – Mirai puxa a tampa e pula lá dentro.

- Olha aí o que você fez. – Aki diz.

- Eu não pensei que ela fosse tão idiota a esse nível!

- Por que estamos aqui mesmo? – Zoe pergunta.

- Ah, para beber! – Itashi diz. – E comer.

- Vocês tem idade pra isso? – Priscilla pergunta.

- E precisa? – Itashi pergunta.

- Claro, na terra só podem beber se tiverem mais de dezoito anos. – Sanata responde.

- E quem liga pra isso mano?

- Eles. – Sanata aponta para dois policiais que estavam atrás de Itashi. Ele se vira rapidamente.

- AH É? VAMOS VER O QUE ELES FAZEM COM ISSO! – Itashi prepara um soco, porém é impedido pelos humanos.

- FAZ ISSO E EU TE DEIXO DUZENTOS DIAS SEM COMIDA! – Ken grita.

E assim eles foram passando o dia.

Sim, o Yukata foi atrás da Mirai.

Demorou mas eles chegaram no grupo, que se encontrava na praça principal da cidade.

-O que tem aqui hoje? – Yukata pergunta.

- Show daquela banda que eu não sei. – Aki aponta para o palco. Aquela praça sempre recebia shows de bandas pouco famosas e as vezes famosas, porém todos os shows tinham um bom público.

- Cadê as bebidas porra? Eu vim aqui pra beber. – Itashi diz.

- É, eu estou com sede... – Shoujo diz...

- Ah... Eu vou comprar... – Yukata diz.

- Toma aqui. – Timi entrega uma bolsa para Yukata.

- O que diabos tem aqui?

- Trezentos mil reais. Apenas não me pergunte como eu consegui, eu apenas consegui.

- T-tudo bem... – Yukata coloca a bolsa nas costas.

- Eu vou com você. – Mei se aproxima. – Quero saber todos os tipos de bebida que tem por essas terras!

- Certo... Ei galera que não tem poder, fica de olho nesses idiotas por favor?

- Deixa comigo! – Ken diz.

Yukata e Mei vão para uma lanchonete próxima a praça.

- Bem, logicamente que aqui não terão todas as bebidas do planeta, mas terão algumas.

- Tanto faz!

- Ei consagrado, comparece aqui. – Yukata chama o atendente. – Me vê dois milk-shakes, por favor?

- A única coisa que eu bebi até hoje foi café e água! – Ela diz, coçando a nuca.

- Continue assim, as bebidas desse mundo só fazem mal... Algumas na verdade.

- Por exemplo?

- Tem bebidas alcoólicas, bebidas industrializadas, essas fazem mal para nós.

- Milk-shake é industrializado?

- Nah, mas mal. Estranho é que todas as coisas que fazem mal para a saúde são boas de gosto...

- Vai saber né...

Não demora muito para que as duas bebidas cheguem.

- Obrigado! – Mei é a primeira a beber. – Y-yukata...

- Hm?

- Isso é... isso é uma delícia!

- É bom mesmo. – Yukata coloca o canudo na boca e olha para fora. De trás do palco do show, uma criatura grande surgia. Era um polvo, bem, não um polvo mesmo, mas tinha vários tentáculos e parecia com um polvo. – Mas o que...

- Eu poderia tomar um milhão desses!

- É...

- Isso é quase melhor que café!

- Sim... Mei, eu volto logo. – Yukata se levanta do banco e...

- Ei amigo, vai sair sem pagar? – O atendente chama por Yukata.

- A-ah... – Ele deixa o copo de milk-shake no balcão, tira a bolsa das costas, coloca-a no banco e começa a procurar. – Quanto fica amigo?

 - Espera Yukata! Moço, pode fazer mais cinquenta desse para a viagem?

- C-cinquenta?

- M-mei, não!

- Ah Yukata, nós temos dinheiro de sobra! – Ela sorri.

- A-ah... Faz lá amigão.

- Mas vai demorar! E preciso que esperem.

- Nós esperamos!

- Mei, eu preciso... eu preciso falar com o Timi, parece que a bolsa que ele me deu tem uns problemas!

- Mas...

- Será que pode ficar aqui e cuidar da bolsa? Eu volto rápido!

- A-ah... mas... – Yukata segura as mãos de Mei.

- Por favor...

- C-certo... mas volte logo!

- Obrigado! – Yukata sai da lanchonete. Aquela coisa era grande mesmo, não do tamanho da nave mas era grande. O garoto corre para a praça, logo encontrando Nina. – Ei, que porra é essa?

- Um alien!

- Eu sei, mas o que é?

- Um alien ué!

- EU SEI, EU QUERO SABER O QUE É!

- Um alien z, parece que ele veio daquela nave que caiu a alguns dias!

- Pera aí... – Yukata olha na direção da criatura. Em alguns tentáculos estavam mulheres... – PUTA QUE ME PARIU!

- O que foi?

- Eu já vi isso em alguns hent... digo, eu já vi isso antes! Nina, precisamos matar aquela criatura antes que ela inicie um ataque em massa de perversão!

- Como?

- Sabe onde estão os outros?

- Não, todo mundo foi se separando!

- Merda... Nina, eu preciso que você faça com que aquela criatura solte todas as mulheres que está segurando.

- Eu vou tentar! – Nina dá alguns passos para frente, ficando de frente com a criatura.

Yukata pega o celular e rapidamente procura pelo número de Ken:

- Atende... – Nina voa na direção da criatura.

- Yukata?

- Onde cê tá?

- Cara, o grupo se separou! Mas eu estou mais a direita, assistindo pelo outro lado da rua!

- Tudo bem, logo te encontro aí. – Yukata desliga e guarda o celular. – Hentais de tentáculos salvando vidas... – Yukata corre.

- Certo, nós temos que montar uma boa estratégia para derrubar aquela criatura. – Timi diz.

- Algo como um laser super hiper potente? – Mirai pergunta.

- Quase.

- Eu acho que nós podemos simplesmente desistir e ir para a casa? – Verne pergunta.

- É uma boa ideia também.

- Ei, ali tem um restaurante, que tal irmos comer ali? – Timi aponta para o restaurante.

- Super apoio! – E assim os três vão para o restaurante.

- Por que ele só está capturando garotas? – Aki pergunta.

- Vai ver ele é um alien taradão. – Shoujo responde.

- Você veio do planeta tarado, acho que você é um.

- Planeta tarado? De onde tirou isso?

- Você que disse uai.

- Eu não vim do planeta tarado, eu vim do planeta H.E.N.T.A.I.

- E qual é a diferença?

- Verdade, não tem.

- Você é mesmo muito inteligente Sanata-chan, olha como você movimenta as peças!

- Priscilla, eu só mexi um pião, será que poderia parar com isso?

Essas garotas estavam jogando xadrez no meio de um ataque alienígena , incrível...

- Quantas pessoas tem? – Yukata pergunta.

- Eu encontrei só a Hinata, o Haru e o Itashi!

- Aquela é a Nina? – Haru pergunta.

- Sim, e ela precisa de ajuda! Será que vocês podem?

- Claro! Subam nas minhas costas! – Itashi diz. Haru sobe nas costas dele. - DESCE DESCE DESCE!!

- E-eu vou a pé... – Hinata diz.

- E LÁ VAMOS NÓS! – Itashi sai correndo e Hinata vai atrás dele.

- Por que você está tão preocupado assim? – Ken pergunta.

- Ken, você sabe o que as criaturas de tentáculos fazem com as mocinhas em hentais?

- Oh não...

-OH SIM! É por isso que aquela coisa só está pegando as mulheres!

- Então nós estamos impedindo o nascimento de pequenos aliens?

- ISSO!

- Eu posso matar ele. – Zoe aparece ao lado de Yukata.

- O que está esperando então?

- Minha vontade aparecer.

- Ah sim... PUTA VIDA! Ei Ken, eu volto já. Zoe... vai logo ajudar eles!

- Deixa pra depois. – Yukata sai correndo, atravessa a praça correndo e entra na lanchonete.

- Yukata, você demorou!

- Mei... você bebeu cinquenta copos de milk-shake sozinha?

- Isso é uma delícia... eu não pude resistir...

- E não vai poder resistir quando a vontade de ir no banheiro chegar a todo vapor...

- São dez mil. – O atendente diz.

- TOMA TUDO! – Yukata entrega a bolsa toda para o atendente e puxa o braço de Mei. – Vamos Mei!

- E-eu preciso ir no banheiro antes!

- Ei amigo, o ban...

- Está quebrado.

- Ótimo... Mei, quanto tempo dá pra segurar?

- U-uns minutos...

- Ok, vamos procurar outro lugar. – Os dois vão. Yukata encara a criatura enquanto percebe que Nina batalhava diretamente com ela. – Ela conseguiu tirar quase todas!

- Q-que?

- N-nada! Olha, logo aqui tem um restaurante! – Yukata entra. – O banheiro... Ali! – Os dois vão passando pelas mesas. – Pode ir, eu te espero! – Mei entra no banheiro.

O restaurante estava cheio. O povo não percebeu que tem um alien destruindo tudo lá fora não?

- Pera aí... – Yukata se aproxima de uma mesa e dá um tapa nela. – PORRA EIN!

- Yukata? – Mirai pergunta.

- TEM UM EXTRATERRESTRE QUASE FUDENDO A CIDADE AÍ FORA E VOCÊS VEM COMER?

- A fome é quem manda amigo. – Verne diz.

Logo, as pessoas que estavam no restaurante começam a sair correndo.

- ESPEREM ESPEREM! – O atendente grita.

- Será que podem ajudar a derrubar aquela coisa?

- Deixa só a gente...

- NÃÃÃÃÃÃO!

- EI! – O atendente puxa Yukata pelo braço. – VOCÊ EXPULSOU OS CLIENTES!

- FODA SE!

- FODA SE É? – Ele acerta um soco em Yukata. – VAI SER SÓ AGORA!

- Devemos ajudar? – Timi pergunta.

- Sim, vamos colocar lenha na fogueira, vai que ajuda né? BRIGA, BRIGA, BRIGA!! – Mirai grita.

- EU OUVI BRIGA? – Sanata chega correndo. – IH, VAI YUKATA, MOSTRA PRA ESSE CARA COMO SE BRIGA!

Na verdade o cara lutava alguma coisa, porque ele tava dando uma surra no Yukata.

Mas estava sendo uma surra mesmo...

- Ah, estou aliviada... – Mei sai do banheiro. – Yukata?

- E eu que pensava que as brigas de humanos eram chatas! – Mirai diz.

- São as melhores, vocês tem que assistir os programas que passam sobre isso, são incríveis!

Mei se aproxima do atendente e puxa ele, assoprando em seus olhos. Não demora muito para que os olhos azuis dele ficassem esbugalhados.

- Vai pro banheiro enfiar a cabeça na privada vai.

- Sim... mestra... – E o atendente sai lentamente.

- Uf... – Yukata se levanta e arruma sua roupa. – Eu bati nele né?

- Deu um soco e levou uns... setecentos. – Sanata diz.

- Nada mal para um iniciante em brigas... Obrigado, Mei!

- De nada! – Ela sorri.

- Será que vocês podem ir ajudar agora?

- Desculpa, nosso pedido tá chegando. – Timi diz.

- Posso comer com vocês? – Sanata pergunta.

- E eu? – Mei também.

- Claro! – Mirai diz.

- Ótimo... – Yukata sai correndo do restaurante. – Eu só espero que eles... – Ele para ao ver aquela criatura gigante caindo na sua direção. – Ei pessoa que tá escrevendo... EI!

QUE FOI?

- É ASSIM QUE VOCÊ ME AMA É? ME MATANDO?

NÃO FUI EU! ELE QUE TÁ CAINDO NA SUA DIREÇÃO!

- NÃO CAI NÃO CAI NÃO CAI NÃO CAI! – Yukata protege o rosto...

 

.

.

.

Ele abre lentamente os olhos.

- Foi mal, acho que demorei um pouquinho! – Mei segurava uma barreira na frente de Yukata.

- Mei!

- Você tá legal?

- Sim, obrigado.

- Não se preocupe!

Zoe se aproxima, pega um tentáculo da criatura, começa a girar e joga a mesma longe. Mei remove a barreira.

Tudo ali estava bem, nenhuma pessoa se machucou, só a criatura mesmo.

No dia seguinte...

- Era só o que faltava... – Ken diz, encarando o polvo.

Aquela mesma criatura que atrapalhou a noite dos nossos heróis.

Aquela mesma criatura estava em cima da escola.

Zoe jogou ela em cima da escola!

- Como não quebrou? – Yukata pergunta.

- Vai saber...

E assim eles entram na escola e vão diretamente para a sala. Todos já estavam lá.

- Desculpe o atraso.

- Sem problemas. – James sorri. – Alunos, vocês sabem algo sobre essa criatura no telhado da escola?

- Sim! Segundo o Yukata ela queria engravidar todas as mulheres da cidade. – Shoujo diz.

- DESDE QUANDO EU DISSE ISSO?

- Você disse cara!

- OLHA AQUI SHOUJO EU VOU FALAR PRA SUA MÃE QUE VOCÊ ANDA CONTANDO MENTIRAS POR AÍ!

- Ele disse isso para mim também. – Nina diz.

- EU PENSEI QUE FOSSEMOS AMIGOS!

- Yukata... Não são todos os aliens que são assim... – James diz. – É por isso que hoje eu trouxe aliens z para o nosso treinamento especial!

E assim toda a classe vai para a pista de atletismo, mas não era para correr.

Era pra matar aliens z.

-IIIIIIIIIAAAAAAAAAAAAA! – Itashi destrói o alien z com um soco. Destrói mesmo, ele explodiu.

- Muito bem Itashi, nota 10

- É ISSO AÍ!

- Sua vez, Ken.

Ken se aproxima do alien z que estava imóvel graças a um poder de James.

Ele acerta um soco no alien, que continua ali.

- Parabéns Ken, nota 2.

- VOCÊ ME DIZ PARABÉNS E DÁ NOTA 2?

- Desculpe! – James sorri.

- Pessoal? – Shoujo chama pelos outros. – Acho que temos outro problema aqui...

É, o problema era dos difíceis.

Aquele polvo levantou.

Essa coisa não morre?

Enfim, o resto vai ficar pro próximo capítulo.

Só espero que ele não mate ninguém até lá...

 


Notas Finais


É isto.
Espero que tenham gostado meus amores sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...