História Além da Distância - Capítulo 6


Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Karin, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Personagens Originais, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, TenTen Mitsashi
Tags Amantes Da 7ª Arte, Canadá, Intrusa, Japao, Karinlima, Laruchiha, Namoro A Distancia, Naruto, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Sasusaku, Senhor Arrogante, Series, Tatynamikaze
Visualizações 795
Palavras 2.637
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Voltamos sim com mais um capítulo de ADD. Como vocês estão? Desanimados? OBrasil foi desclassificado e o hexa não veio. Infelizmente! Oremos para que venha em 2022. Mas para alegrar a vida de vocês mais um capítulo cheio de tretas...
Esperamos animar seus corações. Amanhã tenho um seminário. Pensa a timidez, já estou ansiosa me desejem sorte. Por favor!
Vai Croácia!!!
Boa leitura...
Laru❤

Capítulo 6 - 1x06 - Run, Sasuke, Run!


Fanfic / Fanfiction Além da Distância - Capítulo 6 - 1x06 - Run, Sasuke, Run!

Além da Distância


1x06 - Run, Sasuke, Run!



Sasuke ficou pensando nas palavras de Karin a tarde toda enquanto fitava o teto com o semblante sério.

Ele não queria pedir ajuda à Sakura, era orgulhoso demais, e Neji muito menos o faria, depois da conversa no grupo.

Mas eles tinham um trabalho para fazer e quanto mais completo melhor.

O senhor James era um dos professores mais severos do Ottawa Elite School. Nos últimos dois anos, embora geografia fosse uma de suas matérias preferidas, Sasuke quase repetiu de ano por causa dele, tudo por causa dos trabalhos que o professor passava, os quais ninguém nunca tirava 100% da nota, e as provas nem se fala, ficar na média era muito, então, ele não podia bobear.

O Uchiha precisava garantir nota, sem contar que era seu último ano, precisava de um bom boletim para garantir vaga na faculdade.

Respirando fundo e pisando em seu orgulho, algo que ele detestava com todas as suas forças ter que fazer, ele abriu o contato da intrusa. Sasuke hesitou por um instante, fitando o ícone do contato, onde Sakura usava um gorro preto e tampava a parte inferior do rosto com a manga da blusa, deixando apenas os olhos verdes e a testa à vista enquanto seus cabelos cor-de-rosa contornavam a face.

Era uma foto diferente, no dia em que conversaram — se é que aquela discussão podia ser chamada de conversa —, não era esse o perfil do contato, era outra foto, uma de todo o rosto, Sasuke observou imediatamente, porém logo deu de ombros, aquilo não importava no fim das contas.

Ficou algum tempo olhando a imagem de Sakura, criando coragem para falar alguma coisa e, por fim, digitou uma única palavra.


Sasuke: Sakura.


E aguardou, mas não obteve resposta imediata, Sakura nem mesmo visualizou. O Uchiha bufou, arrependido de ter mandado a mensagem, porém logo lembrou-se de que havia diferença de fuso horário entre os dois países. Quatorze horas para ser exato.

Respirou fundo, talvez ela estivesse na sala de aula e não pudesse atendê-lo.


E, realmente, Sakura estava em aula. Mais especificamente, fazendo uma prova de matemática.

Seu celular ficou desligado a manhã toda, ela nem mesmo deu-lhe atenção, visto que precisava se focar nos estudos.

— Estou exausta! — Ino reclamou, largada na cadeira em frente a sua mesa.

O professor havia acabado de sair da sala, dando por encerrada a aula de química que ocorreu no horário seguinte à prova, e alguns alunos já começavam a deixá-la também, ansiosos para irem às suas respectivas casas.

— Também. — Sakura concordou, suspirando. — Essa prova de matemática no terceiro horário e mais dois de química depois me deixaram esgotada.

— Com certeza. — Gaara também concordou, levantando-se da carteira e jogando a mochila sobre os ombros. — Eu só quero minha cama. — suspirou, cansado.

— Vamos logo para casa então, não aguento mais ficar aqui. — Ino levantou-se imediatamente, e os três seguiram para fora do prédio de aulas. — Finalmente livres da Kamakura Gakkō! — a loira levantou as mãos em comemoração, aliviada por estar na calçada e longe daquelas salas de aula.

Sakura deu uma risada.

— Estamos no meio do ano, Ino, não de férias. E hoje ainda é terça-feira. — riu um pouco mais com a feição cansada e desanimada da amiga.

— Poxa, Sakura gosta de acabar com a alegria dos outros. — resmungou, emburrada, o que só fez a amiga rir mais.

— Mas como é dramática. — Sakura zombou, ajeitando a mochila em um dos ombros. — Bom, vou indo para casa, nos vemos amanhã.

Acenou em despedida para o casal, que acenou de volta no mesmo instante. Em seguida, ela começou a caminhar pelas calçadas vazias até sua casa, que não ficava muito longe dali.

Foram poucos minutos de caminhada até a residência. Quando entrou, Sakura seguiu imediatamente para a cozinha.

— Tadaima! — falou para a mãe, indicando que estava de volta e, imediatamente, a face de Mebuki surgiu no vão que dividia a cozinha e a sala.

— Que bom que chegou, filha, acabei de preparar Sukiyaki. — comentou, animada, e a menina aproximou-se do fogão, onde sentia perfeitamente o cheiro do ensopado que dona Mebuki preparara.

— Hmmm... Parece que está delicioso. — Sakura disse, sorrindo. — Só vou deixar minha mochila no quarto, lavar as mãos e volto.

Depois de ver a mãe assentir balançando a cabeça, Sakura subiu para o segundo andar da casa, onde demorou poucos minutos. Ao retornar, realizou a refeição com calma ao lado de Mebuki, que lhe ouviu reclamar sobre a prova e o dia cansativo de aula.

Ora ou outra, a mais velha dava risada do desespero da filha, que, em resposta, formava um bico emburrado nos lábios, o qual fazia a mulher rir ainda mais.

Foram poucos minutos no andar de baixo, pois logo Mebuki precisou ir até o mercado, e Sakura, para o andar de cima. Ela pretendia estudar, mas o celular jogado sobre o criado mudo lhe atraiu, então a Haruno pegou o aparelho, constatando que o mesmo ainda estava desligado e, imediatamente, tratou de ligar.

E foi só a tela acender que o celular começou a apitar, indicando mensagens no grupo de sua sala de aula, muitas por sinal, provavelmente, debatendo sobre a prova da manhã. Sakura estava quase ignorando o aplicativo, tudo que ela menos queria era falar de matemática naquele momento, entretanto, uma mensagem lhe chamou atenção.

Havia o número um em verde logo em cima do contato do denominado senhor arrogante, vulgo Sasuke Uchiha. A Haruno estreitou os olhos e deu um sorriso debochado antes de abrir a mensagem que não havia nada mais que seu nome digitado e começou a escrever:


Sakura: O senhor arrogante me dirigindo a palavra?


Sakura: Não foi você mesmo quem disse que era para eu fingir que você não existia?


Mandou sem nem pensar.

Mas, afinal, por que ele estava lhe enviando uma mensagem?

Depois de mandar, ela questionou-se. Sasuke não mandaria à toa, era orgulhoso demais para isso.


Sasuke: Esquece.


Ele respondeu apenas isso, bufando do outro lado da linha. Esperou horas para receber uma resposta dessa? Que raiva!

Quem essa garota pensava que era?

Péssima ideia cogitar a possibilidade de pedir ajuda à intrusa ignorante e mal educada.

Enquanto Sasuke bufava de raiva, Sakura olhava para a tela, agora, meio arrependida. Talvez, tivesse exagerado e ele possuísse um motivo para mandar-lhe aquela mensagem.

A culpa estava lhe consumindo de novo…

Droga de coração mole.


Sakura: Foi mal, hoje não tive um bom dia.


Mandou a mensagem e pôs-se a digitar novamente.


Sakura: Mas, voltando, por que me mandou mensagem?


Sasuke: Deixa pra lá.


Sakura revirou os olhos ao olhar para a tela.


Sakura: Fala logo.


Sasuke respirou fundo do outro lado da linha, tentando controlar a raiva. Ele precisava dela no fim das contas, não podia perder o controle. Sakura era a única que podia lhe ajudar a conseguir uma melhor nota no trabalho, embora seu orgulho tentasse lhe convencer de que, talvez, recuperação fosse melhor do que fazer isso.

Respirou fundo, colocando-se a digitar mesmo a contragosto.


Sasuke: Eu preciso de um... serviço seu.


Odiava admitir que precisava de ajuda, seja de quem fosse, mas a da intrusa com certeza era pior.

— Vai valer a pena, Sasuke, vai valer… — murmurou para si mesmo enquanto aguardava uma resposta dela.

Só esperava que valesse a pena mesmo, seu orgulho estava em jogo ali.


Sakura: Um serviço? Vai me pagar para que eu mate alguém?


Sasuke: Não.


Sakura: Que pena… Mas que “serviço” é esse?


Sasuke: Tsc, é uma ajuda.


Sakura: Hum… Pra você estar me pedindo, deve ser algo muito importante mesmo.


Mandou um emoji de riso no fim da frase, e Sasuke teve que se controlar para não voltar atrás naquilo. Essa garota tinha o dom de deixá-lo mais irritado que o normal.


Sakura: Mas diga, o que precisa, senhor arrogante?


Esse apelido era uma merda. Sasuke bufou e digitou novamente, mesmo a contragosto.


Sasuke: Trabalho de escola sobre o Japão.


Sakura: Existe internet, sabia?


Certo, agora ela lhe tirou do sério.

Qual o problema dessa garota? Geralmente, as meninas não o tratavam assim, pelo contrário, ele fazia um certo sucesso com elas, embora detestasse esse tipo de atenção e desvencilhasse de qualquer investida de algumas delas.

Ele não era muito de relacionar-se com as garotas, apenas vez ou outra. Detestava gente no seu pé.


Sasuke: Eu não queria estar aqui, ok? Só que eu precisava da sua ajuda.


Sasuke: Quer saber? Esquece. Não preciso de você.


Bufou.

Maldita hora que havia decidido passar por cima de seu orgulho para falar com ela, devia ter esquecido essa ideia idiota, isso sim.

Sakura mandou emojis de riso no instante seguinte, estava achando graça de irritar o senhor arrogante.


Sakura: Calma, Uchiha. Você é nervoso demais.


Deu uma risada, deitada na sua cama, apenas imaginando a face irritada do garoto do outro lado do mundo.


Sakura: Certo, parei.


Sakura: No que exatamente quer minha ajuda?


Sasuke: Já disse, esquece.


Sakura: Fala logo, Sasuke!


Sakura mandou uma última vez, não ia insistir se ele continuasse com essa atitude, tinha mais o que fazer.

Sasuke, por sua vez, já estava digitando um “não preciso de você, intrusa”, sua mão coçando para enviar, entretanto, mais uma vez, não deixou ser controlado pela raiva e pensou melhor no motivo que o levou até aquela discussão com a japonesa.

Precisava de nota. O boletim vinha em primeiro lugar.


Sasuke: Se fosse algo que pudesse tirar da internet, juro que não estaria aqui.


Sasuke Uchiha estava puto em ter que falar com ela, mas ele tinha um forte motivo, então optou por explicar a ela e tentar não perder a paciência.


Sakura: Eu já imaginava. Então me diz, qual o motivo?


Sasuke: O professor quer uma entrevista. E o relato do trabalho não pode ser retirado da internet.


Sasuke: Estou com Neji nessa. E ele não queria te pedir ajuda, nem eu na verdade, mas minha nota é mais importante, então tô aqui.


Sakura: Então… por que não pediu à Karin?


Sakura: Ou esqueceu que ela é japonesa?


O Uchiha, mais uma vez, se estressava com aquela intrusa, só tinha paciência com ela ainda porque realmente precisava da ajuda dela, senão já teria deixado isso de lado. Odiava admitir, mas sua nota dependia dela.

Já a Haruno, por sua vez, não havia gostado nada das respostas dele, por isso, decidiu não ser tão boazinha e aceitar numa boa a ajudá-lo.


Sasuke: Você acha realmente que, se a Karin tivesse topado, eu estaria te pedindo?


Essa havia sido a gota d’água.

O garoto arrogante precisava da ajuda dela e ainda lhe dava tiradas?

Sakura ficou muito brava mesmo, iria fazê-lo pagar.


Sakura: Grosso.


Enviou um emoji revirando os olhos.


Sakura: Pelo visto, vai ter que procurar outra pessoa no Japão, adeus.


Ela mandou a mensagem e bufou, jogada em sua cama.

— Mal educado! — falou sozinha, irritada.


Sasuke: Espera!


Sasuke: Não quis ser grosso.


Sakura respirou fundo três vezes e contou até dez, sua vontade era de ignorá-lo, mas ela não sabia fazer isso e havia acabado de pensar em uma ideia bem melhor de ferir ainda mais o ego de Sasuke Uchiha.

Sorriu diabólica enquanto digitava.


Sakura: Mas foi, eu não sou nenhum saco de pancadas, Sasuke.


Sakura: Tenha ao menos um pouco de educação ao falar comigo e, principalmente, ao me pedir alguma coisa.


Sasuke: Realmente não foi minha intenção. Só preciso saber se pode me ajudar com isso. Se você quiser, eu pago, se for o caso.


Sasuke: Eu realmente preciso ir bem nesse trabalho. E, fora a Karin, que não vai ter tempo de ajudar, eu só conheço você para fazer a entrevista.


Sakura: Certo… Ajudo.


Sasuke: Ótimo.


Sakura: Com uma condição


Sasuke estreitou os olhos ao ler a mensagem.

Sabia que tinha sido fácil demais para ser verdade.

Temia, de certa forma, a condição que ela iria impor, mas esperava que fosse algo simples, porque ele já estava estressado até o limite com toda essa história.


Aguardou pacientemente, ela havia saído por uns minutos para fazer sabe-se lá o que, porém logo apareceu, digitando novamente.


Sakura: Te ajudo com o trabalho se você falar no grupo que gosta de La casa de papel e que o professor é um gênio. Em áudio, para você depois não dizer que foi outra pessoa.


Sasuke quase jogou o celular na parede depois de ler.

Ah, ele realmente odiava essa garota.

Ela adorava trucidar seu orgulho.


Sasuke: Você só pode estar brincando…


Sakura: Não estou. É pegar ou largar.


Sakura: Você sabia que eu fiz um documentário sobre o meu país com meus colegas de classe? Eu até poderia ceder…


Inferno! Isso seria perfeito… Maldita.


Sasuke: Você está se divertindo com isso, não é?


Sakura: Sim. Muito.


Sasuke: Nunca que eu vou fazer isso…


Sakura: Você que sabe…


Sakura revirou os olhos ante a teimosia do garoto.

Ela pediu algo tão simples.

Confessava que fez de propósito. Queria fazê-lo baixar todo aquele ego e orgulho. Mas, aparentemente, era demais para alguém como ele.

Riu ao imaginar o tanto que ele iria ser zoado se mandasse o áudio e, internamente, desejava muito ver isso.

Talvez, ela devesse provocar mais um pouco.

Iria escrever mais uma coisa quando o celular vibrou, indicando uma nova mensagem.

Imaginou ser Sasuke, quem sabe, mudando de ideia, mas sorriu ao ver que, na verdade, era Karin.


Karin: Ei, feia.


Sakura: Só se for você, tô aqui.


Karin: Tudo bem por aí?


Sakura: Prova de matemática e dois horários de química, no mesmo dia, tá super bem..


Karin: Caraca, e eu pensando que estava na merda por causa de um trabalho enorme que tenho que fazer.


Sakura: Parece ruim também.


Karin: E é. É em dupla, e vou ter que fazer com Naruto, o que é o mesmo que fazer sozinha, já que ele é péssimo em geografia.


Sakura: Ele parece ser bem bagunceiro na hora de fazer trabalho.


Karin: Você nem imagina, geralmente ele e Sasuke saem na porrada sempre quando fazem trabalho juntos.


Karin: Falando nele, tem como dar uma forcinha em um trabalho que ele e o Neji têm para fazerem?


Karin: Eles precisam da sua ajuda, mas são orgulhosos demais para pedir.


Sakura riu, Karin nem imaginava o que estava acontecendo.


Sakura: Imagino que eles sejam orgulhosos mesmo.


Sakura: Tô sabendo desse trabalho já.


Sakura: Sasuke já veio falar comigo.


Karin: Sério?


Karin: Sasuke, hein... foi mais rápido que o Flash.


Karin: E você vai ajudar?


Sakura: Eu disse que ajudaria se ele fizesse uma coisa, mas ele recusou, então, acho que não vai rolar ajuda não.


Karin: E o que você pediu?


Karin: Nudes?


Sakura: Não, tá maluca? Eu não sou tarada igual a você não!


Karin: Você assiste Sense8, meu anjo, é tarada sim.


Sakura: Falou a pessoa que assiste Orange is The New Black…


Karin: Você é o demônio.


Sakura mandou vários emojis de riso em seguida.


Karin: Mas e aí? O que pediu pra ele fazer?


Sakura estava digitando quando o celular vibrou novamente e, dessa vez, era sim Sasuke.

Apagou tudo que havia escrito para a amiga e apenas digitou.


Sakura: Já volto, Sasuke está mandando mensagem aqui.


Karin: Acho que alguém mudou de idéia…


Sakura respondeu com um emoji de riso e fechou a conversa, abrindo, em seguida, a mensagem do Uchiha.


Sasuke: Tem que ser em áudio mesmo?


Sakura: Sim, em alto e bom som.


Sasuke: Tá, eu faço, mas só depois que você me mandar o documentário.


Sakura: Para você me enrolar? Não, quem está precisando é você, Uchiha.


Sasuke: Se eu falar e depois você se recusar a ajudar? Não vou cair nessa também.


Sakura: Você vai ter que correr esse risco.


Sakura estava se sentindo em uma grande negociação de drogas. Riu com os pensamentos.

Estava se divertindo muito.


Sasuke: Você é terrível, garota. Mas vai ser do seu jeito. Aceito.


Sakura: Então, negócio fechado. Aguardo ver a mensagem no grupo, depois disso, estou a disposição. Atente-se ao meu horário. Não vou ficar acordada na madrugada para te ajudar.


Sasuke: Tsc. Tá.


Sakura: Então até breve. E de nada.


Sakura teve que fazer uma pausa para gargalhar antes de voltar a conversar com a amiga.

Quem diria que seu dia ia ser tão interessante...


Sakura: Kaaaarinnnnn


Sakura: Adivinha quem engoliu o orgulho e está comendo na minha mão?


Karin: VOCÊ É MINHA ÍDOLA!!! Ele aceitou? Não acredito!


Sakura: Sim! Tô rindo muito aqui.


Karin: O que ele vai ter que fazer?


Sakura: Hum… mandar nudes…


Karin: Tá de sacanagem…


Sakura: Tô mesmo. Não é isso não.


A Haruno mandou emojis de riso.


Karin: Se fosse, eu iria querer também…


Sakura: Pervertida.


Karin: Conta aí.


Sakura: Não vou contar, você vai ver…


Notas Finais


Acho que todo mundo entendeu a referência do Flash kkk.
Bom... que tretas ein?
Quinta-feira tem mais.
Beijos Laru😙❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...