História Além da Realeza - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Adolescentes, Amizade, Conto De Fadas, Drama, Original, Palacio, Princesa, Principe, Rainha, Realeza, Rei, Romance
Visualizações 33
Palavras 652
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Boa leitura :3

Capítulo 3 - Cap 3.


Fanfic / Fanfiction Além da Realeza - Capítulo 3 - Cap 3.

Já era fim do dia. Eu tinha acabado de voltar do hospital infantil. Meu dia tinha sido estranhamente normal, tirando o fato de que Emma havia ficado louca com a novidade de que eu passaria um tempo no castelo. Além de me infernizar o dia inteiro para tentar tirar uma foto do Príncipe sem roupa. Aquela garota era a perversão em carne e osso.

Logo que cheguei em casa, fui arrumar minhas malas. Meu pai ainda não tinha chegado do museu, então eu estava literalmente sozinha. 

Peguei uma mala vermelha velha e fui colocando alguns shortinhos, regatas, calças e principalmente pijamas. Coloquei os meus tênis e sapatilhas, logo depois depositei alguns livros para passar o tempo e em uma bolsa separada coloquei meus produtos de higiene. 

Estava quase fechando o guarda roupa, quando uma peça me chamou atenção: era o vestido da minha mãe. A única peça que eu consegui ficar. Por puro impulso o pus dentro da mala, talvez eu precise dele. 

Fiquei sentada na cama um pouco perdida. Meus pensamentos viajaram para memórias antigas, memórias nas quais eu preferia esquecer. Tentei imaginar em como seria a minha estadia no palácio, o meu instinto curioso me fez procurar algumas coisas sobre a família real, mais precisamente sobre o príncipe Benjamim, futuro rei.

Não havia nenhuma notícia sobre qualquer relacionamento dele com outras garotas, alguns sites diziam que ele poderia ser gay. Vi algumas entrevistas que ele deu para os jornais e só assim pude ter uma ideia de como ele era. Em todas as entrevistas, ele aparentava ser reservado, não apresentava nervosismo e era “simpático” (o que parecia ser apenas educação), seu olhos eram sempre calmos e serenos e seu sorriso “era de partir corações”, como comentavam as repórteres. Não que eu discordasse, mas as vezes tinha a impressão de que seu sorriso não era verdadeiro. Resumindo, apenas um engomadinho aspirante a rei. 

Minha atenção foi tirada quando a porta do meu quarto foi aberta por meu pai. 

— Louise? Está bem?- ele perguntou com apenas a cabeça no meu quarto. 

— Estou sim, pai- sorri calmamente — Aconteceu algo? 

— Só queria ter certeza que você não estava revoltada.- ele finalmente entra no quarto — Está preparada para amanhã?

— Sinceramente? Não. Mas se é para a felicidade de todos e o bem geral da nação, eu vou.

Ele gargalhou e caminhou até mim, sentando- se ao meu lado.

— Obrigado por entender, Loulou.- ele passou as mãos em meu cabelo – Garanto que irá se divertir bastante naquele palácio.

— Não fale como se eu fosse uma criança, pai. Sei que terei que te ajudar.

— Que bom que você sabe disso.- seu rosto se iluminou — Separei algumas tarefas bem simples e que tenho certeza que você gostará. 

Arqueei as sobrancelhas, duvido muito que eu gostarei de fazer algo naquele lugar.

 — Eu sei, Loulou. Conheço muito bem esse olhar. Mas olha, o que você fará será bem simples. -ele puxou um papel do bolso e me entregou —Você trabalhará na biblioteca, aqui tem uma lista de nomes de alguns livros que o rei resolveu doar. Você só precisará separá-los para mim. 

Analisei o papel. Eram duas colunas com vários nomes, vice-versa. Parecia fácil, terminaria isso em algumas horas.

— E quando eu terminar com os livros, farei o que?

— Duvido muito que você termine de encontrar esses livros tão rápido. Demorará, no mínimo, uma semama.- ele comentou.

E de novo arqueei minhas sobrancelhas.

— Está duvidando da minha capacidade de encontrar livros, pai? Pois saiba que eu sou uma Sherlock Holmes no assunto.

Nós dois gargalhamos.

— Venha, vamos fazer o jantar. E dessa vez, trate de dormir cedo. Temos um longo dia pela frente amanhã.

Desci para a cozinha ao seu lado. E depois de destruir toda a casa tentando fazer molho de tomate, jantamos e fomos dormir.

Antes de dormir meu último pensamento foi do que me espera amanhã. E que de preferência seja algo melhor do que separar livros.





Notas Finais


Obrigada por ler :3 <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...