1. Spirit Fanfics >
  2. Além Das Muralhas. >
  3. Persista.

História Além Das Muralhas. - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Oiiiii, Demorei? eu acho que não.
Quero agradecer pelos comentários do ultimo capitulo, saber a opinião de vocês é o que me motiva a escrever mais rapido e a querer melhorar. Conto com vocês!
Espero que gostem, esse capitulo é mais calmo.

Capítulo 3 - Persista.


Hinata terminou de colocar o café da manhã sobre a mesa, orgulhosa do próprio trabalho.

Vendo as opções variadas considerou ter exagerado um pouco, afinal, somente 5 pessoas comeriam naquela manhã.

Expulsou as preocupações para longe com o tocar da campainha.

Planejara durante a madrugada dois ótimos dias para ter com o marido, portanto, não seria de nada promissor começar com preocupações desnecessárias.

Correu para abrir a porta e convidar sua antiga sensei para entrar.

- Obrigada por vir tão em cima da hora Kurenai-Sensei – Apontou para a mesa posta convidando-a para sentar-se.

- Não precisa me agradecer, sabe que adoro passar um tempo com Himawari.

Concordou com um aceno.

- Vou acordar as crianças, com licença – Subiu as escadas sentindo o cansaço físico lhe arrebatar. Se precisasse descrever, diria que recebera uma pancada forte na nuca, isso explicaria o corpo molenga e com efeitos retardativos.

Não dormira desde o treino com o filho, seu corpo além de cansado também se via dolorido, felizmente, a animação para o dia “surpresa” com o marido lhe tirava o sono. Suas expectativas eram como cafeína pura correndo por seu organismo.

Os dias serviriam para recobrar o amor do relacionamento. Reascender uma chama reduzida a faíscas.

Uma dúvida lhe corroía a alma e não deixava de ser crucial.

E se por um acaso não houvesse mais lenha para queimar? Se o fogo apagado fosse o sinal de algo sem concerto?

O que seria dela? O que seriam deles?

Não conseguiria viver em uma casa sem amor, não conseguiria sustentar um relacionamento sem amor, não mais.

Abriu a porta do quarto da filha com delicadeza, observando enquanto seguia até a cama o quanto ela já parecia mais velha. Ainda uma criança, mas até quando?

Balançou-a pelos ombros com calma até que os olhinhos azuis dessem as caras pela primeira vez no dia.

- Bom... dia mamãe – Cumprimentou a filha, em meio a um bocejo.

- Bom dia – Sorriu para si mesma. “Mamãe”. Isso aquecia seu peito sem muita explicação – Vá se arrumar, Tia Kurenai está esperando la embaixo, certo?

- Hai! – Riu da animação da pequena, esta que pulou da cama e correu para o banheiro do quarto com um sorriso de orelha à orelha.

Seguiu em direção ao quarto principal, pelo que notara ao caminhar pelo andar superior, Boruto não estava na casa.

O chackra dele não estava ali. Isso estimulava suas pequenas paranoias. Embora ele já fosse grande o suficiente para se proteger ou para sair de casa sem ter que se justificar, algo em si mesma teimava de que ainda deveria protege-lo, que deveria se preocupar.

Abriu a porta do quarto que dividia com o marido, indo na direção das cortinas primeiro.

O coração descompassou algumas batidas.

“Calma Hinata, é apenas seu marido”.
Abriu as cortinas com cuidado, como se fossem rasgar somente com seu toque.

As malas para os dois dias estavam prontas, não só as suas, mas as de Naruto também.

Tivera o cuidado de as fazer enquanto o Uzumaki enfrentava outro de seus sonos profundos. Encheu os objetos de roupas, produtos de higiene diária e outras coisas que comprara após o encontro com a rosada.

Respirou fundo tomando coragem.

Se sentou ao lado do corpo do marido na cama. Olhando o rosto pacifico.

Naruto continuava lindo, ao menos em seu ver. Mas algo estava em falta. Algo que fizera parte de seu charme desde sua infância. Sim, seu brilho nos olhos e sorriso. O brilho que se apagara meses depois de assumir o cargo de Hokage.

Suspirou sentindo-se egoísta. Não deveria fazer tão pouco do sonho realizado do amado.

- Naruto... – Balançou-o pelos ombros, sem resultado.

Beijou sua testa e recostou-se por ali mesmo. Quanto tempo se passara desde a ultima vez em que o beijara?

Muito tempo...

Tempo demais...

- Hinata? – Sorriu para o loiro, ficando de pé para lhe dar espaço – Aconteceu alguma coisa?

Negou com calma. Naruto por natureza já era um tanto quanto lerdo, quando acordava pela manhã então... sorte dele saber compensar suas próprias fraquezas.

- Tenho uma surpresa para você, arrume-se e desça para o café – Beijou-o nos lábios de forma breve e rápida em um surto repentino de ousadia, saiu do quarto sem lhe dar explicações. Coisa que no final de contas, não deveria dar. Estava beijando seu marido, nada de errado. Então por que se sentira estranha ao fazê-lo? Como se não passasse de um tremendo ato vazio? A falta de pratica seria o suficiente para explicar o desconforto?

Naruto provavelmente estava tão confuso quanto ela.

Desceu as escadas com a mente incerta.

Himawari ria de algo que Kurenai falara, ambas sentadas à mesa e concentradas demais em sua discreta conversa para notar que Hinata se dirigia para a porta da frente.

A Hyuuga sentia uma presença forte se aproximando de sua casa, felizmente a pessoa não representava ameaça a ninguém, ao menos, ninguém que lhe fosse aliado.

Abriu a porta e foi de encontro a Sasuke Uchiha. Qualquer que fosse o problema conseguiria resolver com planos e argumentos. O Uchiha tinha assuntos a tratar com Naruto? Pois ele estava de folga e precisava disso. Sasuke adquirira informações com suas missões fora da vila? Pois elas não sumiriam, podiam esperar até que os dias de folga acabassem.

Nada atrapalharia seus planos, nenhum empecilho lhe faria desistir.

Pois esse – afinal de contas – mesmo após anos, continuava a ser seu jeito ninja.

- Uchiha-San, bom dia! – Cumprimentou-o com um sorriso simples, sobretudo verdadeiro – Está aqui para falar com meu marido?

O ex-renegado acenou em concordância.

- Então temos um problema que com certeza podemos resolver – Sasuke pareceu levemente confuso, as sobrancelhas franzidas em desconfiança davam um ar ameaçador para qualquer um que fosse – sendo sua intenção ou não – não afetava Hinata, mesmo não convivendo com o moreno tanto quanto Sakura ou Naruto sabia dizer quase com precisão seu temperamento e intenções – Conseguiu informações secretas e precisa relatar para Naruto? – O Uchiha acenou novamente – Ele está de folga, voltaremos em dois dias e...

Olhou diretamente para o rosto parcialmente coberto do Uchiha. O único olho visível possuía olheiras profundas, sinal de sua falta de descanso, tal como seu próprio marido ou até pior.

Mesmo que ele estivesse lhe encarando e prestando atenção, poderia jurar de pés juntos que ele não estava de fato ali. Sua mente estava em outro lugar. Em sua família talvez?

Não pode deixar de se preocupar com a saúde do melhor amigo de seu marido.

- Ele precisa desses dias de folga, sabe como ele coloca o bem estar de todos acima do próprio... Pode esperar que esses dias passem? – Sasuke permanecia inalterável, o rosto passivo e quieto – Por favor Uchiha-San, isso significaria muito.

- Certo – Respondeu o Uchiha com a voz cansada, ainda aparentando estar contrariado – Boruto está?

- N-não, também não sei onde ele foi – Sasuke acenou outra vez, preparando-se para ir embora – Uchiha-San – Chamou outra vez, tendo certeza de que seria a última naquele dia – Sei que já pedi muito, mas eu e Naruto viajaremos hoje, na ausência de meu marido o único que pode proteger essa vila é...

- Sou eu.

- Eu me importo com o povo de Konoha, me importo com você e sua família também... por isso... acha que pode ficar na vila pelos próximos dois dias? Sei que Sarada ficaria feliz...

- Não precisa pedir Hyuuga, é meu trabalho.

Hinata sorriu radiante, ainda que incomodada pelo jeito ao qual fora chamada.

Nada ficaria no seu caminho, nada atrapalharia seus planos.

Contudo... estaria sendo mesquinha? Sasuke Uchiha estava claramente cansado, passara dias desde a ultima vez que vira a filha e claramente não estava se alimentando direito. Neste caso, valia a pena fazer um pedido tão egoísta? Seria “essa” a nova Hinata que desejava se tornar? Colocando sua felicidade acima dos outros? Deste jeito que pretendia derrubar suas muralhas?

Espantou os pensamentos para longe. A historia não acabaria por ali, com toda certeza Hinata daria um jeito de recompensa-lo pelo enorme favor que estava a prestar. Ela retribuiria na mesma moeda ou não se chamava Hinata Uzumaki! Tinha caráter afinal.

Antes que pudesse se conter, curvou-se para o Uchiha em uma reverencia quase exagerada. Feliz demais para temer o que as outras pessoas diriam.

- Muito obrigada por tudo, Uchiha-San – Elevou-se observando sua leve surpresa – Estou em dívida com você, lembre-se disso!

Deu-lhe as costas pronta para voltar à casa.

Afinal de contas, Sasuke não era tão ruim quanto parecia ou era descrito.

O sorriso não desapareceu de seu rosto por um bom tempo.

*********

Todos comiam à mesa em um clima leviano e agradável.

Himawari vez ou outra contava alguma novidade para a “Tia” com um grande sorriso orgulhoso.

-Nee, Kurenai-Sensei, como vai Mirai? – Perguntou Hinata, não via a pequena Sarutobi a muito tempo, contudo, isso não era sinônimo de desapego ou algo do gênero, Mirai era para si como uma prima fofa ao qual sempre deveria cuidar.

- Mirai? – Kurenai sorrira doce – Está fora em uma missão para ajudar necessitados e aldeias pobres, uma ótima iniciativa devo dizer Hokage-Sama.

Naruto comia aéreo ao elogio, perdido dos próprios pensamentos e lerdeza cotidiana.

- Pensei que Mirai desejasse entrar na Anbu – Observou Hinata.

- Sim, ela não desistiu desse sonho, mas você precisa ver Hinata... ela ama o que faz... – Yuhi soou distante por um momento – Me lembra você quando mais nova.

- A mim?! – A sensei confirmou – Não temos muito em comum.

A ex-Hyuuga se levantou calma, retirando a louça da mesa sem pressa alguma.

- Tia Kurenai – Chamou a pequena Himawari – Como a mamãe era quando mais nova?

Hinata sorriu pela curiosidade da pequena, ainda que levemente ressentida por não possuir grandes feitos para serem contados.

- Hinata era muitas coisas Hima-Chan, tímida, observadora, dedicada...

- Estranha... – Murmurou Naruto, alto o suficiente para que os ouvidos atentos ouvissem. Uma pequena pontada em seu peito fora dada, atiçando sua insegurança.

Himawari direcionara um olhar desapontado para o pai, não que ele ou Hinata pudessem notar.  Naruto agora encarava a esposa que se concentrava em lavar a louça.

- Não mais que o pequeno garoto raposa – Alfinetou a ex-sensei, apesar de estar a par que o Uzumaki não falara por mal, jamais permitiria que Hinata - sua antiga pupila e filha por consideração – fosse destratada – Bons tempos...

- Naruto, querido – Chamou Hinata – Pode trazer as malas que deixei no quarto?

O loiro se levantara acenando, ainda aéreo demais como em todas as manhãs ao acordar. Subiu as escadas arrastando o corpo junto a um longo bocejo.

- Sabe Hima-Chan? Se seu pai disser algo parecido novamente dê uma surra nele! Sua mãe já é uma santa por ama-lo... – Kurenai Murmurara a ultima frase, causando pequenos risos na caçula.

- Pode deixar comigo tia Kurenai, Otou-san vai se comportar! – Decretou a pequena, aparentemente determinada em sua pequena missão secreta.

- Deve ter orgulho de sua mãe, nunca duvide do quão boa ela é, combinado?

- Hai!

Hinata sorria envergonhada para a ex-sensei, terminando de lavar o resto das louças.

Naruto descia com as malas em mãos, mostrando-se estar mais ativo e “acordado”.

A porta da frente se abria devagar, com delicadeza o suficiente para que nenhum barulho fosse gerado.

Hinata esperou de braços cruzados a aparição de seu filho mais velho.

- AAAH – Gritara o Uzumaki assustado – Tia Kurenai? Pai?

- Onde estava Boruto? – Indagou Hinata, olhando desconfiada para as roupas amassadas do filho.

- Com Mitsuki e Sarada... – Respondeu o loiro, concentrado nas malas em posse de Naruto – Vão viajar?

- Não...

- Sim!

Disseram marido e esposa em uníssono.

- Nós vamos? – Perguntou o marido confuso.

- Sim, já planejei tudo... – Hinata encarou o marido, sorrindo com o peito leve pela revelação – Gostou da surpresa?

A reencarnação de Ashura parecia contrariada, coçando a nuca com um dos braços.

- Sabe que a vila ficaria desprotegida Hinata, não posso...

- Desprotegida? O tio Kakashi está na vila junto com a quinta! – Boruto entrou na discussão com garras e dentes no mesmo instante que notara as ambições de Hinata, seu pai não fugiria dos planos que sua mãe havia feito, nem que tivesse que espanca-lo! Sabia perfeitamente o quanto sua mãe merecia uma folga, e se ainda sim fosse do desejo dela ter o Hokage junto a si, ela o teria.

- Você não entende Boruto... – Começara Naruto – Eu teria que avisar com antecedência minha retirada da vila e mesmo assim teríamos outro problema com...

- Eu já resolvi tudo – Cortou Hinata, indo para perto do homem ao qual passara anos amando, segurando em uma de suas mãos – Avisei Shikamaru-San de nossa partida, pedi a Kurenai que cuidasse das crianças – Ouve-se o protesto de Boruto por ser taxado como criança – E Sasuke ficará na vila por um tempo.

- Como você? – Indagou confuso, referindo-se ao Uchiha.

- Não importa querido... – Sorriu nervosa pelo que viria. A resposta de seu marido poderia definir o futuro de seu relacionamento com o mesmo. Não suportaria ter Naruto longe de si, não suportaria um casamento sem amor. Agora que estava mais próxima ao filho, agora que estava se redescobrindo... temia que com a rejeição suas frustrações voltassem com tudo, aquele vazio na alma, a falta de proposito voltassem a importuna-la, afinal, não ganhara diversas lutas internas em busca de sua felicidade para perder para a realidade, e se Naruto não a quisesse por perto? – Podemos partir?


Notas Finais


O que achou? Estou louca para saber sua opinião!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...