1. Spirit Fanfics >
  2. Além Do Apocalipse >
  3. Parada

História Além Do Apocalipse - Capítulo 27


Escrita por: girloffic

Notas do Autor


Não achei a bandeira das duas juntas, logo, decidi colocar essa como ilustração da capa, já que a internet não colaborou KAKAKA. Divirtam-se e boa leitura!

Capítulo 27 - Parada


Fanfic / Fanfiction Além Do Apocalipse - Capítulo 27 - Parada

Anteriormente em Além do Apocalipse

- Tudo bem, mas agora já podemos ir? - a Mi questionou, nós assentimos e saímos logo em seguida.

 

***

 

Chegando no lugar, nós já encontramos diversas pessoas na rua. O evento começou pela manhã, logo, o movimento na hora em que chegamos, estava bastante intenso.

 

- Ok, vadias, agora já é hora de nos separarmos. Foi bom até aqui, mas não sou obrigada a segurar vela nem a ser acusada de fazer o mesmo. Até o final do evento, na saída. - a Mad falou, acendeu um cigarro e foi em outra direção, seguida pela Zoe.

 

- Preciso me acostumar a vê-las juntas sem discutir. E de comida, aparentemente. Tchau, meninas, também estamos com celular, então, divirtam-se. - e assim, Coco saiu de mãos dadas com Mallory.

 

- Bom, parece que só sobraram nós duas afinal. - a Misty me deu um selinho. Estávamos no meio da rua, mas não me importei. Estamos com os nossos aqui. Preciso aprender a me sentir segura para demonstrar amor pela minha namorada fora do Coven. Sem contar que todos estão fazendo os mesmo. Inclusive, acredito que as meninas irão aproveitar para namorar um pouco por aqui.

 

- Exatamente, meu amor! E o que pretende fazer sobre isso?

 

- Bom, tem uma loja interessante ali, podemos comprar alguma lembrança desse lugar. Está tão legal, mesmo nesse pouco tempo. - apontou para uma vitrine com alguns produtos com a temática do evento, a comunidade LGBTQIA+.

 

- Tudo bem, mas vamos rápido para não perdemos muita coisa das apresentações. - ela assentiu com a cabeça e nós fomos.

 

- Olá, senhoras, boa tarde? Posso ajudar em algo? - uma atendente nos abordou assim que passamos pela porta.

 

- Na verdade... - a Mi olhou para o nome escrito na farda da moça. - Lorelai, iremos apenas dar uma olhada. Qualquer coisa, nós avisamos. Obrigada. - ela continuou, simpática.

 

- Tudo bem. Fiquem a vontade. - assentimos, sorrindo de canto.

 

- Parece que você já até se acostumou com algumas situações que não faziam parte do seu cotidiano. Soube lidar muito bem com essa agora, por sinal.

 

- Obrigada, amor! Sabe que devo isso a você, mas, de fato, algumas coisas eu já tiro de letra. - rimos. - Ai, que bonitinho! Olha, vida. - ela foi para uma prateleira com várias pelúcias, eram pequenos polvos, daqueles que ¨mudam de humor¨. Todos eles personalizados e coloridos com as mesmas cores das nossas respectivas bandeiras, e de outras também. - Podemos levar? Assim, teremos algo para nos lembrar desse momento, um objeto de decoração e pelúcias combinando. Vai, amor, deixa. Por favorzinho. - fez biquinho.

 

- Você sabe que com essa carinha minha resposta tem mais probabilidade de ser um ¨sim¨. - ela sorriu. - Porém, agora, vendo essa infinidade de coisas variadas, eu tive uma ideia melhor do que essa.

 

- Pode me contar, Dee. - ela estava visivelmente curiosa e com os olhos brilhando. 

 

- Poderíamos comprar um boneco desse, da cor da bandeira principal, podemos até colocá-lo juntos dos nossos travesseiros, na cama. E compramos aquelas bandeiras de mesa das nossas comunidades individuais, assim, podemos colocá-las no nosso próprio lado do quarto. - apontei para algumas dessas peças em um canto no mesmo corredor do local.

 

- Caramba, amor, que genial! - me deu um selinho demorado. - Então, vamos fazer isso mesmo. - sorriu animada, ainda com suas duas mãos no meu rosto, uma de cada lado do mesmo, após a quebra do nosso contato. E assim fizemos. Pegamos as nossas bandeiras e a Mi ficou segurando a pelúcia desde antes da nossa conversa. Pagamos e fomos embora. Andamos um pouco, curtindo o evento. As músicas estavam bacanas e os desfiles foram belíssimos. Vez ou outra, me pegava distraída olhando a beleza da minha loirinha. A bruxinha me flagrou algumas vezes e sorriu em todas elas, sem parar de prestar atenção na multidão de cores e pessoas diferentes na nossa frente. Ela sempre foi apaixonada por música e dança, com isso, ficou encantada com tudo o que viu. Sorrindo sem parar. Ela estava verdadeiramente feliz e isso me deixava da mesma forma.

 

***

 

- Amor, vamos comer. Estou com fome. - falei no ouvido da minha namorada, devido ao barulho, a qual estava abraçando por trás.

 

- Já eu, acredito que vou vomitar. - olhei na mesma direção que ela, rimos ao ver a Madison beijando a Zoe, que, no que lhe concerne, estava encostada em um poste.

 

- Amor, elas são duas jovens. O que acreditou que vieram fazer por aqui? - me olhou.

 

- Não sei até agora. Mas, talvez... se divertir, como nós, a Coco e a Mallory?

 

- Eu não incluiria elas nisso se fosse você. - olhei para o outro lado, onde as duas citadas anteriormente, estavam se beijando, enquanto repousavam sentadas em um banco.

 

- Nossa, você está mesmo certa. - ri olhando ela surpresa com a cena. - Eu é que não quero ficar por fora. - me roubou um beijo intenso.

 

- Sabe, amor, é até bom vê-las assim. Especificamente a Mad. Sei que todas nós carregamos conosco uma história de vida difícil, mas a Zoe é uma boa menina e possivelmente, pode despertar na sua parceira o modo ¨boa namorada¨.

 

- Verdade, vida! Ambas tem um coração bom, mas o amor causa muitas coisas boa na gente. Seria bom se todas elas sentissem da melhor e maior maneira possível, ao menos esse.

 

- Então quer dizer que você se sentiu beneficiada com o seu primeiro amor bem aqui? - rimos.

 

- Sim, e eu poderia citar inúmeras coisas boas que me aconteceram depois de você, mas será melhor acabarmos com a sua fome primeiro, não acha? - assenti e fomos andando, de mãos dadas, procurar um local para no alimentarmos. - Se importa em ser aqui? - ela apontou para uma barraca de cachorro-quente próxima.

 

- Claro que não, meu amor! Sabe que não tenho exigências para comer. - olhei para o simples do lugar. - E apenas pelo cheiro, já parece delicioso. - andamos em direção ao local para fazer nossos pedidos, e, após prontos, sentamos em mesas espalhadas por perto. A minha amada devorava seu lanche sem dó, e até com um pouco de pressa. Parecia mais faminta do que eu, mas sei que é apenas o amor dela por comida.

 

- Ei, querida, devagar. - passei a mão levemente na dela, fazendo um carinho. - Cuidado para não se engasgar. Não quero que você se traga de volta e acabe passando por uma experiência dolorosa e traumática. - riu.

 

- Não seja boba, amorzinho. Relaxa! Mas me conta, está bom? Porque o meu está incrível. - afirmou lambendo os lábios.

 

- Está ótimo, querida. - sorrimos de canto.

 

- Amor, juro que vou pensar milhões de vezes antes de responder a nossa filha, ou nossos próximos filhos, caso eles queiram vir para cá. Só vi gente se pegando. Não é como se nós nem tenhamos feito isso também, mas, sei lá, fiquei receosa com a Mad quase engolindo a Zoe. Será que nós temos a mesma aparência quando nos beijamos?

 

- ¨Próximos filhos¨? - nos olhamos sorrindo de canto. Senti que ambas estavam um pouco recuadas. Eu com um olhar de dúvida que, certamente, fez surgir uma nela.


Notas Finais


O próximo capítulo já está sendo escrito, mas queria cumprir com o cronograma, embora eu ainda não tenha criado/decidido um horário fixo.
Teorias, dúvidas, dicas, sugestões, observações, críticas construtivas e elogios são muito bem-vindos, assim como todos vocês. Fiquem à vontade para interagir. Votem e me sigam para mais. Beijinhos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...