História Além do Tempo - Capítulo 83


Escrita por:

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens August Wayne Booth (Pinóquio), Capitão Killian "Gancho" Jones, Cora (Mills), David Nolan (Príncipe Encantado), Dr. Archie Hopper (Jiminy Cricket), Elsa, Emma Swan, Henry Mills, Lacey (Belle), Lilith "Lily" Page, Malévola, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Personagens Originais, Regina Mills (Rainha Malvada), Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Sr. Gold (Rumplestiltskin), Tinker Bell, Vovó (Granny), Xerife Graham Humbert (Caçador), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Amor, Emma Swan, Jennifer Morrison, Lana Parrilla, Once Upon A Time, Ouat, Regina Mills, Romance Lésbico, Swan Queen, Swanqueen, Swen
Visualizações 159
Palavras 3.418
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, FemmeSlash, Ficção, LGBT, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hi babiea!

O cap só seria postado amanhã,mas como sou uma pessoa ansiosa,louca pra saber o que vcs acharão do desfecho,resolvi postá-lo de uma vez!
Espero de coração que tenha ficado do agrado de vcs... ❤
Então,cá estamos com o penúltimo cap de Além do Tempo!Só de pensar nisso já me dói o coração! 😢💔

E,POR FAVOOR,não me mateem!!
Boa leitura,meus anjos! 😍

Capítulo 83 - Finally - part 1



Prostrada.Ajoelhada no chão frio,mas o coração aquecido parava e voltava a bombear a cada segundo,cheio da mais pura gratidão na qual jamais havia experimentado antes.

Seus olhar lacrimejado estava elevado ao teto da sala,como que pudesse ultrapassá-lo e ver o céu,podendo com sua alma agradecer àquele que sempre regeu sua vida.As palavras de David ainda não saíam de sua mente.Curada,sua Regina estava curada.Chorava com tanta força que seu peito doía pelo esforço de puxar o ar.

Finalmente,finalmente aquele tormento havia acabado!

Levantando de forma cambaleante,quase caindo,saiu porta afora.Queria,precisava vê-la imediatamente.Corria se esbarrando em enfermeiros e outras pessoas.Nunca que o caminho para o quarto de Regina tivera sido tão longo como naquele momento.


Depois de atravessar longos corredores chega,enfim,no quarto da morena.Abrindo a porta encontra aqueles expressivos olhos castanhos,aqueles que tanto ama e estaca,a encarando.Reparou o rosto assustado da mulher com uma grande interrogação de quem nada entendia.Seu peito subia e descia pela respiração pesada. 



- Emmy?Você está bem? - perguntou receosa.



Emma não disse nada,apenas adentrou a passos largos e a tomou num abraço fortemente desesperado e mais uma vez desabou em lágrimas.Regina retribuiu meio sem jeito e seu coração disparou,com medo de que algo grave tivesse acontecido.

Então ela vê David e Cora entrarem calmamente e com sorrisos largos em seus rostos.


- Será que alguém,por favor,poderia me explicar o que está acontecendo? - a aflição era notável em sua voz e Emma se afasta a olhando com ternura.


David se aproxima e estende alguns papéis que ela não tinha visto até então e suspira alegre antes de anunciar. 



- Esses são os resultados da sua vitória,Regina! - exclama e a morena o olha.Foram apenas cinco segundos para que ela compreendesse o que seu sogro queria dizer. 



- David...é...isso é… - procurou os olhos verdes de Emma e ela assentiu,confirmando. - Ai meu Deus! - a lágrima cai no mesmo instante em que leva as mãos a boca para tentar abafar um grito pela euforia e sentiu sua mãe a abraçar desta vez.Chorou copiosamente. 



- Sim,filha… - comemorava. - Sim!Você venceu! - o embargo na voz em nada interferia sua alegria.Regina ergueu o rosto do peito da mãe e procurou sua loira,estendendo seu braço e alcançando sua mão. 



- Emmy ... love please ... please say this is not a dream! (Amor,por favor,diga que isso não é um sonho!) - soluçava com a emoção,ainda não acreditava.Emma se aproximou,beijou sua mão seguido da testa e encostou a sua na da morena. 



- É real!Acredite,você está curada,meu amor! - cobria-lhe o rosto molhado de lágrimas com beijos e tudo o que mais queria era selar e comemorar aquele momento com seus lábios unidos,mas sabia que era impossível,não podia correr riscos agora.



E alguns metros dali Zelena acabava de ouvir um chorinho estridente e forte,a pequena chegava ao mundo.Mais lágrimas felizes eram derramadas,mais um milagre acontecia.


A ruiva beijou delicadamente os lábios de sua mulher,comemorando o nascimento do mais novo membro da família.Depois de todo cuidado necessário,a nenê foi posta com todo cuidado nos braços de Belle que se sentia radiante em poder,finalmente,contemplar aquele serzinho que carregou,com todo amor,por nove meses dentro de si.A dor agonizante que sentira antes já nem estava mais lá,esqueceu-se completamente. 



- Como ela é linda,meu amor! - a ruiva sussurrou.Belle nunca vira os olhos de Zelena brilharem tanto quanto agora,ali,inebriada pelo amor,olhando a filha. 



- Nosso pacotinho,amor!Parece com você! - observava os pequenos traços passando delicadamente os dedos no rostinho alvo e deixando um beijo. 



- Nossa pequena Robyn! - a ruiva completa emocionada,antes de mais uma vez selar os lábios de Belle.



              ☆♤☆


E os próximos dias foram de total cuidado para Regina quando pode,enfim,sair do hospital depois de longos meses.As mesmas recomendações que foram feitas para Luna,assim também foi passado para ela.

A casa vivia sempre limpa,Regina teria que passar um período de três meses aproximadamente de máscara.A comida continuava  morenasendo preparada com cuidado e sem agrotóxicos.

David recomendou que a tivesse seu próprio banheiro e que a higiene devia ser impecável.As visitas deviam ser reduzidas e nada de abraços e beijos.Enfim,todo cuidado era pouco.


Luna e a morena não podiam ficar no mesmo ambiente,e por conta do nascimento de Robyn,Zelena fez questão de alugar um apartamento ao lado do seu somente para a jovem,que ficou muito feliz pelo gesto da ruiva e triste por ter que ficar afastada de sua nova família.No entanto,sabia que era para seu bem e o de Regina.Emma intercalava as noites para não ficar longe de nenhum dos seus tesouros,cuidava das duas por igual.Tudo para sua rainha e princesa,como ela dizia.



A assistente social concluiu seu trabalho e muito satisfeita com tudo que veio acompanhando,não lhe restou dúvidas que ali era o ambiente perfeito para Luna ter uma vida estruturada e cheia da cumplicidade e união de uma família.A única barreira era o fato de que Luna poderia possuir apenas um dos sobrenomes,pois Regina e Emma não eram casadas legalmente.Mas a profissional as deixou esperançosas com o fato de que os protestos na busca pela inclusão social e casamento igualitário ganhava cada vez mais força nas ruas da Av. Paulista,com o Orgulho Gay.E disse mais,a comunidade estava agindo com tanto afinco na causa,que os parlamentares já estavam,sim,quase sancionando o direito,dando a igualdade que tanto almejavam e aconselhou que uma das duas adotassem Luna como mãe solteira e,depois da sanção,casarem-se e voltassem a procurá-la para,assim,pôr os devidos sobrenomes na certidão da garota.Contudo,alertou que isso poderia levar um pouco mais de tempo,mas que não desistissem.Luna quase não cabia em si por saber que teria o nome Swan,como ficou acordado entre o casal.Regina achou justo que Emma o fizesse,afinal,ela  lutou pela jovem e era o sobrenome dela que Luna carregaria por enquanto.Zelena e Belle ficaram empolgadas com a notícia e também resolveram fazer.Como eram casadas legalmente,sendo o matrimônio feito na Holanda,primeiro país onde foi concedido o direito,não viam a hora de registrarem a pequena.



              Emma



Em agosto recebemos a triste notícia de que Seu Neneco faleceu.Mazinho disse que seu pai partira enquanto dormia,seu semblante estava sereno.Considerado morte por causas naturais.Passei alguns dias entristecida,aquele velhinho foi um grande amigo e um anjo para mim e vovó,jamais será esquecido.


Zelena viajava periodicamente a Inglaterra para checar o andamento de sua empresa na Capital.Ela ia mais por ter que assinar documentos que requerem sua atenção exclusiva,pois confiava inteiramente em seu sócio,Archie.Enquanto estava fora sempre faziam vídeo chamada pela rede social do MSN,encurtando um pouco a saudade da sua família.



Regina e Luna melhoravam gradativamente,e meu pai as acompanhava sempre.Ele recebeu uma ligação do seu companheiro,e estando de férias,perguntou se poderia vir passar uns dias aqui conosco.Claro que aceitei prontamente,ansiosa para conhecê-lo.Na semana seguinte Jefferson chegou conquistando todos com seu carisma e jeito espalhafatoso,logo fez amizade com Regina,viviam grudados.E por ser fisioterapeuta serviu de grande ajuda para ela e Luna com exercícios físicos.Dr Gold disse que isso seria muito bom para o corpo,aumentando a imunidade,deixando-as mais vigorosas.



- Humm…Se eu soubesse que o tempero brasileiro era tão divino assim,já teria vindo há anos! - exclama satisfeito,saboreando a comida.


Mamãe e Cora,sendo brasileira,se prontificaram no preparo do almoço e estávamos todos à mesa. 



- É porque você ainda não provou a lasanha da Regina. - digo e ela cora.  



- Amor,não exagera! - sorri tímida.Nos últimos meses pudemos ver o quão melhor ela estava,sua pele voltava a tonalidade e maciez,seus cabelos cresciam e o brilho no seu olhar estava ali,tudo voltava ao normal. 



- Ah não,Regina,tenho que concordar com minha nora, - Cora veio em minha defesa. - sua lasanha é tão gostosa que se assemelha às massas autênticas da Itália! - conclui saudosa. 




- Pois então,não vejo a hora de poder provar a famosa lasanha da minha mãe morena! - Luna diz de forma tão natural que arregala os olhos e um silêncio paira sobre a sala. - Ops!Falei besteira,não é? - disse com a voz amedrontada e abaixa a cabeça.


Regina se levanta de seu lugar e vai até nossa menina.Sorrindo,faz um carinho em seu rosto,parando no queixo,o erguendo.Olhou em seus olhos,castanhos se encontram.



- Não sabe a alegria que me dá ao ouvir isso!Não tenha medo,Luna!Você agora é uma Swan Mills,é nossa filha! - me olhou e eu assenti.Levantei e me juntei a elas. 



- Se é seu desejo nos ter como suas mães,assim será!Pois já te tinha como filha desde o dia em que meus olhos se encontraram com os seus naquele quarto! - concluo firme e ela me olha com amor. - Você é nossa filha,e jamais tenha vergonha ou medo de nos chamar assim,ok? - ela assente e nós três nos envolvemos num abraço,selando a família que acabamos de formar em nossos corações. 



- E ai de você se não me chamar de tia,garota!Te deixarei de castigo por uma semana! - Zelena ameaça divertida. 



- Então pode aumentar o castigo se eu não ouvir a palavra vó sair da boca dela! - Cora afirma e Ingrid ri ao seu lado.


Luna olhou ao redor e sorriu para cada um ali presente. 



- Eu amo todos vocês!Obrigada por me aceitarem,me receberem em suas vidas! 



- A família mais linda! - Jefferson conclui com orgulho na voz e ergue a taça de vinho em forma de brinde.



             ☆♤☆ 



Á noite,antes de dormir,tinha Regina deitada no meu peito,acariciava seus poucos cabelos. 



- Senti tanta falta de estar assim com você! - ela diz e levanta a cabeça para me olhar. 



- Não sabe como era doloroso olhar pra essa cama e não te ter aqui comigo,linda! - confessei.


Ela então me beijou suavemente,logo descendo para meu maxilar e o suspiro que soltou fez seu ar quente arrepiar minha pele.Passou a mão no meu abdômen,por baixo da camisa e arranhou.Meu corpo tremeu com a expectativa.Não fazíamos amor desde o início do tratamento há mais de um ano,e já fazem quatro meses que ela está bem,estamos em outubro.No entanto,por mais que meu desejo seja de possuí-la agora,não podíamos.O contato sexual estava estritamente proibido por quase um ano.



- Amor…? - tentava dizer entre nosso beijo. - Nós não… - ela estava faminta,sentia isso,pois também estava.Segurei em seus pulsos e a afastei. - Meu bem,não podemos! - disse com pesar.Ela respirou fundo e se sentou passando a mão no rosto. 



- Eu sei,me desculpe...eu só… - cogitou em levantar,mas a segurei pelo braço. 



- Não faz isso,amor! - supliquei.Ela vira e me olha. - Vem cá! - a puxo para o meu colo e lhe dou um selinho demorado.Pego sua mão e ponho sobre meu peito,meu corpo pegava fogo. - Sente isso?Consegue sentir o tamanho do meu desejo?A força que tive que fazer pra me afastar de você foi sobre humana,Regina! - olhava profundamente em seus olhos. - Eu te amo e te quero tanto,mas tanto,que meu corpo dói.Mas nós sabemos que ainda não podemos.Você ainda não está cem por cento,meu amor,e o medo que tenho de vc voltar àquele hospital é grande.Não fica assim,logo nos amaremos como nunca antes…passaremos uma semana inteira trancadas nesse quarto só fazendo amor! - prometi.



- Pois guarde essas palavras,Emma Swan,irei cobrar essa promessa. - beijei-a com carinho e encostei nossas testas. 



- Como quiser,minha rainha!Faço tudo o que você quiser! - concluo.



             ☆♤☆



E mais um novo ano se iniciava em nossas vidas,era 1° de Janeiro de 2003.Nossa família comemorava mais uma nova etapa e celebrava a vida.

Neste mês recebemos a visita de Kris e ficamos muito surpresos por saber que ela se casou com o rapaz e mais chocados por saber que Lilith,enfim,aceitou seu relacionamento.Tudo porque seu marido,vendo a tristeza da loira,resolveu chamar a enteada para uma conversa franca e que surtiu efeito.E os três estavam aqui conosco.



Em julho recebemos August.Não era mais aquele garoto,já era um rapaz formado e mais bonito.Contou-nos as últimas notícias e uma delas não nos agradou. 



- Tia Shelley está muito mal.Infelizmente os sintomas do Alzheimer estão cada vez pior e ela só chama pela tia Granny. - afirma triste. 


Com isso vovó resolveu voltar para ajudar no cuidado com a irmã.A despedida da nossa velhinha foi muito emocionada,mas um fato que chamou minha atenção e de Regina,foram os olhares trocados entre August e Luna,conhecíamos muito bem aquele brilho e confesso que muito me agradou.



Outra boa surpresa foi a visita de Ruby,em setembro.Nossa amiga estava cada vez mais madura,o que a deixava mais bonita. 



- Eu disse que voltaria! - afirmou enquanto me abraçava. - Só me desculpem a demora,tenho tido muito trabalho nesses últimos meses e quando recebi sua mensagem com a maravilhosa notícia de que a Tampinha estava bem,só pensava no dia das minhas férias começarem e eu pegar o primeiro avião pra cá. - a euforia era nítida em sua voz. 



- Que bom te ver,Loba! - minha pequena a abraça. 



- Bom é te ver bem e forte outra vez,Regina! - sorri sincera. - Quero saber de tudo o que andou acontecendo na vida de vocês,absolutamente tudo! - dá pulinhos empolgada. 


E então relatamos tudo o que havia acontecido até aqui.Ela deu um grito quando contamos sobre Cora ter se assumido gay e estar namorando e quase cai para trás quando a apresentamos Luna como nossa filha.

Ela também nos contou sobre suas aventuras pelo mundo como agente diplomática e em como seu trabalho mudou sua vida e deu visão a tudo que não vemos ao nosso redor.

E conhecendo um pouco mais sobre seu trabalho,Regina e eu resolvemos que nos uniríamos a ela em serviços filantrópicos,doando uma boa quantia para ajudar nos países mais pobres e estávamos muito dispostas a isso. 



- Vocês não tem noção da diferença que fazem só pela ideia da iniciativa. - sorria emocionada. - Será um prazer tê-las comigo nessa causa,assim não perderemos contato,ficaremos mais unidas!Sinto tanta falta da gente… - diz saudosa. 



- Nem me fale… - Regina a acompanha na nostalgia. - Bons tempos! - sorri e deita a cabeça no meu ombro.Ruby ri e balança a cabeça. 



- O que foi? - pergunto confusa. 



- Quem diria que eu estaria viva pra vê essa Pata realmente virar cisne,casada,com uma filha adolescente e uma família enorme como esta? 



- E isso é ruim? - Regina arqueia a sobrancelha. 


- Não,Tampinha...isso está longe de ser ruim.Olho nos olhos de vocês e ainda consigo enxergar aquele mesmo fogo lá do começo de tudo.Impressionante como o amor lhes cai tão bem! - conclui pensativa.Regina e eu nos entreolhamos sorrindo e nos beijamos. - Ihh...começou com a melação! - gargalhamos. 



- Mas e você,não tem nada de novo acontecendo nesse coração? - pergunto curiosa. 



- Olha,Emma,se quer saber se estou morrendo de amores por aí,a resposta continua sendo não!A solteirice sempre me fez bem,você sabe disso.Mas não descartarei a possibilidade se um dia encontrar alguém que eu possa amar e ser amada assim como vocês se amam! - apontou para nós. - Quem sabe…? - deixa no ar. 



- É...quem sabe?



            ☆☆♤☆☆




O tempo continuava correndo seu curso normal

Depois de muito esperar,conseguimos a adoção de Luna e já com a certidão em mãos a matriculei numa escola,o que a deixou muito contente.Cora resolveu que queria abrir uma agência de moda em São Paulo,Ingrid a apoiou totalmente.Então depois de vender a cobertura no Rio,ela veio até mim e Regina dizendo que moraria com a policial e que gostaria que construíssemos seu novo empreendimento.Chocadas e felizes,minha morena e eu começamos a desenhar a planta conforme o gosto de minha sogra.

Com esse embalo Regina me chamou para uma longa conversa e depois de pensar em todos os prós e contras,decidimos também vender nossa casa em Natal e manter moradia fixa aqui mesmo. 



- Deixamos Vando continuar com sua boa condução lá e construímos um edifício matriz aqui.As comiunidades carentes de São Paulo também precisam de nós,Emmy.E diferente do Rio,aqui a violência não é tão grande.Você poderá trabalhar mais tranquilamente junto a Prefeitura. 



Não pensei,agarrei-a pela cintura e lhe beijei com muito amor. 



- Que saudade eu tava da minha estrategista favorita! - exclamo orgulhosa. - Então voltaremos a ativa? 



- Já voltamos,meu amor! - afirma convicta.Seguro seu rosto com as mãos e rio apaixonada. 



- Te amo,te amo,te amo muuito! - digo,enchendo seu rosto de beijos e ouvindo sua risada gostosa. 



- Nossa,que felicidade é essa? - pergunta Zel,chegando com Belle e minha sobrinha nos braços. 



- Estamos traçando planos para o futuro,maninha! - Regina sorria. 




E a partir daí tudo caminhava bem,começamos a pôr todos os nossos planos em prática.

Viajei à Natal para conversar com Vando,Walney e Laís,que ficaram excitados com as boas novas.Vando chorou ao receber a notícia de sua nova promoção,prometendo não nos decepcionar.Ficaria responsável pelo escritório na cidade,assim que concluíssemos com a construção do novo em São Paulo,que começamos no mês de novembro


Mas foi num dia normal de dezembro que tudo aconteceu rápido demais.



Sábado,após o almoço,resolvemos nos reunir para ir ao shopping pegar um cinema no Frei Caneca.

Cora e Ingrid resolveram ir na frente com Luna,Mary e Belle,enquanto eu esperava minha morena terminar de se arrumar.Zelena mais uma vez estava em Londres.



Já na rua andávamos distraídas,rindo e conversando,quando ouço Regina gritar e soltar minha mão bruscamente.

Meus olhos se arregalam quando vejo um indivíduo a agarrando e apontando uma arma para ela.Entro em desespero."Isso só pode ser brincadeira!"



- Passa a grana e o celular,que ninguém se machuca! - exige com um sorriso debochado na cara.

Paralisei,o medo de que qualquer movimento meu possa fazer com que o cara machucasse minha mulher não saía da mente. 



- Emmy! - ouço sua voz chorosa e meu desespero só aumentava.As feições do cara eram de alguém que mal sabia o que estava fazendo,que estava drogado.


No momento que iria pôr a mão no bolso para apanhar a carteira,vejo alguém surgir por detrás do bandido e pegá-lo pelo pescoço,o golpeando com uma cabeçada,o que fez grunhir com a dor e soltar o revólver.Puxei Regina,que grudou em meu corpo.Nosso salvador continuava sua luta com o ladrão que tentou golpeá-lo,levando outra cabeçada e sendo arremessado na parede.A arma a essa altura já estava no chão e pude constatar que era de brinquedo. 



- Toca na minha irmã mais uma vez e você perde a mão,filho da puta! - rosnou com o rosto próximo e o braço apertando o pescoço do meliante.



Foi aí que vi quem era.Piero.


Ele solta o homem e este sai correndo esbaforido.Se aproxima de nós e nos examina procurando algum ferimento. 



- Vocês estão bem? - pergunta ofegante. 



- S-sim...eu acho que sim… - respondo ainda atordoada. - Amor,está machucada? 



- Não,mas  - responde com a voz baixa e põe a mão na cabeça. - não estou bem… - afirma antes de seu corpo amolecer e ela perder a consciência em meus braços



- Regina! 



- Venha! - a pega no colo. - Tô com o carro ali. - aponta.

Entramos e saímos com destino ao hospital 



- Meu amor,não faça isso comigo! - falava com meu amor nos braços.Pego o celular e ligo para David avisando que estávamos a caminho.


- Calma,Emma!Ela vai ficar bem! - garante.Ele dirigia rápido e em menos de cinco minutos estacionamos na entrada do Sírio Libanês.


Regina é atendida prontamente e levada corredor a dentro.

Piero respirava forte e sua feição demonstrava sua preocupação.E foi aí que me atentei ao fato e questionei o que ele estava fazendo ali.Mas em todo caso,eu deveria agradecê-lo,pois se não fosse por ele...nem conseguiria imaginar o que seria de nós.Deixaria as perguntas para depois.


Liguei para Cora e ela chegou na hora em que meu pai apareceu,sua feição não era boa e aquilo me assustou. 



- Pai,diz para mim que ela está bem,por favor! - supliquei. 



- Infelizmente não,filha! - abaixou a cabeça e passou a mão pelo pescoço. - Serei direto e claro,pois não há tempo para explicação,As células cancerígenas retornaram com força,devorando os glóbulos brancos.Regina precisa imediatamente de um transplante...ou… 



- Ou o que,David?! - Cora exige. 



- Ou ela pode morrer a qualquer momento!







Notas Finais


Nada a declarar...espero vcs no último cap! 😉
Comentem,me xinguem,falem qualquer coisa,mas comentem!!💙

Mwaahhh! 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...