1. Spirit Fanfics >
  2. Alex Morris e a Ascensão do Poder >
  3. Noite na Torre

História Alex Morris e a Ascensão do Poder - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Duvidei de mim mesma se eu iria escrever mais.
Então esse capítulo é pra quem duvidou (inclusive eu).
Espero que gostem (nem sei se as pessoas ainda lêem isso).
Enfim, Lumos!

Capítulo 6 - Noite na Torre


Enfim a noite chegou. Alex andava na ponta dos pés, para não fazer barulho. Olhava para todos os lados, no momento estava andando e olhando para trás até que trombou com alguém. Ela gelou na hora, será que era algum professor?

Ela se virou, bem devagar, temendo uma bela de uma detenção. Mas em vez de ser a McGonagall ou qualquer outro professor, ela deu de cara com ninguém mais ninguém menos que Austin, com uma cara de espanto muito engraçada.

- O que foi Austin? Parece que viu um fantasma.

O garoto riu.

- O que você está fazendo vagando por aí a essa hora?? - perguntou ela, apesar de já desconfiar da resposta.

- Na verdade eu ia passar na Torre da Astronomia - respondeu ele, confirmando a teoria de Alex.

- Engraçado, eu também estava indo pra lá.

- Eu acho que o destino anda juntando a gente... - ele sorriu discretamente sem nem perceber. Alex também sorriu e disse:

- É, parece que sim.

- E aí, vamos?

- Claro - Alex recomeçou a caminhada, agora ao lado de Austin.

- E aí... - Austin estava se esforçando para puxar assunto, mas nada interessante passava por sua cabeça, então ele perguntou a primeira coisa que veio em sua mente - Qual sua matéria preferida?

- Ótima forma de puxar assunto - disse Alex sorrindo.

As bochechas de Austin ficaram vermelhas.

- Desculpa, não pensei em nada melhor.

- Eu estou brincando. E respondendo a sua pergunta eu gosto de Defesa Contra as Artes das Trevas. E você?

- Defesa Contra as Artes das Trevas com certeza é a melhor matéria.

Eles já estavam subindo as escadas da Torre da Astronomia.

Austin novamente fez a primeira pergunta que passou em sua mente, nem imaginando que dessa vez ele escolheria o assunto perfeito:

- Hum... Você gosta de Quadribol? - ele viu os olhos dela brilharem.

- Eu adoro Quadribol!

- Nossa sério? - Ele sorriu, realmente não esperava por essa resposta.

- Sim! E eu garanto pra você que eu sou uma ótima goleira.

- E eu sou um ótimo artilheiro - disse ele, com orgulho no olhar.

- Ah, essa eu quero ver - Alex zombou.

- Você quer que eu prove? - Austin disse sério.

- Mas é claro!

- Então está marcado, vamos jogar um dia desses, aí eu quero ver a melhor goleira em ação.

- E eu quero ver o melhor artilheiro em ação.

Os dois sorriram.

- Você sabia que meu pai era um excelente goleiro? - Austin disse, todo empolgado.

- Ah é? - Alex estava realmente querendo saber mais sobre a vida do garoto.

- Sim. Ele bem que queria que eu seguisse os passos dele, mas eu não tenho culpa se a posição de artilheiro me chamou mais a atenção.

- Nem sempre fazemos tudo o que nossos pais querem...

- Pois é... - e ela era a prova viva disso, pensou ele. - Ele era viciado em Quadribol, foi um dos melhores goleiros que passou pela Grifinória.

Alex percebeu os olhos dele brilharem de orgulho. Que olhos lindos...

- Sabia que ele treinou o Harry Potter em pessoa?

- Uau, sério? - Alex estava surpresa, não é uma notícia que se ouve todo dia.

- Sim! Incrível né?

- Com certeza. Aposto que você conta pra todo mundo.

- Na verdade poucas pessoas sabem, apesar da notícia ter se espalhado um pouco. Sabe como é, as meninas já me perseguem, sabendo disso então nem se fala.

- É, eu imagino. Qual o nome do seu pai mesmo?

- Olivio. Olivio Wood.

Horas se passaram, conversaram sobre muita coisa, mas principalmente sobre Quadribol; suas táticas de jogo preferidas, vassouras, times e jogadores preferidos. Enfim, quando perceberam, já passava da meia noite.

- Nossa, a gente passou muito tempo conversando - disse Austin.

- Verdade, temos que ir dormir - parecia que Alex tinha tomado um banho de água fria; tinha que voltar a realidade, afinal ela deveria ir à aula naquela manhã. Mas aquele rosto delicado em sua frente a impedia de pensar ou ter senso de responsabilidade. Ela não queria sair dali.

Sem ela nem desconfiar, o garoto pensava a mesma coisa.

- É né, fazer o que - responde ele. - A gente se vê por aí?

- Isso é uma pergunta ou uma afirmação? - Alex sorri discretamente.

- Dependendo de mim uma afirmação - diz ele. "Será que eu tô dando muito mole?"

- Então, a gente se vê por aí - Alex desceu as escadas deixando Austin ali parado. "Será que ele tava me dando mole ou é impressão minha?"

Enquanto ele observava ela ir embora ele pensava: "Meu Deus, como nunca nos esbarramos pelos corredores antes?". 


Notas Finais


E aí, gostaram??

Nox!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...