1. Spirit Fanfics >
  2. Alex Turner and Jesse Rutherford >
  3. I'm going back to 505

História Alex Turner and Jesse Rutherford - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Olá. Acho que ninguém vai ler, não deve ser um assunto muito procurado... Mas foda-se

Capítulo 1 - I'm going back to 505


Fanfic / Fanfiction Alex Turner and Jesse Rutherford - Capítulo 1 - I'm going back to 505

Uma garota de cabelos presos à um coque e de saia azul escuro um pouco acima do joelho deixou 5 cafés com nomes em cima da mesa

- Obrigado. - Disse Dave, um dos empresários.


A moça sorriu e se retirou. 


O dia estava chuvoso, e o som de trovões fez a trilha daquele escritório. 


Depois de muita conversa Alex e Jesse deixaram aquele lugar juntos e com um sorriso altamente branco em seus rostos. Os dois haviam fechado um contrato de um novo disco alternativo com convidados ilustres. 


Do andar 24 desceram e saíram depois de um aperto de mãos.



As músicas já estavam prontas e o trabalho artístico já tinha sido desenvolvido a um tempo. A notícia sairia na próxima semana e com certeza seria uma bomba pra todos os jovens alternativos. 


O dia foi embora, depois de um lindo pôr do Sol, típico de Los Angeles. 


Alex amava a Califórnia tanto quanto amava a sua cidade natal. Los Angeles tinha um clima bem diferente do Reino Unido. 


Jesse e ele tinham marcado de se encontrar no hotel, e talvez passear pelas praias. Já era dia e Alex chegou com sua pontualidade inglesa que impressionava.


  Turner acabara de bater na porta. Jesse nem estava vestido, jogou um roupão por cima do corpo rapidamente e o atendeu.


- Mil desculpas, esqueço que você é Inglês. - Ele disse com um sorriso.


- É melhor já ir se acostumando, não vamos parar cedo. - Alex sorriu, bateu em seu ombro e entrou. 


Os dois se sentaram um em frente ao outro. Acenderam um cigarro e conversaram sobre coisas aleatórias, ou nem tanto. 


Falaram também sobre a tamanha ansiedade, e falaram sobre terem se colocado no lugar de seus fãs que amariam a notícia independente das músicas e convidados. 


- Aceita um Whisky? Ou sei lá o que você bebe ... 


- Run, pode ser um run. 


Jesse encheu um copo de whisky com run e entregou a Alex, que deu um gole e elogiou a qualidade da bebida. 


- Cansado ? - Perguntou Jesse.


- É ... Um pouco ...


- Pois eu estou, e muito. - Jesse sentou no sofá com o pulo, e com as pernas estiradas.- Ahr - bocejou. 


Os dois ficaram um pouco bêbados depois de uns drinks. 


Mas mesmo bêbado Alex reparou em uma coisa. Jesse não tinha vestido nada por baixo de seu roupão. Ele ficou atordoado, o músculo estava solto embaixo de suas pernas e aquilo não tinha como ser evitado. 


Jesse se estirou mais ao sofá, que era reclinável, e abriu suas pernas. Alex não sabia o que dizer. Ficou com medo de olhar, Jesse podia estar fazendo algum jogo proposital. Então...


Ele decidiu avisá-lo.


- É ... Jesse...


-Diga-me... 


-Você está sem roupa por baixo...- Foi o que saiu.


- Ah, puta merda. Eu sempre esqueço de colocar uma cueca. - Falou rindo. - Sou um pouco atrapalhado, digo, não sou pontual a ponto de vestir uma calça as 14:00 horas da tarde. A hora que marcamos. Tenho costume de andar pelado pela casa. - Enquanto ele falava, procurava uma cueca em sua mala. Tudo isso na frente de Alex. - Devon já alertou sobre esse mal costume, mas eu não dou ouvidos. Achei- Ele deu um grito ofegante. - Tinha guardado elas em uma bolsa... Branca... Preta ? Ah não. Hahaha prata seria ótimo, mas não. - Jesse conversava sozinho. - Ah vai uma branca mesmo. - Ele pegou a cueca e vestiu, ainda na frente de Jesse, que estava perplexo. 


O corpo magro e tatuado de Jesse o fez abrir a boca. 


Uma cueca apertada cobriu o membro solto nas pernas de Jesse, que se sentou ainda de roupão, agora aberto. 


- Acho melhor eu ir. - Disse Alex, desconfortável.


- Por Deus, nem pense nisso. Você não vai ir embora, não tem uma hora que chegou...


- É... Mas é que...  


- Não diga mais uma palavra. Jesse levantou e levou os dedos aos lábios de Turner. 


- Okay... Eu fico. - Alex decide ficar depois de uma leve insistência. 


- Tem algo pra fazer ? Por que queria ir ? 


- Não ... É que ... Eu... - Alex olhou pro rosto de Jesse, e desceu o olhar para seu membro.


-Ah eu acho que já entendi. Você está desconfortável... - Era o que Alex estava de fato.


- É não posso negar. Fiquei com vergonha de te dizer.


- Merda mil desculpas de novo, não farei isso. Você reparou por muito tempo, ou ... Sei la ? 


- O que quer dizer com " muito tempo" ?


- Ah, vai ver você já estava olhando ...


- Ei, eu não estava olhando pra você. Só te alertei, pois percebi, e me senti desconfortável. 


Jesse levantou.


- Ah sim. Mas não gostaria de pegar nisso. ? - Ele levou a mão de Turner ao seu membro. - não precisa ter medo, pode apertar o quanto quiser, pode sentir o peso e tirar a cueca se quiser.


A mão trêmula e gelada de Alex, ficou sem movimento. 


- Ei calma - Jesse beijou seus lábios, e sussurrou em seu ouvido. - Isso não vai chegar ao ouvido de ninguém. Só quero que me sinta, ou que eu sinta você. Isso é bom, eu garanto, só tenho que averiguar se ... Jesse apalpou o membro de Turner com força. - ...se não está duro. É... Você está. Então está gostando disso. Tá vendo ? Não é tão ruim.


Alex não tinha dito uma só palavra até então...


- Eu ... Eu quero que me beije, e só pare quando eu mandar. - Alex disse com vontade e com um ar de dominante.


- Então sabe mandar não é mesmo ? Mas saiba Alex, que o que for feito em mim, será feito em você também. 


- Okay.


Jesse subiu no colo de Turner e deixou ser levado até o outro sofá.


Alex se encaixou em suas pernas.


- Tira, tira tira. - Disse Alex. - Ou eu mesmo tiro. - Ele retirou o cinto e o jogou.


- Isso é um absurdo, você é maior que eu ? - Disse Jesse indignado ao colocar a mão por dentro da calça de Alex .


- Não, você não sabe.


- Ah conta outra "macaco do ártico", eu estou acostumado com isso... - Ele se calou quando percebeu que havia falado de mais.


- Então ... Já fez isso. - Alex o questionou com um sorriso no rosto. Não teve uma resposta. - É ... Você com certeza fez isso. Agora com quem...


- não me coloque a isso. - Disse Jesse com um ar de súplica.


- Um garoto de programa ? - Jesse negou. 


- Algum empresário ? - Ele negou.


- Serviçal ? 


- não


- Algum pedido de Devon ? 


- Não seria má idéia... Mas não.


- Perai, Porra, você já pegou alguém da banda... - Ouve um curto silêncio. - Sim... Foi isso. Zach ? 


- Não eu não vou responder isso.  


- Ah vai.. Bryan ? Mikey ? Brendon então ? Ou... Todos... Ou a maior parte. 


- É Alex é isso, eu já fodi com The neighborhood inteira. 


- Isso me excitou de uma forma que você não tem noção. - Disse Alex. - Então você sabe muito sobre paus.


- É, e sei que você é um dos maiores. - Sorriu.


- Eu ainda acho que não.


- Tira da cueca, vamos ver. - Alex fez. E ele também.


Os dois ficaram lado a lado com seus pais apontados para cima. 


- Eu sou maior, mas vamo seu chega perto.- Disse Alex 


- Pelo menos meu saco é bem mais volumoso que o seu. - Disse Jesse. Isso saiu mais engraçado do que deveria, Alex riu como um idiota. 


- Okay okay, "parø". Vamos logo, eu estou mais duro que pedra.


- Ah é? - Alex levou a sua mão até o pau de Jesse e apertou. Jesse deitou no sofá e deixou ele fazer o trabalho pela primeira vez. 


Ele fez movimentos lentos o que era mais excitante. Olhou nos olhos de Jesse e confirmou que colocaria sua língua na glande avermelhada dele. 


Jesse soltava algo que poderia ser chamado de gemido. Os dois estavam molhados literalmente.


Era como uma tensão na adolescência, o medo de alguém entrar, o medo de ser descoberto, o tesão de dizer que " ficaria ali pra sempre".


Alex não estava aguentando. 


Ao descer pôde concordar com Jesse. Aquele saco era realmente volumoso. Ele segurou e chupo cada lado daquele lugar. 


- Caralho, como isso é bom. - disse Jesse acariciando os cabelos de Turner, que saiu dali e beijou com vontade os lábios molhados de Jesse Rutherford. 


Desceu até o seu pescoço e fez questão de deixar um beijo em sua tatuagem de triângulo. Ele estava preparado pra sugar a pele, quando Jesse o repreendeu. 


- Tá louco ? Eu tenho uma namorada que me beija aí toda noite. Ela vai desconfiar.


- Eu não estou nem aí pra Sua namorada. 


Ele chupou aquele local e deixou uma vermelhidão aparente. 


Foi descendo aos poucos até chegar em seus mamilos, onde passou a língua de leve e provocou mais arrepios. 


Ele foi descendo até o seu abdômen, deixou mais um chupão na sua virilha. 


E foi até seus pés, onde descobriu um fetiche. 


Aqueles pés com veias a mostra, e ossos longos hipnotizou Alex, que chupou todos os dedos e peito (do pé) 


Ao olhas pra frente descobriu uma paisagem. Jesse com sua pernas abertas mostrou alegria pra seus olhos e dureza pro seu membro. 


Ele subiu e parou a língua na divisória dos testículos e ânus. Fez um sinal com a cabeça, e Jesse concordou. Abriu as pernas ainda mais e deixou sua entrada a mostra. 


Alex se viu hipnotizado mais uma vez, colocou seus dedos molhados de uma vez, três deles. Jesse sentou prazer, dor e riu.


- Vai logo, eu sei que é o que você quer. - Disse Jesse. 


E Alex fez isso. Pressionou a sua língua o mais forte que pode em seu ânus. Jesse deu gemidos rápidos como se fosse chegar ao ápice. 


Alex levantou e abaixou a cueca branca fazendo deu membro rígido saltar mais uma vez. 


Jesse salivava


Um dia quente, e uma sala resumida a suor e prazer. 


- calma Turner. - Jesse fechou as pernas e se lavantou. Passou a mão ao ar como fosse dar ênfase a algo. Seu olhar era filosófico.


- Isso não parece como a primeira vez ? 


- como ? 


- a primeira vez que alguém lhe toca, a primeira vez em que percebe estar fazendo algo que não é tão aceito? Enfim estou me sentindo assim. 


Jesse voltou para sua posição. 


- Pode continuar o que estava fazendo, quero sentir você na minha boca 


Alex sorriu.


- Okay...


Turner subiu no sofá numa posição que realçou sua parte de trás. Seu membro ficou a frente do queixo de Rutherford, que agarrou aquilo olhando no fundo dos seus olhos e colocou na boca. 


A boca quente de quem já cantou bastante diante a um microfone.


Alex estava sendo malzinho naquele momento. Estava destruindo uma garganta. Mas Jesse queria aquilo. Queria ser fodido com força, pelo vocalista da banda rival a sua.


Ele encostou um de seus dedos na entrada de Alex que sorriu e balançou a cabeça pra cima e para baixo. 


Jesse deu algumas deslizadas mas não entrou, era muito apertado pra isso. 


Ele sentiu medo naquele momento. 


Era o maior pau que já viu em sua vida. 


- Comece logo com isso. Se é pra sofrer, que eu sofra logo. - Jesse disse de uma maneira penosa e excitante. Turner riu com um ar de : "pode deixar, e pode apostar que você não vai sair sem sofrer"


Alex Turner deu um pulo do sofá. Jesse abriu mais as pernas e as subiu para cima. 


- não, não. Não te quero nessa posição. Vira. Te quero de quatro como uma cachorra pra mim. - Aquilo foi de se ficar indignado. Mas Jesse apenas sorriu mais uma vez, um sorriso estúpido com a língua pra fora. E com passos lerdos se posicionou de 4 no chão, olhando pra trás, curioso pela iniciativa de Turner.


Ele sentiu dois dedos entrando nele. E percebendo o sorriso Alex fez questão de enfiar outros dois, provocando um prazer inevitável em Jesse.


- Ah acho que agora você que terá "problemas com o papai" - Aquela frase irônica fez os pêlos de todas as partes de Jesse arrepiarem. 


- Eu podia ter dito que não iria sugar poeira, - Retrucou Jesse. - E sim um p...


- Cala a boca. - Alex pressionou os dedos forçando-os a entrar fundo.


- Coloque mais pegada nas suas letras Alex Turner. 


Alex tinha que enfiar logo o seu pau naquele homem. E assim fez.


Deu uma velha e ágil cuspida, que fez a entrada de Alex vibrar, abrindo e fechando por um milésimo de segundo. 


- Colocarei mais pegada nas minhas letras apartir de agora. 


Alex agarrou Jesse pela cintura, e estou seu membro entrar em um lugar quente e apertado. Estava gostando. A sensação de acabar com um local, era prazerosa. 


Jesse retorcia o rosto, fazendo caras e bocas, soltando gemidos e resmungos bons, resmungos de quem estava gostando do que estava recebendo.


- Eai J, isso é pegada pra você ? Am ? - Alex perguntou de uma maneira provocante, e ofegante. 


Jesse respondeu, mas não com palavras. Os dois suavam como no final dos seus shows.


Alex abaixou mais a sua cueca e soltou seus testículos. Fazendo o peso bater sobre as nádegas de Jesse, que já estavam absurdamente avermelhadas. 


Aquilo durou por pouco tempo. Alex saiu de dentro de Jesse, e sentiu que seria a sua hora.


- Deita. - Ordenou Jesse mostrando que também sabia dar ordens.


Alex deitou sobre o sofá. 


Ele tinha uma bunda com nádegas carnudas. Uma bunda maior que a de muita gente. 


Seu pau escapava por trás, estava quase duro, não tão mole.


Sua cueca estava um pouco abaixo de tudo.


Jesse estava hipnotizado. Pode-se disse que a saliva caiu dentro de Alex.



Ele começou com uma trilha, indo do seu membro até a as duas bochechas se é que pode se chamar assim. Ele entrou por ali, sentindo com seu rosto os pêlos que ficaram em pé.


Turner tremia de tesão, e medo é claro.


Jesse pegou firme em cada parte, e abriu. A visão que teve sobre aquilo fez seu pau ir de firme pra pulsante. 


Uma entrada rosa, apertada e com alguns pelos, piscava sabendo que seria invadida sem escrúpulos e pudor. 


Alex estava em estado de euforia, e excitação. 


Jesse deu uma tapa forte na nádega esquerda, fazendo Turner encolher os glúteos e voltar ao normal. 


Sua bunda era empinada sem querer, mas Jesse fez questão de pedir pra ele empinar mais um pouco. 


Alex empinou, aquilo era impressionante. 


Sua grande lingua molhada passou sobre aquele local, lubrificando e preparando o que iria acontecer. 


Um primeiro dedo foi colocado. E Alex soltou um gemido e um palavrão. Até sua voz era submissa à ação. 


Jesse bateu de novo em uma das nádegas. 


- É chegou sua hora.- Ele sussurou, praticamente gemeu no ouvido de Turner, que arrepiou os pêlos de todas partes de seu corpo, sem exceção.


Um membro extenso, com uma glande bem avantajada roçou sobre aquela estrada fazendo movimentos de vai e vem.


- Da pra i-ir logo? - ex gaguejou, parecia tesão. 


-Não é você que manda mas, é você...- Ele colocou seu pau, não tudo mas colocou, Alex gritou. -...que manda. - Terminou ele a frase.


- N-não faça is... - Jesse colocou o resto e apertou o lábio inferior com os dentes. 


- não faça o que ? 


Seu pau pulsava naquela bunda apertada de Turner. A força brusca em que colocava o pau era de impressionar. Os dois única mais se olhariam da mesma maneira.


- Eu, eu vou.- Disse Jesse.


- Não você não vai.


- Eu fui. - Disse Jesse depois de tirar seu membro de dentro. Tinha deixado uma surpresa. Colocou de novo empurrando o líquido quente e viscoso de volta.


- Tá, foi legal e tudo mais... - Jesse disse enquanto vestia a cueca.


- Perai, o que ? 


- O que, o que ? 


Alex levantou.


- Eu ainda não gozei. Eu vou gozar.


- Ah que seja. Eu tô indo.


- Fica aí. - Alex deu um tapa no rosto de Jesse, fazendo o mesmo se submeter a ficar. 


Com a cueca na coxa Turner abaixou-a. E começou um vai e vem com a mão. As veias do seu pau duro pulsavam.


- Aqui, põe a mão aqui. - Ele pegou a mão de Jesse e a colocou em seu saco. Jesse pegou firme naquilo, e explorou mais aquela área, indo até a entrada com dificuldade. 


Quando o dedo começou a entrar, Alex gozou na cara de Jesse que sentiu o jato firme e quanto desser com muita quantidade até a sua boca. Ele engoliu. 


Alex respirou, se limpou com a blusa e subiu a cueca preta. 


Os dois se olharam e com um breve "é, isso foi bom" saíram. 


[...]


O álbum fora lançado, e sem nenhuma surpresa fez o alvoroço dos fãs, contando com Lana del rey na primeira das 10 músicas do álbum. A música era bem erótica, será que Lana sabia afinal o que tinha rolado entre os dois ? 






Notas Finais


Tchau kskskskksksks não ri. Parø


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...