História Alexander Morgenstern! - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Clary Fairchild (Clary Fray), Hodge Starkweather, Isabelle Lightwood, Jace Herondale (Jace Wayland), Jocelyn Fairchild, Magnus Bane, Raphael Santiago, Sebastian Verlac (Jonathan Christopher Morgenstern), Simon Lewis, Valentim Morgenstern
Tags Alec, Alexander Lightwood, Amor, Anjos, Clace, Climon, Isabelle Lightwood, Izzy, Lightwood, Magnus Bane, Malec, Morgenstern, Novela, Romance, Sizzy
Visualizações 270
Palavras 1.614
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Lemon, LGBT, Literatura Feminina, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Slash, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu prometi que não ia demorar pra postar mas demorei, desculpem! Mas estou muito ocupada com as coisas da escola esses dias!😢❤

Capítulo 9 - Capítulo 9


Fanfic / Fanfiction Alexander Morgenstern! - Capítulo 9 - Capítulo 9

P.O.V Magnus 

-Aqui está!- falei entregando um frasco de poção para Dorotheia.

-Obrigado Magnus!- ela disse sorrindo.

-Tá bom, agora pode ir.- falei grosso, odeio ela.

-Magnus eu queria saber se podemos repetir aqula noite?- ela perguntou mordendo os lábios.

-Não Dorotheia! Vá embora!- falei arrastando ela para o lado de fora. Fechei a porta na sua cara antes que ela pudesse dizer alguma coisa.

Respirei fundo, estou exausto! Só quero me deitar e dormir agora. 

Dei um passo para frente e ouvi a campainha tocar novamente, bufei com raiva. Abri a porta com um movimento brusco. Do outro lado da porta estavam três shadowhunters, uma mulher mais velha, uma garota morena muito bonita e um garoto loiro.

-Magnus Bane?- a Shadowhunter mais velha perguntou.

-Sim, oque vocês querem?- perguntei.

-Sua ajuda!- 

-Uma shadowhunter pedindo ajuda para um Submundano? Isso é Novo.-  falei rindo.

-Porfavor!- ela suplicou chorosa.

-Ah, entrem!- falei massageando a tempora. 

Eles entraram e nos sentamos na sala. Peguei uma bebida para mim.

-Quem são vocês?-perguntei.

-Sou Maryse lightwood, esses são Isabelle e Jace, meus filhos.- ela disse nervosa.

-Querem?- perguntei mostrando uma garrafa de whisky. Todos negaram.- então... porque estão aqui?- 

-Quero sua ajuda para encontrar meu filho!- olhei para Meryse, e depois para Jace.

-Seu filho esta aí!- apontei para Jace confuso.

-Não esse, o meu outro filho! O filho que eu abandonei a 25 anos atrás...- a olhei indignado. Como assim?!

-Não tem uma lei contra isso?- perguntei ainda indignado, porque alguém abandonaria seu filho?

- porfavor Magnus eu só quero que você me ajude a encontrar meu menino!- ela falou derramado uma lágrima.

-Tudo bem! Oque você trouxe dele?- perguntei.

-Então... Não temos nada dele!- falou Isabelle.

-Então eu sinto muito mas não posso ajudar!- falei.

-Deve haver outro jeito! Porfavor!- suplicou Jace.

-na verdade...Ah um outro jeito, mas eu preciso do seu sangue e do pai do garoto!- falei olhando para Maryse. Ela engoliu em seco.

-Eu não sei onde ele está!-

- Meu Deus! Aí fica difícil Maryse!- Falei de olhos arregalados.

-Eu vou descobrir!- ela disse.

-Ótimo! Descubra e volte amanhã com o sangue dele!- falei e fui até a porta.

Depois que eles foram embora fui direto para o meu quarto. Me joguei na cama e peguei no sono.

                《♡♡♡》

P.O.V Maryse 

Preciso achar Rômulo, mas onde ele pode estar?

Como vou convencer ele a vir até aqui?

****

Voltamos para o Instituto e fui direto para os computadores. Procurei o nome dele nos registros, depois de alguns minutos procurando eu o achei, ele está no comando do Instituto da grã Bretanha. Nossa... ele é casado e tem duas filhas... senti meus olhos marejarem, nós podíamos ter tido isso juntos.

Mas eu amo Robert, ele me deu Isabelle e Jace. Ele me fez feliz novamente. Eu o amo demais. Sem ele eu não teria chegado até aqui, tenho certeza.

Fui para minha sala, onde fica o computador principal, ao lado dele tem um telefone. Peguei ele e disquei o número do Instituto da grã Bretanha. Chamou duas vezes e então uma voz grave atendeu.

-Olá!- é ele, é Rômulo!- Alô?- 

-Ah, olá!- falei sem jeito.

-Maryse?- ele perguntou parecendo surpreso.

-Sim, só pra ter certeza, é o Rômulo?- perguntei incrivelmente fria.

-S•Sim!- falou gaguejando.

-Ótimo eu preciso de um favor seu! -falei direta.

-P•Pode fa•falar!- disse Rômulo.

-Preciso que você venha para cá, não precisa ficar nem um dia inteiro se não quiser,  o Instituto precisa da sua ajuda! Está acontecendo uns ataques aqui que tem ligação com pessoas da grã Bretanha. E precisamos de alguém do Instituto daí para nos ajudar! E achamos que você é a melhor opção- sei que não devia mentir, mas tenho quase certeza de que ele não me ajudaria se soubesse oque eu realmente quero.

-Tudo bem, eu posso ajudar, mas quando eu tenho que estar aí?- ele perguntou.

-Amanhã, cedo de preferência! Desculpe por estar lhe comunicando tão encima da hora.- falei.

-Okay, vou pedir para o alto feiticeiro fazer um portal e amanhã cedo chego aí.- ele disse.

-Ótimo!- desliguei o telefone antes que ele falasse mais alguma coisa. Caí  sentada na cadeira. Meu Deus, faler com ele depois de tanto tempo é estranho.. e me trouxe uma sensação ruim no peito, mágoa!

                  •○●●○•

Não consegui dormir.

Passei a noite toda acordada.

Pensando. 

Pensando em Lucas.

Pensando em Rômulo.

Pensando em tudo.

Quando era cinco da manhã decidi levantar da cama, fui no banheiro, tomei um banho relaxante, e sai para tomar café.

Fui para o escritório, li algumas papeladas, assinei algumas coisas. E quando vi já eram sete horas. O tempo passa rápido quando estou trabalhando, isso é bom e também é ruim.

Ouvi batidas na porta.

-Entre!- falei.

Underhill o chefe da guarda do Instituto entrou.

-Rômulo Queen está aqui! Ele disse que veio ver a senhora!- meu corpo gelou. Ele veio mesmo.

-Diga que eu já estou indo.-falei tentando não demonstrar meu nervosismo.

Levantei e respirei fundo, ajeitei o meu vestido, alisei meu cabelo. E então com as pernas trêmulas eu saí do escritório, encontrei Jace e Isabelle no meio do caminho, e contei para eles que Rômulo tinha chegado. Eles disseram que iam me esperar no escritório. 

Fui andando até a entrada, Rômulo estava parado lá. Ele abriu um pequeno sorriso quando me viu, e soltou um suspiro quando seu olhar recaiu na minha mão, onde estava a aliança de casamento.

-Me acompanhe senhor Queen!- eu disse. Senti seu olhar queimando nas minhas costas quando estava caminhando. Sentia o suor escorrendo nas minhas costas. O nervosismo me fez tropessar nos meus próprios pés as vezes.

Abri a porta do escritório, Isabelle e Jace levantaram das cadeiras e encaram Rômulo com raiva. E então percebi que Robert também estava lá. Sorri para os três, eles sempre estão aqui para me apoiar.

-Pode se sentar senhor Queen.- falei.

-Porfavor me chame de Rômulo, Maryse.- ele disse com um olhar triste. Olhei para suas mãos encima da mesa, nenhuma aliança, como assim?

-Porfavor me chame de Senhora Lightwood! Rômulo- falei seu nome com repulsa. Não sei porque mas sinto raiva de Rômulo, muita raiva.

 Rancor, Raiva, Medo, Amor, Ansiedade, são tantos sentimentos misturados agora que acho que vou explodir.

-Espere um momento Rômulo!- falei.

Peguei o telefone com as mãos trêmulas. Disquei o número de telefone do Magnus. Preciso que ele venha até aqui.

-Alô, Magnus?[...]Sim Sou eu [...] queria saber se você pode vir aqui [...] Sim agora [...] me desculpe Magnus mas eu consegui trazer ele pra cá e preciso da sua ajuda[...]tudo bem [...] certo até logo.- terminei a ligação e olhei para Rômulo, ele estava olhando para Robert, Jace e Isabelle. 

-Então que ataques tem ligação com o meu pessoal?-Rômulo perguntou olhando novamente para mim.

-Nenhum!

-Como assim?- perguntou confuso.

-Você não veio para cá por causa de alguns ataques. Você veio porque preciso da sua ajuda para encontrar nosso filho.-Robert coçou a garganta. Rômulo me olhou indignado.

-Nosso filho? Nós não temos um filho Maryse!- ele falou.

-Eu só preciso de um pouco do seu sangue e você já pode ir embora!- falei calma.

-não vou te dar meu sangue! Esse filho não é meu! E porque você precisa encontrar o garoto? Esse aí não é seu filho?- perguntou apontando para Jace.

-Jonathan é adotado, a vinte e cinco anos atrás no dia que o NOSSO filho nasceu eu o abandonei! Porque achei que nao fosse conseguir cuidar dele sozinha. E agora eu quero encontra-lo.- falei começando a ficar brava.

Rômulo pareceu levar um tapa. Arregalou os olhos e me olhou assustado. Mas em menos de uma fração de segundo sua expressão mudou. Me olhou com raiva.

-Eu já disse que aquela criança não era minha!- ele quase gritou.

-Então porque você não dá o sangue para ela e nós vemos o que acontece. Se o filho não for seu o rastreamento não vai dar certo, se ele for seu nós vamos encontrar meu irmão!- falou Isabelle revoltada.

-Tudo bem! Vou provar que aquela criança não é minha!- Rômulo falou.

Nesse exato momento Magnus entrou pela porta. 

-Vamos logo com isso, eu quero voltar para casa e dormir!...É esse aí?- ele perguntou olhando para Rômulo. Assenti com a cabeça. -Eu preciso de um espaço maior! Vamos em outro lugar.- ele falou saindo do escritório.

-Quem é esse?- perguntou Rômulo mau humorado.

-Magnus Bane, ele vai fazer o feitiço de rastreamento.- falei.

Todos nós seguimos Magnus até a sala de treinamento.

-Eu preciso de um mapa! Um mapa dos EUA! É o máximo que eu posso rastrear ele, se ele não estiver nos Estados Unidos eu não vou poder achar ele.- assenti com a cabeça cada vez mais nervosa.

-Jace busque o mapa!- falei.

Depois de alguns minutos Jace voltou com o mapa nas mãos, ele entregou para Magnus que pegou e colocou estendido no chão. 

-Venham até aqui!- Magnus chamou a mim e a Rômulo.-Me dêem suas mãos!- Estentemos as mãos e Magnus cortou um pouco das duas palmas de cada uma das nossas mãos, inclusive das suas, com uma adaga pequena. 

-Segurem nas minhas mãos, Maryse eu quero que você pense no seu filho, na gravidez, no nascimento, de tudo oque você lembra. E Rômulo eu quero que você pense em Maryse, em tudo oque há já passaram juntos Okay?-  assentimos juntos.-Fechem os olhos.- fiz oque ele pediu.

Me concentrei e pensei em Lucas, nos seus olhos azuis, na sua pele pálida, na sua boquinha vermelha. Meus olhos marejaram novamente.

Me segurei para não chorar. 

Magnus soltou nossas mãos bruscamente. Olhei para o mapa. Ele estava completamente queimado, menos um pequeno pedaço. Ajuntei o pedaço do chão Nova York, estava escrito. Congelei, ele esta aqui em NY.

-Ele está aqui em NY?- perguntei chorando. 

-Sim-ele falou eu chorei mais, -só que tem mais, ele está aqui no Instituto!- Magnus falou. Arregalei os olhos.

-Senhora Lightwood desculpe atrapalhar mas o representante de Idris chegou!- Underhill falou e saiu da sala. Um moreno alto de olhos azuis entrou. E se parou olhando para todos nós como se fosse superior.

-Olá sou Axel Ransom!- ele falou com um sorriso diabólico.

Caí sentada no chão.

É O MEU MENINO!

É O MEU FILHO!


Notas Finais


Eai, gostaram?? Odiaram??
Comentem porfavor isso vai me ajudar a escrever e também me deixa muito feliz.❤❤
Até o próximo capítulo amores!🤗👋💋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...