1. Spirit Fanfics >
  2. Alfa e beta (Sciam) >
  3. Após a Tempestade

História Alfa e beta (Sciam) - Capítulo 32


Escrita por:


Notas do Autor


A primeira temporada está oficialmente encerrada, logo estarei voltando com a segunda temporada de Alfa e Beta.
Boa leitura hehe.

Capítulo 32 - Após a Tempestade


Fanfic / Fanfiction Alfa e beta (Sciam) - Capítulo 32 - Após a Tempestade

Assim que Makayla atirou na kitsune, Corey correu até o corpo da irmã com lágrimas nos olhos, infelizmente Amara não suportou e morreu em seguida. Harumi se aproximou e puxou o jovem Bryant dali que estava aos prantos. O garoto soluçava sentindo um dor terrível em seu peito, seus poderes estavam fora de controle o que fazia seu corpo oscilar entre visível e não visível o tempo todo.

Todos lamentaram a morte da garota que só queria se livrar do bando de assassinos e ter uma vida tranquila com o irmão. Já era madrugada e o cansaço tomava conta das pessoas que estavam ali, que foram em direção aos seus veículos depois de algumas horas de conversa.A alcateia McCall entrou no ônibus, cada um se sentando em um lugar vago, em completo silêncio. Parrish ainda estava atrás do veículo, vestindo as roupas que havia trazido já que suas anteriores tinham sido queimadas por completo. Assim que o cão do inferno entrou no veículo levou um susto ao ver a portadora do espírito de gelo sentada ao lado de Corey em um dos bancos, mas ignorou e foi até um lugar vago mais afastado.

Deaton terminava de fazer alguns curativos nos braços de Stiles que havia se ferido, mas nada tão grave. Em seguida o druida caminhou até Scott e Liam que estavam abraçados nos bancos de trás.

– Como vocês estão?– Alan perguntou.

– Estamos bem– McCall sorriu.

– Vamos checar só uma coisinha– Deaton se inclinou para frente– Liam, me mostre os seus olhos, por favor.

Dunbar se afastou um pouco do peito do alfa e ajeitou a postura, respirando fundo e se concentrando. Fechou os olhos por alguns segundos e depois os abriu.

– Isso é algo bom?– Scott questionou o druida, preocupado.

– Na verdade, sim– Alan sorriu. Os olhos de Liam estavam amarelos, mas com as bordas em vermelho forte– a ligação de vocês ainda existe e parece estável. Ainda não sei muito sobre isso, mas agora que teremos um tempo em paz, poderei pesquisar mais.

Deaton falou mais algumas coisas e depois voltou para seu lugar, na intenção de descansar.

– Sua mãe sabe, não é?– Liam perguntou depois que Scott beijou sua bochecha.

– Ela estava escondida com o Corey, então deve ter visto– O alfa encarou Melissa que estava de costas, dormindo em um dos bancos– não sei como vou contar pra ela.

– Eu posso ajudar– Dunbar segurou sua mão– vou ficar do seu lado o tempo todo.

– Obrigado– McCall sorriu e beijou os lábios do menor carinhosamente– mas acho que só vou contar se ela perguntar alguma coisa.

– Scott, é a sua mãe– o beta riu– claro que ela vai perguntar.

Os dois se aconchegaram mais um ao outro, pegando no sono minutos depois.

–Você foi ótimo– Stiles cutucou o braço de Derek que estava sentado ao seu lado.

– Obrigado– o Hale respondeu ainda encarando as mãos, mas depois olhou para os olhos do outro e desceu até os curativos em seu braço – Como está?

– Vou sobreviver– Stilinski riu– se eu não soubesse me defender tão bem...

– Eu tive que te proteger a maior parte do tempo– Derek o interrompeu.

– Isso não é verdade!

– Claro que é!–O lobo afirmou um pouco irritado.

– Você tem provas por acaso?– Stiles ergueu uma sobrancelha.

– Olha o estado da minha camisa– Derek puxou a peça de roupa que estava colada ao corpo, ela estava toda rasgada e com manchas de sangue.

– Ah cara, essa camisa era minha– Stilinski resmungou– você precisa tomar mais cuidado com as minhas roupas se quiser que eu continue te emprestando.

– Eu não precisaria delas se não estivesse desse jeito– o Hale apontou para si mesmo.

– Cara, relaxa. O Deaton vai achar um jeito de te fazer voltar ao normal– bateu levemente nas costas do outro– além disso, gosto mais de você desse jeito.

– Como assim?– Derek perguntou, juntando as sobrancelhas.

– Você é menos ameaçador adolescente– Stiles respondeu, vendo o outro fechar a cara– mas não inofensivo– sorriu como se pedisse desculpas.

Depois de um tempo, a escuridão do céu foi interrompida por alguns raios de luz que vinham do horizonte. O sol nasceu aliviando um pouco daquele frio que fazia naquele ambiente desértico. Braeden dirigiu o caminho todo, passando pela fronteira com mais facilidade e depois de mais um tempo, entrando em Beacon Hills.O veículo rodava pela cidade que parecia do mesmo jeito. Todos sentiam como se fizessem meses que não voltavam ali, talvez fosse a sensação de voltar ao lar. A mercenária parou na frente da clínica veterinária e abriu a porta para que todos descessem.

– O que vai fazer agora?– Scott perguntou para Makayla quando saiu do veículo junto dos outros–Já conseguiu o que queria.

– Bem...– ela olhou para cima e respirou fundo– acho que vou seguir pelo mundo com meu grupo, existem muitos outros bandos de sobrenaturais ruins causando problemas, alguém precisa fazer algo.

– Entendo– o alfa sorriu sem mostrar os dentes– obrigado pela ajuda.

– Eu que agradeço. Sem vocês, eles ainda estariam vivos e causando mais problemas– a loira suspirou e olhou para Harumi– Obrigado por ter me ajudado todos esses anos e por poupar minha vida naquela noite.

– Eu só queria fazer justiça para minha família e para todos que eles machucaram– a de cabelos curtos acenou com a cabeça.

– Corey, eu sinto muito pela sua irmã– Makayla se aproximou do garoto e o abraçou– eu sei que em todos esses anos vocês lutaram para proteger um ao outro.

Bryant deixou algumas lágrimas descerem por seu rosto, mas ele tentou se controlar quando seu corpo começou a oscilar novamente.

– Você é forte e corajoso, assim como ela foi– Makayla beijou a testa do garoto e o soltou– eu estou indo, vem comigo?–Ela olhou para a portadora do espírito de gelo.

– Desculpe, mas não– Harumi suspirou– preciso de um tempo para descansar depois de tudo isso.

– Você pode ficar aqui, em Beacon Hills– Scott propôs.

– Não parece uma má ideia– ela ergueu as sobrancelhas– mas não vou entrar para o seu bando.

– Eu não quis dizer isso– o alfa explicou, mesmo tendo pensado na possibilidade.

– Eu só quero aproveitar minha liberdade depois de anos presa com aqueles monstros– Harumi relaxou a postura.

– E você?– Makayla olhou novamente para Corey.

– E... Eu não sei– o garoto respirou fundo.

– Acho que você também precisa de paz– a emissária afirmou.

– Fica aqui em Beacon Hills comigo– Harumi falou.

– Sério?–Ele olhou esperançoso para a mais velha.

– Sim, eu só preciso encontrar uma casa e um emprego– a jovem revirou os olhos, mas deu um sorriso de canto.

– Eu resolvo isso, é o mínimo que posso fazer depois de todos esses anos– Makayla comentou.

– E eu aceito a ajuda– Harumi ergueu as sobrancelhas e sorriu.

Depois de mais alguns minutos de conversa, todos se dispersaram indo para suas casas. Liam foi para casa de Scott e Melissa. O alfa e o beta tomaram banho separados e depois se deitaram na cama do mais velho dormindo quase que imediatamente.Acordaram quando já era noite, por volta de oito horas. Os garotos ficaram mais um tempo deitados, abraçados. Depois de algum tempo trocando carícias, os lobos se levantaram e foram para o andar de baixo, entrando na cozinha e encontrando Melissa cortando alguns legumes na bancada, usando seu uniforme de enfermeira atrás do avental.

– Até que enfim acordaram– a mulher falou disse de um jeito acusador, mas segurando o riso.

– A gente tava cansado– Scott resmungou, ainda com a voz embolada por causa do sono.

– A senhora vai trabalhar agora?– Liam perguntou, notando o uniforme da outra.

– Daqui a pouco tenho que sair, mas estou preparando jantar para vocês. – Ela cortou mais alguns legumes com a faca que estava segurando.

– A senhora deveria descansar– Scott sugeriu.

– Eu perdi vários turnos quando fui atacada e passei um dia todo desaparecida, vocês não sabem o sufoco que eu passei para inventar uma desculpa por eu ter sumido do quarto do hospital– Melissa disse gesticulando e aumentando a voz como as mães fazem.

– E o que inventou como desculpa– Dunbar questionou timidamente.

– É melhor vocês nem saberem– ela disse com os olhos arregalados e depois cortou as hortaliças pondo em uma panela que estava no fogão com o fogo ligado.

Scott e Liam olharam um para o outro e riram, mantendo contato visual por mais alguns segundos depois.

– Ok!– Melissa aumentou a voz, chamando a atenção dos garotos– pra mim já deu.

– O que?–O alfa juntou as sobrancelhas, confuso.

– Acham que eu sou cega ou burra?–A mulher perguntou os encarando com os olhos estreitos.

– Como assim?– O filho questionou, deixando a adulta mais irritada.

– Qual é Scott, acha que eu não vejo esses olhares de vocês?– Melissa falou, fazendo o alfa arregalar os olhos e Liam engasgar com a própria saliva.

– Mãe, mas o que...

– Nem venham tentar me enrolar porque não vai adiantar. Quem vai começar a falar?–Ela perguntou, apontando a faca em suas mãos para os dois– andem.

– Mãe, a faca!– Scott alertou, assustado assim como beta ao seu lado.

– Ai meu Deus– ela percebeu que ainda segurava o objeto e o jogou na bancada– me desculpem– passou a mão no rosto.

A mulher tirou o avental e o colocou em um gancho na parede, indo a te a mesa em seguida e sentando de frente para os dois.

– Vamos lá, o que ta rolando entre vocês dois?– Melissa começou.

– Mãe...eu não sou gay... eh...–Scott se apressou.

– Eu sei que você não é gay, Scott. E não foi isso que eu perguntei– ela disse um pouco séria– já faz um tempo que notei algo rolando entre vocês, na verdade bastante tempo. Eu diria que desde aquela noite em que Scott te trouxe aqui depois do acidente– ela encarou o mais novo.

– Você está certa– o alfa suspirou encarando às próprias mãos para não ter que encarar Melissa.

– Eu sei que estou certa, eu sou sua mãe! Mas quero ouvir de vocês, poxa. Podem confiar em mim– a adulta resmungou como se estivesse chateado.

– Eu amo muito o Scott– Liam disse, fazendo os dois olharem pra ele com as sobrancelhas erguidas em sinal de surpresa.

– Ok, isso foi bem direto– a mulher piscou os olhos e balançou a cabeça– por que não me falaram isso antes?

– Eu estava com medo– o alfa respondeu suspirando em seguida.

– Medo de que?– Melissa questionou.

– De você surtar– Scott encarou a mãe por alguns segundos e olhou para o lado em seguida.

– Eu não surtei quando me contou quando me contou que era lobisomem– a mulher tentou argumentar.

– Você surtou sim– o alfa respondeu.

– Ok, falha minha,mas eu não surtaria por me contar que está se relacionando com outro garoto– Melissa justificou segurando a mão do filho– você sabe que pode confiar em mim.

– Me desculpa!– Scott sorriu para a mãe.

A adulta esticou o braço e pegou a mão de Dunbar que estava calado, tímido.

– Saiba que estou feliz que meu filho tenha encontrado um garoto tão incrível como você– ela apertou a mão do menor que sorriu, se sentindo mais calmo.

– Obrigado– Liam respirou, aliviado.

– Só mais uma coisa, vocês dois já...?– Melissa começou a falar, mas foi interrompida

– Mãe!!!– Scott falou em voz alta enquanto Liam arregalava os olhos com o rosto vermelho.

– Tá bem, me desculpem– ela riu e se levantou indo até o fogão e o desligando– tenho que ir para o trabalho– pegou a bolsa no armário– até de manhã.

Melissa beijou a testa de Scott e de Liam e saiu pela porta. O alfa respirou fundo, rindo e se aproximou do beta, juntando seus lábios.

– Que fofos– a senhora McCall falou os olhando.

– Mãe!!!– O mais velho resmungou novamente, mais envergonhado d que nunca.

– Ok, Ok. Já vou embora, juízo– ela sorriu e dessa vez foi embora, entrando em seu carro ao sair de casa e seguindo para o hospital.

-–Sua mãe é incrível– Liam deu risada.

– Para de rir, eu fiquei com vergonha– Scott empurrou de leve o braço do garoto.

– Eu também, mas deu tudo certo– o beta se aproximou e colou os lábios nos do maior, iniciando um beijo calmo.

McCall não deixou de pensar em algo enquanto beijava Dunbar, aquilo já o estava corroendo há dias. Ele se afastou um pouco, causando estranheza no mais novo.

– O que foi?– Liam perguntou, preocupado.

– É que eu... – o alfa se levantou, acompanhado do menor que fez o mesmo– Liam, a gente tá junto há um mês...

– Eu sei disso, mas o que tem a ver?– Dunbar questionou, olhando nos olhos do outro.

– Liam, eu te amo muito. Você me faz tão feliz e eu me sinto tão bem quando estou perto de você. Eu amo o seu sorriso, eu amo seu cabelo, amo os seus olhos, eu te amo. Não consigo me imaginar daqui pra frente sem você– o alfa segurou a mão do beta, que se arrepiou. – Namora comigo?

O mais novo arregalou os olhos e abriu a boca, paralisado.

– Liam?– Scott ficou preocupado e também envergonhado– você aceita?

– Sim!!– Dunbar respondeu assim que voltou a realidade– sim, eu quero ser seu namorado– sorriu extremamente feliz.

O alfa sorriu e segurou a nuca do beta, o puxando e colando seus lábios iniciando um beijo apaixonado.

– Eu te amo!– Liam exclamou ofegante separando o beijo e colando sua testa na do outro lobisomem.

– Eu também te amo– Scott respondeu com a voz arrastada e rouca, em seguida atacou os lábios do garoto novamente, o beijando com mais voracidade.

Dunbar segurou a nuca do mais velho com as duas mãos fazendo suas bocas se pressionarem com mais força. O alfa segurou sua cintura e apertou com força, fazendo Liam puxar os cabelos de sua nuca. Ambos já estavam eretos e seus membros pulsavam em suas bermudas em total excitação. Os garotos caminharam até chegar na parede onde Scott encurralou o beta, subindo sua mão quente por dentro da camisa dele e acariciando suas costas arranhando a pele daquela região levemente.Liam inverteu as posições, ficando livre para puxar a própria camisa e tirá-la, fazendo o lobisomem a sua frente arquear as sobrancelhas surpreso, mas sorrir em seguida. Trocaram olhares como se conseguissem conversar sem a necessidade de palavras e depois andaram para fora da cozinha trocando carícias, subiram as escadas devagar para não cair enquanto se beijavam e entraram no quarto do alfa.

Scott empurrou Liam lentamente até o garoto se deitar com as costas na cama e subiu em cima dele, atacando seus lábios novamente e mordendo em seguida. O menor colocou as mãos por dentro da camisa do outro e deslizou os dedos pelo abdômen do maior até chegar à borda do tecido, puxando o mesmo para cima. McCall entendeu o recado e tirou a peça de roupa, deitando por cima do menor. O contato das peles de seus peitorais causou arrepios em ambos que arfaram em resposta. O lobisomem mais velho traçou um caminho de beijos pela bochecha do garoto indo até seu pescoço onde deu algumas mordidas, sugando a pele daquele local fazendo marcas roxas. Liam pousou as mãos nas laterais do corpo do alfa e deslizou devagar até a barra de sua bermuda, descendo a mesma letamente. Scott tirou a peça de roupa e sorriu quando viu o mais novo arfar observando seu volume sob a cueca vermelha que usava. Voltou a beijar o pescoço do outro e desceu devagar até seu peito, passando por sua barriga e parando em sua roupa restante. McCall a segurou e puxou bruscamente, tirando tanto a bermuda quando a cueca branca.

Dunbar encarou fixamente os olhos do alfa e deixou um gemido alto escapar por seus lábios quando ele abocanhou seu membro sem aviso prévio. Era a primeira vez que Scott fazia aquilo, mas queria proporcionar o máximo de prazer ao seu parceiro.O mais novo apertava a colcha de cama com bastante força enquanto sentia a boca quente de Scott se movimentando em um vai e vem rápido. As garras de Liam saíram , rasgando as roupas de cama no processo. Quando olhou para baixo, viu que McCall o olhava fixamente com um olhar safado, que o fez gemer novamente enquanto o ar saia de sua boca.O alfa segurou as duas coxas do rapaz com firmeza o fazendo arrepiar e então aumentou a velocidade com que chupava o membro do outro. Ao perceber que ele estava perto de explodir em sua boca antes da hora, parou e subiu novamente, aproximando seu rosto do dele.

– Ainda não...– sussurrou com voz rouca, causando arrepios no beta.

McCall o beijou novamente de forma intensa fazendo suas línguas se entrelaçarem. Liam abraçou a cintura do outro e girou o corpo invertendo outra vez as posições. Dessa vez ele quem beijou o pescoço do alfa e foi descendo letamente até chegar em sua cueca Box vermelha que guardava seu membro pulsando de tanto tesão. Dunbar mordeu levemente o volume por cima do tecido e depois puxou a peça de roupa, fazendo o pau de Scott acertar seu rosto. Sorriu e depois admirou o tamanho daquilo tomando coragem e o colocando em sua boca.

No inicio seus movimentos eram desengonçados, mas o lobisomem mais velho segurou sua nuca e o auxiliou naquele vai e vem. Os corações dos dois garotos estavam acelerados assim como seus corpos suavam e se arrepiavam com cada toque.Minutos depois, Liam subiu e voltou a beijar Scott enquanto seus membros se esfregavam e pulsavam um contra o outro. Os dois lobisomens estavam excitados demais, aproveitando as carícias e suas peles em contato emitindo calor uma para a outra.

Scott deitou Liam na cama e ficou outra vez por cima, o encarando nos olhos.

– Você confia em mim?–O alfa perguntou de um jeito sereno, recebendo um aceno positivo do outro.

Dunbar fechou os olhos e respirou fundo, sentindo o McCall entrando lentamente nele. Apertou novamente a colcha de cama com suas garras e suspirou quando sentiu que Scott já havia entrado totalmente.O alfa se aproximou, beijando Liam carinhosamente enquanto começava a movimentar seu quadril para frente e para trás, entrando e saindo dele. Os olhos do beta brilhavam em amarelo com bordas vermelhas enquanto ele sorria.Os gemidos de ambos tomavam conta do quarto, poucos minutos depois eles já estavam realizando movimentos rápidos e violentos que faziam a cama balançar como se fosse desmontar a qualquer momento.

Scott puxou Dunbar passando seus braços em volta do corpo dele, usando seu corpo para subir e descer o garoto fazendo seu membro penetrá-lo. Os dois voltaram a se beijar, mas de uma forma tão intensa que seus olhos brilhavam e suas garras ficaram a mostra.

A velocidade das estocadas aumentava cada vez mais enquanto suas línguas brigavam em suas bocas. O beta separou o beijo e começou a gemer com mais intensidade, anunciando que estava perto de seu ápice. Aquilo foi a deixa para McCall aumentar a força e rapidez de suas investidas.Liam gemeu intensamente com uma voz grave, jorrando seu líquido viscoso branco na barriga do alfa. Scott continuou os movimentos por mais um tempo até chegar em seu limite, gozando dentro no menor.

Os dois suspiraram e deitaram na cama, um de frente para o outro sorrindo. O alfa segurou a mão e seu beta e a beijou carinhosamente, puxando o menor para perto de si em seguida. Ambos ficaram assim em silêncio por alguns minutos até que adormeceram.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...