História Alfa.Destinados. ABO. imagine Kai - Capítulo 21


Escrita por: e SheWolf___

Postado
Categorias Blackpink, EXO, Lee Taemin, Mamamoo, SuperM
Personagens Baekhyun, Byun Baek-hyun (Baekhyun), Do Kyung-soo (D.O), Huang Zitao (Tao), Hwasa, Jennie, Jisoo, Kai, Kim Jong-dae (Chen), Kim Jong-in (Kai), Kim Jun-myeon (Suho), Kim Min-seok (Xiumin), Lee Taemin, Lisa, Lu Han (Luhan), Lucas, Mark, Moonbyul, Oh Se-hun (Sehun), Park Chan-yeol (Chanyeol), Personagens Originais, Rosé, Solar, Taemin, Taeyong, Ten, Wheein, Wu Yifan (Kris Wu), Zhang Yixing (Lay)
Visualizações 215
Palavras 2.558
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Repararam alguma coisa diferente? Sim! A fanfic mudou de capa e banner. Estou muito apaixonada. Só tenho a agradecer a @KakauXx por ter feito ela pra mim. Ficou muito lindaaaaa♡
©Boa leitura.
®Não revisado.

Capítulo 21 - Família misturada ( O que você faz por amor.)


Fanfic / Fanfiction Alfa.Destinados. ABO. imagine Kai - Capítulo 21 - Família misturada ( O que você faz por amor.)

                          — Kai.—

— Família misturada ( O que você faz por amor.) —

Ficamos até a tarde no telhado olhando as estrelas; era mil vezes melhor com ela ao meu lado. S|n não queria dormir depois que voltamos pra dentro, estava com medo que tudo isso; sua volta para casa, não passasse de um sonho. Mas depois que fizemos amor novamente, consegui convencê-la a descansar após afirmar que isso não era um sonho e sim a realidade. 

                          .......ℒℴvℯ

A luz do sol batia através da janela iluminando o quarto inteiro; S|n ainda estava dormindo abraçada ao lençol branco que cobria seus quadris, barriga, e seus seios.

 Os cabelos dela estavam bagunçados e espalhados por todo travesseiro, mais ainda desse jeito para mim, ela estava linda. Parecia um anjo dormindo serenamente sendo iluminada pelo sol da manhã que brilhava sobre seu corpo.

Não me contive levando a mão alisando a pele macia, dedilhando marca avermelhada em seu ombro onde eu havia voltado a mordê-la ontem a noite.

Fechei os olhos sentindo todo amor que ela sentia por mim, por mais que ainda estivesse dormindo eu consegui sentir tudo que estava passando por sua cabeça.

— Porque está me olhando assim? — Sorriu esticando-se sobre a cama fazendo o lençol escorregar deixando seus seios visíveis, haviam algumas marcas avermelhadas sobre eles. Marcas do amor nada lento que fizemos durante a noite.

— Porque eu gosto te ver acordando depois de passarmos a noite nos amando.

— Sei! — Faz uma carinha engraçada engatinhando sobre a cama sentando no meio das minhas pernas colando as costas em meu peito.

— Também gosto de ficar assim com você. — Sussurro em seu ouvido.

— Eu sei, também gosto.  Me sinto segura entre seus braços.

— Quer contar agora como toda essa loucura aconteceu? — Pergunto apoiando o queixo sobre a cabeça dela envolvendo-a em meus braços.

— Não sei muito bem como aconteceu. Eu estava aqui no quarto quando o Rosadinho apareceu jogando pedrinhas na janela.

— Rosadinho?

— O Hyungwon, filho da Liene e do Changwon. Ele veio com uma conversa estranha dizendo que iria me levar pra conhecer um lugar maravilhoso ao qual o "Hyung" dele não tinha me levado ainda. Eu presumi que ele estava falando de você!

— De mim, porque?

— Segue meu raciocínio. Um menino aparece do nada na janela dizendo que humanos são maus. Onde estamos? Em uma alcatéia cheia de lobos que me odeiam e odeiam humanos, o que queria que pensasse? E também tem mais, eu falei seu nome e ele concordou com a cabeça.

— Aigoo que estranho. 

— Mas de certo ponto tudo que aconteceu foi minha culpa, eu não deveria ter sido curiosa e nem ter quebrado a promessa que te fiz de não sair sozinha por aí. Desculpa. — Faz um biquinho. 

— Tá tudo bem agora.

— Não tá nada! Se eu não tivesse voltado pro meu corpo? Pensei que aquele menino era apenas uma criança indefesa ele não parecia querer me fazer mal…

— Mas fez. Esse menino te levou direto para a clareira das flores lunares mesmo sabendo que você é uma humana.

— Eu sei. — Suspira. — Mas uma bruxa, a mesma que me ajudou a voltar pra casa disse que eu fui vítima de um feitiço. Um feitiço de memória e de tempo então acho que o Rosadinho não tem culpa do que me aconteceu. — Morde os lábios se aconchegando mais em mim. — Ela disse também, que se meu laço fosse fraco eu teria atravessado completamente para aquele tempo.

— Quer dizer que o nosso amor te trouxe de volta pra casa. — Sorri.

— Kai?

— O que foi? Porque ficou tensa assim do nada? Posso sentir o medo exalando por cada um dos seus poros.

— O Suho estava lá. — S|n ficou toda arrepiada e começou a tremer de uma hora pra outra.

— Ei! Estou aqui, não precisa ficar com medo. — Eu deveria imaginar que haveria dedo daquele vampiro desgraçado nessa história. — O que ele tentou fazer com você, Chapeuzinho?

— Ele me mordeu e me transformou numa vampira também. — Arregalei os olhos. — Pensei que estava morrendo mas o Taemin e o Mark-lee me salvaram dele. Aquele Suho se parecia fisicamente com esse mas não eram a mesma pessoa… Digo, vampiro. Pelo menos ainda não tinha se tornado esse que é hoje.

— Como assim?

— Eu também não entendi muito bem quando ele me atacou pensando ser a Liene. Ele disse que odiava lobos, que eu. No caso ela; iria sentir o que ele sentiu. Acho que o ódio dele por nós vem de muito antes dos meus pais terem matado a mulher dele, achando que ela era uma vampira.

— Porque acha isso, Chapeuzinho?

— Porquê só estamos aqui por causa da Liene. Por ela ter sido a primeira humana a se apaixonar e envolver-se com lobos.

— Não. Nós não estamos aqui só por isso.

— Como assim, não? Estamos aqui porquê então?! — Vira o rosto para olhar em meu olhos.

— Porque somos a outra metade um do outro. Porque nos completamos. — Sorri selando um beijo em sua bochecha.

No tempo em que permanecemos no quarto S|n me contou tudo o que ela passou esses dias que estava dentro do corpo da Liene. Contou tudo sobre os lobos que conheceu, e o porquê de não se lembrar imediatamente de mim quando acordou após voltar.

Ela disse que gostaria de sabre como foi o reencontro da Liene, com o marido e o filho. E como a mesma reagiu a descobrir o que havia acontecido, agora ela seria uma vampira.

                           ........ℒℴvℯ

                                     — S|N —

Estávamos terminando de tomando café da manhã quando a porta da sala fôra aberta. Meus pais e os pais do Kai entraram em nossa casa juntamente com minha avó e Kyungsoo os cinco olharam na direção da cozinha antes de alguns se sentarem no sofá. Alguns porque a mãe do Kai ficou em pé, com os braços cruzados me encarando e o Kyungsoo, encostado na parede perto da porta ainda aberta.

— O que tá acontecendo? — Perguntei em pé entre os cômodos, Kai estava em pé atrás de mim com seus braços em volta da minha cintura.

— Só queríamos ver se você estava bem querida. Antes de irmos embora!

— Como assim? Embora e porque, pai?

— Recebemos uma ligação de um amigo ontem a noite, mas decidimos esperar amanhecer para poder nos despedirmos de você.

Minha mãe veio até mim ficando parada na minha frente,ela trocou olhares com o Kai antes de dar um tapa nas mãos dele para se afastar um pouco para que ela pudesse me dar um abraço.

 — Sei que que nunca fui uma mãe presente, mas isso não quer dizer que não te ame ou deixe de pensar em você onde quer que esteja.

— Mily! Fale por nós dois, não apenas por você. — Meu pai fez um biquinho e o abracei também.

— Eu sei que vocês me amam. Mãe, desculpe pelo que eu disse ontem, eu não era eu. Não totalmente. — Dei um sorriso amarelo.

— Tudo bem querida, eu sei que é verdade. Não precisa pedir desculpas por isso.

— Quando vou ver vocês de novo? 

— Quem sabe no natal! — Kyungsoo se pronunciou. — Famílias se reúnem no natal.

— E desde quando você é da família seu Corujão?!

— Desde que os seus pais também são meus. Eles me criaram desde que eu era uma criança, quando os lobos mataram toda minha família. Que tal você me considerar como seu irmãozinho mais velho. — Sorriu de canto.

— Irmão é o meu p…

— JongIn!

— Aish pai! Esse cara aí todo cremoso pra cima da Chapeuzinho. Ainda bem que ele já está indo embora.

— É...eu não vou embora. — Sorriu cínico.

— Como é que é?!

— Isso que você ouviu seu sarnento. Eu vou ficar pra proteger minha irmãzinha do Suho!

— Ela não é sua irmã! E não precisa que você a proteja! — Kai rosnou. — Eu posso proteger a minha mulher daquele desgraçado.

— Mesmo assim eu vou ficar, o Pedro quer que eu fique.

— Eu é a Mily não precisamos do Kyungsoo nesse trabalho e achamos prudente deixar ele aqui, mas não quer dizer que ele ficará morando na alcatéia de vocês. — Meu pai falou.

— Aí sobrou pra mim ter que aturar esse Corujão na minha casa! — Vovó falou dando um sorriso da cara que Kyungsoo fez. — Pelo menos terei alguém para cuidar do jardim. — Ela deu de ombros.

— Também já está indo pra casa Eomeoni?!

— Sim meu bem. — Tocou meu nariz. —  Não era nem pra ter ficado tanto tempo aqui, mas aí aconteceram aquelas coisas e viu no que deu.

— Não queria que vocês fossem.

— Eu sei querida. — Beijou meu rosto. — Vê se toma conta direito da minha neta JongIn, você não vai gostar de me ver com raiva.

— Agora. — Kai sorriu. — Uma vovó querendo me intimidar.

Eomeoni puxou a orelha dele não muito forte e senti a minha também arder.

— Aigoo Eomeoni! Não faz isso não, doeu em mim.

Depois de nos despedirmos todos entraram no carro e foram embora mas a mãe e pai do Kai ainda estavam sentados na sala de estar parados como duas estátuas.

                            ..........ℒℴvℯ    

                           —   Kai —

— Iria perguntar o que vocês ainda estão fazendo aqui, mas acho melhor apresentar a senhora pra Chapeuzinho, mãe.

— Se ela for como a mãe dela eu dispenso. Não muito obrigado.

As duas se encararam, minha mãe ergueu a cabeça e torceu o nariz fazendo um bico de desgosto.

— Cléo, S|n é da nossa família agora.

— Jungnam ! Ela não é da minha família, ela é da sua. Somos separados esqueceu?

— E por causa disso deixamos de ser uma família? Por acaso você fez o nosso filho com os dedos ou foi com o meu…

—Pai menos, bem menos. — Eu e a Chapeuzinho estávamos tentando conter o riso. — Não precisamos ouvir detalhes de como vocês me fabricaram.

— Mas ainda somos uma família sim, você querendo ou não querendo Cléo!

— Somos separados.

— Nós separamos porque você quis, não eu!

— Eu tive e tenho meus motivos.

— Aish! — Meu pai rolou os olhos olhando pra ela com o cenho franzido.

— Quer tomar um chá comigo ajusshi? — S|n perguntou segurando a mão de meu pai. — Eu vou fazer um pouco pra mim. — Ela deu uma piscadinha demonstrando o caminho da cozinha.

— Quero sim S|n, se eu tivesse casado com a sua mãe, talvez você fosse minha filha. — Ele sorriu. — Que tal você começar a me chamar de pai, sou o pai do seu marido mesmo.

— Idiota… — Minha mãe resmungou.

— Vamos para cozinha pai. — S|n falou negando com a cabeça porém sorrindo.

— Pai leva a Chapeuzinho lá pra sua casa; eu quero ter uma conversa com a mamãe.

— Comigo?

— É com a senhora.

— Depois eu volto Nini. — Trocamos um selinho. — Até, porque a senhora disse que não sou da sua família acho que não vou nem almoçar hoje. — S|n sorriu afrontando.

— Garota!

— Vamos logo S|n.

— Depois eu vou buscar você, então fica lá e me espera.

— Aigoo eu posso voltar pra casa, é tão pertinho.

— Só me espera lá está bem?

— Tá bom Nini. Tchauzinho.

— Acho que vou vomitar.

— Vocês duas podem para! — Falo.

— Quando terminar de conversar com a sua mãe meu filho nós temos que conversar seriamente sobre você e cerimônia de passagem.

— Pai eu…

— Devido a tudo que aconteceu nada foi resolvido acho que está mais que na hora de resolvermos isso. Te espero lá em casa. Vamos S|n.

— Tá bom.

Os dedos dela escorregaram por minha mão, sorri quando ela sorriu pra mim fechando a porta ao sair com meu pai.

— O que você quer falar comigo?

— Quero que pare de agir assim.

— Assim como? Estou agindo como sempre agi!

— Sabe do que estou falando.

— Não vou tratar aquele humana bem, nunca! E nem considerá-la parte da nossa família. 

— Porque? Porque a S|n é humana, só isso?!

— Não. Você sabe porque é. 

— Oh mãe, a senhora ainda não esqueceu isso? Vai ficar insistindo em remoer essa história até quando?

— Até o seu pai me pedir perdão. 

— Tão orgulhosa. 

— Sou mesmo! — Tenta fazer uma cara séria mas a mesma não dura muito tempo quando sorriu me abraçando. 

— Quando vai voltar de vez pra casa do meu velho. Acho que ele sente saudade da senhora.

— Morar na alcatéia do Kris fez bem pra mim.

— Mas não pra mim. Sabe que sinto sua falta.

— Mas você tem e sempre vai ter o seu pai. Aquele lobo velho e idiota as vezes mete as patas da frente pelas de trás, mais é um bom pai e um bom líder para essa matilha. Assim como você vai ser. — Acaricia meu rosto.

 " Se a senhora soubesse que estou pensando em desistir de tudo, não diria essas coisas." 

    ...........ℒℴvℯ

                              — S|N — 

— Então senhor Kim, o que pretende falar de tão importante com o Nini?

Estávamos na cozinha de sua casa, estava tomando um pouco de água sendo encarada por ele.

— Aigoo eu gostei tanto quando você me chamou de pai.

— Desculpa. Então pai o que quer falar com o Nini? Melhor agora?

— Melhor. — Sorriu. — Como você sabe ChanYeol é o beta do Kai. — Consenti. — Então, eu estava conversando com ele ontem a noite e descobri que meu filho comentou com ele sobre desistir de ser o novo líder da matilha…

— Como? Mas porque o Nini faria uma coisa dessa? Isso é o que ele mais quer. Ele não desistiria por nada nesse mundo!

— Sim, ele desistiria por uma coisa, por alguém que ele aprendeu a amar mais que a própria vida. — Aperto o copo de vidro na minha. — Ele está disposto a abrir mão por sua causa. 

— Mas…

— Você é a outra metade dele, sente tudo que ele sente e vice e versa. Meu filho está com medo de se machucar e acabar machucando você também.

— Ele não pode abrir mão do sonho dele por minha causa! Não sem falar comigo antes.

— Mas o Kai acha que assim está tomando a melhor decisão para ambos.

— Mais isso é o sonho dele...vou falar com ele e convencê-lo a não desistir.

— Ele não vai fazer isso. Sei como meu filho é cabeça dura como a mãe.

— O que eu posso fazer então? Se conversar não vai adiantar.

— Tem uma coisa. — Falou meio receoso. — Mas não sei se você vai querer aceitar..

— O que é essa coisa?!

— Você se tornaria uma de nós?

" Virar uma loba?!"

— Se você se transforma sei que o meu filho não vai se negar a participar da cerimônia, porque você não seria tão afetada sendo uma loba como será se continuar sendo humana.

— Deixar de ser humana para sempre? — Falo baixinho pra mim mesma.

— É uma escolha sua, não terá volta.


Notas Finais


Eitaaaaaa!
Então, querem que a S|n vire uma loba?
Isso só depende de vocês.rsrsrsrs.
Até o próximo. @_Chany_ My perfil.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...