História Alfas também sentem ciúmes - ChanKaiSoo (Exo) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Do Kyung-soo (D.O), Kim Jong-in (Kai), Park Chan-yeol (Chanyeol)
Tags Abo, Chankaisoo, Chanyeol, Fluffy, Kai, Kyungsoo, Mpreg
Visualizações 201
Palavras 1.410
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção, Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Uma fic cute cute pra sair um pouco da rotina ❤

Capítulo 1 - Capítulo único - Ciumentos


Fanfic / Fanfiction Alfas também sentem ciúmes - ChanKaiSoo (Exo) - Capítulo 1 - Capítulo único - Ciumentos

                  KyungSoo pov.

Jongin e Chanyeol sempre foram ciumentos, apesar de nunca admitirem isso, diziam: é apenas cuidado. Que mentira. Não podiam ver um alfa se aproximar, apesar de tudo, não era um ciume doentio, eu só acho que é medo, já que nós três lutamos tanto pra ficarmos juntos.

Mas é nisto que eu estou pensando agora, no ciúme, porque depois de um cio muito louco que veio adiantado, e do qual eu não lembro nem metade do que aconteceu, comecei a me sentir meio estranho, irritadiço, chorão e enjoado, muito enjoado. Tudo me deixava com náuseas, a comida, meu perfume, até o cheiro do desinfetante que usam no prédio onde eu trabalho. Fiquei desconfiado.

Então fui até uma clínica na primeira folga que tive, não queria contar aos alfas e fazer alvoroço, já que ambos viviam me pedindo um filhote e é claro, eu sempre neguei. O fato é, eu não me sentia nem um pouco preparado pra ser responsável por uma outra vida além da minha, por esse motivo eu estava nervoso sentado na sala de espera da clínica.

Eu via os ômegas entrando pra suas consultas com um barrigão, inchados, as vezes até trazendo outro bebê consigo, isso me deixava assustado demais. Suspirei pesado. Uma beta vestida de branco chamou meu nome, me levantei sentindo meu corpo tremer todo, ela me entregou um envelope com o resultado do exame.

Peguei e voltei a me sentar, fiquei uns bons minutos olhando pra o envelope antes de conseguir tomar coragem e abrir. Peguei o papel de dentro do envelope começando a ler coisas de termos médicos que eu nem sabia o que eram, mas lá em baixo estava o resultado: positivo.

Positivo. Positivo. Positivo. Positivo. A palavra ecoava na minha cabeça, coloquei a mão sob meu baixo ventre, eu realmente não conseguia acreditar, a ficha não havia caído, ainda mal dava pra sentir o cheiro do filhote, apenas uma diferença bem de leve no meu cheiro, somente alguém com um olfato bem apurado pra conseguir sentir. Ouvi meu celular tocar e pareci despertar, peguei o aparelho. Chanyeol. Respirei fundo e atendi.

— Alô? — minha voz estava um pouco trêmula.

— Oi amor, quer almoçar com a gente? — ele pergunta — Sei que você está de folga e quer descansar, mas a gente ta com saudade.

— Vocês estão sempre com saudade — disse relaxando um pouco, sua voz grossa tinha um efeito calmante no meu ômega.

— Isso é uma calúnia — o Kai diz, com certeza estava no viva-voz, os dois trabalhavam na mesma empresa — Vem, por favor.

— Tudo bem — digo — Encontro vocês no restaurante em frente a empresa.

— Tá bom, vamos estar te esperando — o Park responde — Te amamos.

— Também amo vocês.

Sai da clínica e peguei um táxi dando o endereço do restaurante, não era longe dali, fiquei olhando pela janela pensando na melhor maneira de falar isso aos alfas sem que eles tivessem um surto. Pelas minha contas eu já deveria estar terceira semana de gravidez.

O taxista estacionou em frente ao restaurante, o paguei e sai do veículo, entrei no estabelecimento e pela primeira vez em dias não enjoei com cheiro de frango frito, muito pelo contrário, senti uma fome descomunal. Procurei os alfas por entre as mesas percebendo que cheguei antes deles, me sentei e aproveitei pra pedir duas porções de frango e acompanhamentos. Muita comida? Talvez não. Quando os alfas chegaram eu já estava comendo como se não houvesse amanhã.

— Amor, você já pediu nossa comida — o Kai disse se sentando junto com o Chanyeol.

— Tira o olho da minha comida — digo de boca cheia e ele ri.

O Chanyeol pediu mais comida, o garçom era um alfa lúpus alto e pelo nome na sua roupa não era coreano, Wu Yifan, ele não tirava os olhos de nós três, primeiro eu achei que ele estivesse olhando pra o Jongin, mas depois percebi que era pra mim, não fui o único a perceber, o Park parecia cada vez mais incomodado enquanto comia.

— Esse cara não vai parar de olhar não? — ele diz já claramente enciumado, o Kai não parecia muito atrás.

— Calma, vamos só terminar de comer — digo terminando a comida que eu pedi, estava a ponto de explodir.

Eles suspiraram voltando a comerem apressados, as vezes era engraçado o ciúmes dos dois, imagina como não serão com o filhote, não quero nem imaginar se for um ou uma ômega. E se for mais de um? Meu deus.

Quando os alfas terminaram de comer, que por sinal foi bem rápido, ambos se levantaram pra pagar, já que eu disse que não havia trazido dinheiro, o que não era bem verdade, só que o dinheiro que eu tinha paguei o exame na clínica. Estava colocando minha jaqueta quando o garçom se aproximou.

— Boa tarde — ele disse.

— Boa tarde — respondi apenas por educação, seu cheiro natural estava embrulhando meu estômago.

— São seus irmãos? — ele pergunta apontando pra atrás de si onde os alfas estavam.

— Meus maridos — digo e ele assente com um aceno.

Ele se aproximou um pouco aspirando meu cheiro, sua expressão mudou um pouco, e ele abriu um pouco os lábios, ele era um lúpus claro que ia sentir o cheiro do bebê, me encolhi um pouco, os lúpus tendem a ser bem bravos.

— Algum problema aqui? — ouço a voz grossa do Chanyeol e suspiro aliviado.

— Não, nenhum — o lúpus responde.

— Então por que está flertando com o nosso ômega? — o Kai pergunta se pondo ao meu lado — Ele tem dois alfas. Não está vendo?

— Vocês dois não são nem metade do que eu sou — o garçom diz convencido — Além do mais eu criaria muito melhor o filho de vocês.

Acho que todo mundo no restaurante ficou surpreso quando eu quase pulei no pescoço do alfa, só não o fiz por ele ser maior que eu, meus alfas precisaram me segurar pra que eu não avançasse mais. Ninguém fala do Jongin e do Chanyeol, meu ômega ficou possesso, o tal Yifan ficou tão chocado que nem ao menos reagiu.

Meus alfas me tiraram dali o mais rápido possível, já que eu estava rosnando pra o garçom que ainda nos olhava estáticos, eles me levaram para empresa que trabalham e me colocaram sentado no sofá da sala do Jongin, me deram água e ficaram esperando eu me acalmar. Respirei fundo, ambos me observavam atentamente curiosos e me olhando confusos, eu nunca havia tido uma reação assim, mas meu ômega se sentiu ódio de ver aquele alfa falando dos appas do meu filhote. Eu precisava falar pra eles.

— Estou grávido — digo rápido para ambos que estavam sentados de frente para o sofá.

O Chanyeol quase virou pra trás com cadeira e tudo, o queixo do Jongin quase caiu do rosto de tão boquiaberto que ficou, os dois me olharam estáticos durante alguns minutos, eu me sentia nervoso de novo. Eles não iam falar nada não?

— Não brinca com uma coisa dessas Soo — o Kim falou.

— Não estou brincando — digo — Eu fui a uma clínica antes de vir almoçar com vocês... olhem.

Tirei o envelope dobrado de dentro do bolso da jaqueta e entreguei pra eles, o Park pegou o papel lendo com atenção, seus olhos se arregalaram quando ele chegou no final da página, ambos sussurram "positivo".

Aos poucos um sorriso bonito iluminou o rosto deles, eles se ajoelharam no chão e me fizeram encostar as costas no sofá, levantaram minha camisa e passaram a cheirar a região atrás de algum cheiro.

— Vocês estão felizes? — perguntei.

— Você ainda pergunta? — o Jongin responde — É claro que estamos, nós sempre pedimos um filhote.

— Achei que não estivesse preparado pra isso — o Chanyeol fala encostando a cabeça em uma das minhas coxas.

— E não estou, mas acho que nunca vou estar de verdade né — respondo — Se eu sempre ficar adiando nunca vou dar um filhote pra vocês, além do mais isso é culpa dos dois por não usarem camisinha enquanto eu estava no cio, agora vocês vão ter que me aturar gordo e chato.

— A gente esqueceu... — dizem em uníssono.

— Não tem problema — digo encostando minha cabeça no encosto macio do sofá e fechando os olhos.

— Você acha que vai ser menina ou menino?

— Alfa ou ômega?

— Não sei, está meio cedo pra dizer ou ter alguma certeza — respondi — Eu ainda nem marquei o médico pra acompanhar a gravidez.

— Tá bom — o Chanyeol fala — Mas de uma coisa eu tenho certeza.

— O que? — pergunto.

— Ele ou ela não vai namorar antes dos 30 anos.

— Ciumentos.


Notas Finais


Espero que tenham gostado ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...