História Alguém em Meu Lugar - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias A Feia Mais Bela, A Usurpadora
Personagens Fernando Mendiola, Letícia "Lety" Padilha Solís, Márcia Vilarroel, Omar Carvarral
Visualizações 120
Palavras 1.400
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 14 - A Verdadeira Inimiga


Leticia se sentiu estranha quando seus lábios se tocaram e fora inevitável não o corresponder. As mãos largas de Fernando desceram pelas curvas até alcançar a sua cintura a puxando levemente, porém isso a fez gemer de dor, pois a mesma mexeu na perna involuntariamente.

- me-me desculpa. Ele disse ofegante pelo beijo.

Ela não o respondeu, assim como ele também ofegava.

- eu vou sair, preciso ir na empresa resolver algumas coisas e prometo que não cheguei muito tarde. Dessa vez ele foi forte o suficiente para não beija-la outra vez e saiu mesmo que seu corpo implorava que ficasse.

- tu-tudo bem. Leticia disse ainda afetada.

Fernando se despediu com um belo sorriso e a deixou sozinha naquele enorme quarto.

- o que eu fiz. Leticia resmungou tentando medir seu atos, mas tudo que vinha era que não podia negar, naquela situação ela era Laura, e Laura é casada com Fernando.

Ainda perdida em pensamentos, ela aconchegou-se nos lençóis imaginando o que deveria fazer, precisava de mais informações, baseando-se no que Paula Maria disse, ninguém daquela casa gostava de Laura, a não ser Fernando, Logico, e seus sogros. Esses com certeza sua irmã fazia de tudo para estarem ao seu lado, e quanto a Marcia? Até que ponto essa intrigas entre elas chegava.

- Laura? Ela escutou a voz de uma senhora.

Leticia apressou-se em sentar e manter a calma, porque tudo aquilo a deixava tensa demais, já passara por sua irmã outras vezes e isso nunca acontecia.

- entre! Disse e uma senhora de cabelos vermelhos adentrou e sorriu.

- oi.

- oi.

- eu sou Terezinha, mãe do Fernando. Ela começou a explicar, era inacreditável que sua nora tivesse esquecido de tudo que envolvesse seu filho e ainda gravida.

Leticia sorriu sem jeito, o que faria ou dizia?

- não se preocupe. Terezinha sorriu. – eu entendo que não se lembre de mim e portanto sou uma desconhecida, não precise se esforçar. O médico pediu que descansasse e é isso que deve fazer, afinal tem mais alguém para cuidar. Referiu ao bebê.

- sim. Leticia tocou o ventre e sorriu falso. – é tudo estranho.

- por isso mesmo deve cuidar-se, vim apenas para me apresentar e saber se deseja algo.

- não precisava se incomodar tanto, Paula Maria me disse que estaria aqui para fazer tudo, creio que a senhora também deve ter outras atividades e afazeres.

Terezinha sorriu, sua nora continuava com a mesma atitude de antes, isso era bom.

- disse algo errado? Notou-a calada e sorrindo.

- não! Apenas que está a mesma, a única diferença é que não se lembra.

- isso é bom?

- isso quer dizer que você a Laura que conhecemos está aqui. Terezinha apontou para o coração de Leticia, a mesma não evitou em ficar incomodada.

- o que eu fazia tanto?

- bom, você me ajudava no comando desta casa.

- eu não trabalhava?

- não é necessário. Terezinha disse sorrindo. – seu marido é rico o suficiente para te manter.

- como se isso fosse a coisa mais normal do mundo. Leticia retrucou em pensamentos.

- além de ser a futura dona desta casa. Disse sorrindo. – Fernando é meu filho mais velho e portanto meu primeiro herdeiro, Ariel saiu de casa e acho que não vai demorar até Marcia sair, portanto ficando aqui para vocês dois e meu futuro neto ou neta.

- e vocês?

- passeando pelo mundo! Disse contente. – essa casa já foi minha tempo suficiente, ela precisa de uma nova dona.

Leticia sorriu sem jeito.

- aqui está vocês duas. Escutaram a porta ser aberta e Marcia surgir.

- oi filha. Terezinha sorriu. – entre, estávamos conversando.

- oi Laura. Marcia cumprimentou sorrindo falso.

- oi. Leticia disse receosa.

- vou ver como anda os preparativos, logo, logo eu volto. Terezinha as deixou a sós.

- preparativos?

- não se preocupe, apenas algumas instruções para o jantar. Ninguém a verá assim. Marcia disse a olhando de cima a baixo.

- algum problema? Leticia se incomodou com os olhares.

- inacreditável que tenha perdido a memória. Marcia confessou.

- eu realmente não me lembro de ninguém nesta casa.

- não precisa provar nada para mim, sei que com ou sem memória será a mesma.

- não sei onde quer chegar. Leticia se irritou com as insinuações.

- com ou sem memória tudo que o penso sobre você não vai mudar Laura, sei que a mulher sem escrúpulos que você é ainda está aí.

Leticia sorriu.

- tem medo que eu lembre de algo seu? Algo que ninguém deva saber?

- eu sabia que não tinha perdido memoria nenhuma! Marcia disse convicta.

- não estou afirmando nada, você que acabou entregando que eu escondo algo seu.

- com o meu irmão você pode brincar Laura, comigo não! Eu sei que não perdeu memoria nenhuma! A acusou.

- realmente não me lembro de nada! se defendeu.

- olha aqui! Marcai se aproximou. – vou descobrir tudo sobre você e ainda vou ver meu irmão te jogando a ponta pés daqui.

- isso foi uma ameaça?

- uma promessa. Marcia garantiu e saiu.

- que mulher mais insuportável! Esbravejou.

- senhora? Paula Maria a chamou.

- entre. Leticia já a respondeu um pouco irritada.

- me desculpa incomodar, mas a senhora Terezinha me pediu que viesse ficar aqui.

- tudo bem.

- a dona Marcia estava aqui? Perguntou curiosa.

- sim, estava.

- aposto que ela nem sequer acreditou que realmente tenha perdido a memoria.

- isso. Leticia disse nervosa.

- se quiser posso preparar uma banho bem relaxante, vai fazer bem.

Leticia a olhou pensativa.

- por que não? Sorriu.

- prometo não demorar. Paula Maria seguiu em direção ao banheiro.

= = =

Fernando saiu o mais rápido possível de sua casa, quanto mais cedo chegasse na empresa, mais cedo voltava. E depois de sair de um longo engarrafamento descobriu que esquecera a pasta com os contatos que conseguira na viagem. Após soltar vários palavrões, ele foi obrigado a voltar para casa.

- não devia estar na empresa? Marcia o surpreendeu quando entrou na sala de sua casa.

- e você? Não sou eu apenas que trabalho lá, sabia. Jogou a indireta a ela.

- me desculpa. Levantou as mãos em sinal de rendição. – hoje é meu dia de folga.  

- tudo bem, preciso pegar algo que esqueci e voltar o mais rápido.

- espero que não seja nada relacionado a sua esposinha. Desdenhou.

- por que essa implicância Marcia? Laura nunca fez nada que a afetasse e fica com essa birra.

- não é birra Fernando! vai me obrigar a gostar dela?

- não! Mas pelo amor de Deus, mantenha-se controlada perto dela, lembre-se que Laura não se, lembra de ninguém.

Marcia iria retrucar, mas seria em vão.

- está perdendo seu tempo. Marcia o alertou.

- a pasta! Ele se lembrou e correu para o segundo andar.

- não existe homem mais idiota do que este. Marcia esbravejou.

Fernando correu o mais rápido possível, entrou cuidadosamente em seu quarto na esperança de a encontrar deitada e para sua surpresa ninguém estava em sua cama, onde estaria Laura? Escutou alguns sorrisos e gargalhadas vinda do banheiro. Curioso, ele se aproximou sem ser notado, viu sua esposa dentro da banheira sendo massageadas os pés por Paula Maria.

- e como é o Fernando? Leticia questionou.

- o que a senhora quer tanto saber?  

- não sei, tudo. Sorriu sem jeito.

Fernando iria escutar se fosse possível, ela não poderia se lembrar, mas parecia querer saber sobre ele, era um bom sinal.

- bom, seu Fernando é um ótimo marido! Ele sempre faz seus gostos e caprichos.

- tudo que eu quiser?

- tudo, seu Fernando seria capaz de dar a vida pela senhora. Por isso garanto que ele jamais a trairia ou a largaria, primeiro ele morre.

Leticia a olhou preocupada, se esse realmente fosse o Fernando, o que seria dele quando tudo acabasse?

Mal sabia ela que a quem tanto pensava estava ali, as escondidas escutando-as e mais contente do que nunca, sua esperança que tudo voltaria ao normal crescia. Laura poderia não estar lembrada, mas sentia algo, algo bom ou então ela não perguntaria sobre ele e como é como marido.

Parecia que o beijo e aproximação serviriam para algo, e Fernando não medira esforços para fazer que isso acontecesse mais vezes para que ela pudesse lembrar.  


Notas Finais


o que acharam? continua?
me desculpa se o capítulo não estiver bom, prometo melhorar no próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...