1. Spirit Fanfics >
  2. Alguém que me ame >
  3. Escolhas ruins

História Alguém que me ame - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Gostei MUITO de escrever esse capítulo. Tô adorando esse desenvolvimento do relacionamento desses 2

Capítulo 7 - Escolhas ruins


Eu demoro alguns dias para melhorar. Foram dias péssimos, dentro daquele hospital, eu ficava muito sozinho e dificilmente dormia. Estava preocupado, preocupado com o lance dos pacificadores, preocupado com os outros lobisomens que salvamos e preocupado com Liam. Queria poder falar com ele. Sempre que alguém aparecia eu queria saber como ele estava. Era evidente que eu me senti culpado pela bala que atingiu ele, apesar de ter sido escolha dele se atirar na frente para me salvar, mas não era só isso. Sinto que eu ficaria preocupado mesmo que ele não tivesse sido atingido por minha causa. Mas mesmo assim a bala não foi o único motivo dele ter quase morrido, ele está cheia de feridas pelo corpo, feridas fatais, pelo menos foi o que a médica disse. 

Depois de ser liberado eu queria ver ele. 

- Agora acho que não é um bom memento. - Sou parado na porta do quarto de hospital de Liam pelo padrasto do mesmo.

- O que está acontecendo com ele? - Pergunto me inclinando para ver através da janela da porta, mas o médico tampa a minha visão da sala se pondo na frente da janela.

- Uma cirurgia muito séria. - Ele me diz com uma cara de raiva e preocupação. - A culpa é de vocês. Espero que fiquem longe do meu filho. E por favor tire suas coisas da minha casa. 

 Estava pensando que ele ia dizer isso. Não sei que história louca Scott inventou para explicar como Liam e eu acabamos dessa forma. Meu carro já tinha saído do concerto mas Liam ainda me deixava morar lá. Estava tudo muito bom mesmo, sabia que algo teria que acontecer.

- Tudo bem senhor Dumbar. - Digo, calmo. - Sairei de sua casa o mais rápido possível.

Ele assente com a cabeça e eu vou embora.

 

                         ++++

 

Vou para a casa do Liam onde só tem a mãe dele, ela não diz nada, apenas abre a porta da casa, eu subo e eu pego minhas coisas. Saindo de lá volto ao hospital, decidido a ficar até poder ver ele.

- Quero ver Liam Dumbar. - Digo à recepcionista. - A cirurgia já acabou? Ele está bem? 

- Olha senhor nós... - A recepcionista começa mais é interrompida por uma enfermeira, Melissa Mccall. 

- Pode deixar, eu cuido dele. - Ela faz um sinal para a outra mulher sair. - Theo, o Liam passou por uma cirurgia muito séria agora. Ele...

- Eu sei. - Digo me exaltando um pouco. - Só quero ver ele e saber se ele está bem.

- Tudo bem... - Ela diz calma e dócil. - Vou ver o que posso fazer, sabe, o padrasto dele não quer que vocês vejam ele.

- Eu sei. 

- Bem. - Ela sai do balcão e faz um gesto para que eu a siga. - Venha comigo.

Me pergunto o que seria da alcatéia do Scott se não fosse por ela dentro do hospital, sempre dando informações ou os ajudando quando um deles é ferido. Continuo seguindo ela até parar de frente para a porta do quarto dele.

Ela olha para os dois lados e entra no quarto dele.

- Fica aí. - Ela fala enquanto entra. Escuto ela dizendo: - Tenho uma visita para você. 

Ela abre espaço e me deixa entrar, vejo o corpo fraco de Liam. Como ele é lobisomem está muito melhor do que uma pessoa normal estaria depois de todas as suas feridas. Está se curando rápido, mas não está tão bem. 

- Oi. - É tudo que consigo dizer.

- Oi. - Ele também não sabe o que dizer.

- Vou deixar vocês a sós. - Melissa sai e fecha a porta. Eu me posiciono ao lado da cama de Liam.

- Você... Você me salvou naquele dia. - Começo dizendo.

- Você sempre me salva. - Ele diz. 

Dou um sorriso.

- Você poderia ter morrido sabia? 

- Mas eu não estou morto. - Ele diz rindo. - Estou? 

- Não.

- Então tá tudo bem. - Ele diz. - Só quero voltar para casa.

- Em falar nisso... - Digo. - Eu vou sair da sua casa.

- Por quê? 

- ... - Penso se quero falar para ele que o seu padrasto não quer que ele me veja mais. - É que meu carro já está bom e eu...

- Você prefere morar num carro? - Ele pergunta.

- Não é isso é que eu só... Não quero atrapalhar. - Digo finalmente ainda escondendo a verdade.

- Mas você não está atrapalhando. - Ele contradiz, mas que garoto teimoso!

- Eu só não quero mais tá bom! - Levanto um pouco meu tom de voz sem querer. É claro que eu não quero morar num carro, mas não tenho escolha.

Ele faz uma cara meio triste, não entendo por que. Não é como se eu fosse o melhor colega de quarto, nem o mais agradável.

- Por que não? O que tem de errado.

- Cacete Liam! - Grito e dou um leve susto nele. - Eu não POSSO mais ficar na sua casa. E não me pergunte por que. 

Ele fica bravo. 

- Não vai me explicar então pode ir embora. - Ele aponta para a porta.

- Liam...

- Saí daqui.

- Tudo bem. - Eu digo triste e vou em bora, eu sabia que não precisava acabar assim, sabia que eu podia dizer a ele a verdade, dizer que seu pai não queria que a gente morasse junto. Quero contar a verdade, mas tinha medo dele brigar com seu pai por causa disso, além do mais isso não vai fazer diferença. Eu ainda não vou poder mais morar lá, só que assim eu não deixo ele com raiva do seu pai, e sim de mim. Mas ele já tem raiva de mim, Liam já não gosta de mim, não vai fazer diferença. Não importa. Mas se não importa por que estou tão triste? Por que me sinto tão mal? Ele não gosta de mim, isso não vai mudar, ainda que eu quisesse.

- Não fique com raiva de mim, Liam. - Digo baixinho sem pensar, sabendo que ele pode ouvir mesmo que estivesse sussurrando, saio rápido do quarto sem ver sua reação.

Para meu desprazer me deparo com o médico padrasto do Liam na porta. Engulo em seco.

- O que eu... - Ele havia começado seu sermão mais eu poupei ele dessa briga inútil.

- Senhor eu só queria saber se ele está bem. - Digo ríspido, sem um pingo de respeito. Também não estou nem aí para ele, mais não o culpo por estar preocupado com seu filho. - Já tirei todas as minhas coisas da sua casa, nunca mais vou falar com seu filho só queria saber se ele estava bem. 

Vou embora não dando tempo para ele dizer mais nada. 

 

                          ++++

 

Dentro do meu carro vejo a visão que eu amo, o momento que mais gosto no dia, o por do sol. Observo e penso no que havia acontecido naquele dia. Não estava com saudade daquele carro, era muito melhor morar na casa do Liam, não só por causa da comida ou pelo colchão muito mais confortável do que o banco do meu carro, mas por que eu não me sentia sozinho. 

 

            *Flashback* 

 

Sem sono desço as escadas e ligo a televisão, está passando um filme com cara péssima.

- Que filme é esse? 

- Aahhh!!!! - Grito, e alguém põe a mão ao redor da minha boca.

- Cala a boca Theo, sou só eu. Cacete você vai acordar o bairro inteiro. - Liam se senta ao meu lado. - Que filme é esse?

Ponho a mão no coração processando o susto.

- Eu não sei, parece uma merda. - Digo.

- Vemos ver. - Diz ele. Nós assistimos o filme e ambos concordamos que é muito ruim.

- Está tarde vamos para o quarto. - Ele diz.

- Mais eu não estou com sono. - Digo.

- A gente joga video game até pegar no sono ou sei lá. - Diz Liam. 

- Tudo bem. - Vamos para o quarto, jogamos video game e subimos para a cama do Liam, conversando sobre todo o tipo de coisa até pegar no sono.

- Já tive sim, mais nada sério. Não sou bom com essas coisas. - Respondo.

- Pois é, tirando a Hailey eu nunca namorei. - Ele responde.

- Jura?! - Pergunto descrente.

- Sim. - Ele diz. - Por que está tão surpreso? - Ele dá uma sorriso malicioso. Ele me pegou agora.

- Bem... Você sabe... 

- É por que eu sou muito lindo? - Ele pergunta zombando de mim.

- ... - Não respondo, ele meio que sabe a resposta.

- Você me acha bonito Theo? - Ele cai na gargalhada. - Não acredito! 

- Eu não disse nada seu idiota, você que presumiu essa loucura aí. - Digo me levantando para dormir no meu colchão. Sinto algo pegar meu pulso.

- Aonde vai? - Liam pergunta.

- Dormir ué? - Respondo. Ele ainda não soltou meu pulso.

- Fica mas um pouco. - Ele diz. Meu queixo caí. Não acredito nisso. - Ainda não tô com sono.

- Tá bom. - Deito e passamos a noite conversando. Me sinto tão bem... Queria ter ficado por ainda mais tempo alí. Por que quando acordo, parece que tudo voltou ao normal, parece que aquela noite nunca existiu.

 

        *fim do flashback*

 

Me lembro desse dia, deixo minha mente viver esse momento de novo como se estivesse acontecendo. De repente algo molhado aparece em minha bochecha, lágrimas. 

- Pare Theo, que coisa ridícula! - Grito comigo mesmo. Por que estou tão mal? Eu quero estar com Liam de novo. Quero muito e decido que nada vai me atrapalhar agora.

Dou a partida no carro, vou fazer isso antes que me arrependa.


Notas Finais


Espero que tenham gostado😊 até o próximo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...