1. Spirit Fanfics >
  2. Alguem salve a porra do mundo (camren) >
  3. Karan gostosão gatinho

História Alguem salve a porra do mundo (camren) - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Gente, seguinte, os capítulos com ponto de vista do Noah e da Medison serão mais curtos porque apesar de serem importantes e essenciais, ss personagens principais são a Lauren e Camila

Capítulo 6 - Karan gostosão gatinho


Fanfic / Fanfiction Alguem salve a porra do mundo (camren) - Capítulo 6 - Karan gostosão gatinho

 Povs N

New york era a cidade mais caótica que eu havia pisado.

A guerra entre os recem chegados ao aeroporto para pegar um taxi me lembrava os trigres do animal planet correndo até a carne.

Levantava meus braços pequenos de criança na esperança de que algum carro amarelo me visse.

Finalmente, poderia ir até algum hotel. Um taxi parou ao meu lado. Suspirei e agradeci mentalmente a deus antes de pegar minha mochila e abrir a porta do carro.

Apesar de estar a beira de um pandemônio, NY realmente era uma cidade muito bonita. No caminho vi um incendio, moradores de rua muito chapados e patricinhas fazendo exercicios no parque onde bombeiros retiravam um corpo (...)

Fiz amizade com alguns caras no hotel, demorou um pouco para convence-los que eu não era uma criança, nada que eu ja não estivesse acostumado.

Cançado da viagem longa, me deixei dormir rápido, depois de um banho curto.

Mas logo desci até o saguão. Quer horario melhor do que anoite parar conhecer uma cidade? 

Medison povs.

O meu dia estava péssimo.

Pior, talvez impossível.

O jatinho atrasou, a rede do meu celular quase não pegava e o carro que meu pai havia alugado para mim em NY chegou 10 minutos mais tarde do que o combinado.

Isso é,

10

Minutos

Naquele aeroporto caótico de NY.

Quando meu porsche vermelho estacionou ao meu lado, foi quase como se tirassem um peso das minhas costas, e não eram as malas ja que essas pelo menos haviam sido carregadas por um carinha do aeroporto.

Finalmente em Nova York.

A caminho do hotel, pude observar o central park, as lojas chiques, e memorizei cada ponto que eu iria depois.

Queria poder dizer que "respirei aliviada ao entrar no quarto" e que "tomei um banho relaxante" mas eu não conseguiria formar uma mentira dessas. Ainda não havia entrado de ferias, afinal. 

Depois de abrir a mala vermelha em cima da cama e tirar meu notbook e cartãozinho dourado de la, também conhecido como encomenda de morte.- Acredite, nao iria querer seu nome ali. -  comecei a pesquisar mais um pouco

- Te achei, Chuck.

Sussurrei com a tela depois de invadir algumas conversas onde chuck mudu era mencionado.

"-quem vai ser dessa vez?

-Chuck Mudu"

Era o pequeno dialogo que constava nos comentarios de uma pagina de luta.

Depois de algumas cliques na tela e de ter invadido alguns satelites, finalmente consegui o IP do nerd que conversava

- Cross street 1216 - digitei no mapa - nao é longe

Maneei com a cabeça sabendo que não era uma boa ideia atacar um nerd.

Mas oque eu poderia fazer?

Eu estava no tedio

Justificava para mim mesma enquanto vestia a roupa preta colada e amarrava meu sinto de facas na cintura

-eu estou indo... - li o nome do garoto do comentario -Karan gostosão gatinho - esses americanos realmente tem uma otima autoestima

(...)

A casa tinha um aspecto indiano cultura. Havia incensos na varanda e pingentes nas janelas.

No segundo andar, onde a unica luz estava acesa, de longe conseguia enxergar pelo binóculo um garoto, provavelmente com uns 19 anos. Traços marcantes indianos e oculos.

Na parede no quarto, em tinta azul havia os dizeres "Karan, o homem que você quer ter"

Ainda segurando o riso, subi pelas trepadeiras e me esgueirei até a varanda do menino

- Até amanhã pessoal - disse tirando os fones

Não havia mais ninguém no quarto, nenhum tipo de material cortante ou arma perto do garoto.

Ele bocejou e fechou os olhos ainda sentado na cadeira gamer

Como um ninja, abri a porta da varanda, e mais quieta que o proprio silêncio, adentrei o quarto.

Cheguei mais perto do menino que ainda não havia notado minha presença.

Perto o suficiente para cortar seu pescoço, eu diria.

Agarrei sua boca com a mão

E pelos seus olhos arregalados, pude pressentir que se pudesse, gritaria feito uma marica.

Segurei seu pescoço com o braço para que ele não escapasse

-fique quieto ou eu te mato - avisei com a faca quas encostando na sua garganta

Tirei a mao de sua boca na medida em que aproximava a faca

- É sobre aquelas cartas, não é? Diga ao john que eu vou devolve-las, elas nem são lendarias mesmo - ele disse a ponto de chorar

- que cartas?

- do RPG

- nao estou aqui por causa de cartas - sua afeição tranquilizou como se minha lamina não estivesse a ponto de mata-lo -diga tudo oque sabe sobre chuck modu

- Eu não conheço nenhum chuck modu - ele disse

Desferi um soco no seu nariz mas não forte o suficiente para quebra-lo.

Sua cabeça cambaleou para trás, ele chaqualhou, e abriu os olhos

- DIGA TUDO OQUE SABE SOBRE CHUCK MODU

- EU NAO SEI QUEM É ESSE

Outro soco

-vamo, nerd. Eu não tenho a noite toda

-mas eu nem sei quem é ele

- então me explique porque disse o nome dele a - olhei no relogio - duas horas atras, nesse maldito facebook

Ele então olhou para o computador e para mim novamente, eu estava com meu melhor olhar ameaçador mas a marcara escondida

-Chuck modu... - ele pareceu pensar. - o lutador?

Ele perguntou parecendo se dar conta de algo

- Lutador?

- é, o novo lutador do Brooklin.

- diga mais

- ele vai lutar com Tigre sexta-feira. - estendeu a mão para a gaveta da mesa do computador mas fui mais rapida e bari em sua mão como quem mata um inseto - eu só quero pegar um ingresso - justificou-se

Observei sua mão tirar um papelzinho preto da gaveta e me entregar.

"Sexta-feira, Brooklin. TIGRE E CHUCK MODU. 22:00"

- É um grupo meio seleto mas vai ser uma boa luta - Sorriu amarelo.

outro soco. Dessa vez forte o suficiente para desmaiar o rapaz.

- boa sexta, então - ironizei com o corpo desmaiado do garoto enquanto quardava o ingresso em um dos meus bolsos.

(...)

Após andar mais uma quadra, cheguei ao meu carro.

Digitei o numero do papai assim que passei o cinto

- Boa noite Papa

- notícias de chuck ?

- sextas-feira, tudo indica que vai haver uma luta candlestina e ele vai pro ring

- ótimo! Precisa que eu envie algo?

- nem vem, pai. Meu trabalho acaba aqui. Ferias, lembra?

Ele pareceu suspirar do outro lado da linha

- Eu posso falar com os homens q vc enviar, mas não vou fazer o trabalho - completei

- então você jura que vai pelo menos levar quem eu enviar até o local?

- juro

- okay, Enviarei Bruno amanhã mesmo para seu hotel

Arregalei os olhos. Esse velho sabe mesmo como me provocar. Ele tem mais de 200 homens a sua disposição, mas Bruno?

- Não tem necessidade, eu faço o trabalho. Nao me incomoda. Tchau papa - disse rapido e desliguei.

Repitam comigo, meninas.

    Façam tudo, matem se quiserem, para não ver seu ex.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...