1. Spirit Fanfics >
  2. Algum dia - Naruhina >
  3. Capítulo único - Eu senti falta!

História Algum dia - Naruhina - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Iai pessoal? Como estão?
Hoje estou trazendo minha primeira one-shot dentro do incrível projeto @Hyuuga_Project
Eu escolhi o tema a respeito da Songfic, uma proposta que eu ainda não havia tentado, então espero que gostem!! (Nas notas finais terá o link da música escolhida!)
A música é estrangeira e a letra está destacada nas partes em itálico e com a formatação centralizada.

Gostaria de aproveitar para agradecer a maravilhosa @Tenten_otome pela leitura crítica, a talentosa @hey_peoples pela capa perfeita e a querida @Mister_Moon pela betagem impecável!! Muito obrigada, meninas!!!

Boa leitura!!

Capítulo 1 - Capítulo único - Eu senti falta!


 

Fue encontrarme en tu mirada

Y sentirme enamorada

Era menos frágil junto a ti

 

O sol era incômodo contra os olhos que se abriam preguiçosamente, durante a noite a garota havia esquecido de fechar a persiana, como consequência, acordando às sete horas da manhã em uma plena segunda de folga. A garota tentou se levantar da cama, porém, um par de braços fortes rodearam sua cintura, a puxando contra seu corpo, até que por fim as costas tocassem o seu tronco nu.

— Bom dia, Hina! — Sua voz era rouca e cheia de preguiça. — Já vai levantar?

— Bom dia, meu bem! — A morena sorriu enquanto olhava para o loiro com a cara toda amassada. — Vou preparar o desjejum!

O loiro a puxou ainda mais com força, fazendo o corpo pequeno encaixar contra o seu, logo começou a depositar inúmeros beijos na extensão do pescoço até o ombro, fazendo a herdeira Hyuuga se arrepiar com as deliciosas carícias.

— Fica aqui na cama só mais um pouquinho. — Sua voz rouca contra a orelha fez o corpo da morena reagir.

Desajeitadamente a garota se virou ficando de frente ao Uzumaki que tinha os seus lindos olhos azuis encarando os claros da garota. A cerca de dois meses, todas as manhãs eram daquele jeito, ela acordava e Naruto a olhava como se ela fosse algo único, e toda troca de olhares durante a manhã, a garota se sentia cada vez mais apaixonada.

Naruto permanecia abraçado à namorada, sua mão direita que possuía a prótese subiu até o rosto da garota e a puxou para um beijo apaixonado, os lábios se encontravam cheios de amor e carinho, as mãos faziam carícias um no outro e sorrisos eram perceptíveis durante os beijos.

— Eu amo você! — Naruto falou entre o beijo, enquanto levava Hinata para cima de si.

A morena se ajeitou sobre o namorado e voltou a beijá-lo, as mãos se encontravam nos ombros desnudos enquanto uma das mãos dele puxava a nuca da garota para aprofundar o beijo, a outra deslizava pela coxa a mostra pela camisola curta.

Quando o beijo começou a ficar indecente demais, Hinata rolou para o lado do namorado e se levantou apressada da cama, ela tinha um sorriso gigante nos lábios enquanto olhava o namorado indignado pela brusca interrupção.

— São sete da manhã! — Hinata disse rindo — Para de fogo!

A morena se levantou e foi até o banheiro fazer sua higiene, enquanto Naruto ficou de preguiça na cama. Após isso, Hinata desceu para preparar o desjejum e antes que ela tivesse chance de gritar para o namorado ir para a cozinha, o loiro chegou com os cabelos molhados e com uma toalha sobre os ombros.

— O cheiro está muito bom! — Ele a abraçou por trás, beijando o topo de sua cabeça.

Hinata realmente não trocaria daqueles simples momentos por nada no universo, Naruto transmitia tantos sentimentos bons para ela, que não saberia o que fazer caso algum dia perdesse aquilo tudo, ele passava segurança, carinho, amor e força para ela. A pequena podia falar com total convicção que era a sua melhor versão junto do loiro.

Quando um chakra estranho adentrou a casa, Hinata ativou sua linhagem e Naruto se preparou para um possível ataque, porém, logo eles voltaram ao normal ao verem que era apenas um ANBU solicitando a presença de Naruto para uma missão.

 

Pero todo era mentira

Te marchaste de mi vida

Y me perdí y me perdí

 

...Um mês depois…

 

O Uzumaki havia ficado um mês fora e com isso Hinata já estava subindo pelas paredes de saudades do namorado, sentia saudades de seus toques, de seus beijos, de acordar ao seu lado e das conversas estranhas que tinham. E quando ele voltou todo esquisito e raivoso, a pequena se assustou.

— Saí da minha frente! — O loiro bradou irritado, arrastando uma mochila que continha suas roupas jogadas às pressas dentro.

— Só me fala o que está acontecendo? — Lágrimas e mais lágrimas eram derramadas por ela.

— O que está acontecendo é que você não merece um por cento do meu amor. — Naruto despejou com maldade as palavras. — Agora sai!

— O q-que eu f-fiz? — A morena gaguejava, sentindo uma dor absurda no coração.

— Nasceu, você nasceu Hinata! — Ele já estava perdendo a pouca paciência que tinha. — Agora saía da minha frente ou eu passo por cima!

A Hyuuga deu um mínimo espaço para o loiro passar e ele não hesitou, nem mesmo por um mísero segundo, ele passou pela garota e desceu pelas escadas com pressa, mas a Hyuuga estava em seu encalço.

— Naruto-kun? — A garota segurou o pulso do rapaz antes que ele tivesse a chance de passar pela porta. — O que aconteceu?

— Me solta! — O rapaz puxou seu braço de uma forma totalmente brusca, e apenas olhou para o rosto da pequena, seu rosto estava molhado pelas lágrimas, os olhos estavam inchados e a bochecha estava vermelha. — Só vou falar uma vez, eu e você acabou, entendeu? E eu não quero te ver nunca mais!

— M-mas... — ela balbuciou confusa.

— Amanhã eu venho para pegar o resto das minhas coisas — A garota sentiu um pedaço do seu coração quebrar. — De resto nunca mais quero ter contato com você!

— Naruto... — A garota tentou segurá-lo mais uma vez, porém, ele já havia fechado a porta com força, indo embora.

A pequena Hyuuga ficou encarando a porta que foi bruscamente fechada durante inúmeros minutos, até que o forno fez um barulho esquisito, antes de Naruto chegar e fazer toda aquela cena, Hinata estava se aventurando na cozinha para fazer bolo.

Quando a morena entrou na cozinha, os olhos lacrimejaram e ela tossiu por conta da fumaça, ela havia esquecido o bolo dentro do forno e agora tinha que tomar cuidado quanto a arrumar a cozinha que fedia a bolo queimado.

Ela havia aberto a janela para se livrar da fumaça e desajeitadamente abriu o forno revelando o bolo torrado. E sem um pano ou luvas a mulher pegou o tabuleiro, colocando em seguida na mármore da bancada, ela fazia essas ações tão mecanicamente que nem teve tempo para sentir dor por conta da recente queimadura.

Aquelas palavras… aquelas duras palavras estavam tomando conta de toda a sua mente, lágrimas voltaram a ser derramadas, elas não pretendiam secar tão rápido.  Ao voltar para a realidade novamente, se deu conta que o loiro, a qual amava, não namorava mais. Sua mão apertou com força o tabuleiro quente que ainda estava em contato com sua mão esquerda.

— Que merda! — ela exclamou, enquanto se desvencilhou do tabuleiro e olhava para a mão que estava vermelha e com uma nojenta bolha na palma.

A pele ardia e agora chorava num misto de tristeza, dor e ódio. Levando a mão até a torneira, ela deixou a água aliviar um pouco do desconforto que sentia e logo ela cogitou a ideia de ir ao hospital, seria horrível ela empunhar uma kunai com a mão daquele jeito.

 

Sigue vivo tu recuerdo

Me hace daño se te pienso

Estoy triste, pero estoy de pie

 

Chegando ao hospital, a pequena  deu de cara com um imenso sorriso de Sakura, que logo estremeceu ao ver a garota, Naruto sempre gostou dela, será que ele ainda não havia superado sua paixão platônica pela rosada e por isso decidiu terminar com ela?

Faria sentido, uma vez que agora que Sasuke havia engatado namoro com a Yamanaka, a Haruno estava livre, leve e solta e possivelmente pronta para se entregar a uma paixão que por muito tempo não foi correspondida pela parte dela. Hinata sentia raiva, ela nunca seria páreo para a grande Haruno Sakura, então ela podia dar adeus para seu amor.

— Hina? — A voz delicada e séria a tirou de seus pensamentos. — Aconteceu alguma coisa?

A morena não conseguia falar nada, parecia que sua língua não seguia os comandos do cérebro e ela temia que quando conseguisse falar qualquer coisa seria para xingar a mulher à sua frente e brigar com a mesma por ela ter roubado seu namorado. Então, ela apenas mostrou a palma da mão.

— Por Kami! — A mulher segurou delicadamente a mão machucada da Hyuuga, enquanto analisava o ferimento. — Onde você se machucou? Está muito feio!

Hinata não conseguiu responder, a raiva que sentia apenas aumentava na proporção que Sakura era gentil. Como ela podia tratá-la daquela maneira sendo que ela foi responsável pelo seu término com a pessoa mais maravilhosa do mundo?

— Você deve estar em choque! — A garota pegou na mão saudável de Hinata e a puxou gentilmente até a sua sala, enquanto a morena apenas a seguia em passos silenciosos. — Às vezes acontece, para reprimir a dor seu cérebro manda adrenalina para seu corpo e às vezes você não consegue reagir normalmente.

A garota permaneceu ignorando-a e se sentou em uma maca de atendimento na sala de tons brancos e detalhes rosas, ela observou Sakura se afastar para pegar seus materiais de primeiro-socorros, enquanto a morena começou a respirar fundo, ela não podia desmoronar, não na frente de Haruno.

— Hina, posso te contar um segredo? — Ela perguntou e Hinata permaneceu calada, apenas arqueando sua sobrancelha, com certeza ela admitiria ter roubado Naruto de si. — Kakashi me pediu em namoro!

— Como? — A voz saiu esganiçada.

— Eu sei que é meio esquisito, mas nós nos gostamos muito! — Ela tinha um sorriso imenso nos lábios enquanto limpava com cuidado a ferida. — Não vamos anunciar por enquanto, porque ele é o Hokage e eu já fui sua aluna e isso seria visto com maus olhos, porém, ele prometeu que quando ele sair do posto de Kage iremos nos casar!

— E-eu... — Hinata não sabia como reagir, se Naruto não havia terminado com ela por conta de Sakura, qual seria o motivo? — Parabéns! — ela disse por fim, e como se a adrenalina no seu corpo tivesse se esvaído, ela começou a sentir a verdadeira dor de seu machucado.

 

Aunque me hayas olvidado

Sé que tarde o más temprano

Vas a entender cuanto te amé

 

...Um dia depois…

 

O dia já havia amanhecido e a morena permanecia sentada no sofá olhando para a mão repleta de ataduras, Sakura havia instruído trocar os curativos pelo menos por uma vez ao dia e que dentro de quatro dias ela voltasse para o hospital para que pudesse ter o machucado avaliado pela rosada.

Quando a porta abriu repentinamente, Hinata não teve nem forças para ligar sua linhagem, ela apenas levantou o olhar para a porta de entrada e encarou aquela cabeleira loira e bagunçada.

Naruto parecia ainda mais zangado do que o dia anterior, os olhos estavam vermelhos e era perceptível as olheiras e seu cansaço, ele quase parecia pior do que Hinata, porém, a morena ignorou essa observação, uma vez que ele realmente estivesse chateado com o término, ele não teria optado pelo o mesmo.

— Bom dia! — A voz estava cansada e levemente rouca.

— Hm — ele resmungou sem ao menos olhá-la direito e em seguida se direcionou até a escada que dava acesso ao quarto.

Hinata respirou fundo uma, duas e três vezes até ter coragem para se levantar e ir atrás do loiro, quando ela chegou no quarto ele jogava o restante das roupas sem cuidado algum dentro da mochila. A cada peça de roupa jogada era como se o coração de Hinata se contraísse, e ela temia que quando ele terminasse de guardar suas coisas, seu coração já tivesse sumido.

— Não acha que precisamos conversar? — A garota pronunciou após emitir um longo suspiro.

— Não! — Ele começou a tentar fechar a mochila, porém, com tamanha desorganização ele teve problemas com o fecho.

— Só me conta o porquê do término! — A voz era baixa e os olhos estavam marejados.

— Você sabe o motivo! — Naruto falou sem qualquer emoção.

— Se eu soubesse, eu não estaria te perguntando! — Hinata escorou no batente da porta para observar o rapaz.

— Não seja uma dissimulada — Ele desistiu de tentar fechar a mochila, deixando-a meio aberta.

— Naruto...

— Não! — O garoto a cortou enquanto jogava a mochila em um de seus ombros — Nada que me falar vai mudar o que eu penso sobre você, eu vou ir embora e depois disso eu não quero nunca mais te ver e nem ao menos saber de você, para mim você não existe mais e eu farei questão de esquecer da sua existência, agora saia da minha frente!

As mãos da pequena tremiam juntamente com os lábios, lágrimas caiam como cascata e ela soluçava muito. Ouvir todas aquelas duras palavras da pessoa que  amava era mais doloroso do que qualquer queimadura, ou outro tipo de dor.

— E-eu te amo! — a garota falou baixinho em meio aos soluços, enquanto Naruto passava ao seu lado sem ao menos olhá-la. — E eu vou te amar até a lua.

Naruto por um momento parou no meio do corredor ao ouvir aquelas palavras “Eu vou te amar até a lua”, aquela frase não tinha sentido ao que passaram com Toneri e sim tinha a respeito a uma curiosidade que Hinata havia descoberto, segundo a morena o coração bombeia cerca de 90.000 litros de sangue por dia, o que dá o equivalente a quantidade de gasolina da terra até a lua, então quando um dos dois falava que amava o outro até a lua, era como se dissessem que se amavam a cada batida de seus corações.

Hinata não viu, pois permanecia encostada no batente da porta olhando para o nada, porém, Naruto ficou mexido com tais palavras, mas ele tratou de ignorar as palavras da ex-namorada e voltou a seguir seu caminho para ir embora, e dessa vez para nunca mais voltar.

 

Algún dia sin pensarlo

Me vas a extrañar despacio

Algún día una mañana

Sentirás que te hago falta

Y en tu interior vas a sentir amor

Nadie sabe lo que tiene

Hasta que al final lo pierde

 

...Um mês depois...

 

Fazia quase um mês desde o término de Hinata e Naruto, e a morena estava sobrevivendo, tinha alguns dias que ela sentia tanta saudades que chegava a ter vontade de arrancar seu coração do peito, porém, em outros dias ela apenas se recordava dos momentos preciosos que passou ao lado do Uzumaki.

A Hyuuga não podia dizer que estava superando, porque era a última coisa que ela estava fazendo, mas... com o passar dos dias estava ficando um pouco mais suportável a ideia de não ter o loiro por perto, ela ainda o amava com todas as suas forças, mas com a falta de contato com o outro, os sentimentos que ela nutria apenas eram afogados por inúmeras doses de saquê e saídas com as amigas.

— Um brinde a... — Ino erguia por cima de sua cabeça uma garrafa de vodka com o conteúdo pela metade, ela olhou pelos cantos e focou seu olhar na mesinha de centro. — ... Jarra bonita da Hina!

A loira estava super bêbada e não sabia ao certo o que estava falando, assim como Hinata, Sakura e Tenten. Toda sexta-feira as meninas realizavam uma noite do pijama, elas sempre alternavam de casa em casa e naquela noite era a de Hinata, com direito a todas as bebidas que o salário da ANBU tinha como arcar.

— Eu tenho uma fofoca! — Sakura falou com a voz embolada, o que arrancou uma risada esganiçada de Tenten.

— Conta, testa! — Ino bateu as mãos animadas. — Conta!

— O Naruto tá na fossa — Sakura disse rindo e Hinata arregalou os olhos, a preocupação era notável. — Ele parou de trabalhar e não saí mais de casa!

— Por quê? — Hinata quase pulou em cima da rosada.

— Por sua causa, docinho! — a menina falou como se fosse óbvio. — Ele tá muito mal por ter terminado com você! Ele ainda te ama muito...

— M-mas... — Hinata tinha os olhos arregalados — E-ele que terminou.

— Amiga, você mais que ninguém devia saber que o Uzumaki é um baka! — Ino disse e Hinata engoliu em seco.

— E você também é! — Tenten disse olhando para as pérolas da amiga. — O amor de vocês dois não pode acabar de um dia para a noite, você desistiu dele cedo demais e ele se provou ser um verdadeiro baka por ter terminado com você sem mais nem menos!

Hinata respirou fundo e depois bebeu o restante do líquido presente na garrafa de saquê, aquela poderia ter sido uma conversa séria, mas naquele momento as amigas estavam bêbadas e as vozes arrastadas, e esganiçadas, tiraram toda a seriedade do assunto.

 

Cada vez que vuelvo a verte

No lo niego aún me duele

Pero sé que un día estaré bien

 

...Um dia depois…

 

Kakashi havia chamado a Hyuuga bem cedo para seu escritório e a morena sendo sempre muito bem organizada, estava no escritório do Hokage às sete em ponto, mesmo que ela tenha estranhado o horário, ela não desobedeceria a ordem de seu superior. Porém, ela torcia mentalmente para que o prateado não demorasse a chegar, pois ela estava muito cansada da noite do pijama.

— Eu devia ter chegado às oito e meia! — A pequena bufou, enquanto olhava às horas no relógio de pulso, pelo acessório a morena pode dizer com exatidão que estava a 30 minutos esperando pelo Hatake.

— Não adianta, o Kakashi vai chegar só quando ele quiser. — Ao ouvir aquela voz todo o seu corpo se arrepiou.

Quando as íris claras se direcionaram para as do loiro, ela sentiu suas pernas ficarem moles e desajeitadamente se encostou na parede mais próxima, ele tinha os cabelos bagunçados e mais compridos do que se lembrava, os olhos azuis pareciam cansados, olheiras adornavam seu rosto bonito e ele possuía um meio sorriso.

— N-Naruto? — Ela não conseguiu evitar de gaguejar.

— Olá, Hina! — Ele se aproximou. — Parece que teremos uma reunião em conjunto.

A garota concordou com a cabeça e desviou o olhar para suas mãos, a queimadura já estava praticamente cicatrizada, porém, ainda havia resquícios do machucado. Era quase que estressante estar no mesmo ambiente que Naruto e não poder abraçá-lo e nem o beijar.

Ela sentia saudades dele e agora com ele ao seu lado, era quase como uma tortura, seu coração estava disparado contra o peito, as mãos tremiam um pouco e os olhos ameaçavam se derramar em lágrimas. “Fique forte, não chore! Terá um dia que ele não te deixará mais abalada!” Hinata repetia a frase em sua mente, como se fosse uma oração.

— Hina? — A voz era rouca e tão próxima que o corpo reagiu.

A garota se virou para encarar Naruto e ela sentiu as bochechas esquentarem quando ele começou a fitar seu lábio, no qual ela involuntariamente mordia.

— Por que você fez aquilo? — Era possível perceber a tristeza na voz do loiro.

— E-eu não sei do que v-você está falando! — Ela se repreendeu por mais uma vez gaguejar.

— Eu fiquei sabendo de você e do Kiba! — Hinata arregalou os olhos, confusa. — Me contaram que você segurava um buquê de rosas e que ele se declarava para você, e o pior foi que me contaram que você estava sorrindo feliz e...

— Por Kami-sama! — Hinata soltou uma risada desesperada. — Você terminou comigo por conta do Kiba?

— Queria que eu continuasse namorando com você? Enquanto me chifra sem qualquer discrição? — A tristeza de Naruto sumiu, dando espaço para sua raiva.

— Meus deuses! — Hinata pressionou as têmporas com força. — O Kiba é gay e eu estava ajudando-o com o buquê que ele daria para o Shino, e ele estava ensaiando a sua declaração!

— C-como? — O loiro  tinha a boca aberta em um enorme “O” e os olhos arregalados.

— Se foi na época da sua missão, o Kiba me implorou por ajuda, porque ele pretendia pedir o Shino em namoro! — Hinata se desencostou da parede, ficando na frente de Naruto, a expressão que ela tinha era de pura indignação. — Eu não acredito que você terminou comigo por fofoquinha!

— M-mas... eu sempre desconfiei que o Kiba gostava de você! — Hinata começou a rir e as bochechas de Naruto queimaram de vergonha.

— Por Kami! Eu e Kiba somos apenas amigos!

— Mas como eu saberia? — Naruto cruzou os braços sobre o peito.

— Conversando comigo, me perguntando e confiando em mim! — Era óbvia essa pergunta, porém, Naruto era um enorme cabeça-dura. — Você era meu namorado, poxa!

Ela deu uma risada incrédula, seu namorado havia terminado com ela por motivos idiotas e nada daquela tristeza precisava ter acontecido se eles tivessem conversado e pingado todos os “i”. Tudo poderia ter sido esclarecido com uma simples conversa!

— E-eu sinto muito! — Naruto estava verdadeiramente triste. — Eu espero que um dia me perdoe por ter sido tão baka!

— Agora não importa mais... — Hinata deu um sorriso sem graça.

— Importa sim! — Naruto segurou as mãos de Hinata e a puxou para mais perto de si. — Eu ainda te amo, eu nunca poderia deixar de te amar e... eu sei que é muita cara de pau da minha parte, mas se você ainda...

— Eu te amo e sempre vou te amar! — Hinata olhou para as mãos entrelaçadas. — Mas eu não posso voltar a namorar com você, você não confia em mim... e a base para um namoro é a confiança!

— E-eu errei, mas eu prometo não fazer isso novamente! — O loiro se aproximou mais um pouco, os corpos a centímetros um do outro, as respirações se cruzando e os lábios quase se tocando. — Por favor...

Ele disse quase que em um suspiro e sem que pudesse se conter, a morena acabou com o espaço entre as bocas e iniciou um beijo cheio de saudades e amor. Era um toque necessitado e as mãos pareciam querer tocar todo o corpo um do outro, como se precisassem se certificar que o momento estava realmente acontecendo.

— Eu te amo... — a morena falou ofegante, os lábios ainda se tocando.

— Eu te amo até a lua! — o loiro disse enquanto voltava a colar os lábios.

E então, os dois ficaram se beijando e matando a saudades, até que um ANBU apareceu para avisar que Kakashi não poderia ir a reunião, certamente o prateado havia bolado um plano para a reconciliação do casal e por isso Naruto teria que agradecê-lo mais tarde, porque naquele momento os dois corriam até o apartamento da morena para matarem a saudades que sentiam.

 


Notas Finais


Olá pessoal, o que acharam?
Confesso que estou muito insegura com essa nova proposta!
Eu trouxe a música Algún Dia da banda RBD (eu adoro as músicas).
Essa história como eu disse nas notas do autor faz parte do ciclo do @Hyuuga_Project, então caso tenha gostado da minha história não deixe de entrar nas Hashtags e conferir as histórias dos demais writers!! Eles são incríveis!!!

Link da música traduzida junto de um edit lindo de MyM/Ponny: https://youtu.be/iF4yjp6ZqCo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...