História Aliança. - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Dakota Johnson, One Direction
Personagens Dakota Johnson, Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Dakota Johnson, Louis Tomlinson
Visualizações 163
Palavras 2.097
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OOOOOOOOOOOOOEEEEEEEEEEEEEEEEEEE!
Sim, eu sei, eu demorei MUITO dessa vez, foi um mes sem atualização. Cara, não sei nem o que dizer, além de pedir desculpas. Não sei o que aconteceu, fiquei com um bloqueio criativo tremendo, não conseguia fazer nada, nem lista de compra pro supermercado (dramatização). Serio, amadinhos e amadinhas, mil perdoes pela demora, mas eu sei que depois que lerem esse capitulo, eu sei perdoada <3
spoiler: love in the air
❆Tenham uma boa leitura e nos vemos lá embaixo (desculpe qualquer erro, dei uma revisada, mas algo sempre escapa)

Capítulo 16 - Ano novo.


Fanfic / Fanfiction Aliança. - Capítulo 16 - Ano novo.

O iate finalmente nos deixou em nosso destino e após eu me trocar, nós fomos andar por Atenas. É um um mundo totalmente diferente, não por causa dos costumes e da cultura, mas sim por causa das lendas e dos mitos que aquele lugar transborda.

 

Eu nunca fui muito fã de história, mas aprender mais essas antigas lendas, foi bastante divertido, ainda mais com Louis ao meu lado. Ele entende bastante dos mitos e lendas da Grécia; Atenas, Poseidon, Zeus e etc. Fiquei surpresa dele gostar desse tipo de coisa, mas Louis é um homem culto, gosta de aprender tudo que o mundo tem a lhe oferecer. Eu aprendi muito com ele e também acabei descobrindo mais coisas sobre meu marido.

 

Estou muito feliz com isso, mas acho que ele deve achar que eu sou burra por não saber muita coisa. Segundo o mesmo, ele aprendeu parte do que sabe na escola, mas eu não, apenas tinha ouvido falar, porém não havia sido na escola. Meus pais me deram uma educação escolar muito boa, minha escola custava o olho da cara e mesmo assim, eu não aprendi muito.

 

Espero que isso não interfira no meu futuro relacionamento com Louis, mas se meus pais soubessem disso, nunca teria me entregado a ele sem que eu soubesse de cabo a rabo esse tipo de coisa, eles queriam entregar a mulher perfeita para Louis, mas acontece é que eu não sou perfeita e nunca serei.

 

– E então, está se divertindo? – Louis me questionou. Havíamos parado de caminhar para retomarmos o fôlego.

 

– Sim. – Respondo. – Aqui é muito interessante. Eu sei que são tudo lenda, mas de alguma forma, é tudo real. Lendas são histórias baseadas em fatos reais e o povo daqui acreditava nisso e muitos fizeram isso sua religião. – Olhei para Louis. – Ou estou errada?

 

– Não, você está certa. – Ele sorriu. – De tudo o que ouviu, qual foi o Deus que você mais gostou.

 

– Gostei muito de Atena. Uma mulher forte e que possui sabedoria. – Respondo confiante. – Também gostei muito de Apolo e o modo como sua personalidade mudou durante os anos e como ajuda a todos com seus poderes.

 

– Eu também gosto muito de Atenas, mas meu preferido é Hefesto. Sua história é triste e mesmo tendo sido jogado pra morte, literalmente, ele deu a volta por cima e entrou todo poderoso no Olimpo. – Rimos.

 

– Grécia vai muito além de ilhas e paisagens bonitas. – Comento.

 

– É um lugar maravilhoso e cheio de mistérios ainda. Aqui aconteceu guerras e muito mais coisas.

– Eu sei que aqui teve início os Jogos Olímpicos.

 

– Viu só, esse lugar é cheio de surpresas. – Concordo. – O ano novo é amanhã, como quer passá-lo?

 

– Eu não pensei em nada, pra dizer a verdade. – Levanto a cabeça e encaro o céu se fechando por conta do frio que se aproxima. – Podemos cozinhar algo e ficarmos em casa.

 

– Por mim tudo bem.

 

– E quando der meia noite, podemos ir na praia assistir os fogos.

 

– Muito bem, então temos nosso primeiro ano novo juntos planejados. – Olhei discretamente para Louis, ele sorria. – Melhor irmos decidir o que iremos cozinhar, pois se algo faltar, dá tempo de irmos comprar.

 

– Vamos voltar pra ilha? – Louis assentiu.

 

– Ao menos que não queira ir agora. – Nos olhamos.

 

– Não, tudo bem, está esfriando e já aprendi muito por hoje. Obrigada pela ótima aula de mitologia.

 

– Não tem de quê. – Ele abriu um sorriso. – Vamos voltar.

(...)

Assim que chegamos na casa em que está sendo nossa moradia enquanto estamos de “lua de mel”, tomamos banho e começamos a decidir o menu para amanhã a noite. Louis estava inspirado, dizia nomes de muitos pratos, a maioria eu nem sabia fazer.

 

Eu não sei preparar as comidas típicas da grécia, muito menos sei suas tradições para o ano novo, então chegamos a um consenso e decidimos fazer frutos do mar, pois ambos sabemos preparar e eu farei uma sobremesa chamada Vasilopita, dei uma fuçada na internet e descobri que eles fazem esse bolo no Ano novo e é bem fácil de ser feito. A maioria das coisas que iríamos preparar já tinha na despensa da casa, tudo graças a Louis, ele pediu para fazerem compras pra cá, antes de nos virmos, o que eu achei meio inútil, considerando que estamos comendo fora desde que chegamos.

 

O resto do dia foi tranquilo, infelizmente o sol se foi e o frio tomou conta do lugar, achei incrível a mudança que isso causou na paisagem do lugar, apesar de ter ficado com a aparência triste, continua sendo muito bonito de se olhar. Não tínhamos muito o que fazer dentro da casa, Louis ficou mexendo no celular, eu não o censurei, pois se ele parece, ficaremos os dois entediados. Claro que eu dei uma mexida no meu, mas apenas para ligar para papai e avisar que estou bem, não falava com ele desde o dia que viajamos.

 

Me levantei do sofá e segui para a cozinha, a fim de preparar um chocolate-quente para esquentar-me. Com a receita já em minha cabeça, preparei em 10 minutos o suficiente para 4 pessoas, se Louis quiser, sinta-se servido. Coloquei um pouco em uma xícara para mim e deixei em cima do balcão, e subi atrás de uma coberta, peguei a que estava em cima da minha cama e desci enrolada com ela em meu corpo. Peguei a xícara e segui para os fundos, me sentando em uma das cadeiras deitaveis. A bebida quente e a coberta me protegiam do vento que sopra forte, enquanto eu admirava a beleza do céu nublado. Logo sinto a presença de Louis e sou surpreendida quando ele retira minha coberta e se senta atrás de mim, ele se enrola com a mesma e me puxa para seus braços. Sentir sua temperatura quentinha me acolhendo torna o clima mais agradável.

 

Não dizemos nada, apenas ficamos abraçados, curtindo a presença um do outro enquanto olhávamos o céu.

 

A noite finalmente caiu e nós fomos dormir, dessa vez, cada um em seu quarto, embora eu ainda me sentisse desconfortável por ter que dormir sozinha, havia começado a chover e não existe maneira mais tranquila de se dormir, do que junto do barulho das gotas de água caindo do céu. No outro dia, nós acordamos bem disposto e fomos explorar mais um pouco a ilha em que estávamos, a maioria dos comércios estavam fechados, mas não dificultou nossa aventura. Na hora do almoço comemos em um pequeno restaurante que decidiu ficar aberto no último dia do ano. Um lugar muito hospitaleiro, com uma comida divina. Antes de voltarmos para casa, eu e Louis nos separamos, ele me disse que teria que fazer algumas coisas e pediu pra mim voltar sozinha. Não podia me impor contra e assim que ele sumiu de vista, passei em uma lojinha que vende objetos de decoração no caminho para a casa e comprei algumas coisinhas. Umas para enfeitar a casa e outras para dar de presente para os amigos de Louis e nossas famílias.

 

Já em casa, tomei um banho relaxante e quente, descansei um pouco e la para as quatro horas, comecei fazer a janta. Louis deveria estar aqui me ajudando, mas ele ainda não havia aparecido. O que será que ele foi fazer de tão importante que precisava ir sozinho? Ficar pensando nisso está me deixando louca de curiosidade, mas no fundo eu sei que ele não vai me contar aonde foi e ficará por isso mesmo.

Eu odeio quando isso acontecesse. Eu quero sair e dizer pra ele onde fui e como foi, e quero que ele saia e faça a mesma coisa quando voltar. Por que é tão difícil chegarmos nesse momento de nossas vidas juntos? Eu só quero compartilhar e ser compartilhada também. Sempre quando parece que estamos alcançando isso, aparece algo para nos atrapalhar. Ou é uma discussão idiota ou é Louis, que resolveu se fechar completamente. Eu ainda tenho esperança, Louis se mostrou digno dela nessa viagem e também em alguns momentos em nada.

 

Ouço o barulho da porta principal se abrindo e vou até a sala, avistando Louis subindo para o segundo andar com pressa. O que será que ele está aprontando? Ele logo retorna e vem até mim todo sorridente. Forço um sorriso e ele passa por mim, indo para a cozinha, o sigo.

 

– Já começou a fazer a janta? – Perguntando enquanto verifica as coisas no fogão.

 

– Sim, se não, não daria tempo. – Respondo. – Onde você foi?

 

– Andar por aí. – Eu não que ele está mentindo, ele não foi apenas andar por ai, até porque já estávamos fazendo isso juntos.

 

– Hm… Você demorou.

 

– Eu sei, desculpe. – Louis se vira e me encara. – Vou tomar um banho e ja desço pra te ajudar.

 

– Tá bom. – Ele passa por mim novamente e sobe.

 

Acabo ficando cabisbaixa por ele não ter me contado onde havia ido, mas tento tirar isso da minha cabeça, ou acabaria queimando nossa refeição. Logo Louis aparece de banho tomado e me ajuda terminar nossa janta. Não conversamos enquanto isso, fazemos tudo em silêncio. Foi desagradável. Se ele tivesse contado a verdade, não estaria esse clima, a culpa é dele. Eu acho que tudo nessa viagem seja da conta de ambos, por isso, me sinto na obrigação de saber a verdade. Louis por sua vez, decidiu que sua boca é um túmulo e não me contou absolutamente nada. Tudo bem, escolha dele, embora eu não concorde, devo respeitar. Após muitos momentos de reflexão comigo mesmo, decidi deixar esse assunto de lado e nosso dia se seguiu como se nada tivesse acontecido.

 

XX

 

Faltava pouco para meia noite, nós já havíamos comido a refeição maravilhosa que preparamos juntos e estávamos nos fundas da casa nos preparando para vermos os fogos de artifício serem soltos e iluminarem o céu. Embora eu tenha deixado de lado o sumiço de Louis, o clima ainda não estava um dos melhores, nós mal nos falávamos. É o último dia do ano, eu queria que pelo menos nesse pouquinho tempo que nos resta, ficarmos bem um com o outro, para entrarmos em 2018 com o pé direito, mas até o momento, isso parece uma missão impossível.

 

Me sentei na porta da piscina sem tirar os olhos do céu, assim que os fogos surgirem, saberei que é meio noite. Louis senta ao meu lado sem cerimônia com o celular nas mãos. Um segundo ele olhava para o céu, no outro para o celular.

 

23:59:01

 

23:59:10

 

23:59:20

 

23:59:30

 

23:59:40

 

23:59:50

 

00:00

 

Luzes brilhantes surgiram ao céu e o clareou em um perfeito mar de cores brilhantes.

 

Me virei para Louis para dar feliz ano novo e me deparei com ele falando ao celular, todo animado com quem estivesse do outro lado da ligação. Então será dessa forma que começaremos o ano novo? Ele se levantou e se afastou de mim. Foi o que pensei.

 

– Feliz ano novo, Louis. – Digo e me levanto, seguindo para dentro da casa.

 

Adentro em meu quarto e me jogo na capa após por meu pijama. Esse dia foi decepcionante e seria completamente mentira se eu dissesse contrário. Era para ser o nosso dia especial, o dia em que dariamos findo a “lua de mel” e entrariamos com tudo em nosso casamento. Mais um vez, eu estava errada. Abracei o travesseiro e deixei que o choro me dominasse. Eu sei que é patético, mas eu nutro um sentimento por Louis, não sei descrevê-lo, mas eu sinto e quando sentirmos algo, mesmo se for algo simples como admiração, queremos estar presente o tempo todo na vida daquela pessoa com quem nutrimos um sentimento.

Eu só quero estar com Louis e com mais ninguém.

 

Limpo minhas lágrimas rapidamente ao ver a porta do quarto se abrindo, Louis adentra no quarto com uma caixa mediana nas mãos. Ele se aproxima e senta na beirada da cama.

 

– Pra você. – Ele entende a caixa em minha direção, apenas fico olhando para a mesma sem me mexer. – Vamos, pegue. – Me sento na cama e pego a caixa de suas mãos.

 

Louis sorri e me incentiva abrir a caixa. Meio desconfiada, eu retiro a tampa da caixa e  me surpreendo com o conteúdo. Dentro contém algumas fotos reveladas nossas de alguns momentos da viagem, que eu nem havia percebido que estavam sendo fotografadas e também contém um lindo colar em formato de coração, escrito dentro Afrodite. Não posso negar que aquilo me surpreendeu muito, eu realmente não esperava.

 

– Feliz ano novo, Ivy. – Levanto meu olhar ao deu e sou surpreendida com um beijo. No momento, fico espantada, mas acabo deixando-me ser levada por seus lábios macios e seu gosto doce.

 


Notas Finais


Aaaahh, que felicidade, você chegou até aqui, então por que não faz aquele comentário maroto dizendo o que esta achando?
Nanyxx


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...