1. Spirit Fanfics >
  2. Alicia a vampira que não podia amar >
  3. Brigas, reconciliação..

História Alicia a vampira que não podia amar - Capítulo 8


Escrita por: flor000

Capítulo 8 - Brigas, reconciliação..


Após uma noite de amor e passar o dia todo juntos, Alicia e Yago apareceram de mais dadas no encontro de vampiros, chamando a atenção de todos, principalmente de seu padrasto que se achava seu dono.

- Ahhh não acredito!!!!

Gritou Bia feliz em ver o casal junto.

Após a comemoração, o padrasto dela foi tirar satisfação com ela. Segurando forte em seu braço, ele aproveitou um momento de distração de Yago para questionar a moça.

- Me solta! Está louco?

Claro que Alicia com seu gênio difícil não ficaria pacífica.

- Você passou a noite ele, não foi?

- Para que você quer saber disso?

- Não me irrita garota.

Com raiva ele a segurou ainda mais forte pelo braço.

- Quer saber mesmo a verdade? Passei sim, a gente fez amor e foi ótimo! Maravilhoso! Se bem que nem sei por que estou te falando isso se você nem sabe o que é amor.

- Se você não for minha também não será dele!

- Tarde de mais, eu já sou dele!

- Minha vontade é de...

Levantando a mão para ela, ele ouviu um voz de trás dele.

- Não ouse tocar nela!

Olhando lentamente para trás, o homem  baixou a mão.

- Meu amor!

Alicia se refugiou nos braços do amado, pela primeira vez tinha quem a defendesse.

- Eu só estava conversando com ela.

- Para conversar se usa as palavras, não as mãos.

Yago se aproximou dele e ambos se encaram.

- O que foi? O mauricinho vai me encarar agora?


- A Bela tem quem a defenda agora, por tanto fica longe dela.

Ao ouvir o nome Bela, o padrasto dela estranhou.

- Peraí, de que Bela você está falando?

- Não se faça de bobo. Você sabe muito bem de quem estou falando.

- Não sei não.

Yago olhou para Alicia e ela toda sem graça não sabia o que dizer.

- Não me diga que você mentiu seu nome?Hahaha.. não acredito nisso.

O homem adorou ter um motivo para zombar dos dois. E não se importou em usar a mentira de Alicia a seu favor. Alicia ainda tentou dizer algo.

- Yago, eu posso explicar.

- Explicar o que? Que você mente o tempo todo?

- O nome dessa daí é Alicia, não Bela. Ela mora comigo.

Ouvir essas coisas deixou Yago confuso. É impressionante como uma mentira faz todo resto parecer mentira também.

- Yago..


- Não me toque..

O rapaz ficou muito irritado.

- Eu vou sair para deixar o casalzinho conversar.

O homem saiu feliz da vida com a intriga que tinha causado.

- Yago, eu não fiz por mal..Eu não te conhecia e tive medo.

- Você deveria ter me falado a verdade, eu não gosto de mentiras.

- Eu também não, mais eu não confiava em você de primeira.


- Claro! E depois? Por que não falou a verdade?

- Sei lá, eu me esqueci. Não sei..Você também não precisa fazer tempestade em copo d'água por causa de uma mentirinha boba.

- Não é só isso!

- É o que mais?

- E esse homem? Você não me disse que mora com ele em momento algum.

- Eu não achei que fosse importante.


- Como não? Você mora com esse homem que está na cara que é louco por você.

- Não é isso..quer dizer..Ele até quer, mais eu não gosto dele. Ele é meu padrasto.

- Tá vendo?

- Vendo o que, Yago?

- Não é só uma mentira.

- Não tô acreditando que você vai ter uma crise de ciúmes por causa de uma besteira dessas.

- Você mentiu, agora eu não sei mais se o resto era verdade ou também é tudo mentira. Será que você realmente gosta de mim mesmo? Quem é você?

- Yago, como assim quem sou eu? Eu te amo! Eu me entreguei a você quer maior prova de amor que essa?

- O problema é que eu não consigo acreditar mais em você. Primeiro você omitiu que era uma vampira, me atacou. Depois isso de morar com esse cara, agora isso do nome...

- Vamos conversar..por favor!

- Não, eu preciso ficar sozinho.

O jovem caminhou mais a frente, precisa de tempo.

- Onde você vai?

Ele não falou nenhuma palavra, apenas saiu dali, muito decepcionado, deixando Alicia muito triste.

2 meses depois..

Após se passar esse período, o grupo continuava unido e se vendo. Porém Yago havia sumido, Alicia nunca mais soube nada dele, por isso passou a odia-lo.

- Você não vem, Alicia?


Perguntou sua amiga, Bia.

- Não, eu já estou bem alimentada.

- Logo se vê, parece até mais gordinha.

- Você acha?

- Sim, olha que cintura volumosa.

- Nem tinha reparado, acho que dei sim uma engordada. 

- Sim, isso é nítido. Alicia..

Bia queria perguntar alguma coisa, porém ficou sem jeito.

- Diga!

- Você sabe alguma coisa do Yago?

Alicia se desfez do sorriso que carregava.

- Eu não sei nada dele.

- Mais vocês não estavam namorando?

- Não estávamos nada! Ele só foi mais um que abusou da minha ingenuidade. Mas essa garota boba morreu, eu agora não vou querer nunca mais ser de nenhum outro homem.

- Calma, não precisa radicalizar. O Yago te ama, eu sei disso

- Olha, melhor você ir..

Tudo que ela não queria ouvir era alguém falar dele, porém as lembranças a perseguia de uma tal forma. A deixava perturbada.

- Tudo bem! Até amanhã então.

Bia foi embora, enquanto Alicia saiu pela rua escura solitária, não tinha sinal de uma alma viva, apenas o som dos grilos. Porém não estava sozinha, seu padrasto a seguia e como ela estava distraída pelas suas lembranças, ele veio por trás e tapando a boca dela, injetou uma siringa no braço da jovem.

- Agora sim, te peguei.

- Você..

Ela parecia surpresa ai ver que se tratava dele, ainda mais por não tentar nada esse tempo todo.

- Sim, eu.. esperava quem? Aquele seu namoradinho idiota?

Sem forças, ela sentia seu corpo desfalecer nos braços dele.

- Você vai me matar?

- Claro que não, tolinha. Eu vou te sequestrar e te levar para um lugar onde ninguém vai te achar, lá você será só minha.

Lutando contra suas próprias forças, ela tentou sair dos bravos dele. Porém era em vão.

- Não adianta lutar, você agora está sob o meu poder.

Muito fraca, ela acabou desmaiando. É quando ele achou que iria conseguir o que queria, sentiu algo o apunhalar pelas costa, não viu quem era, apenas apagou caindo com Alicia em seus braços.

Era Yago, e ele imediatamente tirou o homem de cima de sua amada e à pegou nos braços.

- Alicia..

Ela abriu os olhos e achou estar tendo um sonho.

- Yago..é você mesmo?

- Sim, você está bem?

- Um pouco sonolenta.

- Esse covarde..

- Você veio brigar comigo outra vez?

Ele fez um carinho no cabelo dela.

- Vim te sequestrar..o que acha da ideia?

- Eu adoraria que isso acontecesse.

Ele a beijou, depois do beijo ela adormeceu. Então ele a levou para casa dele.

Assim que acordou, não reconhecendo o lugar. A jovem ficou assustada.

- Meu Deus, que lugar é esse?

Perguntou ela ao se sentar na cama.

- Olá!

Yago apareceu todo sorridente, dando um susto nela.

- Você?

- Não se lembra?

- De que? Eu não me lembro..

- Te salvei ontem.

Puxando da memória ela se recordou do ocorrido.

- Ah, sim. Meu padrasto não presta. Eu vou matar ele.

Yago se aproximou dela.

- Eu te salvei e quero algo em troca.

- Quer?

Ele praticamente a intimidava com seus olhos verdes, além do mais estava quase em cima dela.

- Sim, eu preciso sentir outra vez seu cheiro, sua pele.

O rapaz a fez se deitar e ficou por cima dela, segurando seus pulsos.

- Você acha que depois de ter sumido por esse tempo todo eu ainda vou deixar você tocar meu corpo?

Perguntou ela o querendo, mas mantendo o orgulho.

- Tenho certeza!

- Eu não vou voltar a ser sua só por que você quer.
Ele a mordeu no pescoço. A deixando arrepiada.

- Não?

Perguntou ele sussurrando seu ouvido com uma voz irresistivelmente provocante.

- Você vai ter que me convencer.

O jovem sorriu, pois ela já estava mudando de ideia. Com um beijo demorado, ele a deixou só na vontade. Parando sem mais nem menos e saindo de cima dela.

- Bom, já que você não quer. Eu vou dar uma volta.

A garota sentiu sua mente ficar toda bagunçada.

- Sair? Para onde?

- Sei lá.. por aí.

Assim que ele estava chegando na porta, ela tomou a frente e ficou entre ele e a porta.

- Não, você não vai.

- Ué, você não disse que..

- Esqueça o que eu disse, me toma em seus braços, me possua, faz o que você quiser comigo. Eu não me importo com mais nada, por que eu te amo!

Alicia o abraçou forte. Sentia tanta falta dele. Nada mais importava, só sua presença.



Notas Finais


Esse casal não se decide kk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...