1. Spirit Fanfics >
  2. Alien – (Imagine - Winwin) >
  3. Capítulo 0.5

História Alien – (Imagine - Winwin) - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Gente! Eu sei que eu demorei e vou explicar isso nas notas finais!

Aproveitem a leitura Bunnie's❤

Capítulo 5 - Capítulo 0.5


Enrascada. Era assim que eu me encontrava. Eu precisava arranjar uma desculpa para não levar uma bela de uma bronca e era isso que iria acontecer, eu iria levar uma bronca!

 

 

 — Eu estou ferrada  —  Me jogo na cama. Meu estômago está rodando, sinto que vou vomitar.

 

Isso tudo por causa daquele chinês pequeno, Huang Renjun, Você me paga. Tá, eu sei que eu tenho culpa mais.. ele não precisava fazer tanto escandalo só por causa de um "pouco" de tinta, tá, ele ficou com o uniforme todo manchado? Sim, mas eu tinha pedido desculpas, ele não precisava ter derramado a lata de tinta inteira em mim e ainda mais saiu na pior por ter que limpar as arquibancadas da quadra do basquete.

 

 —  _____! O café esta pronto. —  A voz da minha mãe invade meu quarto, tenho que arranjar uma bela desculpa para minha mãe, Não, eu não vou mentir, irei falar a verdade.

 

 —  Não vou comer, já esta tarde não quero chegar atrasada.  —  passo por ela indo tomar um copo de água.

 

 — Você não pode ficar sem comer, quer morrer?  —  Dramática como sempre

 

 

 — Não se preocupe xuxi irá levar alguma coisa para mim  —  ela deu um suspirou cansada. Uma coisa que minha mãe odeia é que eu peça comida, sendo que, é o Lucas

 

 

 —  Você sabe que eu odeio quando você faz isso, as pessoas devem achar que eu não te dou comida ou que estamos passando fome!

Não a culpo por se sentir assim; ter criado uma filha sozinha foi difícil e ser motivo de fofoca na vizinhança por ser mãe solteira e não estar sempre em casa já se tornou um hábito. As pessoas deveriam parar de se importar tanto com a vida dos outros e olhar para si mesmo, ser mãe solteira não foi uma escolha e sim a única coisa a se fazer, meu pai foi um completo babaca por ter abandonado a mulher assim que descobriu que estava grávida. Não sinto ódio ou guardo rancor, ele só não é importante para me fazer pensar nele.

 

 —  Não deveria ligar para o que as pessoas pensam ou deixam de pensar, são apenas um bando de desocupados que tentam passar o tempo cuidando da vida dos outros do que de suas próprias vidinhas miseráveis. —  ela sabia que eu tinha razão só não queria ter que admitir isso.

 

 —  As vezes eu fico me perguntando quem é o adulto aqui.  — sorrio meigo e dou um beijo em sua cabeça a avisando que já estou de saida.

 

  — Ah, antes que me esqueça —   É agora —   Eu entrei para natação só por um tempinho. E talvez eu chegue um pouco tarde, hoje é o meu primeiro dia. —   dou o meu melhor sorriso para convencer a cara de confusa que estava estampada em seu rosto.

 

 —  Você nem sabe nadar  —  É. Eu não sei nadar. Burra, burra!

 

 —  Eu sei não me afogar, já é um avanço

 

 —  Okay, okay. Só tenta não morrer

 

Dou uma risada com seu comentário e sigo meu caminho para escola. Tá, eu sei que menti mais eu não tinha outra opção, eu estava nervosa quase vomitei ali mesmo, e se ela descobrir o máximo que pode acontecer é; ela tirar meu celular e não deixar eu sair com lucas  —  Como se eu vivese saindo para festas ou algo do tipo. Talvez eu não esteja vivendo minha adolescência da forma certa como indo em festas, sair para o shopping, virar a noite enchendo a cara e essas coisas que adolescentes idiotas fazem, não julgo quem faz isso, apenas acho patético, só estão pedindo para morrer mais cedo. É apenas minha opinião.

 

Ao passar pelo portão da escola levemente ATRASADA. Sim, eu me atrasei mesmo achando que daria tempo de chegar ainda na hora. Se eu correr talvez de tempo de ainda pegar a primeira aula.

 

Corro pelos corredores o mais rápido possível tentando, apenas tentando não fazer barulho para não chamar atenção do Sr. Kim. Um senhor de meia idade que garante que os alunos não matem aula e que não fiquem se pegando nos corredores. Eu gosto do Sr. Kim, ele é gente boa, sempre que me atraso ficamos conversando sobre suas histórias quando jovem  — Isso esperando a declaração para dar ao professor do porque o atraso.

 

 

  — Para onde a senhorita acha que vai?  —  A voz do Sr. Kim fez eco pelos corredores vazios. Me viro já planejando um screpit na minha cabeça.

 

 — Sr. Kim! Como tem passado?  — Dou o meu melhor sorriso mais foi em vão. Ele faz um gesto para que eu o acompanha-se ate a secretaria

 

O som do ar-condicionado antígo é alto acho que a qualquer momento pode pegar fogo. O Sr. Kim esta mexendo —  Tentando —  no computador para imprimir o folheto de atraso, para um senhor de meia idade ele tem a a postura mais ereta que já vi. Se eu tivesse mais tempo e não estívessemos nessa situação passaria horas ouvido sobre como era a sua adolescência na época a qual eu queria ter nascido, talvez as coisas fossem mais fáceis.

 

 —  Pronto! Aqui está —  Me entrega o papel. Peguei o papel e fui direto para sala correndo já sabendo que levarei uma bronca do professor.

Assim que o sinal toca para as trocas de professores vou para o fundo da sala onde Lucas esta sentado para fofocar da vida alheia ( minha vida para ser específica).

 

 —  Então? —  Olha pra mim com um sorriso travesso esperando saber mais sobre o que aconteceu ontem.

 

—  Vou começar hoje a limpar o espaço de natação  —  dou um suspiro frustada. Só de pensar em ter que limpar aquilo tudo sozinha da uma vontade de chorar.

 

 —  Meus sentimentos. Você foi logo derramar tinta no Renjun.  —  Dar de ombros e olha pra mim com tédio.

 

—  Foi sem querer  —  Faço bico e recebo um aperto na bochecha como resposta.

 

 — Você comeu?  —  Ele pergunta procurando algo em sua bolsa.

 

Balanço a cabeça em negação

 

  — Não deu tempo  — Suspiro em frustação. Ter que ficar até deus sabe que horas chega da vontade de chorar.

 

 —  Toma! Minha mãe fez torta de morango, eu trouxe um pedaço para você  —  me entrega. A torta da senhora Wong é literalmente a melhor coisa que eu já comi em toda a minha vida.

 

Pego um pedaço e o levo a boca e nossa! Como é gostoso lembro da primeira vez que experimentei a torta eu quase chorei de emoção, nunca tinha comido algo tão saboroso como aquilo.

 

  — Uau! Isso é tão bom! —  exclamo ainda de boca cheia. Educação mandou um 'Alô.

 

 —  Meu deus, que sebosa  —  Faz cara de nojo me vendo comer mostro o dedo do meio pro garoto que rir.

 

A próxima aula passou tão rápido que não deu para absorver as informações  —  Pra ser mais precisa; Eu não prestei atenção em nada que foi dito. Minha cabeça esta cheia de pensamentos que se fosse para analisarmos não fariam o menor sentido, estou nervosa e não pelo fato de ter que ficar até tarde e se de encontrar Winwin. Adoraria não me encontrar com ele vai ser vergonhoso, ele vai achar que eu sou uma rebelde ou algo do tipo.

 

  — Isso é um saco!  —  reclamo jogando meu corpo encima de Lucas que comia até então calmamente seu sanduíche.

 

 

  — Ta achando que eu sou escora? Sai peso morto — se xaqualha fazendo com que eu de algumas risadas e só por um momento me fazer esquecer um pouco de winwin

 

Eu que eu não deveria estar me importando com o que vão pensar ou não, mas quando se trata do garoto o qual você gosta o subconsciente faz você pensar em milhões de coisas ruins. Eu nunca tive problema com auto estima ou algo do tipo, mas a insegurança faz com que eu pense que nunca serei boa o suficiente para fazer ele gostar de mim, me achar bonita ou boa o suficiente e isso me quebra.

 

  — Você acha que eu tenho alguma chance com o Winwin?

 

 — Uma em um milhão —  responde o garoto sem interesse algum dando uma mordida em seu sanduíche.

 

  — Obrigada pela parte que me toca  —  Yukhei olha pra mim com uma sobrancelha arqueada

 

  — Porque isso agora? Se ele só se importar com o físico ele é um babaca, mas se ele ver o quanto você é incrível ele tera em mãos um diamante.

 

— Nossa..  —  Eu estava chocada Lucas nunca tinha me falado algo do tipo  —  Lucas você não sente nada além de amizade por mim né?  —  pergunto sem ao menos pensar no que tinha dito, apenas me dei conta com a expressão de nojo que o garoto tinha feito

 

 —  Você bateu a cabeça? Ta louca?! Não, não e não. Só de pensar nisso me deu até vontade de vomitar —  É o meu lucas de volta

 

 —  Eu te odeio.

 

[...]

 

O sinal toca avisando que as aulas tinham chegado ao fim, os corredores calmos de manhã não se encontrava mais alí, já que avia sido tomado por adolescentes cansados que não vinham a hora de chegar em casa para assistir TV e jogar vídeo Game. Sortudos, enquanto uns iam para casa relaxar outros tinham que limpar o colégio.

 

 — Você acha que vai ser muito difícil?  —  encostada nos armários, abraçada a mochila e querendo chorar estava eu me lamentando.

 

  — Sinceramente, eu só queria ir pra casa  —  digo sem ânimo.

 

 —  Boa sorte. Aproveita bastante seu momento por que eu to caindo fora  —  diz fechando o armário e deixando um beijo em minha cabeça.

 

Escorrego lentamente ate o chão frio esperando que o diretor aparece e diga que foi um grande mau entendido e que eu possa ir para casa, Não! ____ você fez por merecer, então assuma seus erros.

Levanto e vou direto para área onde ficam as piscinas.

 

O lugar está vazio, entro e percebo que o lugar é extremamente grande, tipo, MUITO GRANDE. Não é que eu nunca tenha visto mais é a primeira vez que eu percebo o quão enorme é o lugar e o qual as piscinas também são imensas. A cor azul da piscina deixar o lugar com clima reconfortante sabe? Onde você vai para pensar, e isso é muito bom.

 

—  Você deve ser a Kim _____?  —  me viro dando um pulo assustada e vejo que o zelador esta segurando um balde com esfregão.

 

 —  S-sim  —  ele vem em minha direção me dando os objetos.

 

 — Pode começar pelo corredor do vestiário masculinos e depois essa área toda  —  Aponta para onde estamos a qual é realmente grande  —  Boa sorte  —  Da um tapinha em minhas costas e sai.

 

Okay. Vamos lá, você consegue garota. Vou em direção ao corredor do vestiário masculino e começo a limpar.

 

Assim que termino de limpar sou surpreendida por uma figura saindo do vestiário e era ele, com os cabelos vermelhos feito fogo, com um risco na sobrancelha e aquele olhar de tirar o fôlego; Lee Taeyong. Esse era o nome dele, Taeyong era o "rival" de Sicheng estando sempre em segundo lugar e o que ele tinha de bonito tinha de babaca.

 

 —  Olha só o que temos aqui, se queria me ver sem roupa não precisava se esconder era só pedir  — Olha ai, não disse? Babaca!

 

 —  Eu não estava espionando ninguém —  Respondo incrédula. Eu não estava mesmo não sou uma pervertida.

 

  — Claro, claro e qual é o seu nome gracinha? - —  passa a mão em minha bochecha com um sorriso ladino

 

 —  ______?  —  A voz de Sicheng se faz presente assim que o chinês sai do vestiário e junto com ele o restante do time, dentre eles estava Ten com uma cara confusa.

 

 

 —  _______? Você é a garota que jogou tinta no Renjun do segundo ano? —  Lee pergunta se divertindo com notícia. É, as notícias correm rápido nessa escola.

 

 

 — Foi um acidente  — murmuro tentando encontrar onde enfiar minha cabeça.

 

O som do apito do treinador soa alto e ele manda os garotos irem treinar e é o que eles fazem, eu os acompanho até a área das piscinas chamando a atenção do Lee novamente para mim.

 

— Você vai ficar me seguindo? Eu tenho uma stalker agora?  —  Diz e parece estar se divertindo da situação.

 

Taeyong tem esse jeito "Bad boy" , que faz as garotas caírem nos seus truques, eu não vou negar, Lee Taeyong é muito bonito e tem uma lábia que deixa qualquer garota apaixonada, porém, isso não cola comigo meu coração pertence a Dong Sicheng.

 

 —  LEE TAEYONG!   — Falando no Diabo.

 

  — Winwin! Meu caro amigo  —  O garoto se vira para o chinês com um ar de deboche em suas palavras.

 

 —  Eu não sou seu amigo! E eu acho melhor você ir logo para piscina caso eu conte pro treinador sobre seu 3,0 em Matemática — Winwin ameaça fazendo com que fosse embora bufando.  —  Ele te incomodou muito?

 

  — Não se preocupe  —  sorrio timida e ele apenas me da um sorriso como resposta e se junta aos outros garotos.

 

Volto a fazer o meu trabalho QUE, foi cansativo e de vez em quando eu me pegava olhando para Sicheng e ao vê-lo apenas de sunga  —  Não só ele como todo o time  — , fez minhas bochechas arderem e meu estômago embrulhar, Sicheng tem um corpo bonito, não tem o abdômen muito defino mais le caia bem.

 

O Time já tinha terminado seu treino e já tinham ido embora eu também já deveria esta indo embora mas o zelador que eu descobri se chamar; Sr. Byun me pediu para ir guardar os matérias e eu como uma ótima pessoa fui, quanto mais fizerem o que me mandam mais chances eu tenho de diminuirem o castigo... ou não.

 

 —  Bom Trabalho ____! Vá para casa com cuidado  —  Me despeço do Sr. Byun e vou direto para uma loja de conveniência comprar algo para comer.

 

Compro dois saquinhos de jujuba e faço meu caminho tranquilo para casa. O laranja toma conta do céu inteiro, o vento leve sopro as folhas nas árvores trazendo uma brisa gostosa, hoje é um daqueles dias o qual o sol vai indo embora devagar, eu amo isso. Varias pessoas voltando de seus trabalho, casados, estressados não vendo a hora de chegar em casa e relaxar. Caminho tranquilamente até que vejo uma figura muito bem conhecida por mim; sentado no banco de uma praça no outro lado da rua, Winwin. Ele parecia confuso enquanto encarava o seu laranja, atravesso correndo a rua e vou até ele. Eu não sei porque estou fazendo, não consigo nem falar com ele direito mas alguma coisa esta mandando eu ir lá, talvez esteja pirando não quero parecer intrometida. Que se dane.

 

Caminho lentamente e me sento ao seu lado ele esta tão perdido em seus pensamentos que nem me notou ali, fazendo com que eu analisasse o seu rosto perfeitamente, cada detalhe é lindo e eu amo cada linha de seu rosto, seus lábios, o sorriso, eu amo tudo nele e isso é um segredo que eu venho guardando.

 

 —  É lindo não é?  —  A voz do garoto me pegou desprevenida. Me recomponha e olho para frente envergonhada por ele ter me pego o encarando.

 

 —  S-sim, dias como esse é raro.. —  A penas digo algo vago o constrangimento ainda paira sobre mim.

 

 —  Eu posso te contar um segredo? —  O garoto questiona fazendo com que eu o encare confusa.

 

Winwin olha pra mim e sorrir, isso me pegou de surpresa não estava esperando por isso, talvez não seja algo importante, talvez seja igual aos filmes, onde o garoto diz algo vago e besta, até porque eu sou uma completa estranha.

Antes que eu pudesse responder alguma coisa ele fala:

  — Minha vida não é perfeita como todos acham que é..  —  Ele olha pra mim e pela primeira não desvio o olhar e isso me intrigava, era como se eu estivesse hipnotizada.

 

  — Acabei de brigar com meu pai, isso já se tornou um hábito, ele queria que eu me dedicasse mais aos negócios de família ao invés da natação e por eu não da a mínima sempre discutimos. E a pior parte é ver minha mãe chorando com aquela situação. —- Ele falava de uma forma que destruíam a imagem que eu tinha do garoto na minha mente e isso me fez o olha-lo com outros olhos. —- Eu só queria ser invisível

 

 

 — Muitas pessoas querem ser invisíveis. Talvez elas até possam fingir que são. Mas sempre alguém as ver. — O garoto me encara como se estivesse encantado por cada palavra que dissera, me deixando envergonhada.

 

Ele da um pequeno sorriso olhando para as pessoas que passavam com os rostos cansados e então fala:

 

— A vida me cansa —- suspira pesado e volta seu olhar para mim —-, e a você?

 

Balanço a cabeça em negação, analiso o local e percebo que a o laranja no céu se desfaz aos poucos.

 

— A vida não me cansa porque amanhã ainda tenho um bocado de ilusões e um sonho doido para dar certo.

 

 — Quem é você Kim ____? E onde você esteve esse tempo todo? — Questiona brincalhão.

 

— Em lugar nenhum — dou de ombros e olho para ele que solta uma pequena risada.

 

 — E você?

 

 — Eu o que? — pergunto confusa. Não sei onde ele quer chegar com isso

 

 — Qual é o seu segredo? —- Pergunta ainda com um sorriso ladino e eu apenas nego — Vai. Qual é? Todo mundo tem segredos. Qual é o segredo de Kim ____?

 

 —Tá. Quando eu estava na quarta série, eu grudei chiclete na cadeira da professora e nunca fui descoberta, e esse é o meu maior segredo!  — Ele olha pra mim e rir da minha confissão.

 

—- É sério? — afirmo —- ___ Você era uma delinquente — demos uma gargalhada um pouco alta até que o celular de Winwin começa a tocar — É a minha mãe, tenho que ir

 

Nos levantamos e eu vejo ele pegar sua mochila e se virar para mim sorrindo.

 

— Onde você mora? Eu posso te acompanhar até sua.. — antes que ele pudesse terminar seu celular toca novamente.

 

— Não se preocupe. Eu posso ir só, não é tão longe — Sorrio meiga.

 

— Tem certeza? — afirmo — Então, nós vemos amanhã?

 

— Claro.  — Sorrio e vejo ele subir em sua bicicleta — Ah, toma — pego um pacote de jujuba e dou pra ele — Doce é bom para momentos difíceis.

 

Ele sorrir e agradece, então nos despidimos e sigo para minha casa. A lua ja estava alta no céu, conversamos por um bom tempo e isso me deixou feliz, por mais que ele estivesse apenas desabafando, estou feliz por ter estado lá para escutalo.

Sorrio ao lembrar de sua pergunta; "— Qual é o seu segredo?". Meu segredo? Meu segredo é você Winwin-ah. Você é o segredo que venho guardando.


Notas Finais


Então gente. O Negócio foi que, meu celular quebrou e nele tinha todo o cronograma da fanfic, TUDO que iria acontecer na história estava lá, isso e mais alguns projetos que eu tinha escrito e eu perdi tudo, literalmente tudo e até então eu estou sem celular e eu tive que fazer um novo cronograma sem mudar muita coisa mais tive que fazer e meio que deixou a desejar, não está lá essas coisas mais está com um enredo bom. Eu iria escrever no meu computador mas meu computador ta uma merda ( sofro ). Enfim, só me lasquei então eu não sei quando sairá outro Cap mais eu ñ vou desistir da fic.

Enfim, o que acharam?? Deixem seus comentários para eu saber se estão gostando se cuidem bunnie's até o próximo❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...