1. Spirit Fanfics >
  2. Aliens vs Animals >
  3. Capítulo 5 - Em busca pelo concretismo

História Aliens vs Animals - Capítulo 5


Escrita por: Lincia1

Notas do Autor


Olá pessoal,espero que gostem! ^w^

Capítulo 5 - Capítulo 5 - Em busca pelo concretismo


            { Visão de ઝ¡ท }

 

  Deve estar se perguntando de onde estaria o grupo que veio à Terra para achar o fugitivo não é mesmo? Eles estão nos Estados Unidos,todavia não tenho informações de onde exatamente estavam de forma específica,mas isso já explica o motivo pela humana falar em inglês.

  Agora citando em linguagem,tanto o Kin,Savages e a Ziah falam realmente em português.Porém apenas o Kin é nativo dessa língua,o que faz dele ser brasileiro mesmo ele tendo parentesco de japonês.

  Como a Ziah sabe falar em português? Talvez ela tenha aprendido,não tenho tantas informações dela.Mas a mesma consegue ser fluente entre dois idiomas além de sua nativa língua daqueles Aliens cinzentos.Um deles é: uma linguagem no qual não sei direito do que seria e,claro,o português.

  Mas,e o Savages? Bem,sabendo que o Kin fala em português,o Jizzgar foi treinado a compreender e pelo menos poder se comunicar com o mesmo.Jizzgares tem a tendência,em maiores casos,aprenderem o básico para poderem servir os mais indefesos.Eles precisam saber se comunicar pela língua dos seus donos e defender se necessário,pois isso é o mais essencial.

  Enfim,agora é a hora de parar de te atiçar sua grande curiosidade nisso aqui.Aproveite.

 

             { Capítulo 5 do diário - Em busca pelo concretismo - Escrito no dia 26/08 de 2038 }

 

  Passando-se em seus pensamentos de forma repentina,tentando distinguir e compreender os sons desconfortáveis vindos mais à frente,Kin logo imaginava que havia mais alguém pela Fazenda além dos três.Supostamente alguém ou algum animal esteja devorando a mulher,entretanto o mesmo acreditava que Savages não faria algo assim,cujo um de seus treinamentos foi jamais comer ou sentir vontade de devorar um ser humano.

  Mantendo esta informação em mente e permanecendo mais alerta do estimado perigo,o humano comanda a máquina para se levantar,tendo uma certa ideia em mente.A seguir,o robô olha diretamente para a criatura desconhecida,não tendo a menor ideia do que seria.

  Suponhando que o Jizzgar já estava descendo da árvore cautelosamente,Kin imaginava-se que quando acontecesse um ataque repentino,Savages seria capaz de lidar com o ser sem nenhum problema.Isto seria uma boa coisa,mas a única preocupação seria se o seu companheiro não fosse dotado a cumprir tão facilmente.

  Movendo sua cabeça para o lado direito,a máquina indica silenciosamente pro Jizzgar se afastar naquela direção quando enfim chegasse ao chão.Quando Savages terminou de descer da enorme árvore,concordou somente realizando um aceno com a cabeça.Em seguida,o mesmo caminhou cuidadosamente para a direita,enquanto o robô movia-se para a esquerda no intuito de ter um certo distanciamento.

  Refletindo vagamente as suas ações,o humano deduz que se a criatura fosse agressiva - seria em outros casos - mais seguro manter-se à distância.Imaginando-se que depois do ser tentar ir embora daqui,um dos dois poderia encurralar e,se for necessário,matá-la antes de mais alguém perceber a presença deles.No entanto,lhe exerce pensar que talvez não fosse fácil forjar tal coisa,contudo era o que mais restava-os naquele momento.

  Seria ao todo,dificílimo ao decifrar se aquilo é capaz de se comunicar e ser ao menos amigável com eles.O risco predominante gera desordem em sua cabeça,mas eles poderiam se dedicar em tentar conversar,pois pode valer a pena à tentativa.

  Aliás,após o humano ter pensado nisso,ele e Savages observam o ser atentamente.Por segurança eles mantinham-se precavidos com qualquer coisa em seus campos de visão,efetuando passos rasos para não atribuírem tanto barulho.Através de seus pensamentos quando observava-o,Kin começa a achar que pode haver mais deles pela Terra do que somente um.Apesar de considerar essa possibilidade,há preocupações a se lidar.

  Pelo tempo da máquina ter observado-a,começa a vir informações pelos seus olhos após ter feito um escaneamento.Várias mensagens vinham em relativos tempos de espera para ler,dependendo do tamanho das frases e textos:

 

  [ -° ᴇsᴄᴀɴᴇᴀᴍᴇɴᴛᴏ sᴜᴄᴇᴅɪᴅᴏ ᴅᴀ ᴇsᴘéᴄɪᴇ. 

 

 -° ᴄᴀʟᴏʀ ᴇ ᴍᴀᴛéʀɪᴀ ᴠɪᴠᴀ ᴅᴇᴛᴇᴄᴛᴀᴅᴀ,ʀᴇᴀғɪʀᴍᴀɴᴅᴏ sᴜᴀs ᴏʀɪɢᴇɴs.

 

-° ᴄᴀʀᴀᴄᴛᴇʀísᴛɪᴄᴀs ᴄɪᴇɴᴛíғɪᴄᴀs ᴇsᴄᴀssᴀs: 

 

 -° ʀᴇɪɴᴏ: ✖ 

 

 -° ғɪʟᴏ: ✖ 

 

 -° ᴄʟᴀssᴇ: ✖ 

 

 -° ғᴀᴍíʟɪᴀ: ✖ 

 

 -° ᴏʀᴅᴇᴍ: ᴇsᴘéᴄɪᴇ ᴄᴀʀɴíᴠᴏʀᴀ 

 

 -° ɢêɴᴇʀᴏ: ✖ 

 

 -° ᴜᴍᴀ ᴀᴘᴀʀêɴᴄɪᴀ ʀᴇʟᴀᴛɪᴠᴀ ᴅᴇ ᴜᴍ sᴇʀ ᴍɪᴛᴏʟóɢɪᴄᴏ ᴄʜᴀᴍᴀᴅᴏ ᴏʀᴄ,ᴅᴇᴘᴇɴᴅᴇɴᴅᴏ ᴅᴏ sᴇᴜ ᴘᴏɴᴛᴏ ᴅᴇ ᴠɪsᴛᴀ.ᴛᴏᴅᴀᴠɪᴀ,ɴãᴏ ʜá ʀᴇɢɪsᴛʀᴏs ᴅᴏ ɴᴏᴍᴇ ᴅᴀ ᴇsᴘéᴄɪᴍᴇ. 

 

 -° ᴇsᴛᴀ ᴄʀɪᴀᴛᴜʀᴀ ᴅᴇsᴄᴏɴʜᴇᴄɪᴅᴀ ᴘᴇʀᴛᴇɴᴄᴇ ᴀ ᴜᴍᴀ ᴘᴇʟᴀɢᴇᴍ sᴇᴄᴀ ᴇ ʟɪsᴀ,ᴛᴇɴᴅᴏ ᴘᴏᴜᴄᴀ ʀɪɢɪᴅᴇᴢ ᴇᴍ ᴄᴏʀᴛᴇs.ᴀ ᴘᴇʟᴇ ᴛᴇᴍ ᴜᴍᴀ ᴄᴏʀ ᴀᴠᴇʀᴍᴇʟʜᴀᴅᴀ ᴄᴜᴊᴀ ᴘᴀʀᴛᴇ ᴄᴏʙʀᴇ ɪɴᴛᴇɪʀᴀᴍᴇɴᴛᴇ,ɴãᴏ ʜᴀᴠᴇɴᴅᴏ ʀᴇsǫᴜíᴄɪᴏs ᴅᴇ ᴅᴀɴᴏs ғísɪᴄᴏs.ᴄᴏɴᴛᴏʀɴᴀɴᴅᴏ ᴇ ᴅᴇsᴛᴀᴄᴀɴᴅᴏ ᴘᴇʟᴏs ʟᴀᴅᴏs ᴅᴇ sᴜᴀs ᴄᴏsᴛᴇʟᴀs,ғᴏɪ ᴀᴠɪsᴛᴀᴅᴏ ᴜᴍᴀ ᴄᴏʟᴏʀᴀçãᴏ ʙᴇɢᴇ ᴇsʙʀᴀɴǫᴜɪᴄᴀᴅᴀ ᴘᴏʀ ᴍᴀʀᴄᴀçõᴇs ᴀʀʀᴇᴅᴏɴᴅᴀᴅᴀs ᴅᴇ sᴜᴀ ᴘᴇʟᴇ. 

 

 -° ᴏ sᴇᴜ ᴘᴏʀᴛᴇ ғísɪᴄᴏ ɴãᴏ ᴇsᴛᴀᴠᴀ ɴᴀs ᴍᴇʟʜᴏʀᴇs ᴄᴏɴᴅɪçõᴇs,ʟᴏɢᴏ ᴀssᴇᴍᴇʟʜᴀɴᴅᴏ ᴇsᴛáɢɪᴏs ᴅᴇ ғᴏᴍᴇ.ᴀʟéᴍ ᴅɪssᴏ,ᴀᴘᴀʀᴇɴᴛᴀ ᴛᴇʀ 1,70 ᴍᴇᴛʀᴏs ᴅᴇ ᴀʟᴛᴜʀᴀ ᴇ ǫᴜᴀsᴇ ᴄʜᴇɢᴀɴᴅᴏ ᴀᴏs 3 ᴍᴇᴛʀᴏs ᴅᴇ ᴄᴏᴍᴘʀɪᴍᴇɴᴛᴏ.

  ᴘᴏʀ ᴍᴀɪs ᴅᴇᴛᴀʟʜᴇs,sᴇᴜs ᴛʀês ᴏʟʜᴏs sãᴏ ᴄᴀᴘᴀᴢᴇs ᴅᴇ ᴇɴxᴇʀɢᴀʀ ɴᴀ ᴇsᴄᴜʀɪᴅãᴏ,sᴇɴᴅᴏ ᴛᴀʟᴠᴇᴢ ᴜᴍ ᴘʀᴇᴅᴀᴅᴏʀ ɴᴏᴛᴜʀɴᴏ.

 

-° ᴀᴏ ᴛᴏᴅᴏ,sᴜᴀs ᴅᴜᴀs ᴘʀᴇsᴀs sᴀᴛᴜʀᴀᴅᴀs sãᴏ ᴄᴏᴍᴏ ᴄʜɪғʀᴇs ʙᴇᴍ ᴄᴜʀᴠᴏs,ʟᴏɴɢᴏs ᴇ ᴘᴏᴛᴇɴᴛᴇs.ᴇsᴛᴇs ᴄʜɪғʀᴇs ᴘᴇʀᴛᴇɴᴄᴇᴍ ᴀ ᴠáʀɪᴏs ᴇsᴘɪɴʜᴏs ᴘᴏɴᴛɪᴀɢᴜᴅᴏs ᴀʙᴀɪxᴏ ᴅᴀ ʀᴇɢɪãᴏ,ᴄᴜᴊᴏs ᴀᴘᴀʀᴇɴᴛᴀᴍ sᴇʀ ɪɢᴜᴀɪs ᴀ ᴜᴍᴀ ᴍáǫᴜɪɴᴀ ᴄʜᴀᴍᴀᴅᴀ sᴇʀʀᴀ ᴇʟéᴛʀɪᴄᴀ.ɴᴇsᴛᴇs ᴄʜɪғʀᴇs ᴄᴏɴᴛéᴍ sᴀɴɢᴜᴇ,ᴠɪɴᴅᴏs ᴅᴇ ᴜᴍ sᴇʀ ʜᴜᴍᴀɴᴏ. 

 

 -° ᴏs sᴇᴜs ᴅᴇɴᴛᴇs ᴅᴇ ʙᴀɪxᴏ ᴘᴏʀ sɪ só ᴘᴀʀᴇᴄᴇᴍ sᴇʀ ᴄᴏᴍᴜɴs,ᴘʀᴏᴠᴀᴠᴇʟᴍᴇɴᴛᴇ ᴘᴀʀᴀ ᴘᴏᴅᴇʀᴇᴍ ᴄᴀʀʀᴇɢᴀʀ ᴀs ᴄᴏɪsᴀs ᴄᴏᴍ ғᴀᴄɪʟɪᴅᴀᴅᴇ.ᴘᴏʀéᴍ ᴅᴇ ᴜᴍ ᴊᴇɪᴛᴏ ᴘᴇᴄᴜʟɪᴀʀ,ᴀᴄɪᴍᴀ ᴅᴏ sᴇᴜ ғᴏᴄɪɴʜᴏ ᴄᴏɴᴛéᴍ ᴜᴍ ᴛɪᴘᴏ ᴅᴇ ᴄᴀʀᴀᴘᴀçᴀ ᴄᴏᴍ ᴄᴏʟᴏʀᴀçãᴏ ʙᴇɢᴇ ᴄʟᴀʀᴏ,ɴᴏ ǫᴜᴀʟ sᴇ ᴀʟᴀʀɢᴀ ᴇ ᴄᴏʙʀᴇ ʙᴏᴀ ᴘᴀʀᴛᴇ ᴅᴀ ᴛᴇsᴛᴀ.ᴘᴏʀ ʟá ᴇʀɢᴜᴇ ᴛʀês ᴘᴇǫᴜᴇɴᴏs ᴇsᴘɪɴʜᴏs ɪɴsɪɢɴɪғɪᴄᴀɴᴛᴇs,ᴄᴜᴊᴏs ғᴏʀᴍᴀᴍ ᴜᴍ ᴘᴇǫᴜᴇɴᴏ ᴛʀɪâɴɢᴜʟᴏ. 

 

 -° ᴀs sᴜᴀs ᴘᴀᴛᴀs sãᴏ ᴄᴏᴍᴘʀɪᴅᴀs ᴇ ғɪɴᴀs ᴄᴏᴍᴏ ᴜᴍᴀ ᴛáʙᴜᴀ,ᴄᴜᴊᴏ ᴄᴏɴᴛéᴍ ɢᴀʀʀᴀs ᴅɪᴠɪᴅɪᴅᴀs ᴇᴍ ᴄɪɴᴄᴏ ᴀ ᴄᴀᴅᴀ ʟᴀᴅᴏ ᴅᴇʟᴀ,ᴀᴘᴀʀᴇɴᴛᴀɴᴅᴏ ᴘᴀʀᴇᴄᴇʀ ɢᴀʟʜᴏs ᴅᴇ áʀᴠᴏʀᴇs ᴅᴏ ᴘʟᴀɴᴇᴛᴀ ᴛᴇʀʀᴀ ᴘᴀʀᴀ ᴀ sᴜᴀ ᴄᴏᴍᴘʀᴇᴇɴsãᴏ.ᴘᴏʀéᴍ é ɪɴósᴘɪᴛᴏ ᴏ ғᴀᴛᴏ ᴅᴇ sᴜᴀ ᴜᴛɪʟɪᴅᴀᴅᴇ. 

 

 -° sᴜᴀ ᴄᴀᴜᴅᴀ ᴇᴍ ᴇsᴘᴇᴄíғɪᴄᴏ ᴛᴇᴍ ᴜᴍ ᴇɴᴏʀᴍᴇ ғᴏʀᴍᴀᴛᴏ ᴄɪʀᴄᴜʟᴀʀ ᴘʀóxɪᴍᴏ ᴅᴀ ᴘᴏɴᴛᴀ,ɪɴᴅᴇғɪɴɪᴅᴏ ᴛᴀᴍʙéᴍ ᴏ sɪɢɴɪғɪᴄᴀᴅᴏ ᴅᴇ sᴜᴀ ғᴜɴçãᴏ. ]

 

  Após o término das vindas informações,um comportamento diferenciado logo fazia-lhes dar ainda mais atenção,tornando-se temeroso do que aquele ser fará a respeito.Os seus três olhos brilhavam num branco marfim perante a noite consumida por barulhentos grilos,logo expressando em sua face uma pequena agressividade em seus meros movimentos lentos das suas patas.

  Muita saliva daquela desconhecida criatura escorregava pela carne,encaminhando-se para baixo lentamente.Basta-se então a saliva cair no chão bruscamente de maneira nojenta,sujando um pouco mais o caminho de pedras.Os resquícios da saliva e o sangue reflete sua face animalesca,originando uma simples poça.

  Isto faz tanto Savages e Kin provocarem sensações desconfortáveis em sua presença,perturbados em quais são as intenções do inimigo.Do que já não bastasse,o ser se virou para olhar bem nos olhos do Jizzgar,estando preparado em fazer alguma tentativa.Foi visível dele provavelmente estar interessado em se atrever a fugir pela direita,fazendo do robô efetuar ainda mais a sua guarda.

  Bruscamente o ser enrolou sua longa cauda pelo cadáver da humana e,em seguida,jogou-a no intuito de acertar o Savages.O chiado abafado que a criatura dava ao usar sua força para jogar o cadáver assusta ambos,fazendo-os perceberem algo inesperado diante deles quando o Jizzgar recebe o impacto do cadáver.Com todo aquele peso da humana junto com a mochila,ocasiona Savages a cair no chão com o corpo acima de si.

  Logo forçando-lhe a se esforçar em retirar o mais depressa que pôde e,durante suas tentativas,o mesmo ativou a locomoção do espelho do capacete,assim se abrindo para poder respirar com facilidade.Após ter feito isso,começou a resmungar alto com rosnados de raiva:

 

Savages: ¨Arg!...Não deixe ele fugir!!!¨

 

  Como reação daquilo,a máquina começa a correr em direção à criatura,preparando-se pro que der e vier.O Kin pensava que possivelmente existia alguma coisa estranha com ela,cujo o mesmo quer muito tomar cuidado na hora de atacá-lo,não arriscando em atacar arduamente.No momento em que a criatura vira seu olhar para o robô,no qual também está querendo resultar segurança de si para não se arriscar tanto,fica em posição de defesa.

  Bastando este ato,a máquina começa a se mover pro lado ao girar seu corpo para trás.Nisso,ele faz pelo centro de sua cauda erguer um formato de um bico prateado,cheio de divisões por todos os lados.Isto vai se desunindo em grandes e finas placas retangulares por maneiras abruptas,obtendo mais ao fundo um tom azulado por causa do brilho adentro da cauda.

  As placas recebem um aspecto fervente após isso,dando em recompensa uma bela coloração arroxeada,o qual realça ao redor.A seguir,estreia um pouco de fumaça,o qual vai saindo de dentro levemente e espalha-se calorosamente em segundos pelo ar,emanando muito calor a cada proximidade ao inimigo próximo.

  Estando prestes a receber o impacto,o ser por estar ante o iminente perigo,foi possível de fazer a sua cauda como seu modo de defesa.Ao alçá-la para defender seu pescoço desprotegido,o mesmo tenta no máximo se mover para trás.

  Pretendendo acertar o pescoço como seu alvo principal,torna-se complicado pro robô poder atingi-lo,porém restava-lhe depender de sua esperada sorte.Quanto à criatura,provavelmente pretendia enrolar sua cauda na máquina,no intuito de aparar e dar um contra-ataque de modo sucessivo.Ao todo,só dependia deles em quem fosse ou não ocasionar o primeiro golpe.

  Naquele tempo mínimo,não foi possível do ser estar longe o suficiente para não receber o corte,logo sendo cortado duas vezes pelas finas placas quentes.Inconformado com aquilo,a criatura tenta fazer a sua tática de maneira mais forçada e,encaminha sua cauda na da máquina.No processo,a sua cauda circular enrola rapidamente na dele,pressionando-a e fazendo força para quebrar.

  Notando isso,Kin teve uma ideia e,com raiva,direciona a boca do robô na cauda do inimigo.A boca vai abrindo largamente enquanto as linhas do aparelho de comunicação alargam-se,sobressaindo um tom enfurecido:

 

Kin: [ ᴀᴛɪᴠᴀʀ sᴜᴘᴇʀᴀǫᴜᴇᴄɪᴍᴇɴᴛᴏ!!! ]

 

  O ser com brutalidade levantou suas duas patas da frente,aproveitando que a cabeça da máquina vai se aproximando cada vez mais,preparado para dar o troco.Enfim,o mesmo dá um pisão monstruoso no pescoço,amassando-lhe pelo impacto enquanto o corpo do robô é espancado ao chão,sendo pressionado com tamanha força.

  Naquele momento,a máquina estava presa e não podendo se movimentar,ocasionando a criatura amassar ainda mais a cauda.Todavia,não demorou muito para que o robô fosse se superaquecer não só na cauda,mas pelo corpo inteiro.Por causa disso,o ser teve que soltá-lo enquanto lança grunhidos de dor abafados.O mesmo balançava sua cauda cheia de queimaduras,no qual saía bastante fumaça.

  Ele não conseguia por suas patas da frente no chão,cujas doía ao toque e também saía fumaça nelas.Por conta disto,a máquina pôde se levantar e começou a examiná-lo atentamente de longe,percebendo que a criatura vai ficar mais focada em se acostumar com aquela dor por enquanto.Tendo convicção,passa a ser uma boa oportunidade para dar um descanso rápido.

  Reclamando baixo,o robô observava os danos de seu corpo naquele seu momento de trégua:

 

Kin: [ ᴍᴇʀᴅᴀ,ǫᴜᴀsᴇ ᴅᴇᴜ ʙᴏsᴛᴀ...ᴇssᴇ ɪɴғᴇʟɪᴢ ᴠᴀɪ ᴅᴀʀ ᴛʀᴀʙᴀʟʜᴏ… ]

 

  De repente,uma mensagem aparece em seus olhos,escrito:

 

[ -° ᴠᴏᴄê ᴅᴇsᴇᴊᴀ ᴅᴇsᴀᴛɪᴠᴀʀ ᴏ sᴜᴘᴇʀᴀǫᴜᴇᴄɪᴍᴇɴᴛᴏ? 

 

 { sɪᴍ } ᴏᴜ { ɴãᴏ } ]

 

  Sem paciência,o humano responde:

 

Kin: [ ᴅᴇsᴀᴛɪᴠᴇ,ɴãᴏ ǫᴜᴇʀᴏ ᴛᴇʀ ᴘʀᴏʙʟᴇᴍᴀs ᴅᴇᴘᴏɪs. ]

 

  Em resposta,a mensagem desaparece e o superaquecimento dele aos poucos vai diminuindo,somente havendo calor nas placas.Após isso,o robô ouve passos que vão em sua direção,logo ouvindo uma voz:

 

Savages: ¨Hey Kin! Você tá bem?¨

 

Kin: [ ᴛô ʙᴇᴍ.ᴘᴏʀ ǫᴜᴇ ᴅᴇᴍᴏʀᴏᴜ ᴛᴀɴᴛᴏ,sᴇᴜ ɪᴅɪᴏᴛᴀ? ]

 

Savages: ¨Tinha mais outro desse bicho,só que mais jovem.Eu tive que matá-lo.¨

 

  Virando para trás,a máquina indica com a cabeça,dizendo:

 

Kin: [ ᴇɴᴛᴇɴᴅɪ.ᴅᴇsᴄᴀɴsᴇ ᴍᴀɪs ᴘᴀʀᴀ ʟᴏɴɢᴇ,ǫᴜᴀʟǫᴜᴇʀ ᴄᴏɪsᴀ ᴠᴏᴄê ᴠêᴍ. ]

 

Savages: ¨Certo...Eu tô acabado mesmo...¨

 

  Se distanciando,Savages vai correndo para trás e então se deita no chão,sendo visível dele estar quase sem fôlego.Agora sabendo que está tudo bem,o robô dirige-se ao inimigo,aproximando dele bem rápido para dar novamente seu giro.A criatura vendo aquilo,balança sua cauda como se estivesse prestes a tentar agarrá-lo de novo,mas não conseguiu impedi-lo a tempo pois prestava mais atenção na dor que sentia de suas patas.

  Sem piedade,a sua cauda foi cortada fora brutalmente em rapidez e provavelmente pode ter sentido uma queimação de segundos pelo corte.Com tamanha certeza,a criatura deve estar sentindo uma dor frustrante do corte,bastando subitamente quase se escorregar de seu próprio sangue por culpa da forma aleatória e o decorrer daquele líquido pela sua cauda arrancada.

  Fadado a largar o pedaço de carne sem querer pelo chão,o ser reage por grunhidos desesperadores pelo ataque surpreendentemente mortal.Bem coerente este fato,traz para máquina algumas certezas para si mesmo,do qual uma das partes de defesa e do ataque da criatura terem sido completamente anuladas.Logo isto se torna um ótimo proveito para ele se dirigir e dar seu segundo giro mortífero.

  Entretanto,pela tentativa de fazer aquele golpe cortante para finalizá-lo,faz a criatura saber do perigo.O ser em seu ato de desespero tenta estar bípede,pretendendo no momento certo agarrar a cauda e exceder peso,assim poder achatar o robô ao chão com toda a sua força.No meio de tentar atingir seu inimigo quando fica dessa maneira,é retirado com facilidade ambas patas da frente,sobressaindo fumaça pela carne e entregando um aroma de carne frita.

  Agora,sobrou somente seus mortíferos dentes dominantes e,em meio a soltar de novo um grunhido de dor por mais uma vez ter parte de seu corpo decepado,a criatura consegue aproveitar o desequilíbrio para cair bem direcionado para baixo.Abrindo largamente sua boca,o ser pôde agarrar o pescoço da máquina e formidando todo seu peso em cima dele,forçando-lhe a estar no chão.

  Após agarrá-lo,a criatura mexe sua cabeça para frente e para trás,tentando decapitar a cabeça do robô como se estivesse cortando-lhe com uma faca de cozinha.Incapacitado em se mover,a máquina diz enquanto vai se debatendo na esperança de poder sair dali:

 

Kin: [ sᴀᴠᴀɢᴇs,ᴍᴇ ᴀᴊᴜ- ]

 

  De repente,sem ao menos o robô e a criatura terem notado,Savages já estava por perto para impedir.O mesmo encrava seus dentes pela nuca do ser,puxando-o para longe do robô e jogando-lhe para a esquerda após soltá-lo.Por passos trêmulos,a criatura olha para o Jizzgar enquanto dedica-se para ficar de pé só com suas únicas duas patas traseiras.

  Quando se recompôs em prontidão,a criatura ruge enquanto respingos de sua saliva saem freneticamente de sua boca,impondo perseverança e ferocidade.O ser tendo apenas opção de ficar bípede,vai em direção ao Savages bem torto,parecendo ter dificuldades em se locomover.O Jizzgar também em prontidão,vai ambos em direção um do outro em troca de mordidas robustas.

  Pelo chão,a máquina olhava de relance os dois se esquivando e tentando morder um ao outro como uma verdadeira batalha contra a morte,mostrando-se hábeis em seus movimentos.Aquilo fez o robô ter a oportunidade de se levantar depois daquele perrengue,mantendo-se atento no que fazer para ajudar seu parceiro e sendo paciente para esperar a hora certa de agir.

  Num tudo ou nada,o ser distancia-se para trás,cujo parecia ter novamente alguma ideia.O mesmo fungando pelo nariz com raiva e expressando em sua face intimidadora um pouco de seriedade,faz os dois adversários terem olhares cerrados.Um corte áspero pelo caminho de pedras foi feito pelas garras traseiras da criatura antes mesmo de sequer correr de frente contra Savages.

  Era como um touro feroz prestes a dar uma chifrada perfurante num humano tentando se levantar da derrubada,fazendo o Jizzgar ter visíveis incertezas no que fazer ao encará-lo fazendo aquele ato.No entanto,Savages também não tinha nenhuma carta na manga,assim fazendo-o dar um breve suspiro,percebendo de relance a aproximação da máquina dizendo apressadamente:

 

Kin: [ ᴠᴀɪ,ᴠᴀᴍᴏs ᴛᴇʀ ǫᴜᴇ ᴍᴀᴛá-ʟᴏ! ᴇᴜ ᴠᴏᴜ ᴛᴇ ᴅᴀʀ ᴄᴏʙᴇʀᴛᴜʀᴀ! ]

 

Savages: ¨Certo!¨

 

  Ante do inimigo vindo cada vez mais até eles,os dois começam a correr de frente sem temor.Após isso,os dois quando chegaram mais perto do inimigo,Savages se agacha para poder desviar do temeroso ataque.Pela aproximação de relance,o robô dá um corte certeiro no pescoço da criatura,fazendo os dentes do inimigo ao encontro errarem de onde seria o suposto alvo.

  Mesmo o ser não conseguindo acertar o peito do Jizzgar,acabou que os dentes fossem penetrar só um pouco na armadura,fazendo Savages infelizmente receber um longo e fino corte na crista.

  No momento de oportunidade após fintar,o Jizzgar se levanta e salta para agarrar o pescoço do ser pela sua pata direita, ignorando a dor que sentiu.Entretanto é visível o quão abatido o mesmo está,mas com força de vontade,ele foi capaz de agarrá-lo e enfim alça-o para cima.Realizando a criatura apenas olhar para o céu coberto por nuvens cinzentas,Savages diz com firmeza:

 

Savages: ¨Essa será a última coisa que verá da sua vida!!¨

 

  Os dois aliens brutos simplesmente competiam pela sua persistência,assim estimando quem não aguentava mais lutar,além de terem determinação o suficiente para continuarem de pé.Ambos rosnavam agressivamente um para o outro e,no entanto,a máquina gruda-se por trás e mordia a criatura.Suas presas adentraram naquela pele seca,vazando sangue pelo corpo.

  Erguendo sua cabeça com tudo,o Jizzgar morde a cara da criatura pela lateral com tamanha vontade,usando seu peso para fazê-lo cair.Savages propositalmente copia a tática mortífera da criatura,usando contra-a sem perdão.Isto faz o ser reagir com um longo rugido de ódio,no qual ressoa por todo o canto.

  A carne é brutalmente arrancada,junto com seu olho esquerdo de seu rosto,da testa e parte de suas costas também retiradas.Aquele cenário provavelmente deve estar assustando os animais noturnos próximos dali,cuja visão era devastadora.

  Logo com força,o Jizzgar apoia sua pata esquerda pelo ombro do ser,fazendo-lhe ser jogado ao chão com a ajuda do robô que mantia-se nas costas.A derrota decisiva foi tomada à força,dando a criatura uma tosse seca como seu último suspiro e morrendo somente com seu olho direito intacto,dando um visível desespero em sua face desfigurada.

  Provavelmente ele não teria esperado que seria morto de uma maneira tão apavorante como aquela e,no caso,estava rasgado e mordido por várias partes de seu corpo decepado.O novo cadáver em poucos minutos foi pintado em puro sangue,não demorando em formar uma grande poça vermelha escura entre eles.

  Um predominante cheiro de carne frita prevalece e um silêncio recheado de arfadas do Savages pelo cansaço inicia.Demorou alguns segundos durante a luta para ele sair do cadáver,recebendo a atenção da máquina quando o mesmo pôde se levantar.Se aproximando do robô,lhe pergunta pois o mesmo quer descobrir se estava bem:

 

Savages: ¨Tá tudo bem contigo?¨

 

Kin: [ É,ᴇᴜ ᴛô.ɪssᴏ ᴀǫᴜɪ é ʀᴇsɪsᴛᴇɴᴛᴇ à ǫᴜᴇᴅᴀs,sᴀʙᴇ ᴍᴜɪᴛᴏ ʙᴇᴍ ᴅɪssᴏ. ]

 

Savages: ¨Sim.Só que eu me pergunto do como não percebemos essa coisa...¨

 

  Revirando seu olhar,a máquina observa ao redor para ver se não havia mais alguém por perto,enquanto falava desconfiadamente:

 

Kin: [ ᴇᴜ ɪᴍᴀɢɪɴᴏ ǫᴜᴇ só ᴄʜᴇɢᴏᴜ ᴅᴇᴘᴏɪs ᴅᴇ ᴇᴜ ᴛᴇʀ ᴍᴀᴛᴀᴅᴏ ᴀǫᴜᴇʟᴀ ғɪʟʜᴀ ᴅᴀ ᴍãᴇ...ᴍᴀs ᴇɴғɪᴍ… ]

 

  Percebendo mais claramente pelo ombro direito do Jizzgar,o robô vê um amasso fundo pela armadura do companheiro e também daquele corte que o ser havia feito.O humano então,se lembra do barulho quando o mesmo tentava salvá-lo e pelo menos impedir que a humana o machuca-se.Esta lembrança passava-se em sua cabeça vagamente,deixando-lhe bem apreensivo e fazendo-o tentar se manter focado novamente.

  Logo,a máquina pergunta depois de soltar um leve suspiro:

 

Kin: [ ғᴀʟᴀɴᴅᴏ sᴏʙʀᴇ ᴀǫᴜᴇʟᴀ ᴅɪᴀʙᴀ...ᴇʟᴀ ʜᴀᴠɪᴀ ᴛᴇ ᴀᴄᴇʀᴛᴀᴅᴏ? ]

 

  Balançando sua cabeça em discordância,o Savages afirma para o robô,respondendo-o e explicando-lhe calmamente o ocorrido:

 

Savages: ¨É.Doeu no começo para ser honesto,achei que aquela bala teria chances de perfurar,mas tô bem.¨

 

Kin: [ ɴãᴏ ᴇsǫᴜᴇɴᴛᴀ ᴄᴏᴍ ɪssᴏ,ᴀɢᴏʀᴀ ᴛá ᴛᴜᴅᴏ ʙᴇᴍ. ]

 

Savages: ¨Tá bom…¨

 

  Se virando para a esquerda,o Jizzgar caminha até a mochila com passos lentos,cuja está do lado do corpo da humana.Não tinha só o cadáver da mulher,havia também um pouco mais longe um corpo decapitado da mesma espécie que enfrentaram e,realmente era menor.Revirando o olhar,a máquina observa seu companheiro vasculhando por dentro daquela mochila,atiçando ainda mais a sua curiosidade.

  Se aproximando para saber o que havia dentro,o robô pergunta:

 

Kin: [ ᴛᴇᴍ ᴏ ǫᴜᴇ ᴀí? ]

 

  Savages achando uma coisa,agarra cuidadosamente pela sua boca e revela para a máquina.Pelo o que parece era um caderno e,as duas caudas bifurcadas se movem,enrolando-se no caderno e entregando pro robô.Com isso,o Jizzgar diz num interesse em seu olhar:

 

Savages: ¨Ela carregava isso pela mochila,não sei se tem mais coisas dentro.¨

 

Kin: [ ᴜᴍ ᴄᴀᴅᴇʀɴᴏ?... ]

 

  No caderno tinha uma estampa de uma menina qualquer sentada num balanço pendurado por uma árvore,apreciando uma linda vista do pôr-do-Sol perante vários pássaros voando mais a cima dela.Bem pelo topo,via-se escrito num pedaço de papel colado: "Catherine".A máquina olhou para o cadáver da mulher e depois olhou novamente para a capa do caderno,cuja estampa não discernia semelhanças de que a garota era a mulher morta.

  Além disso,o caderno parecia ter várias páginas,ou seja,muita coisa interessante para se ler e descobrir mais sobre Catherine.O robô então olha para o celeiro escancarado,demonstrando apelo em seu tom de voz:

 

Kin: [ ᴠᴀᴍᴏs ᴘᴀʀᴀ ᴅᴇɴᴛʀᴏ,ᴀǫᴜɪ ғᴏʀᴀ ᴇsᴛá ᴘᴇʀɪɢᴏsᴏ ᴅᴇᴍᴀɪs ᴘᴀʀᴀ ᴀ ɢᴇɴᴛᴇ. ]

 

Savages: ¨Ok.¨

 

  Pegando a mochila pela boca,o robô olha de canto o cadáver daquela mulher,pensando se Catherine seria seu nome.Porém,Kin fica em seguida rancoroso por se lembrar do que a humana fez,acabando fazendo a máquina ficar parada sem se mexer.Preocupado,Savages pergunta receoso:

 

Savages: ¨Ah...Tá tudo bem,Kin?¨

 

Kin: [ Ãʜɴ?... ]

 

  Movendo-se novamente,a máquina dirige seu olhar para o Jizzgar,respondendo-o de forma franca enquanto as linhas de seu aparelho de comunicação começa alto e movimenta no fim de maneira devagar para baixo:

 

Kin: [ ɴãᴏ é ɴᴀᴅᴀ.ᴠᴀᴍᴏs...]

 

  Savages apenas concorda em silêncio,parecendo achar melhor nem tocar no assunto.Então os dois dirigiram-se para dentro do celeiro,a fim de desejarem estar seguros o suficiente para finalmente passar a noite.Ao adentrarem,fecharam o portão e andaram até onde está a carroça.Os dois vão ajudando um ao outro para subirem em cima da carroça,logo subindo pelas escadas quebradas.

  O lugar estava bem empoeirado,contudo não quanto lá embaixo,cujo está bagunçado de vários fenos.Havia apenas poucos fenos próximos da escada e somente sobrando uma lâmpada no teto,iluminando o ambiente.Eles após pegarem poucos e leves fenos que eles encontram espalhados,agrupam e deixam-lhes como um pequeno ninho simplório,próximos da terceira janela.

  Aquilo deixa-os se sentirem mais aconchegados,fazendo o Jizzgar ter enfim um descanso merecido por andar tanto e se espreguiçando enquanto dá um bocejo profundo.Satisfeito em ver o seu amigo descansando,a máquina vai empilhando os cacos de vidros caídos da segunda janela para muito longe deles.Depois daquele um minuto de silêncio e trabalho feito,o robô pede após estar do lado de Savages:

 

Kin: [ ᴀʙʀᴇ ᴀí ᴏ ᴄᴀᴅᴇʀɴᴏ.]

 

  Como pedido,Savages esticou sua longa cauda entre eles,colocando o caderno no chão e abrindo-a sem folhear as páginas.Pela primeira página estava absolutamente em branco,então quando folheiam mais,realmente não havia nada escrito.Num breve resmungo,o mesmo fala desapontado:

 

Savages: ¨Não tem nada nisso aqui,que perda de tempo.¨

 

  Também achando a mesma coisa,Kin se perguntava em qual razão daquela mulher querer carregar um caderno inútil,ou talvez ela ainda não teve a oportunidade de poder escrever naquilo.Entretanto algo veio em sua mente,soltando a mochila e começando a buscar por algo em específico.Assim depois,ele pega uma lanterna preta no qual aparentava ser comum no começo,no entanto quando o robô a liga,faz revelar uma luz arroxeada com tons azuis claros.

  Passando levemente pelo papel,a luz ultravioleta mostra as letras invisíveis do caderno.Em seguida,a máquina olha para o Savages que estava balançando sua cabeça levemente pra cima e para baixo,dizendo meio surpreso:

 

Savages: ¨Ok...Não entendi,mas tô compreendendo.¨

 

Kin: [ É.ᴘᴇʟᴏ ᴏ ǫᴜᴇ ᴘᴀʀᴇᴄᴇ,ᴇssᴇ ᴄᴀᴅᴇʀɴᴏ ғᴏɪ ᴇsᴄʀɪᴛᴏ ᴘᴏʀ ᴜᴍᴀ ᴄᴀɴᴇᴛᴀ ᴍáɢɪᴄᴀ.ᴀǫᴜᴇʟᴀ ᴍᴇɴɪɴᴀ é ᴇsᴘᴇʀᴛᴀ ᴅᴇ ǫᴜᴀʟǫᴜᴇʀ ᴍᴀɴᴇɪʀᴀ. ]

 

Savages: ¨Caneta Mágica?¨

 

Kin: [ sɪᴍ...É ᴄᴏᴍᴏ ᴇᴜ ᴄʜᴀᴍᴏ ɪssᴏ ᴘᴀʀᴛɪᴄᴜʟᴀʀᴍᴇɴᴛᴇ,ᴛᴀᴍʙéᴍ sᴇ ᴄʜᴀᴍᴀ ᴄᴀɴᴇᴛᴀ ᴅᴇᴛᴇᴛɪᴠᴇ.ᴍᴀs ᴇɴғɪᴍ,ɴãᴏ ᴛᴇᴍ ᴍᴜɪᴛᴏ ᴏ ǫᴜᴇ ᴅɪᴢᴇʀ sᴏʙʀᴇ,ɴé? É só ᴜᴍᴀ ᴄᴀɴᴇᴛᴀ ᴄᴏᴍ ᴛɪɴᴛᴀ ɪɴᴠɪsíᴠᴇʟ.ᴀɪɴᴅᴀ ʙᴇᴍ ǫᴜᴇ ᴇʟᴀ ᴛᴇᴍ ᴇssᴀ ʟᴀɴᴛᴇʀɴᴀ. ]

 

  Após dele ler o título,diz suponhando num tom desanimado:

 

Kin: [ ᴘᴀʀᴇᴄᴇ sᴇʀ ᴏ ᴅɪáʀɪᴏ ᴅᴇʟᴀ,ᴍᴀs ɴãᴏ sᴇɪ ᴛᴀɴᴛᴏ sᴏʙʀᴇ ɪɴɢʟês ᴘᴀʀᴀ ᴇɴᴛᴇɴᴅᴇʀ ᴛᴜᴅᴏ. ]

 

Savages: ¨Pera,você esqueceu que eu compreendo e sei falar inglês?¨

 

Kin: [ ᴏʜ,é ᴍᴇsᴍᴏ.ᴇᴜ ʜᴀᴠɪᴀ ᴍᴇ ᴇsǫᴜᴇᴄɪᴅᴏ ᴅɪssᴏ. ]

 

  Piscando pesadamente,o Jizzgar olhava para o piso de madeira sujo e coberto por fenos.O mesmo estava acabado,provavelmente com muito sono e com bastante cansaço.Ele então depois de soltar um outro bocejo,diz:

 

Savages: ¨É.Mas eu tô muito cansado para isso,vamos ler isso amanhã...¨

 

Kin: [ ᴄᴇʀᴛᴏ ᴇɴᴛãᴏ. ]

 

  A máquina querendo saber o que há mais na mochila,vasculha enquanto retira as coisas que tem adentro.Havia sacos de salgadinhos ainda não abertos,uma caixinha de band aids recém aberta,remédios contra gripe e remédios contra dores específicas.Na parte mais média da mochila tinha faixas,absorventes e pequenas frutas.Mais abaixo fez o humano se intrigar,cujo por dentro havia um gravador de voz.O mesmo naquele momento começa a pensar do que está gravado,então o robô pega com a boca e coloca no chão enquanto chama o Jizzgar:

 

Kin: [ sᴀᴠᴀɢᴇs,ᴏʟʜᴀ ɪssᴏ ᴀǫᴜɪ! ]

 

Savages: ¨O quê?¨

 

  Savages olha para a máquina e para o gravador de voz,logo se perguntando:

 

Savages: ¨O que tem com isso?¨

 

Kin: [ É ᴜᴍ ɢʀᴀᴠᴀᴅᴏʀ! ᴘᴏᴅᴇ sᴇʀ ǫᴜᴇ ʜᴀᴊᴀ ᴜᴍᴀ ᴘɪsᴛᴀ sᴇ ᴀǫᴜᴇʟᴀ ᴍᴜʟʜᴇʀ ᴀᴠɪsᴛᴏᴜ ǫᴜᴇᴍ ɴós ᴘʀᴏᴄᴜʀᴀᴍᴏs. ]

 

Savages: ¨Liga aí então.¨

 

  Concentrados,o robô aperta um botão onde ativa o que já foi gravado,logo ressoando na caixa sons familiares:

 

[ …  ---  .-.  .-.  -.--    ..-.  ---  .-.    .-..  .  .-  …-  ..  -.  --.    .-..  ..  -.-  .    -  ….  ..  …    --..--    -.--  ---  ..-    -.-.  .-  -.    --  .  .  -    --  .    ..  -.    -  ….  .    -.-.  ..  -  -.--    .--  ….  .  -.  .  …-  .  .-.    -.--  ---  ..-    .--  .-  -.  -    .-.-.- ]

 

  É difícil de entender o código morse,mas depois vem barulhos de passos e um som de algo quebrando enquanto uma voz masculina diz de maneira enfurecida:

 

[ ᴅᴀᴍɴ,ɪ ʙʀᴏᴋᴇ ᴛʜᴇ sᴛᴀɪʀs!... ]

 

  O gravador simplesmente para depois daquilo.Os dois quando olharam um para o outro,começam a rir baixinho,não esperando por essa.Bastou então o Jizzgar dizer quase rindo alto:

 

Savages: ¨Acho que esse cara foi quem quebrou as escadas!¨

 

Kin: [ ᴇᴜ ǫᴜᴇʀɪᴀ ᴛᴇʀ ᴠɪsᴛᴏ ɪssᴏ! ᴅᴇᴠᴇ ᴛᴇʀ ғɪᴄᴀᴅᴏ ᴇɴᴛᴀʟᴀᴅᴏ ʟá ᴅᴇᴘᴏɪs!!! ]

 

  Os risos altos dos dois não foram contidos,e logo não mudaram de assunto por um longo tempo.Entre pequenas brincadeiras,aos poucos aquietaram-se pois decidiram ficar mais quietos,cujos poderiam trazer mais problemas.Numa dessas decisões,os mesmos aceitam em dar uma pausa breve para descansarem melhor de tudo e olharem onde sofreram danos.

  No meio tempo,a máquina vai cuidando dos ferimentos do Jizzgar,dizendo orgulhosamente enquanto entrelaça as longas faixas na crista do seu amigo:

 

Kin: [ ᴠᴏᴄê ʟᴜᴛᴏᴜ ᴘʀᴀ ᴠᴀʟᴇʀ ʟá,ᴘᴀᴍᴏɴʜᴀ.ᴏʙʀɪɢᴀᴅᴏ ᴘᴏʀ ᴛᴇʀ ᴍᴇ ᴀᴊᴜᴅᴀᴅᴏ. ]

 

Savages: ¨Ah...N-Não foi nada...¨

 

  Terminando de enfaixá-lo,o robô pega a mochila que já estava vazia,pois as coisas ficaram espalhadas por todo o canto.A seguir,ele coloca em cima de Savages,dizendo bem calmo para poder confortá-lo:

 

Kin: [ ᴀ ᴍᴏᴄʜɪʟᴀ ᴠᴀɪ ᴛᴇ ᴀᴊᴜᴅᴀʀ ᴀ ᴛᴇ ᴇsǫᴜᴇɴᴛᴀʀ. ]

 

Savages: ¨Obrigado...¨

 

  Encostando sua cabeça no chão,o Jizzgar olha para a parede da esquerda,não parecendo estar à vontade.Tentando puxar assunto,a máquina pergunta meio abalada:

 

Kin: [ ʜá ᴀʟɢᴜᴍ ᴘʀᴏʙʟᴇᴍᴀ,ᴘᴀᴍᴏɴʜᴀ ᴀᴢᴜʟ? ]

 

Savages: ¨Ah...sei lá.Será que aquela mulher estava procurando a pessoa que caiu da escada?...¨

 

Kin: [ ᴀᴄʜᴏ ǫᴜᴇ sɪᴍ… ]

 

  Levantando sua cabeça,Savages olha para o robô.Seus olhos negros vão sendo levemente mais visíveis pela luz azulada da máquina,cuja reflete pelo espesso espelho de seu capacete,além da luz amarelada da lâmpada.Seu semblante revelava na hora sua tristeza,além de sua fala pensativa:

 

Savages: ¨Isso me faz lembrar da Valentine...Penso nisso por causa dela querer sempre me ajudar.¨

 

Kin: [ ᴀᴄʜᴏ ǫᴜᴇ ᴇᴜ ɢᴏsᴛᴀʀɪᴀ ᴅᴇ ᴄᴏɴʜᴇᴄê-ʟᴀ sᴇ ᴇʟᴀ ᴇsᴛɪᴠᴇssᴇ ᴠɪᴠᴀ,só ǫᴜᴇ ᴠᴏᴄê ᴛɪɴʜᴀ ᴍᴀɪs ʀᴀᴢõᴇs ᴘᴀʀᴀ ᴅᴀʀ ᴇssᴇ ᴍᴇsᴍᴏ ɴᴏᴍᴇ ᴘᴀʀᴀ ᴇsᴛᴇ ʀᴏʙô...ɴé?]

 

Savages: ¨Sim...Eu gostava bastante dela e...não queria esquecer seu nome.¨

 

Kin: [ ғᴇᴢ ʙᴇᴍ...ᴅᴇᴠᴇ sᴇɴᴛɪʀ ғᴀʟᴛᴀ. ]

 

  Levantando,a máquina deita de barriga para baixo,assim ficando mais próximo do Jizzgar.Isso faz Savages se enrolar um pouco no que diz,não querendo ter contato visual:

 

Savages: ¨É-É...M-Muita...Acho que compreendo aquela mulher,deve ter ficado com isso como lembrança também.¨

 

Kin: [ ᴄᴏɴᴄᴏʀᴅᴏ… ]

 

  Entre meros desvios de olhar,vai ficando mais devagar cada vez que olhava para a máquina,até que o rosto do Jizzgar vai se tornando mais amargurado.Suspirando,o mesmo diz enquanto direciona seu olhar pro chão,se perguntando de forma profunda:

 

Savages: ¨Sabe...às vezes eu penso que seria melhor eu não estar mais aqui.Assim eu poderia...revê-la talvez,como muitos dizem…¨

 

  Franzindo a testa,o mesmo pergunta já esperando da infeliz resposta:

 

Savages: ¨É real isso,não é?¨

 

Kin: [ ɴãᴏ sᴇɪ...sɪɴᴄᴇʀᴀᴍᴇɴᴛᴇ ᴇᴜ ɴãᴏ ᴀᴄʀᴇᴅɪᴛᴏ ᴍᴜɪᴛᴏ ᴅɪssᴏ,ᴘᴏᴅᴇ sᴇʀ ǫᴜᴇ só ᴠᴇᴊᴀ ɴᴀᴅᴀ ᴅᴇᴘᴏɪs ᴅᴇ ᴍᴏʀʀᴇʀ. ]

 

  Voltando a olhá-lo,foi possível ver sua confusão.Fechando forçadamente seus olhos e balançando pro lado e pro outro sua cabeça,Savages fez questão de fingir de entendido:

 

Savages: ¨É,tem razão...Mas eu não irei morrer,não enquanto você ainda estiver comigo.¨

 

Kin: [ ᴇʀᴀ ᴅɪssᴏ ǫᴜᴇ sᴇ ᴛʀᴀᴛᴀᴠᴀ ǫᴜᴀɴᴅᴏ ᴀʟɢᴜᴍ ᴅɪᴀ ɴãᴏ ᴇsᴛᴀʀɪᴀ ᴍᴀɪs,ɴé? ]

 

Savages: ¨Era...Desculpa por eu ter guardado isso por muito tempo.¨

 

Kin: [ ɴãᴏ ғᴀᴢ ᴍᴀʟ,ᴊá ǫᴜᴇ… ]

 

  Durante sua fala,ele olha para frente e levemente levanta sua pata direita,indicando e apontando ao alto do céu.Através dos espelhos meio longe,havia nuvens navegando pelo alto da escuridão,iluminados da luz prateada da Lua.Depois o robô fala com convicção enquanto dá um leve empurrão de seu ombro no de Savages,tentando fazê-lo se sentir mais esperançoso:

 

Kin: [ ᴇɴǫᴜᴀɴᴛᴏ ᴇsᴛɪᴠᴇʀ ᴛᴀᴍʙéᴍ ᴄᴏᴍɪɢᴏ,ɴãᴏ ɪʀá ᴍᴏʀʀᴇʀ,ᴛá ʙᴏᴍ? ᴀ ɢᴇɴᴛᴇ ᴀɪɴᴅᴀ ᴘʀᴇᴄɪsᴀ ᴠᴏʟᴛᴀʀ ᴘᴀʀᴀ ᴍᴇʟᴢᴀɴ ᴀғɪɴᴀʟ,ᴊá ǫᴜᴇ ᴍᴏʀʀᴇʀ ᴀɢᴏʀᴀ sᴇʀɪᴀ ᴀᴘᴇɴᴀs ᴇᴍ ᴠãᴏ! ]

 

  Após dizer isso,a máquina abaixou a sua pata e alça a sua pata esquerda,afagando a crista do Jizzgar.Logo direcionando seu olhar fixamente,o robô tenta falar sério,porém acabou sendo mais uma pequena reclamação ao todo:

 

Kin: [ ғᴀᴢ ᴇssᴀ ᴘᴏʀᴄᴀʀɪᴀ ᴠᴀʟᴇʀ ᴀ ᴘᴇɴᴀ,ᴠᴏᴄᴇ ᴍᴇ ᴏʙʀɪɢᴏᴜ ᴀ ᴠɪʀ ᴘʀᴀ ᴄá ᴄᴀᴄᴇᴛᴇ,ᴇɴᴛãᴏ ғᴀçᴀ-ᴍᴇ ᴏ ғᴀᴠᴏʀ ᴛá?! ]

 

  Dando um leve sorriso de canto,o Savages responde-lhe parecendo bem desconfortável:

 

Savages: ¨É...claro.¨

 

Kin: [ ᴀᴄʜᴏ ʙᴏᴍ,ʜᴇɪɴ! ]

 

  Entre baixas risadas,o Jizzgar decide mudar este assunto para descontrair,dizendo:

 

Savages: ¨Enfim,eu sempre tive curiosidade sobre como os humanos têm linguagens diferentes.¨

 

Kin: [ É séʀɪᴏ ᴍᴇsᴍᴏ ǫᴜᴇ ǫᴜᴇʀ ǫᴜᴇ ᴇᴜ ᴇxᴘʟɪǫᴜᴇ ɪssᴏ ᴘᴀʀᴀ ᴠᴏᴄê? ]

 

Savages: ¨Só diga,não precisa ser tão detalhado.¨

 

Kin: [ ᴛᴀ ʙᴏᴍ...ᴛᴀ ʙᴏᴍ… ]

 

  Sem demora,a máquina começa a explicar,querendo dizer de forma resumida:

 

Kin: [ ᴘᴀʀᴀ ᴇᴜ sᴇʀ ᴍᴀɪs ᴅɪʀᴇᴛᴏ,ʜá ᴍᴜɪᴛᴏ ᴛᴇᴍᴘᴏ ᴀᴛʀás ᴏs ʜᴜᴍᴀɴᴏs ᴅᴇɪxᴀʀᴀᴍ ᴅᴇ ᴄᴏɴᴠɪᴠᴇʀ ᴇɴᴛʀᴇ sɪ.ᴀí ᴄᴏᴍ ᴏ ᴅᴇᴘᴇɴᴅᴇʀ ᴅᴏs ᴀɴᴏs,ᴄᴏᴍᴇçᴀʀᴀᴍ ᴀ sᴇ ᴄᴏᴍᴜɴɪᴄᴀʀ ᴘᴇʟᴏ sᴇᴜ ᴘʀóᴘʀɪᴏ ᴊᴇɪᴛᴏ,ᴇɴᴛᴇɴᴅᴇ? ]

 

Savages: ¨Acho que sim.¨

 

Kin: [ ɴãᴏ ᴅɪᴢ ǫᴜᴇ ᴀᴄʜᴀ! ᴇɴᴛᴇɴᴅᴇᴜ ᴏᴜ ɴãᴏ?! ]

 

Savages: ¨É...Eu entendi.¨

 

Kin: [ Óᴛɪᴍᴏ ᴇɴᴛãᴏ! sᴇɴãᴏ ᴇᴜ ɴãᴏ ᴠᴏᴜ ᴍᴀɪs ᴇxᴘʟɪᴄᴀʀ ᴀs ᴄᴏɪsᴀs ᴘᴀʀᴀ ᴠᴏᴄê! ]

 

  Soltando um sorrisinho fraco,o Jizzgar fala de maneira simples,na tentativa dele parar de dar sermão:

 

Savages: ¨Só continua logo pernudo.¨

 

Kin: [ ʙᴇʟᴇᴢᴀ...ᴄᴏɴᴛɪɴᴜᴀɴᴅᴏ,ɪssᴏ ᴅᴇ sᴇ ᴄᴏᴍᴜɴɪᴄᴀʀ ᴅɪғᴇʀᴇɴᴛᴇ ᴛᴀᴍʙéᴍ ᴅᴇᴘᴇɴᴅɪᴀ ᴅᴀs ɢᴜᴇʀʀᴀs,ᴘᴏʟíᴛɪᴄᴀ ᴇ ᴇᴛᴄ ᴘᴀʀᴀ ᴛᴇʀ ᴀᴏ ʟᴏɴɢᴏ ᴅᴀ ʜɪsᴛóʀɪᴀ ᴀʟɢᴜᴍᴀ ᴍᴜᴅᴀɴçᴀ sɪɢɴɪғɪᴄᴀᴛɪᴠᴀ.ᴍᴀs sᴀʙᴇ? ᴇᴜ ᴛᴀᴍʙéᴍ ɴãᴏ sᴇɪ ᴍᴜɪᴛᴏ sᴏʙʀᴇ ᴇ ɴᴇᴍ sᴏᴜ ᴇsᴘᴇᴄɪᴀʟɪsᴛᴀ ɴɪssᴏ. ]

 

Savages: ¨Ooh,faz sentido,eu acho...¨

 

  De repente Savages abriu sua boca,alargando-a para dar um longo bocejo,visivelmente cansado por tudo o que aconteceu.Olhando-o fazendo isso,o robô diz para ele após abaixar sua cabeça para o piso de madeira:

 

Kin: [ ᴠᴀɪ ᴅᴏʀᴍɪʀ ᴄᴀʙᴇçᴀ ᴅᴇ ᴠᴀʀᴀʟ,ᴇᴜ ᴛᴀᴍʙéᴍ ᴘʀᴇᴄɪsᴏ. ]

 

Savages: ¨Quando irá voltar?¨

 

Kin: [ ɪʀᴇɪ ᴠᴏʟᴛᴀʀ ʟᴏɢᴏ,ɴãᴏ sᴇ ᴘʀᴇᴏᴄᴜᴘᴇ,ʙᴇʟᴇᴢᴀ? ]

 

Savages: ¨Certo...Até amanhã Kin.¨

 

Kin: [ ᴀᴛé. ]

 

  No momento em que o Kin fosse quase desligar,percebeu que o Jizzgar começa a falar uma coisa:

 

Savages: ¨Calma! Pera!¨

 

Kin: [ ǫᴜᴇ ғᴏɪ? ]

 

Savages: ¨Está a fim de enterrar a mulher amanhã? Juntos?¨

 

Kin: [ sᴇ ғᴏʀᴍᴏs,ᴠᴀɪ ᴛᴇʀ ǫᴜᴇ sᴇʀ ᴀɢᴏʀᴀ ᴘᴀᴍᴏɴʜᴀ. ]

 

Savages: ¨Ok.Não faz mal.¨

 

  Os dois se levantam calmamente,porém é possível ver a exaustão do Jizzgar,cujo está ferido e sonolento.Por causa disso,o robô lhe ajuda a caminhar,colocando um dos braços em cima de seu pescoço e fazendo-o ser capaz de andar sem cair ou tropeçar.Num tom amigável,a máquina fala:

 

Kin: [ ᴠᴀɪ,ᴀɢᴜᴇɴᴛᴀ ᴍᴀɪs ᴜᴍ ᴘᴏᴜᴄᴏ. ]

 

Savages: ¨Valeu...¨

 

  Saindo do celeiro com cautela,eles encaminharam-se direto ao corpo da humana.Todavia,somente a máquina prestava a atenção no corpo dela,pois o Jizzgar havia se soltado do robô e foi pra criatura decepada.O mesmo dava uma beliscada no cadáver,alimentando-se de sua carne.Ficando impaciente com aquela demora,a máquina diz severamente:

 

Kin: [ ᴠᴀɪ ғɪᴄᴀʀ ᴄᴏᴍᴇɴᴅᴏ ᴇssᴀ ᴅʀᴏɢᴀ ᴘᴏʀ ǫᴜᴀɴᴛᴏ ᴛᴇᴍᴘᴏ?! ]

 

Savages: ¨Desculpa.Eu tô ficando com fome!¨

 

Kin: [ ᴠᴇᴍ ʟᴏɢᴏ ᴘʀᴀ ᴄá! ]

 

  Savages após engolir um pedaço da carne,dirige-se até o seu companheiro,assim estando ao seu lado.Depois,o mesmo pergunta-lhe apreensivo:

 

Savages: ¨Estamos fazendo a coisa certa,né?¨

 

Kin: [ ғᴀᴢᴇʀ ᴀʟɢᴏ ᴄᴇʀᴛᴏ é só ᴜᴍᴀ sᴜʙᴠᴇɴçãᴏ...ᴏ ᴍᴀɪs ɪᴍᴘᴏʀᴛᴀɴᴛᴇ é ᴏ ǫᴜᴇ ᴠᴀᴍᴏs ᴅᴇᴄɪᴅɪʀ,sᴀʙᴇ ᴅɪssᴏ. ]

 

Savages: ¨É...¨

 

  Feito uma olhada melancólica ao corpo da humana,eles puxam-a para mais longe,onde há terra e espaço para poderem cavar.Sem demora,os dois vão escavando o chão.Quando acham que o buraco ficou fundo o suficiente,jogaram-na lá dentro.Então,colocaram a terra de volta e,cada vez mais o corpo vai sumindo de vista em cada terra sob o corpo.Não era dos melhores sentimentos para eles,contudo finalmente tamparam o buraco.

  Em seguida,com um olhar cansado e cabisbaixo,o Jizzgar olha para o robô e para o celeiro.O mesmo dando um suspiro,fala:

 

Savages: ¨Hunf...Longo dia.¨

 

  Em resposta,a máquina diz como se estivesse completando uma frase:

 

Kin: [ ʟᴏɴɢᴀ ɴᴏɪᴛᴇ,ᴍᴇᴜ ᴄᴀʀᴏ. ]

 

  Dando um leve sorriso,Savages locomove o espelho de seu capacete,logo tampando seu rosto e não sendo mais possível ver direito seu semblante.Depois,o mesmo diz de forma contente:

 

Savages: ¨Vamos.¨

 

Kin: [ ʜᴇʜᴇ.ᴠᴀᴍᴏs. ]

 

  Em silêncio,eles vão para o celeiro escancarado,na esperança de poderem dormir sossegados naquela madrugada.

 

Notas Finais


Longo dia e longa noite.

Descubram mais no próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...