História Aligned Stars - Capítulo 2


Escrita por: e Roxyzinha

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Abo, Almas Gêmeas, Casamento Arranjado, Cio, Drama, Marcas De Almas Gêmeas, Omegaverse, Taekook, Vkook, Yoonmin
Visualizações 176
Palavras 1.958
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Muito obrigada pelos comentários e favoritos! Fiquei realmente muito feliz!
Capa nova e linda feita pela maravilhosa Sohye <3
Boa leitura! Espero que gostem!

Capítulo 2 - Framboesa


Horas depois, Jeongguk despertou, sentindo o estômago doer de fome. Não tivera coragem de sair do quarto para buscar comida, embora soubesse que era imprudente de sua parte passar fome voluntariamente assim. Porém, ninguém poderia julgá-lo, afinal, quem gostaria de comer na presença de estranhos que não fizeram questão de sequer poupar-lhe os olhares repulsivos e a palavras maldosas?

No entanto, não podia morrer de fome. Sua morte muito provavelmente eclodiria em uma guerra. Não importava se seu pai não gostava muito de si ou não tivera problemas em mandá-lo para longe, ainda existia um acordo, ainda existiam termos, um casamento deveria acontecer ali.

Levantando-se da cama, Jeongguk suspirou, cansado. Depois que Baekhyun saiu não sabia o que fazer para passar o tempo, e como estava fora de cogitação sair do quarto, resolveu dormir um pouco. O céu já estava escuro, indicando que já estava de noite e havia dormido o dia inteiro. Com um pouco de sorte, já estaria de madrugada e todos estariam em suas casas, o que talvez lhe desse a oportunidade de ir buscar comida sem chamar muita atenção.

Abrindo a porta do quarto, saiu pelas pontas dos pés até o corredor principal, assustando-se ao ver um garoto parado em frente da porta ao lado com as mãos nos bolsos da calça jeans e um sorriso curioso estampado no rosto. Ele era alguns centímetros mais alto, possuía a tez bronzeada do Sul e seus cabelos eram de um tom belíssimo de dourado. Curiosamente, ele tinha ombros largos, um porte imponente e uma aura forte, mas seu cheiro era extremamente adocicado, um cheiro de framboesa.

Não haviam dúvidas de que aquele garoto absurdamente atraente era um ômega, e aquilo fez Jeongguk sentir algo estranho em seu peito.

“Oi, você é o ômega que chegou de Norte, não é? ”, o garoto perguntou alegremente. Sua voz era extremamente grave e parecia meio cômica para seu comportamento evidentemente energético. Esticou a mão grande. “Eu sou Kim Taehyung, prazer em conhecê-lo! ”

Jeongguk fitou a mão estendida em sua frente como se fosse algo exótico e desconhecido. Taehyung deu uma risadinha.

“Está tudo bem! Eu sou ômega igual a você! ”, assegurou, “não vai me dizer o seu nome? ”

“Jeongguk”, sussurrou baixinho, com a cabeça abaixada. Sabia que era falta de educação não encarar as pessoas quando estas falavam, mas não conseguia se sentir confortável com aquele estranho.

Por sorte, o outro ômega não percebeu, ou se percebeu, não pareceu se importar, abaixando a mão mesmo sem ganhar um cumprimento.

“Meu quarto é este ao lado do seu”, apontou para a porta na qual estava parado em frente, “eu acabei de sair, estava prestes a ir para o salão de refeições, está na hora do jantar. Não te vi durante o almoço ou durante o lanche da tarde, então, suponho que você não comeu nada e deve estar com fome, né? Meu pai me contou que vocês chegaram ainda de manhã. ”

Era impressionante como aquele ômega tagarelava sem problemas quando Jeongguk tinha dificuldade de se expressar perto de estranhos, mas além de tudo, Taehyung o estava tratando super bem. Ele não fez nenhum comentário maldoso, não lhe fitou com repulsa, não teve nenhuma atitude que denunciasse algum desgosto consigo, e mesmo com sua falta de educação anterior, não pareceu se importar. Então, graças a isso, estava disposto a confiar nele. Sabia que podia ser tudo fingimento, mas não queria acreditar nisso.

“Você pode me mostrar o caminho até onde servem o jantar? ” Perguntou em voz baixa.

Taehyung assentiu animadamente, “mas é claro! Vamos juntos, estou indo para lá! ”

Fazendo um gesto com a mão de “siga-me”, o ômega seguiu pelo corredor até alcançar as escadas e descê-las. A casa estava vazia e silenciosa, já que naquele horário, toda a alcateia estava reunida para jantar. Era algo normal e Jeongguk fazia isso também quando ainda morava no Norte, mas ali, sentia-se nervoso e ansioso. Taehyung por outro lado não parava de falar, comentando sobre como o inverno fora particularmente rigoroso naquele ano, e como todos não podiam esperar pela chegada do verão.

O salão de jantar era o mesmo espaço gigantesco que Jeongguk vira assim que chegou, e agora, podia enxergar nitidamente uma multidão de pessoas ocupando as mesas e as cadeiras enquanto comiam. Sem se importar muito com sua hesitação aparente, Taehyung agarrou sua mão direita e o puxou para que andassem mais depressa. Arregalando os olhos, o ômega fitou a mão grande e bronzeada do garoto tagarela, surpreso com a ousadia dele, mas então, não havia muito o que dizer. Ômegas em geral eram sempre assim, enérgicos, simpáticos, Jeongguk era uma verdadeira exceção à regra.

Ao adentrarem o espaço, sentindo o cheiro maravilhoso da comida invadir suas narinas. O estômago de Jeongguk roncou, dando-lhe um sinal claro de que devia se alimentar logo. Enquanto Taehyung passava pelas mesas sem soltar sua mão, pensou se não seria melhor se afastar, uma vez que praticamente todos os ômegas lhe fitavam com ódio, tendo seus olhares direcionados as mãos entrelaçadas. Não estava acostumado em ser o centro das atenções e não gostava disso, embora soubesse que era inevitável. No entanto, aparentemente, estar junto de Taehyung e pegar em sua mão fazia com que a atenção dobrasse. De uma forma muito negativa, claro.

O que era bizarro, em sua opinião. O garoto era ômega! Por que diabos os outros ômegas ficariam irritados? Sua suposição era a de que estavam com raiva por ser um ômega estrangeiro e estar perto de um ômega filho do Alfa Kim. Isso é motivo suficiente para causar discórdia, certo?

Parando na fila, Taehyung pegou um prato e lhe deu, apanhando outro sem seguida enquanto não parava de sorrir. O garoto não parecia estar alheio aos olhares que os dois recebiam, ou se estava, ignorava.

“Hoje eles fizeram jjajangmyeon”, comentou, animado, “a última que tivemos foi há duas semanas atrás! ”

Vendo a comida, Jeongguk sentiu a boca salivar. O cheiro e a aparência estavam incríveis. Esperaram a fila andar, então se serviram. Por dentro, respirou aliviado ao ver que Taehyung aguardou que colocasse uma porção de comida em seu prato antes de seguir para uma mesa. Aliás, Taehyung parecia estar conferindo se Jeongguk o seguia, e quando o garoto demonstrou incerteza, o ômega gesticulou com a cabeça, novamente indicando para segui-lo.

Haviam poucas mesas vazias, mas não faria sentido que sentassem em uma delas, até porque no caminho, várias pessoas levantaram o braço ou gritaram “Taehyung, aqui! ”

Porém o garoto balançou a cabeça em negação toda a vez que o chamavam, e sentou numa vazia não muito afastada. Jeongguk achou estranha sua atitude, e não conteve a curiosidade, “por que você não senta com eles? ”

Parecendo surpreso, Taehyung riu, “porque você não ia se sentir confortável, você não conhece ninguém aqui. Então, achei que seria melhor a gente sentar mais afastado, a não ser que você queira, aí já é outra história. ”

“Não, não quero, não. Aqui está ótimo! Obrigado! ”

Dizer que estava aliviado e impressionado pela sagacidade do garoto seria pouco comparado a o que sentia. E surpreendeu-se ainda mais quando Taehyung lhe estendeu um par de hashis prateados. Havia se esquecido completamente de pegar ao terminar de se servir. Agradeceu baixinho e começou a comer em silêncio, esperando poder se alimentar o mais rápido possível e vazar dali.

“Então”, Taehyung puxou papo, “quantos anos você tem? Não parece ter nem 16! ”

“Eu tenho 18 anos”, respondeu baixinho.

“Eu definitivamente não ia acreditar se você não falasse, ou se eu não soubesse que você é ômega”, deu uma risadinha, “eu tenho 20 anos! ”

Jeongguk não sabia muito bem o que fazer com a informação, então, apenas assentiu.

“O que você gostava de fazer no Norte? Qual a cor do seu lobo? Você tinha muitos amigos por lá? ”

Eram evasivas as perguntas, mas Taehyung estava sendo tão gentil consigo, tratando-lhe de forma tão educada e atenciosa que se sentiria mal por não tentar retribuir pelo menos um pouco.

“Eu gostava muito de ler e pintar, mas acho que minha atividade favorita era de nadar no lago quando o tempo estava quente. Ninguém curtia muito porque a água era muito gelada, mas eu e meu melhor amigo não nos importávamos. Ele adorava caçar e explorar as florestas quando estávamos em forma lupina, então eu acabei aprendendo a gostar também. Meu lobo é da cor negra, e não, eu não tinha muitos amigos”. Respondeu baixinho, “e você? ”

O mais velho pareceu feliz por sua mínima demonstração de interesse, e Jeongguk fez uma nota mental de ser mais falante com Taehyung, de perguntar mais. Gostaria de verdade de saber mais coisas sobre o garoto, e precisava deixar claro que queria que fossem amigos.

“Eu gosto de fazer praticamente tudo aqui”, contou, “desde ajudar na vigilância de nosso território, até a buscar lenha para aquecer as casas. Infelizmente, a única coisa que não me deixam ajudar é na cozinha, e eu não sei o porquê”, fez um biquinho, “meu lobo tem o pelo de um caramelo, bem diferente do seu. E amigos, tem muitas pessoas aqui que fingem serem minhas amigas. Amigos de verdade tenho poucos, incluindo meus irmãos e os filhos do Alfa Park. Você conheceu Baekhyun, não é? Ele é um dos meus melhores amigos. ”

“Conheci”, assentiu, “foi ele quem me mostrou meu quarto na casa. ”

“Baekkie é sempre assim, ele costuma dar as boas-vindas a quem quer que venha visitar”, sorriu, “mas ele estava meio triste hoje. Acredito que seja por causa do irmão mais novo dele, sabe. O outro ômega que foi enviado para a sua alcateia natal era irmão dele, e um grande amigo meu. Park Jimin, o nome dele. Espero que estejam tratando-o bem por lá. ”

“Eu tenho certeza que estão. No Norte sempre tratamos visitantes com uma festa”, afirmou.

Taehyung fez um biquinho, surpreso. “Tomara mesmo, e eu peço perdão a você pela forma como estão te tratando e pelas coisas que te falaram. Baekhyun me contou, e eu estou morrendo de vergonha por todos aqui”.

“Não tem problema”, mentiu, dando de ombros.

Pela forma como o garoto lhe fitou, ficou claro como ele não acreditou nem um pouco em si, mas resolveu não discutir mesmo assim. Os dois terminaram de comer em silêncio, e logo Taehyung pediu licença, perguntando se Jeongguk poderia encontrar o caminho até a casa sozinho porque precisava se encontrar com seus pais no momento. Exatamente como aconteceu com Baekhyun, o ômega mais novo não queria realmente ficar sozinho, mas não achou que podia pedir.

Então, observou Taehyung se afastar enquanto a maioria das pessoas levantavam das mesas, saindo do salão de jantar. Suspirando, decidiu voltar para a casa, afinal, o que ficaria fazendo ali, sozinho?

Caminhando o mais rápido que pôde, seguiu o fluxo para fora dali, esperando não ser incomodado, mas foi impedido quando cinco ômegas, três garotos e duas garotas, pararam em sua frente, todos lhe fitando com repulsa e os braços cruzados. Assim como praticamente todo mundo, eles tinham a pele bronzeada e os cabelos claros.

“Nós vimos o Taehyung com você. Olha, embora ele seja piedoso e tenha pena de você, não fica muito perto dele, não”, uma das garotas falou.

Jeongguk arqueou uma sobrancelha.

“Que diferença vai fazer para vocês? Ele não é ômega? ”

“Não importa o que ele é ou deixou de ser, estrangeiro enxerido. Apenas mantenha distância! Já fomos obrigados a trocar nosso amigo por você, então, faça o favor de não se misturar”, um dos garotos falou.

“Tanto faz”, revirou os olhos, querendo sair dali.

Passou pelos cinco ômegas, seguindo até a casa do Alfa Kim, ouvindo um deles gritar, “você está avisado! ”

 


Notas Finais


Até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...