História Alinhamento de Mundos - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Boruto Uzumaki, Himawari Uzumaki, Hinata Hyuuga, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sarada Uchiha, Sasuke Uchiha
Tags Drama, Hinadono, Narusaku, Naruto, Naruto X Sakura, Romance, Sasuhina, Sasuke X Hinata, Slowburn
Visualizações 495
Palavras 2.564
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OLHA ELA!!!!!! Dessa vez eu voltei tão rápido que estou até desconfiando desse milagre kkkkk ESTAMOS QUASE CHEGANDO AOS 100 FAVORITOS !! que emoção *-*

Boa leitura :)

Capítulo 12 - Um Breve Reencontro


Escritório do Hokage, 07:15 am 

Shikamaru Nara olhou para o relógio em seu pulso, com impaciência. Cerca de duas horas antes, tinha sido acordado por Naruto que, como sempre, trazia problemas para ele resolver. Só que dessa vez o problema em questão parecia que iria alcançar altos níveis na Escala Problematic. E ainda assim, mesmo que tivesse explicado a importância daquela missão, eles estavam atrasados. Francamente...

 - Shikamaru, tem certeza que... - Naruto foi interrompido por uma batida suave na porta, que se abriu logo em seguida para revelar compridos cabelos loiros e um rosto pálido já conhecidos por todos os presentes.

 - Desculpem o atraso! - disse Ino, acenando para todos na sala. - Foi culpa do Sai!

 - Não foi, não. Você quem não sabia o que colocar na mochila por já fazer muito tempo que não sai em missão - retrucou, sem se importar com o olhar assassino que recebeu da esposa.

 Shikamaru suspirou, já esperava que tivesse sido algo do tipo. Sua ex-companheira de equipe nunca mudava. 

- Certo. Eu irei explicar a missão de vocês. - Naruto assumiu o controle da conversa, fazendo o casal ficar sério. - Essa madrugada, uma das Bijuus, Kokuou, ou como vocês a conhecem, Gobi, entrou em contato com Kurama. Foi tudo muito rápido, só o que temos de concreto é que alguém a perseguia. 

 - Alguém perseguindo uma Bijuu? - Ino surpreendeu-se. - Quem seria louco de fazer isso?

 - É isso o que eu quero que descubram, junto com a localização da Gobi, é claro.

 - Uma missão de rastreamento.

 - Sim. Por envolver uma Bijuu, essa missão será classificada como Rank S. Não preciso dizer que é de extrema importância que tenham sucesso nela. - Depois de receber acenos afirmativos, passou a definir as tarefas de cada um na equipe: - Sai, você está encarregado da comunicação com a Vila. Mantenha-me informado de absolutamente tudo.

 - Certo.

 - Ino, você atuará como a médica do esquadrão, dando suporte caso as coisas se compliquem.

 - Hai.

 - Kiba - olhou para o homem de aparência selvagem -, você já conhece o chakra de uma bijuu. Conto com os seus sentidos apurados. 

 - Pode deixar, Naruto. O que você me mostrou não é algo fácil de esquecer. - Fez uma careta ao lembrar-se da sensação sufocante de "estar" no subconsciente do Hokage, de frente para a Raposa Demônio.

 - Desculpe por aquilo. Ele tem estado mal-humorado. - Sorriu, sem graça pela impressão negativa que Kurama deixou no amigo. Se bem que, pelo menos isso tinha os reaproximado de alguma forma. E por falar em reaproximações... - E por último, Sasuke, você lidera.

 - Sasuke-kun?! - exclamou Ino, surpresa. - Você esteve aí o tempo todo?!

 Como o esperado, Sasuke não se dignou a responder. Também não saiu de onde estava, encostado na parede ao lado da janela, camuflado por pilhas de papéis.

 - Tsc, mal-educado - resmungou a loira. - É só isso, Naruto?

 - Hum, sim. Mas ainda falta alguém.

 - Sério? Quem? Tem certeza que alguém que se atrasa tanto assim deveria fazer parte de uma missão tão importante?

 Shikamaru teve de segurar uma resposta atrevida. Definitivamente, sua ex-companheira de equipe nunca mudava. Suspirando pelo que pareceu a enésima vez naquele dia, respondeu no lugar de Naruto:

 - Já que a missão é de rastreamento, precisaremos de um bom olho. 

 - Um Hyuuga? - Kiba perguntou, surpreso ao ouvir aquilo. Pensava que o clã havia se afastado dos assuntos da Vila. - Quem?

 - Bem - coçou o cavanhaque -, eu não sei. Pedi para Hiashi-sama enviar seu melhor.

 Na verdade, talvez "implorar" fosse a palavra certa. Há seis meses vinha tentando reaproximar-se do Clã Hyuuga, sempre sendo rechaçado pela cortesia irritante deles. Entretanto, sabia que nem mesmo o rancor de Hiashi Hyuuga pelo Nanadaime Hokage o faria ignorar aquela nova situação. Bem, foi isso o que pensou durante a conversa, mas não estava mais tão confiante.

 - Ino tem razão, Shikamaru - disse Naruto. - Essa missão é importante demais para desperdiçarmos tempo. Talvez seja melhor... - E mais uma vez  foi interrompido por uma batida na porta, dois toques firmes dessa vez. - Entre. 

 Ao ver quem passava pela porta, o Conselheiro do Hokage deixou escapar em um sussurro:

 - Ah... Que problemático. 

***

 Hinata não voltou para casa depois da conversa com seu pai. Também não foi para a área de treinamento, pois sabia que encontraria todos os campos ocupados. Ao invés, saiu da Vila, rumando para o norte até encontrar um lugar sossegado onde pudesse liberar toda sua frustração. Contudo, como não haviam árvores o suficiente para tal, voltou para casa. Lá, encontrando-se sozinha, pensou que desabaria, que choraria encolhida no chão do quarto. Mas não. Não sentia necessidade alguma de chorar. Quando os filhos chegaram em casa, não precisou conter as lágrimas para conversar com eles. Os quatro - contando com Mitsuki que praticamente morava ali - jantaram, conversaram, e limparam tudo ao risos, como de costume. 

 Sentada no galho de uma árvore, às seis da manhã, sem paciência para treinar ou vontade de voltar para casa, Hinata se perguntava em qual parte do caminho suas emoções foram anestesiadas. Em qual das encruzilhadas da vida suas lágrimas secaram de vez? Não tinha uma resposta concreta para aquilo, tampouco sabia dizer se era algo bom ou ruim. Talvez fosse uma mistura de ambos.

 Suspirou, o sentimento ruim que trazia no peito só aumentando ao sentir um chakra familiar aproximar-se.

 - Pensei ter dito que queria ficar sozinha - disse, sem se virar para a visita indesejada. - Pelo visto não tenho direito nem a isso. 

 - Sabe que eu respeito suas decisões, onee-sama. Se estou aqui é porque um assunto urgente surgiu. 

 - Tenho certeza que vocês podem lidar com seja-lá-qual-for-o-assunto, sozinhos. 

- Sim, podemos. Mas otou-sama quer que seja você. 

 Hinata riu. Não pôde evitar. E pensar que um dia desejou ter a atenção do pai voltada para si... 

 - Hanabi - virou-se para olhar a irmã -, não acha que eu mereço um tempo? Depois de tu... 

 - Quer saber a verdade, onee-sama? - interrompeu-a. - Acho que já teve tempo demais. Seis meses não foram o suficiente para lamber suas feridas? Até quando espera que sejamos condescendentes com você? 

Em um piscar de olhos, Hanabi estava contra a árvore, sendo pressionada pela irmã mais velha.

 - Cuidado, Hanabi - sussurrou Hinata, seriedade em sua voz. - Você pode ser a herdeira do nosso clã, mas eu ainda sou sua irmã mais velha. Mostre respeito ao falar comigo. Você não é mais uma criança. Dessa vez não hesitarei em te ensinar uma lição, caso você precise de uma. - Olhou com firmeza para os olhos tão parecidos com os seus, e então afastou-se.

 Tendo sido seu refúgio violado, pretendia voltar para casa, mas teve sua atenção prendida pelo riso de sua imouto.  

- Viu? Foi isso o que eu quis dizer com você já ter tido tempo demais. - Sorriu abertamente. - Você já está pronta, onee-sama. Está mais forte do que nunca antes. A hora de seguir em frente é agora, com essa missão. 

 - Que missão? - perguntou. Não podia negar estar curiosa para saber o que seria tão grave a ponto de fazer Hiashi Hyuuga voltar atrás com sua palavra. Ouviu atentamente a explicação da irmã, cuidando para não deixar suas expressões a mostra.

 - E isso foi tudo o que Shikamaru-san nos contou - terminou de compartilhar o que sabia. - Ele não fez muitas exigências, você sabe como andam as coisas entre nós, mas pediu que, caso otou-sama resolvesse ajudar, enviasse seu melhor ninja. E ele escolheu você, Hinata-nee-sama.

 - Por quê? - perguntou, mesmo estando ciente da resposta.

 - Você sabe que essa é a forma dele de se desculpar.

 - Enviando-me em uma missão perigosa, na qual posso ter de arriscar minha vida?

 - Não. Confiando em você. Em suas habilidades. Te reconhecendo como a incrível kunoichi que você é. Não foi isso o que você sempre quis?

 - Tchau, Hanabi. - Foi tudo o que respondeu. Caminhando para longe da irmã, ouviu-a dizer:

 - O encontro é às sete em ponto. Se você não for, otou-sama não enviará mais ninguém! Eles ficarão perdidos sem o byakugan! Ouviu?! 

Ignorando-a, Hinata continuou andando. Foi direto para casa. Precisava de um banho - de alguma forma sentia-se suja, mesmo que não tivesse treinado.

 ***

 - H-Hinata... - Naruto deixou escapar em um sussurro. Quando Shikamaru confessou ter ido pedir ajuda ao Clã Hyuuga, e disse que Hiashi talvez mandaria um dos seus para auxiliar na missão, nunca pensou que seria Hinata a escolhida. Quer dizer, fazia sentido já que ela era, definitivamente, uma das ninjas mais poderosas do clã, mas ainda assim... 

 - Desculpem o atraso - disse simplesmente, indo encostar-se na parede ao lado da porta, longe de todos. Longe dele.

 Naruto tinha consciência dos olhares desconfortáveis dos amigos, do clima pesado que se instalou com a chegada dela. Todavia, mesmo estando ciente disso, não conseguia fazer algo a respeito. Seus olhos não conseguiam focar em nada além dela. Há quanto tempo não se viam? Ele tinha tanto, mas tanto o que falar! Será que dessa vez ela o ouviria? Ou tentaria matá-lo novamente? Não, se ela estava ali era porque... Porque... Por quê? 

 Vendo-a tão de perto, pôde notar detalhes que passaram desapercebidos meses antes - quando a viu rapidamente na cerimônia de entrada da filha deles na Academia. Na ocasião em questão, foi espantado com um olhar assassino antes mesmo que pudesse pensar em ir conversar com ela. Mas agora podia ver... Hinata estava diferente. Muito. Os cabelos tinham crescido, quase alcançando as costelas. Eles estavam molhados pelo banho recente - Naruto podia sentir o cheiro familiar do shampoo mesmo a certa distância. Entretanto, era aí que a sensação de familiaridade terminava. O resto era dolorosamente desconhecido. 

Hinata tinha perdido peso e ganhado músculos. Podia perceber isso mesmo através da roupa que ela usava - o típico uniforme dos Ninjas da Folha. Em seu rosto, alguns arranhões, e olheiras escuras sob os olhos fundos. Os olhos... Era onde encontrava-se a maior das mudanças. Raiva, ódio, angústia, tristeza, acusação... Não havia nada disso neles. Não havia nada neles. Hinata respondia ao seu olhar fixo com uma calmaria enervante, fazendo-o desconcertar-se.

 O que eu fiz com você, Hinata? 

Naruto foi arrancado de seus pensamentos por um pigarro. Olhando para Shikamaru, percebeu que tinha ficado tempo demais encarando sua ex-esposa. Balançando negativamente a cabeça, tentou retomar o controle da conversa.

 - Bem, H-hi... - tossiu falsamente - bem, o objetivo dessa missão é...

 - Estou ciente. - Ela o interrompeu suavemente, deixando-o ainda mais desconcertado. - Suas ordens. 

- O q-quê? Ah, sim! É... É... Você deve usar seu byakugan para ajudar a encontrar Kokuou, esse é o nome da Gobi, o mais rápido possível. 

 - Só isso?

 - Ah...

 Shikamaru deve ter notado que ele estava prestes a ter uma síncope, pois tomou para si a tarefa de responder àquilo:

 - Tudo depende de como a situação irá se desenrolar, Hinata. Em um primeiro momento, tudo o que vocês precisam fazer é encontrá-la. Mas como estamos falando de uma Bijuu, todo o cuidado é pouco. Ino está indo para o caso das coisas saírem do controle.

 - Olá, Hinata! - A loira cumprimentou, recebendo um meneio de cabeça como resposta.

 - Isso é tudo? - questionou, abrindo a porta, pronta para sair a qualquer momento.

 - Sim... 

 - Tomem cuidado! - exclamou Naruto, levantando-se de seu lugar. - Tomem cuidado... Pessoal.

 - Pode deixar, Naruto. Voltaremos logo. - Sai respondeu, fechando a porta em seguida.

 Naruto desabou em sua poltrona, fechando os olhos e exalando fortemente.

 - Shikamaru? 

 - O quê? 

 - Estou começando a entender o que você realmente quer dizer quando chama algo de problemático - murmurou, deprimido.

 Shikamaru quis rir, mas se controlou em respeito aos sentimentos do amigo, limitando-se a responder:

 - É um saco, não é?

 *** 

Assim que Hinata saiu do Prédio do Hokage, soltou todo o ar que vinha prendendo inconscientemente.

 Foi mais difícil do que pensou. Estar no mesmo ambiente que ele, compartilhar o mesmo ar que ele novamente era... Difícil. Principalmente porque Naruto não havia mudado nada. Continuava lindo como sempre. Pálido demais e com olheiras de cansaço sob os olhos, mas lindo. Estava forte, com certeza vinha se alimentando bem. E apesar de exibirem certa tristeza, os olhos  dele brilhavam com vida. Hinata o odiou por isso. Odiou saber que mesmo depois de tudo o azul dos olhos dele ainda queimava forte, enquanto das suas próprias chamas só cinzas restavam. No entanto, seu momento de autocomiseração foi interrompido por um abraço apertado.

 - Hinata-chan - cantarolou Kiba, erguendo-a do chão com um abraço de urso. - Não acredito que vamos fazer uma missão juntos depois de tanto tempo!

 - Kiba-kun... Solte-me, por favor! - exclamava, envergonhada. Afinal, nenhum deles era mais uma criança. 

 - Hai, hai. Pronto. - Colocou-a no chão e ela virou-se de frente para ele. Kiba olhou-a seriamente, então sorriu e disse: - É bom tê-la de volta, Hinata. 

 Ela sabia que ele não falava somente sobre a missão, por isso apenas sorriu sem respondê-lo. Seu sorriso era claro: ainda não havia voltado completamente. Lendo-a como poucos conseguiam, ele respondeu ao seu silencioso desabafo: 

 - Tudo bem. Temos todo tempo do mundo.

 - Hum.. Na verdade, não, não temos - disse Sai, sorrindo falsamente. - Precisamos ir logo ou perderemos o trem.

 - O quê?

 - T-trem? 

 Hinata olhou para Sasuke, surpresa por terem falado ao mesmo tempo. 

 - Ah, é! Hinata, como faz muito tempo que você não sai em missão, ainda não deve ter andado de trem, não é?

 - Ah, sim... 

 - Nós iremos a pé. - Sasuke decretou, já começando a andar na direção que o levaria aos portões de Konoha. Hinata odiava ter de concordar com qualquer coisa dita por ele, mas ninjas indo em missões de trem era... Apenas não soava certo. 

 - Sasuke-kun! - Ino chamou-lhe a atenção. - Sabemos que você está na liderança e que é das antigas, mas certas coisas não podem ser evitadas. Não temos tempo a perder e indo de trem até o loc... 

 - Estamos procurando um Demônio com caudas e uma velocidade absurda. Se estivermos presos em uma caixa de metal e ela passar a apenas alguns quilômetros de distância, o que vocês farão? - perguntou, soando calmo.

 - Nós vamos sentir o chakra dela! - defendeu-se Kiba. - E aí é só pular do trem e... 

 - Se vocês tem toda essa disposição para pular de trens, usem-na para correr até nosso destino.

 Sem mais nem uma palavra, Sasuke voltou a andar pelas ruas praticamente vazias de Konoha. Dando de ombros, Hinata o seguiu. Nunca diria isso em voz alta, mas ele tinha toda a razão. Sem alternativas, os outros também seguiram seu líder. 

 Naquela agradável manhã de quinta-feira sua primeira missão em anos tinha início. Finalmente o quinto passo em direção à sua recuperação tinha sido dado. Hinata sorriu brevemente, permitindo-se sentir orgulho de si mesma por um instante. Ela só não notou que seu sorriso deu vida a outro, quase como o reflexo de um espelho. Tampouco notaria tão cedo, afinal, até mesmo o byakugan possuía um ponto cego.  


Notas Finais


Ninjas indo para as missões de trem é o fim da picada!! Kkkkk vou confessar que odeio essa modernização no universo de Boruto e tenho pra mim que sasuke e hinata também rs E VCS NÃO QUERIAM SASUHINA?! AGORA VAMO TER SASUHINA HOJE, AMANHÃ E SEMPRE! KKKKKKKKKK mas não vai ser nada do tipo BAM então acalmem os corações! E me digam o que estão achando :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...