História A.L.I.V.E; Jungwoo - Capítulo 29


Escrita por:

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Jaehyun, Johnny, Jungwoo, Kun, Lucas, Mark, Personagens Originais, Taeyong, Ten, Winwin, Yuta
Tags Dirty Talk, Hot, Johnny, Jungwoo, Kun, Lucas, Máfia, Mark, Nct, Sobrenatural, Suspense, Taeyong, Ten, Terror, Você, Winwin, Yakuza, Yuta
Visualizações 40
Palavras 1.070
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, LGBT, Luta, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


gente se vcs souberem o motivo que eu fiquei sem postar nada vcs vao querer me bater KKKKKKKK
então ta ai

Capítulo 29 - Hong


Fanfic / Fanfiction A.L.I.V.E; Jungwoo - Capítulo 29 - Hong

Renjun voltava tranquilamente até o esconderijo enquanto pensava em tudo que estava acontecendo, era tão vago e tão complexo ao mesmo tempo.

(S/N) dormiu perfeitamente bem depois do que houve, talvez tivesse se acalmado já que agora se sentia mais confiante. A latina descansou muito bem e depois de acordar significativamente tarde se arrumou e rumou até a entrada secreta do porão, dando de cara com três garotos apagados de sono ao entrar, Mark tinha as pernas esticadas e a cabeça inclinada para trás com a boca consideravelmente aberta, Lucas estava de pernas e braços cruzados com a cabeça pendendo pra frente e Renjun estava simplesmente debruçado à mesa, foi então que (S/N) decidiu fazer um teste, subiu até o corredor do quarto de Taeil silenciosamente e se escondeu para ver se o garoto sairia de lá alguma vez.

Passaram algumas horas e nada de Moon dar algum sinal, até que (S/N) ouviu as vozes de Lucas e Mark no porão. Deixou o lugar que se escondia e desceu fazendo os garotos levarem um pequeno susto, já que não tinham visto-a entrar.

— (S/N)! Quando entrou aqui? — Perguntou Lucas se ajeitando na cadeira.

— Há um tempo, mas estavam dormindo tão bem que eu não quis atrapalhar. — Sorriu docemente e sentou-se na cadeira vaga ao lado de Renjun. — Mark, o anel de Kathie, preciso dele, amanhã será minha deixa. — Abriu um sorriso macabro seguido de uma risada maléfica.

— Está no meu dormitório, só pegar, e amanhã não é o almoço com Jungwoo e os pais dele?

— É sim, é um outro ponto favorável. — Disse simplista.

— Tenho medo do que você vai fazer. — Lucas assumiu.

— Vou transar, só isso. — (S/N) riu.

— Isso vai dar em alguma coisa? — Mark perguntou interessado.

— Eu tenho certeza, e se não der já tenho meu plano alternativo.

Renjun bocejou e em seguida levantou seu tronco espreguiçando-se na cadeira.

— (S/N)! Finalmente.

— Renjun quero que venha comigo. — Diz a latina, e Jun afirmou se levantando em seguida. — Voltamos daqui 2 horas, fiquem de olho no Taeil.

Dito a última palavra a morena logo virou-se para deixar o local acompanhada de Renjun.

— O que precisa?

— Eu vou tentar ver Jungwoo assim como fiz com Taeil, e nós vamos contatar um amigo.

— Quem seria? E para quais fins?

— Hongjoong, ele entende dessas coisas relacionadas à espíritos, demônios, seja lá o que é isso tudo. — Deu uma pausa dramática ao parar frente a uma porta rústica com tom marrom avermelhado, havia uma placa com a escrita "Hong". — O problema é a confiabilidade dele, que é duvidosa.

Bateu-se então à porta, abriu-se a mesma com um ranger assombroso e um sorriso sorrateiramente perturbador.

— (S/N)! Quanto tempo meu anjo, entre. - O tal Hong abriu caminho para que os dois de fora entrassem. — Como poderia ajudar? Ah, perdão, que educação a minha, prazer Renjun, sou Hong, um astrólogo espírita.

— Como sabe meu nome? — O chinês perguntou com um fundo de preocupação aflorando seu âmago.

— Anos de prática. - Respondeu simplista.

— Hong, preciso te contar de um acontecimento passado, do qual eu gostaria de ter controle, pode me ajudar?

Joong assentiu e antes de começar a preparar o local apropriadamente com velas, incensos, cristais e mais algumas simpatias, ofereceu aos dois um bom chá de camomila e obviamente, um assento. Após acomodados e o lugar preparado, Hong pediu que (S/N) contasse e assim foi feito, listando detalhadamente cada minuto.

— Acredito que você teve um tipo de projeção astral e algum ser do plano poderia ter te afetado ao se aproximar, por isso você estava espumando quando Renjun chegou no quarto. Se vai fazer isso mais uma vez, você precisa de disciplina e concentração. - Hong disse ajeitando a toalha da mesa da qual usava para suas leituras de tarô.

Hongjoong dali em diante passou cerca de meia hora explicando o básico sobre o plano astral para (S/N), enquanto Renjun observava cada centímetro do lugar. Depois das explicações, Hong induziu a garota para que ela tivesse seu espírito saíndo do corpo, entrando no plano astral.

E lá estava ela, em frente a Jungwoo, e ao lado de sua sogra, podia ouvir os pensamentos do rapaz.


J U N G W O O ;

Ainda me doía mentir para (S/N). Doía ainda mais ter transado com aquela vadia só para tentar manter minha garota a salvo, a culpa apenas vem martelando na minha cabeça desde quando a vi pela primeira vez.

— Filho? Está me ouvindo? — Minha mãe balançou a mão em minha frente e me fez prestar atenção nela novamente.

— Perdão, a senhora pode repetir?

— Perguntei sobre sua namorada, me conte sobre ela.

— Ela é magnífica, só isso, é impossível descreve-la apenas com palavras. — Respondi sorrindo.

— Quero conhecê-la logo!

— Amanhã ela almoçará conosco mamãe, então conhecerá ela. — Sorri terminando de jantar e indo levar meu prato até a pia.

Curvei-me diante de meus pais, dei boa noite e subi até o quarto de hóspedes para dormir. Quando deitei comecei a pensar em várias coisa, como por exemplo o fato de eu ter me apaixonado por (S/N) em ambas as minhas personalidades, na verdade isso é estranho, minhas personalidades não deveriam saber que eu tenho uma à outra, certo? Sinto como se elas estivessem se fundindo em uma, um único eu... Será que era isso que o médico quis dizer com "motivação"? (S/N) fez com que meus "eus" resolvessem entrar num acordo tornando-se um? Tudo bem, acho que já viajei demais por hoje, melhor dormir.


. . . 

(S/N) acordou em um salto, novamente sentindo tudo se iluminar, cada vez mais as peças iam se encaixando e as probabilidades de resolver essa merda de uma vez por todas aumentavam.

— (S/N)? O que foi? O que viu? — Jun bombardeou-a com perguntas.

— Jungwoo não é quem ele parece ser, ele quer me proteger de alguma coisa. — Esfregou as mãos no rosto e rapidamente se levantou, jogando um bolo de notas na mesa, onde continham aproximadamente cinco mil dólares. — Joong, você sabe o que fazer.

Disse apenas isso e saiu de lá arrastando Renjun consigo.

— Porque pagou cinco mil dólares pra aquele cara estranho? Uma cigana teria feito o mesmo por muito menos.

— Você entenderá Ren, não acabamos aqui.


Notas Finais


eai

então kkk...
eu literalmente esqueci que a fanfic tava postada, eu não costumo postar fic incompleta, ai eu fui lembrar ontem quando eu entrei no spirit KKKKKK perdoem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...