História All - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Black Pink
Personagens Jennie, Jisoo, Lisa, Personagens Originais, Rosé
Tags Chaesoo
Visualizações 3
Palavras 4.018
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção Científica, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yuri (Lésbica)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Back - I.I


Lalisa Manoban Point's of View




- Confesso que você ter lembrado da flor me deixou muito feliz, Jen...


- Jisoo me ajudou, ela meio que falou sobre isso comigo e eu lembrei que você gostou muito da flor.

- Você lembra da promessa que fiz à você?

- Hm? - ela estava forçando sua mente a recordar de algo sobre a promessa que fiz à ela, eu não gosto nem um pouco quando isso acontece por minha causa.

- Tudo bem, não se preocupe. Está tudo bem.

Jennie tem uma péssima memória, mas não é como se fosse culpa dela. Em sua cabeça tem uma cicatriz, quase igual à do maxilar. Me pergunto seriamente como ela vive até os dias de hoje levando em conta a quantidade de marcas espalhadas por seu corpo.

Não é culpa dela se perder fácil. Eu não sei ao certo o quê pode ter resultado tais cicatrizes, mas li que um forte trauma na cabeça poderia resultar em algo ruim para quem o sofreu. Busco ter paciência com ela sempre que se perde em sua mente.

Jennie é a coisa mais linda do mundo quando está perdida em seus pensamentos.

- Eu te amo. - sussurrei contra seu ouvido. E ela sorriu. Tenho medo de falar em voz alta, ela sabe disso. Tenho medo de perdê-la. Mesmo sabendo que é improvável que alguém nos veja aqui, eu sinto muito medo de que descubram sobre nós e me levem para longe dela. - Você é tudo de mais precioso que tenho, Jen. Nunca esqueça disso.

- Eu vou tentar, amor...

- Você consegue tudo, ok? Você pode, Jen.

- Eu consigo... - ela falou mais para si. Tentava se convencer disso. Jennie se martiriza muito por se perder facilmente.

Uma vez ela esqueceu meu nome. Desde aquele dia ela me chama mais por ele do quê por algum apelido carinhoso. Dói em mim ver que às vezes ela se esquece até mesmo de quem é Jisoo.

Ver Jennie chorando por causa disso me quebra, ela não fala sobre esse assunto com mais ninguém além de mim. E eu comentei brevemente com Jisoo uma vez. Mas agora tudo que eu quero é vê-la sorrir.

- Sim, você consegue. Venha comigo. - beijei sua testa e a puxei pela mão até o meio do estábulo. Jennie olhou diretamente para Yong.

- Wow!

- Ele é seu agora. - a abracei. Ela estava pulando no meio do estábulo, os olhos marejados e as mãos suando frio.

- Como ele se chama? - questionou enquanto acariciava a fronte de Yong. É isso mesmo que eu estou vendo? O cavalo que se nega a ser selado está recebendo carinho de uma desconhecida?

- Yong. - Jennie trocou olhares entre o cavalo e eu, o sorriso largo enfeitando seus belos lábios.

- Olá Yong. - o cavalo a empurrou. Ela estendeu a mão na altura de sua fronte. Esperando que ele se aproximasse sozinho.

- Ele gostou de você. Não deixa que ninguém chegue perto e está aí todo carinhoso.

- É para mim? - o sorriso em seu rosto só estava alargando. Eu amo ver ela assim, feliz.

- Sim, meu amor, para você. - afirmei ao me aproximar, Jennie se jogou em mim, rodeando minha cintura com suas pernas.

E como em todas as vezes que ela faz isso, acabamos caindo. Eu não tenho força para segurá-la por mais magrinha que seja.

- Eu te amo. - Jen praticamente gritou ao começar a encher meu rosto de beijos molhados.

- Eu amo você, bebê.

- Eu não sou bebê, bebês são pequenininhos.

- Você é meu bebê que cresceu demais. - acariciei seus fios de cabelo castanhos. Prendi seu rosto entre minhas mãos, beijei delicadamente seu queixo e o lábio inferior. - Hmm.

Suas bochechas estavam ficando avermelhadas. A mão de Jennie repousou em minha bochecha, seu polegar acariciou o local. Nos beijamos lentamente, ela sorria, eu estava sorrindo. Isso é tão gostoso.

Entreabri minha boca para sentir a língua de Jennie vir de encontro à minha. Explorando minha boca. Suguei sua língua.

Encostou seus lábios aos meus uma vez antes de se afastar e encostar nossas testas. Abri meus olhos, ela me encarava com um sorriso lindo, abracei sua cintura com minhas pernas e apoiei as mãos no seu pescoço. Comecei beijando seu maxilar, trilhei beijos por seu pescoço e a clavícula.

- Eu gosto quando você me beija assim. - Jennie comentou olhando para mim. Suas mãos tremiam, estava nervosa.

- Em quê está pensando? - perguntei ao beijar-lhe o pescoço mais uma vez.

- Nada...

- Suas bochechas estão vermelhas, e as mãos não param de tremer. O que foi?

- Continua me beijando, Lisa. - sorri com seu pedido.

- Onde quer que eu beije? Aqui? - beijei suavemente sua bochecha. - Ou aqui? - suguei seu lábio inferior e o mordi enquanto mantinha meus olhos no rosto de Jennie. Ela estava vermelha. Pensava em todas as loucuras que já fizemos? Ou talvez no que gostaria de fazer...

- Amor...

Talvez seja melhor parar com isso antes que Jisoo volte? Sim, é o melhor a se fazer. Mas eu a quero tanto.

- Beije-me. - meu pedido foi considerado uma ordem na mente de Jennie, que não tardou a beijar meus lábios. Sua mão agora retirava a tiara de minha cabeça para a colocar ao nosso lado.

Jennie sentou no chão do estábulo, me colocando em seu colo. Minhas pernas ainda estavam abraçando sua cintura, meus olhos fechados, sentia tudo o quê essa mulher me faz desejar apenas com um beijo.

Que Jisoo me perdoe por esta vez estar querendo fazer isso no seu estábulo, mas no momento tudo o quê eu quero é Jennie. Não me importo com onde estamos.

- Jennie...

- Não me chama assim, a gente...

- Eu quero você, amor...

- Você é muito manhosa, Lisa.

Jennie rodeou minha cintura com seu braço, me levou para mais perto de seu corpo. Seus lábios beijaram meu pescoço, ela mordeu suavemente o local, suspirei. O aperto em minha cintura foi intensificado, Jennie trilhava beijos pela parte exposta de minha pele. Senti alguns laços do vestido se desfazendo em minhas costas.

Suspirei pesadamente ao sentir sua mão, um tanto gelada, encostar em meu sexo. Ela estava nervosa, sempre fica assim desde a nossa primeira vez. Sua mente vaga entre pensamentos do quê deveria fazer, mas realmente só o faz quando eu "permito".

- Não faça barulho... - sussurrou ao adentrar meu canal com um dedo, o curvando dentro de mim. - O quê você quer, amor?

- Quero você...

- Diga o que me quer fazendo em você...

- Quero seus dedos dentro de mim, por favor Jen...

- Fale.

- Me fode. - implorei ao apoiar minha testa em seu ombro. Jennie introduziu mais um dedo dentro de mim.

- Afaste mais um pouco suas pernas, e não faça barulho. - sussurrou sua ordem tão suavemente que eu me surpreendi com a forma carinhosa que havia falado, mesmo sabendo que ela iria me fazer ficar sem sentir as pernas.

A obedeci, apoiando minhas pernas no chão. Seu braço apertou minha cintura com firmeza e senti seus dedos saindo devagar de dentro de mim.

- Tão apertada... - sussurrou.

Seus dedos voltaram, era um ritmo tão lento e gostoso, mas eu quero mais.

- Mais forte, amor...

Jennie aumentou o ritmo de seus dedos, entrando e saindo de dentro de mim, as estocadas fundas e fortes me faziam morder o lábio inferior para obedecer sua ordem de ficar em silêncio.

Meus suspiros ficavam cada vez mais pesados enquanto sentia a forma bruta que ela estava me fodendo. Oh céus, Jennie!

- Amor! - exclamei. Eu não estou aguentando, ela faz isso tão bem, é tão gostoso.

Jennie me deixa quente com um simples beijo, me faz a desejar mais apenas me olhando. As expressões dela mudam de uma forma sexy para completamente inocente em segundos, ela é um completo mar de sensações diferentes no qual eu amo mergulhar.

Eu estava sentindo aquela mesma sensação de todas as vezes em que ela me toca, meu corpo treme e a minha respiração está tão pesada. Difícil mesmo é me manter calada, mordi seu ombro com força para conter o gemido que iria escapar.

As estocadas foram perdendo seu ritmo, eu havia gozado em seus dedos. Eu estava suando, minha respiração um tanto desregulada. Não me sentia satisfeita, mas precisávamos parar antes que Jisoo chegasse.

Ergui o rosto, podendo ver aquela cena. Jennie estava com seus dedos melados pelo meu gozo na boca, saboreando como sempre fazia. Ela me encarou e sorriu para mim ainda com seus dedos presos entre os dentes.

- Gostosa. - Jennie falou baixinho, perto do meu ouvido, deixando um beijo ali. - Levanta, amor.

- Cretina... - me lamentei apoiando a testa em seu ombro novamente. Sua mão, que antes apertava minha cintura, agora estava acariciando minhas costas.

- Temos que levantar, ajeitar seu vestido... antes que Jisoo volte... - comentou risonha.

- Do quê está rindo?

- A gente transou no estábulo. Isso é culpa sua! - alegou.

- Minha? Não eram meus dedos que estavam me fodendo, Jennie.

- Quem pediu?

- Quem fez?

- Não mude de assunto.

- Não faça a inocente. - mordi sua bochecha.

Jen me segurou e nos ergueu do chão com muita dificuldade, mas minha garotinha é forte. Quando ela estava de pé, soltei sua cintura e apoiei meus pés no chão. Minhas pernas estão um pouco bambas, mas consigo me manter de pé.

Virei de costas e trouxe meu cabelo para frente, em um pedido silencioso para Jennie organizar meu vestido. Ela fez todos os laços e se ajoelhou para organizar o tecido. Não uso vestidos cheio de babados, gosto de algo mais simples e fácil de se vestir.

Após ter organizado minha roupa e limpo as mãos, Jennie apanhou minha tiara do chão e a pôs corretamente em minha cabeça. Eu não gosto de usá-la, todos na aldeia sabem que eu sou a princesa, qual a necessidade de por a tiara? Além do mais, eu poderia perdê-la com facilidade, a única coisa que muda quando estou com ela é esse peso em minha cabeça.

- Pronto. Linda como sempre. - Jennie falou ao brincar com meu cabelo e se esticar um pouco para me beijar.

- Cheguei. Podem ir parando. - Jisoo comentou ao chegar no estábulo. Vestida de preto, como sempre, mas desta vez seu cabelo estava solto com aquelas ondulações lindas.

- Demorou. - Jennie comentou ao me abraçar e apoiar a cabeça em meu peito.

- Deixei vocês ficarem com açúcar aí e tomei meu banho em paz, agradeça por isso. - Jisoo se aproximou de nós para afagar o cabelo de Jennie e beijar seu rosto. - O que querem fazer o resto do dia?

- Selar Yong vai ser o desafio da tarde. - falei ao olhar para o cavalo. Ele não permitia que nenhum dos guardas chegassem perto. Nem mesmo Seung conseguia fazê-lo amansar.

- Ele é dócil. - Jennie falou ao se aproximar do cavalo e acariciar seu pelo.

- Com você, é sim. - comentei perdida ao ver o tanto que Yong estava se dando bem com Jennie. Eu realmente não esperava isso.

- Tem certeza que esse cavalo tentou matar um dos guardas? - Jisoo questionou observando a interação de Jennie com Yong.

- Sim, tenho certeza.

- Então ele deve ser da mesma raça da Jennie e se apaixonou por ela. Perdeu seu posto, princesa. - brincou tocando meu ombro levemente.

Jisoo costumava ser minha única amiga antes de me apresentar à Jennie. Nós duas nos conhecemos quando ela seguiu o comandante Kim até o Castelo em uma reunião com meu pai. Eu estava brincando com os cavalos no estábulo e ela se escondeu no feno para que os guardas não a vissem. Nós brincamos com o jovem corcel Hwan por um bom tempo até que a reunião acabou, e o comandante reparou na presença de Jisoo no Palácio.

Foi engraçado, e desde aquele dia ela ia me ver com frequência. Nós andávamos pelo campo, Hwan era selado e corria conosco, uma vez ela me ensinou a manusear uma espada, mas eu não tive um bom resultado.

- Princesa? - Jisoo chamou minha atenção ao estalar os dedos frente à meu rosto. Devo ter me perdido. - Procure por Jennie.

Estreitei meus olhos e já não via mais minha garota ao lado de Yong, mas sim em cima dele.

- Você subiu aí sem selar ele? Sério isso? - pisquei os olhos inúmeras vezes para ter certeza que era realmente isto o quê estava acontecendo. - Como conseguiu?

- Ele deixou. - Jennie abraçava Yong enquanto o cavalo parecia querer galopar.

- Cuidado...

- Tá tudo bem, amor. - Jennie sentou-se em cima de Yong e acariciava seu pelo novamente. - Ele gosta de mim, tá vendo.

- Sim...

- O que houve, Lalisa? - Jisoo perguntou ao meu lado, se aproximando com uma sela.

- O medo de Yong correr e derrubá-la. - sussurrei. - Desce, amor.

- Tá bem. - Jennie se apoiou em Yong, tomando impulso para descer dele. O cavalo continuou imóvel olhando para ela. - Vai selar ele, Chi?

- Não, Jen. - Jisoo estendeu a sela para ela, e pôs as mãos em sua cintura. - Você vai. Seu cavalo, sua responsabilidade.

- Eu não sei cuidar nem de mim! - falou trocando olhares entre a sela e Yong. - E se ele correr?

- Você vai atrás. - Jisoo sentou-se em cima do feno e me chamou para sentar ao seu lado. Isso iria ser divertido, muito divertido. - Anda logo Jennie.

Jen olhou uma última vez para nós antes de se aproximar de Yong. Ela estendeu a sela e o ouviu guinchar. Arregalei meus olhos e a vi sair de perto tão rápido quanto havia se aproximado.

- ChiChu...

- Se você ficar com medo dele vai ser pior. - foi a única coisa que Jisoo falou enquanto comprimia seus lábios para evitar rir.

Jennie mais uma vez tentou se aproximar com a sela, Yong não reclamou desta vez, então ela entendeu isso como uma permissão dele para por a sela, quando o ato já estava feito, Yong saltou e a derrubou no chão.

Jisoo já estava gargalhando alto enquanto Jennie parecia estar impressionada com a inteligência do cavalo.

- Por Deus, Jennie! Isso foi hilário! - Jisoo estava começando a se acalmar, enquanto Jen se abaixava para apanhar a sela. Yong escavou o chão com a pata e Jennie observou aquilo.

- O que ele tem?

- Fome, talvez. - Jisoo comentou observando o comportamento do animal. - Ou tédio se levar em conta que as orelhas estão caídas para a direita.

- O que você quer garotão? - Jennie falou com o cavalo, o que me fez prender a risada.

- Ele não fala nossa língua, Jen. - Jisoo se levantou, apanhando uma maçã dentro de um balde para se aproximar do cavalo e estender sua mão. - Ele está entediado, com fome, e estranhando a sela. É um cavalo selvagem, Lalisa?

- Os soldados voltaram com ele há uns dias. Provavelmente foi um presente de alguma província próxima.

- Jennie, se quiser selá-lo, eu sugiro que o alimente antes.

- Sela ele você. - falou estendendo a sela para Jisoo.

- É seu cavalo, Jen. Tem que o acostumar a obedecer você.

- Mas ele é teimoso!

- Igual Lalisa, e mesmo assim você a acostumou a te obedecer.

- Eu continuo aqui! - me ofendi profundamente com esse comentário. Ela por acaso pensa que eu sou o quê?

- Eu sei. - Jisoo piscou seus olhos algumas vezes e se afastou do cavalo quando ele ergueu a pata dianteira. - Ele está bravo com minha presença. É como eu disse, acostume-o com você.

Jennie tentou inúmeras vezes por a sela em Yong, até que se cansou de tentar e sentou no chão do estábulo com seus braços cruzados. Jisoo gargalhou ao meu lado com a desistência repentina da minha namorada.

Yong se aproximou de Jennie e a empurrou levemente com a fronte.

- Eu não acredito nisso! Esse cavalo é uma figura e tanto. - Jisoo estapeou a própria perna ao ver que Yong estava, de alguma forma, brincando com Jennie.

Jennie se levantou e saiu andando para longe de Yong, ele a seguiu.

- Então é assim? Você faz raiva e depois vem todo carinhoso? Eu desisto de tu! - Jennie estava visivelmente brava com isso; o que causou mais risadas em Jisoo.

Ela olhou para mim mais uma vez, e eu lancei-lhe uma piscadela. Jennie suspirou ao apanhar a sela mais uma vez e a por em Yong. Dessa vez não teve saltos, nem tentativas de empurrá-la.

- Você é espetinho demais. - Jennie terminou de por a sela em Yong, e o cavalo apenas soprou seu rosto. - Consegui ChiChu!

- Agora a embocadura. - Jennie olhou para o objeto de metal e Yong. O cavalo ergueu suas orelhas para a frente. - Ele vai deixar, apenas seja cautelosa.

Jennie se aproximou do cavalo com a embocadura, olhando para ele em um pedido silencioso para que deixasse ela fazer aquilo. Jisoo arqueou uma sobrancelha observando a interação dos dois.

- Yay! - Jennie comemorou ao conseguir terminar de por a embocadura em Yong. Que a empurrou novamente, fazendo-a quase cair mais uma vez. - Você é uma peste na minha vida.

- Já está escurecendo, vamos dar uma volta com Yong e depois eu levarei Lalisa até o Palácio.

- O dia passou rápido. - lamentei ao me levantar e receber Jennie em um abraço. Iria demorar para que eu conseguisse vir vê-la novamente.

- Aproveitem o restante dele enquanto eu irei selar Hwan e Chun. - Jisoo se afastou de nós, me deixando com aquela criança manhosa.

- Se você chorar vai complicar ainda mais a minha ida, amor. - falei afagando seu cabelo. Ela estava se escondendo em meu busto, com toda certeza iria acabar chorando se continuasse pensando nisso. - Você sabe que eu vou voltar para te ver sempre que conseguir, Jen.

- Eu sei Lisa. Mas eu não gosto quando você vai embora.

- Um dia eu não precisarei mais ir, iremos ser você e eu no Palácio... vamos dormir juntas em nosso quarto e sair para cavalgar no pôr-do-sol. - falei acariciando seu rosto, dei-lhe um beijo casto em seus lábios e me afastei para limpar algumas lágrimas que estavam molhando seu rosto.

- Você sabe que seu pai...

- Shi... não pense nisso.

É verdade, nunca iriam permitir um casamento entre Jennie e eu, não enquanto eu for a sucessora do trono de Gojoseon, a única sucessora. O quê eu não faria por um irmão ou irmã que pudesse me livrar de tal peso. Mas se algum dia eu precisar escolher entre Jennie ou meu Reino, eu não precisaria pensar duas vezes antes de abandonar o trono.

Jisoo acabou de selar Hwan, e Jennie me ajudou a montar. Logo indo em direção a Yong, que estava se afastando cada vez mais dela enquanto tentava montar.

- Qual é Yong! - Jennie cruzou seus braços e bateu o pé no chão. O cavalo parecia se divertir com as expressões raivosas dela. - Vem aqui, vai.

Jisoo estava ao meu lado, montada em Chun, observando Jennie brigar com Yong.

- Ele é teimoso, mas gosta dela. - comentou divertida olhando para eles. - Tem alguma novidade do comandante?

- Não... sinto muito. - lamentei ao lembrar do soldado que retornou ontem, ele conseguiu alcançar a Ponte que construímos em Taedong, trazia um pergaminho escrito por Kim, mas eu não consegui vê-lo, nem muito menos tivemos notícias dos outros três soldados. - Ele deve estar bem.

- Espero que volte para casa em segurança. - suspirou pesadamente ao olhar em direção ao rio.

- Não vá Jisoo, sabe que meu pai não iria te dar trégua, mesmo sendo filha do comandante Kim.

- Eu entendo. Não se preocupe.

Jennie conseguiu montar em Yong depois de muitas tentativas falhas. O cavalo agora corria em disparada com Jennie pelas terras de Jisoo.

- Os dois gostam bastante de correr. - comentei vendo Jennie soltar as rédeas de Yong e erguer seus braços. Confesso que ainda continuo temerosa com a ideia dela estar tão "solta" em um cavalo brincalhão e, ao mesmo tempo, selvagem. Mas eles aparentam se dar bem.

- Já anoiteceu, talvez seja melhor eu levá-la logo até o Palácio. - Jisoo falou ao sair de seus devaneios olhando para o céu.

- Você gosta bastante de observar as estrelas. - comentei. Ela concordou.

Jisoo costuma observar as estrelas todas as noites, e sempre que faz isso fica calada, pensativa. Talvez esteja se lembrando de algo.

- Jendeukie! - gritou chamando a atenção de Jennie, que estava se afastando de nós duas. Ela voltou com Yong, sorridente. - Vou levar Lalisa até o Palácio, vá para casa, escove o pelo de Yong, dê comida à ele. Tem bastante maçãs no estábulo, e comida dentro de casa. Não saia dos limites de minhas terras até que eu volte, entendeu?

- Entendi, ChiChu. - Jennie olhou para mim com o rosto triste, se apoiou em Yong para desmontar e veio caminhando até perto de mim o segurando pelas rédeas. - Se cuide, meu amor...

- Obedeça Jisoo, certo? Come direito, se divirta. Eu voltarei assim que puder.

- Eu te amo. - a voz dela estava embargada novamente, ela estendeu sua mão e segurou em minha coxa. - A tiara.

Sorri com sua preocupação e coloquei a tiara em minha cabeça, segurando sua mão em seguida.

- Eu amo você. - sussurrei, apenas para que ela escutasse. Isso bastava para mim.

Hwan galopou ao lado de Chun, eu me virei para a observar de longe, com a mão erguida ao céu. Senti o nó se formando em minha garganta.

- Não sei como consegue se manter tão forte na frente dela, Lalisa. - Jisoo falou. E só então eu percebi que minha visão estava embaçada.

- Por quê trouxe a espada se não vai usá-la? - mudei drasticamente o assunto de nossa conversa. Jisoo sempre sai de casa com sua espada, uma adaga em sua bota, e suprimentos na sela de Chun.

- Virou costume.

- Você... como sempre com a mesma desculpa.

A aldeia estava silenciosa, já deve ser muito tarde. Apenas alguns soldados estão em uma taberna aqui perto. Não demoramos muito a chegar frente ao grande portão. Kang-Dae reconheceu meu rosto e o abriu para que eu entrasse com Jisoo em meu encalço.

Ela não desceu de Chun em momento algum. Estava olhando ao redor, tudo estranho demais. O clima de tensão entre os soldados era nítido.

- Seung, o quê está acontecendo? - perguntei quando ele se aproximou de mim, tomando as rédeas de Hwan.

- O corpo de mais um soldado foi encontrado no rio Taedong. - falou olhando diretamente para Jisoo.

- O comandante?! - questionou.

- Não, mas ainda não recebemos notícia alguma sobre a posição deles. - Seung mal terminou de falar quando Jisoo estava voltando para o portão com Chun.

- Jisoo! - gritei ao vê-la virar-se para mim mais uma vez, antes de correr com Chun em direção ao rio. - Kang-Dae acione os guardas! Não a deixe ir! Droga.

- Princesa, deve entrar no Palácio imediatamente. Iremos atrás da filha de Kim. - Woong, um dos guardas do Palácio, me escoltou até dentro. Andei apressadamente à sala do trono, encontrando com meu pai, histérico como sempre.

- Onde está o comandante? - questionei o observando, estava aparentemente bravo com a situação.

- Vá para seus aposentos.

- O quê houve com os soldados?!

- Lalisa!

- Se o pai da Jisoo também for morto por sua ganância...

- Cale-se! Já para o quarto, Lalisa! Woong, leve-a daqui!

- Se Jisoo não voltar com vida ao lado de seu pai, você irá sentir o gosto da amargura que irá preencher seu reino, Wang.

Por favor Jisoo... volte. Por Jennie, por mim...

(🏹)




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...