História All I wanted was you - Capítulo 130


Escrita por: e R4FA

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Ariana Grande, Camren G!p, Daniel Hyunoo, Hayley Williams, Jeremy Davis, Lucy Vives, Ryan Newman, Veronica Iglesias
Visualizações 569
Palavras 1.440
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Incesto, Intersexualidade (G!P), Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 130 - Terceira temporada: - 130


Fanfic / Fanfiction All I wanted was you - Capítulo 130 - Terceira temporada: - 130


~ Dois meses depois.


POV Luana.


- Eu não entendo, não entendo o por que dele está assim comigo. - Ariana me encarava seriamente enquanto acariciava meus cabelos. 


- Deve ter algum motivo, mais dê um tempo a ele. - Ela colou nossos lábios. - Por que não vai tomar um banho, está muito calor e você deve está muito cansada do trabalho.


- Tudo bem. - Lhe dei outro selinho levantando do sofá. Eu tinha saído da empresa e vim direto pra casa de Ariana a mesma estava sozinha, nossa pequena está na escola e eu não queria ir pra casa, meu filho vem me ignorando a quatro meses e isso está me deixando muito decepcionada comigo mesma.  - Janta comigo hoje? - Encarei a mulher que entrou no quarto em seguida depois de mim.


- Claro! - Sorrir para ela e tirei meu blazer que estava me sufocando, depois de tirar toda roupa ficando apenas com minha cueca boxer sentir minhas costas queimarem. - E-eu vou deixar...


- Não precisa sentir vergonha. - Me aproximei dela a abraçando por trás - Sou eu!


- Eu sei, mais...


- Sou eu, mais não a mesma. - Beijei sua bochecha o que fez a rir. - O que gosta de comer?


- Tem muitas coisas, mas amo filé mau passado. 


 - Ok, irei te levar no melhor restaurante de Miami. - Ela sorriu.


- Certo. - Beijei seus lábios não foi um beijo demorado pois eu estava morrendo de calor.  - Ok, vá tomar seu banho, tenho que buscar Enma daqui a pouco, caso quando sair do banho e não me encontrar. - Eu assentir e andei em direção ao banheiro.

.

.

.

~ Horas mais tarde.


POV Rafaela


Eu era a pessoas mais feliz e nervosa messes exato momento. A barriga da mulher ao meu lado já estava enorme ao meu vê, e a cada minuto que eu olhava um sorriso maior se abria em meus lábios. Hoje iríamos fazer mais uma de nossoas visitar a médica da minha namorada, a mesma disse que hoje iríamos vê o sexo do nosso bebê, e isso estava me deixando muito nervosa.

Eu sempre sonhei em ter uma filha, eu planejava tudo o que eu poderia fazer com ela, o seu primeiro dia de aula, pentear seus cabelos, lhe ensinar várias coisas que poderemos fazer juntas. E só em pensar nisso meu coração pulsa de tanta alegria. 

Estávamos quase chegando ao hospital, eu já tinha contado todas a placas que havíamos passado, meu nervosismo era tão grande que eu poderia explodir e voltar pra casa e deixar pra ver o sexo do meu bebê só quando ele ou ela nascesse. 


- Por que está tão nervosa? 


Encarei minha namorada que sorria pra mim com a cabeça encostada no banco do carro. 


- Será que ela vai gostar de mim? - Valéria riu.


- Amor, ela não vai nascer hoje. - Sua mão pousou em minha coxa me fazendo suspirar. - E claro que ela irá gostar de você, você é a mãe dela.


- Tenho medo que ele ou ela não goste de mim.


- Tenho certeza que você será uma mãe maravilhosa. - Parei com o carro no estacionamento do hospital me fazendo soltar uma lufada de ar que estava preso em meus pulmões. - Ela irá se apaixonar pela mãe que lhe espera. - Rimos uma para outra o que me fez lhe deixar um beijo em seus lábios antes de descer do carro.

.

.

.


- Olá doutora Poots. - A loira sorriu para nós abraçando uma prancheta.


- Olha se não é meu casal favorito. - Ela disse com um enorme sorriso nos lábios deixando seu rosto todo vermelho. - Hoje será o grande dia.


- Sim.


- Nervosas?


- Claro...


- ...Que não.


Encarei Valéria que acariciava sua barriga encarando a médica. A loira nos guiou pelo mesmo caminho das últimas vezes que víamos quase toda semana. Ela falava algo que eu não estava dando muito atenção. Já devíamos saber o sexo do bebê, mais sempre que queríamos olhar minha pequena estava com as perninhas cruzadas. E aquilo me fazia rir de nervosa.


POV Valéria.


Ela está com medo.


Eu sei que ela está com medo.


Eu sinto.


E o pior de tudo.


É que o medo dela está vindo pra mim. E o real motivo do seu medo é, que se nossos bebê for uma menina, ela acha que nossa pequena irá nascer como ela. Segurei suas mãos suadas o que a fez olha pra mim.


- Vai ficar tudo bem okay. - Ela assentiu parecendo ficar mais calma.

.

.

.

Assim que a doutora Poots mandou que eu me deitasse na maca, ela começou a explicar que era super normal a criança está naquela posição, Rafa parecia ter ficado empolgada quando ouviu a doutora dizer que nesses casos, mais meninas do que os meninos ficam com as pernas cruzadinhas.

Assim que sentir aquele gélido gel no pé da barriga soltei um gemido meio agonizante, minha namorada segurou minha mão entrelaçando nossos dedos.


- Bom vamos vê esse garotão. - A doutora disse meio animada enquanto encarava a tela do computador. 


Assim que ela colocou o aparelho no meu ventre, abrir um grande sorriso ao ouvir os batimentos cardíacos do meu filho. Rafa também sorria encarando o computador.


- E então doutora, consegue vê? - Perguntei.


- Está tudo borrado, não vejo nada. - Rafa disse no fio de voz, e a doutora nos olhou soltando um longo suspiro com um sorriso.


- Parabéns mamães, é uma menina.

.

.

.

POV Camila.

Eu estava na cozinha preparando um almoço, hoje Shawn viria almoçar aqui o mesmo dizia que traria alguns amigos do tempo da escola, e eu estava meio nervosa. O problema não era Lauren, e sim Luana. 


- Mama. 


- Oi! - Olhei para meu neto que estava com a farda da escola e sua mochila nas costas. - Precisa de algo.


- Bom, nesse momento não preciso de nada, e eu agradeceria muito a senhora se ligasse para a tia Mel para que ela me levasse a escola. - Sorrir ao vê me encarando de um jeito sério.


- Tudo bem, espere na sala. - Ele assentiu. - Já colocou seu almoço na mochila?


- Óbvio, a senhora sabe que eu nunca esqueceria nada em relação a comida. - O Segui até a sala onde o mesmo se sentou no sofá e me entregou o telefone.


Assim que iria ligar para Melanie, Luana entrou pela porta com Enma nos braços e Ariana mais atrás com uma mochila pequena.


- Lipe! - Minha neta gritou fazendo Felipe sorrir animado.


- Olá pequena. - O mesmo levantou do sofá e foi recebido por um abraço da irmã. - Como estás?


- To bem, você quer ver o desenho que eu fiz hoje na escolinha? 


- Quero.


Sorrir ao ver que os dois tinha uma ótima relação. 


- Ei! - Chamei a atenção de Luana que encarava os filhos de uma maneira estranha. - Venha, quero falar com você.


- Agora?


- Sim! - Olhei Ariana que estava sentada no sofá ajudando a filha pegar o tal desenho. - Ariana, querida fique a vontade.


- Obrigada. - Ela sorriu mostrando suas adoráveis covinhas em suas bochechas.


- Aqui Lipe! Hoje agente fez nossa família, e esse bem aqui é você...


Assim que entrei na cozinha Luana se sentou na mesa se debruçando sobre ela.


- Você está sendo uma pessoa insensata. - A mesma me encarou rapidamente.


- Eu não fiz nada.


- Fez, fez sim e agora está pagando por sua falta de caráter.


- Mama...


- Cala a boca! - Ela abaixou a cabeça. - Você tem dois, está ouvindo! Dois filhos, tem que amar os dois de igual para igual, você faz coisas pra Enma que você nunca fez pelo Felipe!


- Mais...


- Luana, eu mandei você calar a boca, a quatro meses atrás ele queria que você o levasse para um evento, e o que você disse? - Ela encolheu os ombros. - "Hoje não, estou muito cansada". - Cruzei os braços negando com a cabeça. - Já com Enma você a leva pra passear até doente, é sua filha e você tem direito e liberdade pra levar e fazer o que quiser com ela, mais ele também é seu filho!  Então procure vergonha na sua cara e vai pedir desculpas! E sabe uma coisa que eu adimiro nele.


- E-eu...


- Ele sim tem muita vergonha na cara dele. Ele não corre atrás de você, pois ele sabe que você ainda se comporta como uma adolescente, então converse com ele, e o trate como seu filho pois ele nasceu primeiro, e agora é ele quem está te rejeitando. 


Sair da cozinha a deixando sozinha.


- Vovó, vovó, a senhora quer vê meu desenho? - Peguei Enma no colo deixando alguns beijos em seu pequeno rosto.


- Quero sim. - Felipe andou até mim e abraçou minha cintura.


- Eu amo você mama.









Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...