1. Spirit Fanfics >
  2. All I Wanted Was You - Repostando >
  3. Capítulo 21

História All I Wanted Was You - Repostando - Capítulo 21


Escrita por:


Capítulo 21 - Capítulo 21


Quando Lauren estacionou em frente a minha casa, ela se acomodou no estofado do banco e soltou um longo suspiro. E aquele não era o primeiro desde esse curto caminho até aqui. 

- Tá, o que foi? 

- Não é nada...

Passou os dedos nos lábios e me encarou de uma forma até que muito fofa. Algo estava lhe incomodando e ela estava doida para me dizer. 

- Nada? Certeza? 

- Tudo bem. Eu só não gostei de ter visto você beijando aquele cara

- Já te disse que foi ele quem me beijou. - Um bico cresceu por parte dela. Sorri com a cena e a puxei pelos cotovelos. Lauren continuo com aquela manha, e o bico só se desfez quando selei nossos lábios. 

- Você gosta dele? 

Suspirei. Por que ela tinha quê ser tão difícil? 

- Lo, não! Eu não gosto dele... Gosto de você, eu te amo. 

Lauren voltou a se encostar no banco e dessa vez ela não me olhava. Seus dentes prendiam seus lábios e aquilo dizia claramente que ela estava nervosa.

 Sua cabeça encostou no volante, e ela finalmente resolveu me olhar. 

Se aquele comportamento dela estava me deixando eufórica? Sim estava, e muito!

- Eu fiquei tão surpresa quando você me disse isso de manhã, e com a chegada da minha irmã me deixou toda desorganizada. Mas Camz, você não tem idéia do quanto isso me deixou feliz. Eu também te amo.

A puxei de novo e mais uma vez nossas bocas se encaixaram. Eu sempre achei antiquado as pessoas dizerem que quando você beija uma pessoa que ama, você sente como se tivesse milhões e milhões de borboletas no seu estômago. Eu admito que achava uma baboseira, mas alí, com a boca de Lauren grudada na minha, eu podia sentir as tão famosas borboletas. 

Quando decidimos sair do carro e entrarmos em casa, vimos meu pai de pé em frente ao um notebook apoiado na bancada da cozinha. Em suas mãos um copo d'água, quando me viu abriu um sorriso de orelha a orelha. 

– Qué bueno verte caminar mi hija. 

– Sí papá, es estimulante!

– Entonces? Cómo estuvo la cena con Leo? 

– yah papa! no quiero hablar de eso! 

Segurei a vontade de rir ao me dar conta da cara que Lauren fazia. 

- Não sabia que você falava espanhol! 

– Cubanos hablan español, Lo! - Disse óbvio. 

- Sabia que os seus pais falavam, mas você, nossa! Foi sexy!

- Vamos logo! 

Me despedi do meu pai e subir para meu quarto. Enquanto Lauren se sentava na minha cama e deixava suas chaves e o celular no meu criado mudo, caminhei até meu closet e separei algumas toalhas para ela tomar um banho. 

Fazia aquilo com dificuldade, meus joelhos doíam quando eu andava. E se eu chegasse a me queixar para Lauren ela bancaria a superprotetora. 

Não discutimos em relação a quais banheiros ficaríamos. Eu fiquei com o do corredor para que não corressemos o risco dos meus pais entrassem acidentalmente onde Lauren estaria tomando banho e vissem uma coisa a qual ela não deveria ter. 

Eu não demorei muito por alí. Quando terminei de pô meu pijama voltei para o quarto, e não foi uma boa idéia. 

Lauren desfilava com uma cueca boxer da cor preta de alguma marca famosa a qual não tive o interesse de saber qual é.

Passei direto por ela resistindo a vontade se olhá-la. Entrei no banheiro, e só não corrir por que eu não podia. Pendurei a toalha molhada no gancho, e vi suas roupas perfeitamente dobradas deixada na pequena bancada. 

- Sua mãe nunca lhe ensinou que não devemos deixar roupas num banheiro? 

Ela me olhou. Agora sentada na minha cama, e não podia dizer se era impressão minha mas, mesmo de longe enxergava seus olhos num tom escuro. 

- Sério? Por que? 

- Lo, elas molham por causa da umidade. - Ela abriu a boca num O e assentiu pensativa. - Você molhou a cabeça? 

- Descuido meu. Eu liguei o chuveiro, só que a água estava muito gelada e eu me assustei. 

Peguei a toalha que estava nos seus ombros e passei pelos seus cabelos. De frente para ela, pude presenciar um dos mais belos sorrisos direcionado a mim. Lauren segurou minha cintura e se pôs de corpo colado ao meu.

Com as trocas de olhare, e sorrisos bobos. Começamos com um beijo calmo, até demais. Lauren me deitou cuidadosamente na cama e ficou por cima. Sua mão desceu para minha coxa e a apertou, aquilo me rendeu um gemido.

E suas mãos não foram as únicas a se moverem, seus beijos desceram a meu pescoço e selinhos molhados foram distribuídos. 

Dali por diante meu corpo começou a ficar trêmulo diante dos seus toques. Sua mãos outra vez se moveu, Lauren segurou o cós da minha blusa e me olhou. 

Aquele olhar era um pedido. Eu não tinha palavras, então eu apenas assenti com a cabeça. 

Eu não usava sutiã, claro, achei que iríamos dormir. Mas Lauren pareceu se surpreender ao ver meus seios expostos. E ali não era a primeira vez que ela me via sem a parte de cima.

- São lindos... 

 Lauren sorriu e passou seus dedos no meu colo fazendo um caminho até as laterais. Fechei os olhos ansiosa com a imagem dela deixando seus lábios próximo ao meu seio direito. 

Sua mão esquerda voltou com suas invertidas na minha coxa, já sua direita era a qual ela se apoiova na cama enquanto sua lingua chupava meu mamilo. 

Lauren não ficou só alí, por mais que eu desejasse. Seus beijos pararam, e ela lambeu toda extensão do meu pescoço e aquilo foi como um choque. Cravei minhas unhas nas suas costas, e mesmo por cima da camiseta Lauren gemeu. 

Lauren era cuidadosa. E suas mãos cuidadosamente apertaram meu seio e aquele sentimento foi ainda mais gostoso. Enquanto sua mão direita massageava meus seios, sua boca passou a morder  chupar o lóbulo da minha orelha. E aquele lugar era meu ponto fraco, meu corpo todo se arrepiou e aquilo certamente não passou despercebido. 

- Tudo bem? 

- Uhum...

- Quer continuar? 

Dessa vez eu se quer disse alguma coisa. Subir minhas mãos pelas suas costas e segurei sua camisa. Lauren não deixou de entender, e apertou meu seio ainda mais forte e tudo começou a ficar intenso. As mordidas na base do meu pescoço, a sucção nos meus ombros, a lambidas e chupões na minha clavícula. Aquelas suas investidas me deixava asiando por algo mais íntimos entre nós, e aquele meu pensamento, pareceu despertar o dela. 

Lauren sentou-se na cama e tirou sua camiseta. Eu não hesitei, tirei minhas duas únicas peças que ainda vestia. 

Eu não tive tempo de olhar seu corpo nu. Lauren deitou-se outra vez sobre mim, e tudo estava quente, seu corpo, seus beijos e seus dedos os quais beliscavam meus mamilos.

Eu não queria ficar por baixo o tempo todo. Então tive a idéia de virar nossos corpos. Aquele meu pequeno movimento não fez Lauren desistir do beijo.

Aquela sensação de tê-la tão perto era umas da melhores. E ficou ainda melhor quando ela passou seus braços na minha cintura, e com o movimento do seu quadril pude sentir aquela carne dura tocar minha intimidade.

Lauren pareceu gostar daquele contato, à cada segundo ela fazia um certo movimento e aquilo fazia nossos sexos se tocarem. Era uma sensação maravilhosa. E tudo ficou mais complicado/torturador quando seu pênis se encaixou na minha entrada. 

Uma trilha de beijos voltou-se a serem distribuídos na curva do meu pescoço, aquilo acabou comigo. Eu já não sei se aguentaria...

E quando achei que Lauren pararia com suas investidas, eu vi quê estava enganada. Ela me deitou outra vez na cama e eu não me segurei e logo abrir as pernas. Eu precisava de algum estímulo.

- Vai logo com isso, não aguento mais. - Lauren sorriu diante das minhas palavras. Não hesitou em nada, e assim fez. Lauren apertou minhas coxas abrindo ainda mais minhas pernas.  

- Estava ansiosa 'pra isso. - Quando pensei em lhe responder, senti sua língua passa por toda minha vagina. 

Eu não me segurei e gemi manhosamente. Lauren chupou toda extensão da minha boceta e em seguindo prendeu meu clitóris entre os dentes. 

- D-Deus... Não para.

- Não sabia que era tão deliciosa.

Disse ao passar sua língua repetida vezes por toda minha boceta. Aquilo me rendeu um revirar de olhos de tão excitada que eu me encontrava.

 Mas ela não me obedeceu. Lauren parou com as lambidas e eu a repreendi num murmúrio. 

 Abrir os olhos lentamente encontrando os seus. Lauren se pôs entre minhas penas, aquilo me trouxe um gemido, seu membro duro encostou na minha intimidade outra vez. 

Ela juntou nossas bocas, e pude sentir meu próprio gosto na sua língua. Fiquei tão entretida com os toques dos seus lábios que me assustei quando sentir seu pênis forçando a minha intimidade molhada.

Quando me penetrou eu suspirei em alívio. Já tinha um tempo que não fazia aquilo, e foi maravilhoso senti aquele preenchimento mais uma vez, principalmente com Lauren alí em cima de mim. 

Ela abriu minhas pernas outra vez e pôs a mexer o quadril. Seus movimentos eram leves mas ao mesmo tempo intensos. 

Lauren só foi aumentar o ritmo das estocadas quando ouviu um gemido alto sair do meus lábios. Meu pai estava em casa, e não queria que nada fizesse Lauren parar com seus movimentos. Com isso passei a morder a costa da mão. 

 Lauren deixou seus braços cairem a cada lado da minha cabeça e suas estocadas ficaram firmes depois daquilo. Ela soltou um gemido controlado e manhoso. 

- Assim... C-continua... 

 No quarto só se ouvia o barulho excitante das nossas peles se batendo, e nossos gemidos baixos, mas hora ou outra não podia me conter e acabei gemendo alto demais. 

- L-Lauren... 

Ela aumentou ainda mais o rítmo ao segurar na minha cintura. Eu já estava sentindo minhas pernas fracas, meu coração batia adoidado. Minha cabeça estava girando com cada investida dentro de mim.

- Eu vou gozar... - Avisei.

- Está gostoso? - Sua pergunta saiu num sussurro, sua foz estava fraca e sua respiração acelerada, podia dizer que estava do mesmo jeito quando senti sua boca morder meu ponto de pulso e insistir por uma resposta minha. - Me responda Camz.

- Sim, Lauren. Não para, por favor... 

Eu já não aguentava mais. Depois desses últimos meses eu sequer pensei em sexo, e também não me toquei. Quando senti minha boceta se contrair soube que já estava gozando. 

Lauren não ficou muito atrás. As paredes da minha intimidade apertavam seu membro pulsante, aquilo apareceu agradá-la, já que ela olhava para nossos sexo e gemia baixinho. 

Quando Lauren caiu na cama ao meu lado naquela noite, um sorriso acompanhado de sua respiração descontrolada foram o motivo de uma risada minha. Ela então me olhou confusa. 

- O quê foi?

- Não usamos camisinhas.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...