História All Magic - Capítulo 7


Escrita por:


Capítulo 7 - All Magic - 7


All Magic

Capítulo 7 - Readaptação

 Acordo no susto, com minha irmã me derrubando da cama e abrindo as cortinas para clarear o quarto, fazer aquilo era o mesmo que desejar minha morte. Começo a me levantar desnorteado e levemente cego pela luz, e vou conseguindo acordar aos poucos. Ao abrir os olhos eu vejo ela parada na minha frente com um sorriso cínico, de quem adorou fazer isso, ela tinha apenas treze anos e já era um projeto de demônio.

- Antes de eu invocar meu livro, pegar um Martelo enorme que aumenta minha força e esmague sua cabeça na parede, me diz o motivo de ter feito tudo isso. - Eu digo combo tom mais ameaçador de todos, e ela simplesmente olha pra mim enquanto ri. Não existe mas respeito neste mundo?

- Eu acordei você pelos simplesmente, primeiro já são uma da tarde, segundo... - Antes que ela possa terminar, eu arregalo os olhos e grito.

- UMA DA TARDE!? COMO ASSIM!? - pergunto extremamente perplexo e em choque.

- CALA A BOCA E DEIXA EU FALAR!! - Diz Sthefany, que me seu tom agudo faz eu me calar na hora. - Segundo, minha mãe pensou que estava morto, então por preocupação me mandou te chamar e terceiro, o Jay chegou tem cinco minutos e está te esperando. E sobre a forma que eu te acordei, eu fiquei desde que Jay chegou até agora pra te acordar, então não me culpe por ter um sono de pedra, agora se vai tomar um banho e se arrumar, por quê eu já perdi a paciência!! - Diz Sthefany que sai pela porta e ao finalizar, bate a porta com força. Ficar deitado por tanto tempo me fez eu me sujar? Enfim, eu iria tomar banho de qualquer forma, eu pego o celular indo pro banheiro e coloco música, haviam algumas mensagens, mas não tive tempo de ler elas. Me banho e me arrumo rapidamente, coisa de quinze minutos. Estava com uma bermuda preta e uma camisa vermelha do homem de ferro, adoro essa caminha. Andando descalço pela casa, vou até a sala de encontro a Jay. O mesmo quando me vê se levanta.

- Demorou, hein? Queria fazer uma simulação de morte? - Diz Jay, que vai até minha direção.

- Não seria uma má ideia, mas eu tive um sonho mó estranho, só que não me lembro direito. - Digo já estando próximo dele, e começamos a fazer um aperto de mão, minha irmã chega no cômodo neste mesmo momento e fica observando nosso aperto de mão.

- Eu nunca vou entender o motivo de fazer tanta coisa em um aperto de mão só. - Diz Sthefany, que passa pela sala e vai para a varando.

- Enfim, o que queres aqui tão cedo? - perguntei a Jay.

- Saber se você passou na fase teórica. - Quando Jay responde, eu finalmente me toco, de que não vi ele a fase teórica toda.

- Espera, eu não te vi lá, você não disse que ia participar? - Pergunto levemente eufórico.

- Eu fui, fique tranquilo e vi você, mas como você estava com os garotos, preferi não me amostrar. E se você lembrou disso, quer dizer que não teve sua memória apagada, então passou? - Jay me responde e em seguida pergunta, o que era mais uma confirmação. Eu dou um leve sorriso e acento com a cabeça.

- Te encontro na fase prática? - pergunto a Jay.

- Pode ter certeza! - o mesmo responde e este sua mão, eu faço o mesmo e damos um toque de punho.

- Bom, o que vai fazer agora? - pergunto

- Eu estava pensando em ir ver minha mãe, não falei com ela desde que voltei da fase teórica, ela deve estar preocupada. Diz Jay que se vira de costas, indo pra varanda.

- É óbvio que ela está preocupada, vai ver ela logo. - Digo seguindo ele. Ele para embaixo de um teto de madeira que tinha na varanda casa e olha pra mim.

- É, você está certo. Talvez até compre algo pra ela, talvez um chocolate. - Diz Jay colocando a mão no queixo, como se estivesse pensando.

- Chocolates sempre é uma boa opção. - Digo. Jay tira a mão do queixo e acentua com a cabeça, e começa a emanar um energia amarela.

- Merda, tá ativado por muito tempo já, ficar te esperando deve ter enfraquecido. - Diz Jay olhando pro seu corpo. Sim, aquilo era um clone. Nesse momento, eu faço meu livro e coloco minha katana na cintura.

- Últimas palavras? - Digo com um leve tom ameaçador.

- Mandarei uma mensagem a noite, fique atento. - Diz Jay que abre os braços e da um leve sorriso. Eu acentuo com a cabeça e usando a katana em alta velocidade, parto ele no meio. Assim que é cortado, o corpo dele explode em uma energia amarela e se dissipa. Guardo a katana e desfaço ela.

- Acho que isso nos deixa quites pelo dia no shopping. - Digo retoricamente e entro em casa novamente, sentando no sofá. Eu pego meu celular, vou as mensagens e tinha umas, trezentas e quarenta e nove... TREZENTAS E QUARENTA E NOVE!? Mas quê porra é essa!? Eu abro o celular e vejo várias mensagens de muitas pessoas preocupadas, aparentemente dormir por mais de dez horas depois de uma prova dessa não é bem normal. Um dos primeiros a mandar mensagem foi Ethan no grupo nosso, ele parecia dormido muito pouco pelo horário das mensagens. Haviam mensagens de Jay, dizendo que viria aqui, de Lily que também estava muito preocupada e etc. Eu passo uns vinte minutos respondendo todos até que tudo se acalma. Eu consigo respirar mais aliviado e descido ir até a sorveteria, o clima estava um pouco mais quente que o normal e eu não queria ficar em casa. Eu pensei em ir correndo, mas não queria fazer esforço hoje, apenas coloco meus fones e caminho até a sorveteria que ficava a uns cinco minutos andando, dava pra uma música e eu já sabia que seria. "Slipknot - Hero" um vício por si só e estranhamente uma música que me faz pensar. Eu sempre refletia sobre a magia e sua origem, existem vários relatos sobre a vida antes da magia e como ela era difícil. Simples ações de pegar algo como, uma maçã em uma árvore era de extremo esforço, e agora com um erguer de mãos, sua energia magia envolve o fruto e vem até você conforme sua vontade. Iluminação natural, e aquecimento natural, a magia também é energia que está em constante movimento e isso gera luz e calor. A criação de feitiços e encantamentos, que foi algo também revolucionou o mundo, feitiços que transformam a simples energia pura de magia em algo a mais, assim criando as magias iniciais, elas criaram possibilidades quase infinitas e continua a se expandir. Os encantamos foram formado a partir do desejo de grandes magos, eles usam sua magia para impor uma vontade, geralmente essa vontade é um efeito, como exemplo da minha magia principal, eu invoco armas encantadas e elas me dão um efeitos que vem do encantamento, porém originalmente, encantamos eram vontades tão fortes, que se uniam a magia e conseguiam impor praticamente qualquer coisa, poucos foram aqueles que conseguiram fazer isto. Se eu me lembro bem, apenas dois foram capazes, o grande primeiro Arauto da magia e o capitão dos Arautos Pecadores, o pecado da irá do dragão, Lyvian Carmelin, ou abreviado como Lyv. As histórias delas eram de dar calafrio, o motivo de ter sido acusada e condenada como pecado da irá foi quebrar o juramento de sangue com o grande Arauto da Magia e matar seu companheiros. Eu não sei os detalhes, mas o motivo para isso tudo foi a súbita morte de seu amado, ele havia sido assassinado em uma das missões entregadas, ela estava junto de seu amado e seu time, a missão está indo bem, até que um homem encapuzado apareceu e matou o amor de Lyvian, o que fez literalmente seu mundo cair, segurando o corpo de seu amado Lyvian poderia usar uma magia de encantamento baseado em sua vontade, porém foi incapaz por ter feito o pacto de sangue de nunca usar está magia. Isso fez ela apenas assistir a morte daquele que ela mais amou sem incapaz de salvar ele, por um pacto de alguém que não quis que ela usasse tanto poder assim, e o que custou? Uma vida inocente. Depois daquele dia, não se sabe muito bem o que aconteceu, mas enquanto lutavam com o homem encapuzado Lyvian perdeu o controle e destruiu tudo e todos naquele local, os corpos de todos foram carbonizados, até de seu amado. Ela foi encontrada inconsciente e presa, com a acusação de pecado da irá, ela foi condenada a viver eternamente como um dragão sem consciência uma humana, está foi sua maldição pelo pecado da irá e ela foi solta em um lugar distante da civilização, um lugar que ela não causaria mais tumulto. É de fato uma história longa, quando acabo de pensar sobre ela, reparo que passei da sorveteria e volto correndo até ela. Paro enfrente ela um pouco sem fôlego e uma pessoa acaba chamando por mim.

- Klaus!? Que saudades! - Diz uma voz feminina que vem até mim e pula em cima de mim, quase não derrubando no chão, mas eu consigo me apoiar a tempo, depois de um abraço longo nos separamos e eu finalmente descubro quem é, era uma amiga do primeiro ano do ensino médio, Grayce Lifeoow.

- Grayce? O que você tá fazendo aqui? Sua casa não fica longe daqui? - pergunto um pouco assustado com a presença dela, mas com um sorriso feliz por rever ela.

- É longe sim, mas aqui tem o melhor sorvete de todos! E também, eu vim encontrar uma amiga. - Diz Grayce que segura minha mãe e me leva até a mesa que ela estava com uma amiga.

- Maze, este é Klaus, um amigo do ensino médio. Klaus está é a Maze, uma amiga minha do meu grupo. - No momento que Grayce nós apresenta, eu fico mais surpreso ainda, era a garota da fase teórica que gritou com a Kamy.

- Você é a garota da fase teórica que tentou enfrentar a Instrutora Kamy, né? É um prazer! - Digo estendo minha mão a ela.

- Sim, eu não lembro de te ver lá, você deve ser fraco então. E o prazer é meu. - Ela diz e estendo sua mão, apertando ela. Ela parecia ser bem forte fisicamente. Eu aperto com a mesma intensidade, e mantenho uma expressão normal. Pelo visto, a próxima fase vai ser bem divertida.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...