1. Spirit Fanfics >
  2. All Mine - Sign (Ker) >
  3. Primavera

História All Mine - Sign (Ker) - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Olá, pessoas!!

Meu Deus, minha primeira fanfic de 2020, eu pensei que não conseguiria postar nunca esse ano.👺 Foi difícil. Era pra eu ter postado em abril no aniversário do Soohwa. :/ E ainda quase desisti agora a pouco porque eu precisei formatar a história todinha de novo... Essa plataforma às vezes dá vontade de matar.... Maaas tá tudo resolvido! c:

Só deixando claro mais uma vez que esses personagens não me pertencem, quem criu o universo Sign foi Ker, todos os créditos vão pra essa pessoa linda de morrer que criou essa webtoon linda e que me fez ter sangramentos nasais durante a noite....... Pois é. Deixei na categoria original porque a comic ainda não tem categoria, mas eu tô trabalhando isso. 👺 Fiz a solicitação só que o Spirit não aceitou, daí eu desisti. Vou tentar novamente quando a raiva passar (FOI UMA HORA INTEIRA PESQUISANDO OS NOMES DE TODOS OS PERSONAGEEEENS 😡😡).

Enfim, eu sou muito apaixonada nessa história e por todos os personagens que vivem nela, por isso eu *precisei* escrver nem que fosse só uma one-shot sobre eles. Essa one-shot foi inspirada na música All Mine, do f(x) que é um grupo sul-coreano que eu gosto muito e tenho um carinho especial por todas aquelas meninas. 💕 Vocês podem ler ouvindo a música se quiserem!!

Vou parar de enrolar aqui.

Boa leitura!!

Capítulo 1 - Primavera


Fanfic / Fanfiction All Mine - Sign (Ker) - Capítulo 1 - Primavera

Nem a meteorologia explica essa constante primavera em minha vida depois que você apareceu.


Edgard Abbehusen



Soohwa abriu os olhos assim que ouviu o vento batendo na janela, quase a abrindo pela intensidade da rajada. Precisou piscar algumas vezes e se espreguiçar para entender melhor o que estava acontecendo, pegando o celular deixado na mesinha de cabeceira e checando o horário. 

Quatro da manhã. O que faria naquele horário de tão interessante agora que tinha sido despertado de uma forma nada delicada? Precisaria ficar mais alguns minutos acordado até o sono voltar, afinal não gostava nem um pouco de ser acordado no susto.

Suas vistas vasculharam o quarto escuro por um tempo. Começava a se perguntar se ligava ou não alguma das luzes para poder enxergar, mas achou melhor não. Seus olhos já principiavam um certo costume quanto a escuridão e, por isso, resolveu esperar um pouco até que passasse a enxergar melhor o formato das coisas para poder se levantar. Quando sentiu que era o suficiente, levantou-se e caminhou até a janela, afastando as cortinas e abrindo a ventana. 

A corrente de ar veio como um sopro de ar puro, arejando seu rosto, balançando levemente seus cabelos castanhos, se possível bagunçando-os ainda mais, e trazendo um pouco de refrescância ao cômodo que anteriormente estava bastante abafado. Horas mais tarde aquela rua estaria repleta de pétalas de cerejeira, fruto da ventania daquela madrugada. Soohwa sabia que aquilo era comum naquela época do ano e mal podia esperar para ver o cenário da rua recheada de pétalas rosinhas e delicadas mais uma vez. 

Com um bocejo, mexeu no celular que havia carregado consigo, notando que logo estaria amanhecendo. Achou melhor voltar a se deitar, por mais que ainda não estivesse com sono. Afinal, mesmo que fosse segunda —e o café não abrisse naquele dia —Yohan acordaria cedo para terminar os preparativos de seu aniversário começados na noite anterior.

Já com a cabeça repousada no travesseiro, Soohwa tentou fechar os olhos para descansar por mais algumas horas, mas não conseguiu. O remexer constante da cama acabou despertando o homem que dormia ao seu lado, fazendo-o virar em direção ao mais novo que parecia tentar encontrar alguma posição confortável para dormir.

—Soohwa, aconteceu alguma coisa? —A voz rouca e levemente baixa de Yohan causou arrepios em certas partes de seu corpo, deixando suas bochechas levemente avermelhadas. No entanto, já estava tão acostumado com aquilo que desta vez conseguiu reprimir qualquer tipo de vontade que poderia começar a ter.

—Nada. Só perdi o sono. —Respondeu calmamente com um leve sorriso, garantindo que Yohan estava lhe entendendo bem. Por sorte, o maior tinha acendido a luminária que ficava do seu lado da cama antes de se virar para falar com o outro, o que ajudaria quanto tivesse que ler os lábios de Soohwa. —Pode voltar a dormir, Yohan. —Pediu, aproximando-se minimamente do corpo grande e quentinho que o namorado tinha. Começava a se sentir bem mais aconchegado e sonolento do que antes, fechando os olhos quase que de imediato ao sentir os lábios macios tocarem seus cabelos desarrumados.

—Feliz aniversário, Soohwa. —Yohan sussurrou. O garoto esticou os lábios em um sorriso grande e feliz, sentindo mais uma vez suas bochechas corarem. Levantou o rosto e encarou o moreno cujos olhos pareciam transbordar todo o carinho do mundo.

—Você já me disse isso. —Respondeu com ternura. —Logo que deu meia-noite.

—Eu sei. Eu só quero poder dizer mais vezes hoje, sempre que eu tiver uma oportunidade. —Suas mãos grandes acariciaram a cintura do menor, circulando o local por debaixo do pijama que com certeza estava marcado por causa da noite anterior.

—Tudo bem. —Deu-se por vencido, aproveitando o afago. —Agora vamos dormir, okay? Ou descansaremos muito pouco até dar a hora de acordar e Gyoon nos mata se ele notar qualquer sinal de cansaço.

—Certo. —Concordou o outro, acomodando melhor o corpo para que ficasse mais confortável. —Boa noite, Kang Soohwa.

Yohan, porém, não recebeu uma resposta. Ao contrário disso, sentiu o rosto de Soohwa afundar mais em seu peito e o braço livre puxá-lo mais para perto num meio abraço apertado. Com isso, percebeu que aquela era sua maneira de dizer boa noite sem que precisasse levantar o rosto para ele ler seus lábios.

Com um pequeno sorriso apaixonado, apoiou o queixo no topo da cabeça do mais novo e fechou os olhos, não demorando muito para cair no sono.

Soohwa, por outro lado, ainda não conseguia dormir. Yohan sempre deixava seu coração acelerado, não importava se seus gestos eram simples e corriqueiros ou calorosos demais e até mesmo eróticos. Da cabeça aos pés, seu ex-chefe e dono da cafeteria Goyo tinha o poder de deixar-lhe eufórico com muito pouco.

Mesmo quando apenas se encaravam, olhar para aquele par de olhos negros e brilhantes fazia com que o tempo parasse e nada mais importava. Um mar de sentimentos invadia seu peito e ele se sentia flutuando em sua direção, mergulhando direto para seus braços grandes e acolhedores.

Às vezes sentia vontade de gritar para o mundo inteiro que Yohan era dele. Seu namorado, todo seu. Já não se importava mais sobre o que as outras pessoas iriam dizer ou o que elas pensavam sobre o assunto, o que realmente importava era que ele estava ali ao seu lado lhe dando todo o amor do mundo. No entanto, contentava-se apenas em sentir seus lábios em todo o seu corpo e rosto, sussurrando palavras belas em seu ouvido, causando-lhe todos os tipos de sensações mágicas e afetivas.

Deixou sua mente viajar para momentos passados, como quando o conheceu através daquele pequeno incidente e de quando conseguiu o emprego no café. Lembrou-se do dia que descobriu que Yohan era surdo e do instante em que ouviu sua voz pela primeira vez e sentiu os impactos que elas causavam em seu corpo. Recordou das coisas que passaram juntos, de quando deram o primeiro beijo e do pedido de namoro. Por mais que algumas daquelas coisas não tivessem acontecido de maneira convencional, era especial do mesmo jeito.

Queria levantar o rosto e dar um selinho no canto de seus lábios antes de se entregar ao mundo dos sonhos, mas preferiu não se mexer. Não queria acordá-lo mais uma vez, por isso se sentiu satisfeito em apenas beijar o peito coberto pela blusa do pijama, poucos segundos depois voltando a se aninhar ao corpo quentinho. Precisava adormecer logo se quisesse aproveitar bem sua festa de aniversário. Afinal, muita gente viria para o café no final da tarde. Oh Gyoon levaria Cha Jihye com ele, enquanto Hye-Young e Hey-Young confirmaram presença por mensagem —o que renderia muitas fotos —. Já Koo Hyunho não dera certeza, mas Soohwa torcia para que ele fosse. 

Por fim, já amanhecia quando finalmente conseguiu dormir de novo. Os pássaros começavam a cantar timidamente ao se amontoarem lado a lado nos fios da rede elétrica e o sol aparecia alaranjado no horizonte. Por sorte as cortinas eram grossas e faziam um ótimo trabalho ao impedir que boa parte da luminosidade entrasse no cômodo.

Horas mais tarde foi possível contemplar uma bela visão de uma rua tomada por pétalas de cerejeira, jogadas pelo vento nas calçadas e nas beiradas das ruas. Considerou como um belo presente de aniversário. Uma paisagem de beleza simples e pura da qual Soohwa teve a oportunidade de apreciar ao lado daquele que era e seria para sempre todo seu.



Quero apenas cinco coisas...

Primeiro é o amor sem fim

A segunda é ver o outono

A terceira é o grave inverno

Em quarto lugar o verão

A quinta coisa são teus olhos

Não quero dormir sem teus olhos.

Não quero ser... sem que me olhes.

Abro mão da primavera para que continues me olhando.


Pablo Neruda








Notas Finais


Espero que tenham gostado da história!! Eu não sou muito boa com finalizações, mas espero que tenha sido do agrado de vocês. 💕

Pra quem chegou aqui caindo de paraquedas, resolveu continuar lendo e não conhece a história eu recomendo muito!! O casal principal é muuuito fofo e a história é envolvente (sem contar as cenas hot hehe 😏).

Pra quem já conhecia, meus "AI MEU DEUS BORA SURTAR JUNTES PQ ESSA EH MINHA COMIC FAVORITA!!!" AISJSKJS

Enfim, é isso, gente, espero que tenham gostado e, se quiserem, comentem o que acharam!! 💕

Um beijo e até a próxima! ♡

P.S.: https://youtu.be/Z0S3knWIdrY (link da música pra quem quiser c:)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...