1. Spirit Fanfics >
  2. All My Heart >
  3. Brigas part. II

História All My Heart - Capítulo 12


Escrita por: e FelippeSykes


Capítulo 12 - Brigas part. II


(Sasuke):

Agora estava na sala assistindo televisão, assistia Muay thai na televisão, enquanto bebia um pouco de cerveja, assim que a luta acabou, eu fui dormir, estava morto de sono, e tinha planos de visitar a minha filha de manhã, eu sei, eu tinha dito, que iria me afastar da Sarada e da Sakura, mas eu acho que não iria conseguir, até porque eu tinha aceitado assumir a paternidade da pequena.

De manhã, eu levantei e tomei meu banho, vesti uma blusa preta e depois uma blusa xadrez, vesti uma calça jeans e fiquei me olhando pelo espelho, agora eu tava conseguindo dormir, e minhas olheiras, estavam melhorando, pensei em cortar o cabelo, tirar aquela franja ridícula da minha cara, eu estava parecendo um emo.

_ Pra quem está se vestindo, como o Dênis Stoff. – Brinquei comigo mesmo, enquanto olhava pro espelho.

Eu então cair sentado na cama, eu estava com vergonha de aparecer lá, eu tinha sido um otário, e por isso eu remoía por dentro.

Olhei pra minha janela e vi a janela do quarto dela, por alguma coincidência nossos quartos era um de frente pro outro, e então eu sorrir, eu amava a Sakura demais.

Sair de casa, não queria mais voltar pras empresas Uchihas, por isso resolvi ir pro meu plano B, por isso fui visitar um amigo que eu não via há anos o nome dela era Suigetsu, ele trabalhava numa gravadora, fora que fazia parte de uma banda, a gente conversava enquanto ele arrumava os discos.

— Cara, nem sabia, que o Naruto estava de volta.

— É. Seria boa uma reunião.

— E seu pai? Ele vai ficar puto, se souber.

— Não ligo mais pra ele, pra falar a verdade, nunca quis trabalhar naquela empresa, na real, eu tô pensando em sair de lá.

— O Sai também sumiu.

Suigetsu não sabia nada sobre a sacanagem que o Sai e a Ino, tinham feito comigo, e pra falar a verdade, resolvi nem contar.

— Pois é, outro que sumiu foi o Kakashi.

— Ah esse aí virou empresário, de uma girlband da capital.

— Kakashi?  Sério mesmo? – Perguntei rindo.

Kakashi era o mais brutal da gente, por isso eu não acreditava no que o meu amigo contava.

— Aposta quanto que ele, tá comendo alguma mina dessa banda? – Ele me perguntou.

— Pra um hardcore virar empresário, de uma girlband? É claro que tem mulher nesse meio! – Eu falei e a gente deu risada.

— E então, vai fazer o que da vida brô?

— Bater de frente com os coroas, e seguir o meu sonho.

— E aí, estamos precisando de vocalista, você quer entrar na banda?

— Quero. – Respondi sem pensar duas vezes.

— Vai ser bom te ter de volta, brô.

— Qual o nome da banda? – Perguntei.

— Black Death.

— Nome legal hein? Gostei.

— Nossa próxima reunião, será segunda-feira às sete da manhã e eu aproveito e te apresento aos os caras.

— Feito.

Eu então fui embora, e comprei algumas roupas novas pra mim, estava cansado de ter que andar de terno como meu pai me obrigava e depois fui pra casa.

Quando era umas seis da tarde, a campainha da minha casa tocou e eu abri a porta, e lá estava ela:

— Oi. – Ela falou envergonhada.

— Oi. Entra.

— Não, é um assunto rápido.

— Tá.

— Então a minha mãe acha que como você vai assumir a paternidade da Sarada, amanhã ela quer que você almoce lá em casa com a gente.

— Tudo bem então, vou lá, e a Sarada sabe?

— O que é que aquela menina, não sabe Sasuke-kun?

A gente riu e depois nos abraçamos e eu disse:

— Estarei lá cedinho.

A gente se afastou e ficamos nos olhando, e me deu uma vontade insana de beijá-la, mas não fiz, afinal ela abaixou o rosto e me disse:

— Até amanhã então?

— Até amanhã.

Eu entrei em casa enquanto ela ia embora, e disse pra mim:

— Caraca Sasuke...

(Sakura):

Eu percebi que ele tinha intenção de me beijar, e confesso que também queria beijá-lo, mas eu estava namorando, e mesmo que o Gaara tivesse me batido ontem, eu não poderia traí-lo, aquilo era errado.

— O que estava fazendo lá a essa hora?

Olhei pra trás e vi o Gaara, ele me olhava de forma irritada e vi que ele apertava a mochila com força.

— Fui chamar o Sasuke-kun pra passar o domingo com a gente, agora que ele vai assumir a Sarada, ele tem que ficar mais próximo dela.

— Aham tá, Sakura posso ser novo, mas não sou trouxa, eu vi que vocês dois quase se beijaram.

— Você viu errado Gaara. A gente só se abraçou.

Eu virei às costas pra ele, mas ele segurou meu braço com força e me disse:

— Epa, a gente ainda tem que conversar.

— Sobre o quê? Aquele tapa que você me deu? Seu covarde.

—Eu só não quero o Uchiha por perto.

— Mas ele vai estar, que droga Gaara, eu tenho uma filha com ele, e mesmo se ele não assumisse a paternidade da Sarada, eu ainda estaria conectada a ele graças à existência dela.

— Sakura...

— Olha Gaara, eu gosto de você, e quando começamos a namorar, você sabia que estava namorando uma mulher com um filho.

— Eu sei.

— Confia mais em mim, por favor.

Ele não me respondeu, apenas apertou mais forte o meu braço:

— Gaara... Me solta, ou eu vou gritar...

— Você não teria coragem. – Sentir algo diabólico em sua voz e por isso me arrepiei.

(Sasuke):

Eu tinha voltado pra minha televisão, estava passando um filme de ação massa, até que ouvi uns gritos lá fora, e percebi que era a Sakura e sair feito um louco, e vi aquele ruivo pela-saco apertando o braço dela.

— Larga ela, seu pela-saco. – Disse enquanto dava uma voadora naquele cara, que acabou caindo no chão.

— O que tá acontecendo? – Naruto perguntou.

— Esse imbecil estava apertando o braço dela! – Eu respondi ao meu velho amigo, enquanto aquele ruivo levantava.

— Por que você vive se metendo em assuntos familiares, que não são da sua conta? – Gaara me perguntou, e eu lhe dei um murro na boca.

— Tecnicamente eu sou da família, afinal eu tenho uma filha com a Sakura, e você hein? Tem o quê?

— Seu... Desgraçado...

Gaara tentou me dar um murro, mas desviei, fazendo com que eu ficasse atrás dele, e em seguida, lhe dei um mata leão, e disse:

— Sou faixa preta em karatê, e de vez em quando eu luto muay thai, quer mesmo brigar comigo?

Eu estava possuído pelo ódio, até que eu ouvi a voz da minha filha:

— Papai solta o tio Gaara.

Eu o soltei e disse em seu ouvido:

— Agradeça a Sarada, porque na próxima você vai estar morto.

Sair de trás dele e passei a ficar do lado da minha ex que por sinal estava chocada, todos estavam em silêncio, olhei pra Sakura e vi algumas lágrimas silenciosas, apertei minha mão e mordi meu lábio ao vê-la assim, agora eu entendia do porquê ela ter ido embora e não ter me dito nada.

— Acabou... Sabaku No Gaara. – Coloquei minha mão direita em seu ombro, e a abracei quando vi que ela passou a chorar alto.

— Não! Não acabou, pode soltando esse cara!

— Cala a boca Gaara, rala daqui, não ouviu minha irmã não? – Naruto gritou.

Ele ficou de frente ao Gaara, e o ruivo disse:

—Vai me bater também?

— Não me provoca... Não estou muito amigável... Agora vaza daqui e esquece a gente.

Naruto deu as costas e o Gaara o chutou, quando pensei em soltar a Sakura, pra voltar a brigar, Naruto se levantou e lhe deu um murro no rosto, fazendo com que o ruivo caísse no chão, ele colocou seu pé esquerdo no peito do Gaara e falou:

— Não é só o Sasuke que é faixa preta, eu também sou, nós estudamos lutas marciais juntos.

Olhei pra dona Mebuki, ela estava com a Sarada no colo, a sorte era que a minha filha não estava vendo nada, afinal minha ex-sogra segurava a cabeça da minha filha, certamente pra ela não virar e ver aquela violência toda.

— Você não ouviu o Naruto, garoto, vai embora. – Senhor Kizashi falou e Gaara deu as costas e foi embora.

— Você está bem?

— Sim... Obrigada.

A gente entrou na casa dela, e dona Mebuki deu água com açúcar pra Sakura, afinal ela ainda estava tremendo.

 

 

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...