1. Spirit Fanfics >
  2. All night long - Tomarry >
  3. 6.6

História All night long - Tomarry - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Quero deixar claro que não gosto de Belatrix, então ela não será uma personagem boa aqui. Ela ama loucamente Voldemort, e fará qualquer coisa para estar com ele.

Aproveitem mais um capítulo, lembrando que eu realmente não reviso os capítulos. 💓

Capítulo 6 - 6.6



Harry se remexeu sonolento na cama. 


Ele estava realmente satisfeito pela soneca, pois seu corpo não dava indícios de que iria despertar tão cedo. 


Voldemort por outro lado, tinha convidados para encontrar, e ele precisava de Hadrian para isso.


Justamente por isso, o homem escuro estava escorado na porta, enquanto observava o gestante dormindo confortavelmente.


Por mais que ele não quisesse perturbar o portador do seu filho, o lorde das trevas tinha que apresentar o próprio para os seus convidados. 


Já prevendo uma dor de cabeça, o homem mais velho se aproximou do garoto de olhos verdes. 


Hadrian, preciso que você acorde. - Voldemort balançou o ombro de Harry, tentando ser “gentil” com a abordagem.


Longos cílios escuros tremularam, e se abriram, mostrando duas lindas esferas esverdeadas. Ao contrário do lorde das trevas, Harry sempre teve um sono leve - tudo graças aos falsos parentes do menino. 


Harry se ajeitou entre os travesseiros, e coçou os olhos. 


Que horas são? - o gestante perguntou bocejando.


Voldemort tentava não olhar o menino, mas ele era realmente adorável quando acordava. Seu rosto pequeno e agradável, estava amassado e seus cabelos estavam um pouco bagunçados. 


Falta dez para as sete, vá se arrumar, temos que receber os Malfoy. - o homem mais velho responde encarando o herdeiro Sayre deitado na cama.


Harry gemeu em desgosto. 


Sua cama estava tão quente e agradável, parecia o chamar para mais um tempo de sono. Ele realmente não queria sair dali. 


Não estou aberto para negociações. Irei ao meus aposentos trocar de roupa, quando retornar, espero ver você arrumado. - Voldemort responde rude, e sai do quarto. 


Hadrian encarou o teto por alguns minutos e suspirou. 


Voldemort estava irritado. O gestante não gostava quando o lorde estava bravo, pois o homem o ignorava e fingia que o mesmo não existia. 


E harry queria a atenção do lorde em si, de alguma forma incomodava que o outro não estivesse consigo e muitos menos não o convidava para o escritório. Entretanto a culpa não era inteiramente sua, porque Voldemort realmente tinha pouca paciência, óbvio que ele se irritaria facilmente.


Vamos lá, banho agora. - Hadrian murmurou pra si mesmo.


O de olhos verdes se levantou da cama e foi em direção ao banheiro. 


Harry foi até a banheira e girou o registro, deixando que a água quente enchesse a mesma.


Enquanto enchia, o gestante retirou suas roupas e as colocou no cesto - amanhã já estariam todas limpas, graças aos elfos. 


Assim que ele entrou na banheira, quase pôde adormecer novamente - a água quente o fazia relaxar. Cada progressão da gravidez, harry notou que estava mais sonolento. E aquilo era algo que o preocupava bastante. 


Voldemort tinha prometido que logo na próxima semana, o curandeiro Burns o iria atender e ver se havia algo errado consigo. 


Os jantares na mansão sempre seguiam o mesmo horário - todos os dias às sete e meia - e o lorde das trevas odiava atrasos, principalmente quando era Hadrian que se atrasava. 


Saindo do banheiro, vestido com um roupão macio, ele foi ao armário de madeira escura procurando algo para vestir. 


Sua barriga já aparecia, independente de qual roupa usasse, então muitas das vezes ele usava túnicas. Suas roupas trouxas machucavam sua barriga proeminente, e excluindo as túnicas, as únicas roupas bruxas que ele tinha, eram roupas formais. 


Quando Voldemort, já vestido com uma túnica preta entrou, ele viu Hadrian trançando seus cabelos.


O herdeiro Sayre tinha o cabelo em um tamanho considerável. Não era longo, mas certamente não era logo. 


E o lorde das trevas o achava lindo, quando estava com os cabelos moldados em tranças. 


Está pronto? - a pergunta era simples, e Voldemort não deixava transparecer nenhuma emoção.


Hadrian que estava concentrado no espelho, virou e deu um pequeno sorriso na direção do homem escuro. 


O coração do homem se aqueceu levemente ao ver a forma bonita e jovem do portador. Ele realmente não entendia o que era aquilo que acontecia consigo, toda vez que observava o menino de olhos verdes.


Sim, estou pronto. - Hadrian responde se aproxima.


Voldemort nada comenta e como sempre fazia, colocou uma de suas mãos nas costas do gestante. Aquela atitude inconsciente já era natural, e logo, ambos se acostumaram.


Você acha que eles serão desagradáveis comigo? - Harry pergunta inseguro.


O senhor escuro quase se esqueceu do medo dele. 


Voldemort procurava entender o porque do receio, já que ele não mostrava sua antiga pose da grifinória.


Não. Ambos são do meu círculo interno, e ferir você, seria o mesmo que ferir a mim. - o responde brevemente.


Ambos caminhavam pelo corredor da mansão em silêncio. 


Hadrian parecia pensativo demais com as palavras do outro homem. 


Harry sabia que o único interesse em o manter protegido era por causa do bebê, mas ainda assim, o garoto ficava feliz por pelo menos receber zelo de alguém.


Toda sua vida tinha sido para cuidar dos outros, e nunca recebendo nada em troca. 


Não há com o que se preocupar. Narcisa e você com certeza terão muito o que conversar, ela poderá ajudar você durante a gravidez. - o lorde sussurrou quando estavam próximos da porta.


Hadrian acenou, e suspirou nervoso.


Quando eles entraram, Lucius e Narcisa já estavam sentados na mesa, mas não tinham comido.


Meu senhor. - Ambos saudaram em uníssono.


Voldemort puxou a cadeira para Harry e ele o olhou indignado, mas mesmo assim se sentou contragosto.


Olá, Lucius, Narcisa. Bom revê-los. Presumo que tudo esteja indo como planejado. - o lorde das trevas comenta se sentando. 


Harry timidamente olhou para suas mãos que estavam em seu colo. 


Sim meu senhor. Retirei todos os objetos da família, presumo que o ministério irá para a mansão amanhã de manhã. - Lucius comenta.


O gestante sentiu olhares em si, mas não se atreveu olhar para cima.


Voldemort notou a curiosidade nos olhos cinzentos de do casal, ao ver Hadrian sentado ao seu lado.


Era óbvio que eles sabiam que algo muito grande estava envolvido, visto que seu mestre estava tão íntimo do rapaz bonito. 


Ah, sim. Este é Hadrian, meu consorte e portador do meu herdeiro. - responde Voldemort suavemente.


Os outros presentes arregalaram os olhos, principalmente Harry que não estava preparado para as palavras que saíram do homem.


Hadrian iria matar aquele homem, e ele já pensava em qual método seria melhor, para uma morte dolorosa.


E-er. Felicidades meu senhor, que sua família seja próspera. - Lucius comenta, tentando desaparecer sua expressão surpresa.


Narcisa deu um leve sorriso na direção de Harry, e ele se sentiu mais calmo.


Sua felicitação é muito apreciada Lucius. - o senhor escuro responde.


O pouco que Harry sabia sobre os Malfoy, era que essa família tinha muito para o lorde das trevas. 


Lucius era seu segundo no comando, enquanto Narcisa, assim como Burns eram os curandeiros das tropas escuras. 


Para Voldemort, Draco era apenas um pirralho mimado, mas com certeza, poderia ser moldado para algo melhor.


-Winky. 


A elfa doméstica, que vestia uma roupa verde com o brasão da família Sonserina apareceu.


Sim mestre Sonserina? 


Nos sirva o jantar. 


A elfa apenas acenou, e saiu com um “pop”. Logo a mesa estava cheia e com muita variedade de comida.


Se me permite perguntar, com quantos meses o Lorde consorte está? - Narcisa pergunta alegremente.


Hadrian rapidamente corou com o termo usado por ela.


Ao contrário dele, Voldemort parecia completamente satisfeito.


Eu estou com quatro meses, mas iremos ter uma consulta com o curandeiro Burns para ter certeza. - Harry sorriu levemente.


Narcisa achava o menino bastante adorável, parecia ter a mesma idade de Draco. 


Ela se perguntava como um garoto tão jovem tinha sido amarrado ao Lorde das trevas. Afinal de contas, o homem poderia ter qualquer amante em sua cama, mas nunca antes esteve disposto para assumir alguém e muito menos ter um herdeiro.


A Lady Malfoy, só esperava que aquele rapaz bonito não estivesse sofrendo com o seu mestre. 


Oh, sim. O curandeiro Burns acompanhou minha gravidez, posso dizer que ele é bastante versátil nesse ramo. - ela respondeu satisfeita.


Enquanto comia sua refeição, o lorde das trevas observou a interação entre eles. 


Narcisa poderia ser uma boa companhia para Hadrian, já que ele não estaria o tempo todo na mansão.


Lucius parecia satisfeito por esta nas boas graças do seu senhor. Sabia que o homem estava muito contente com seus trabalhos, e por isso o mantinha no segundo comando.


Assim que todos terminaram o jantar, Voldemort se foi para o escritório com Lucius, deixando a senhora Malfoy e Harry.


Como está sua gestação? Algo novo acontecendo com você? - Narcisa pergunta.


A mulher parecia muito contente em saber sobre seus avanços, para Hadrian ela se parecia quase maternal.


Os enjoos e desejos ainda são constantes, mas o que nos deixou surpresos a umas noites atrás foi que o bebê começou a se mexer. Voldemort parecia em êxtase ao sentir o bebê. - Harry suspirou alegremente fazendo um carinho na barriga.


A mulher Malfoy parecia um pouco surpresa pela confissão do jovem. 


Ela nunca imaginaria o lorde tão sentimental. 


Não se preocupe, no quinto mês os enjoos são quase inexistentes. Mas se for de ajuda, chá de frutas pode ajudar a acalmar seu estômago. - Ela responde depois de beber um pouco de chá.


Hadrian colocou seus pés no sofá e suspirou sonolento. 


Agradeço sua ajuda, vou seguir seu conselho. É bom ter alguém para conversar sobre essas coisas. - ele fala alegremente.


Agora conhecendo a personalidade gentil de Narcisa, o menino de olhos verdes sabia que podia confiar na mulher e quem sabe, até fazer amizade com ela.


Harry adoraria ser amigo dela. Não aguentava mais ficar tanto tempo sozinho na mansão.


E o lorde? Ele te trata bem? - Narcisa perguntou um pouco preocupada.


O lorde das trevas não era um homem fácil de lidar, mas ele realmente era cuidadoso consigo. 


Poderia não existir sentimentos entre eles, mas ambos apreciavam a companhia um do outro em certos momentos.


Hadrian sabia que o homem estava tentando ser uma companhia agradável, então ele não poderia reclamar muito, quando Voldemort o deu muitas coisas.


Não se preocupe. Ele cuida muito bem de mim, depois de muitas coisas que passei, me sinto feliz aqui. - Hadrian lança a ela um pequeno sorriso.


Ainda era difícil para ele, mesmo depois de todos os anos que sofreu nos Dursley.


Voldemort não sabia sobre sua infância, e Harry desejava que permanecesse assim. Pois sabia muito bem o que iria acontecer com seus falsos parentes.


O lorde das trevas era um homem que fazia vingança com suas próprias mãos.


Por mais que eu esteja surpresa com isso, também fico feliz. Nunca vi meu senhor com um desejo de criar uma família, mas vejo que agora será diferente. - Narcisa responde pensativa.


A dama Malfoy não sabia quando o lorde das trevas iria apresentar Hadrian para os comensais, mas ela temia pela vida do Lorde consorte e de seu bebê.


Belatrix sempre tinha sido a amante de cama de Voldemort, e ela não levaria de ânimo leve o que estava acontecendo. 


Narcisa reconhecia que sua irmã não era tão estável como antigamente, ela só rezava para que Bela não cometesse um erro.


O gestante bocejou sonolento, acontecia frequentemente, ele realmente desejava dormir, mas não queria deixar Narcisa sozinha.


Os olhos esverdeados estavam quase se fechando, enquanto o corpo frágil do herdeiro Sayre estava deitado no sofá macio.


Você pode dormir Lorde consorte, irei o acordar quando meu senhor retorna com meu marido. - Ela fala suavemente.


Hadrian sorriu agradecido, se aconchegou no sofá. 


Quando o jovem adormeceu, Narcisa pôde observar atentamente o próprio.


Ele parecia um anjinho adormecido. O rapaz era muito fofo e não tinha um caráter ruim como todos os outros amantes do seu senhor. 


O menino era simples e muito gentil, o lorde das trevas tinha muita sorte de ter Hadrian.


Terminando seu chá, ela viu a porta do escritório ser aberta.


Iremos rever as leis sobre as criaturas mágicas Lucius, mas precisamos convencer Dolores Umbridge a ficar do nosso lado. - Voldemort comenta se aproximando com o Lorde Malfoy.


Assim que chegaram a sala, Narcisa observou que os olhos vermelhos do lorde foram diretamente para gestante, suas esferas cor de sangue transmitiam sentimentos dos quais ela sabia muito bem. 


Acho que está um pouco tarde, irei me retirar com Hadrian para nossos aposentos. - O senhor escuro fala.


Ele pega com cuidado o corpo menor do menino de olhos verdes e sai da sala, com gestante sonolento no colo.


Esse jovem fará bem ao nosso senhor, Lucius. - Narcisa comenta parecendo contente.


Lucius apenas acena, definitivamente as coisas seriam diferentes.


Notas Finais


O que vocês acharam do capítulo?

O lorde das trevas surpreendeu até mesmo Hadrian, quando falou que ele era Lorde Consorte. Vocês acham que ele tem algo em mente quando anunciou isso?

O próximo capítulo será um pouco angustiante, mas prometo que não será nada muito forte.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...