História All Of Me - Emison - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pretty Little Liars
Personagens Alison DiLaurentis, Aria Montgomery, Caleb Rivers, Emily Fields, Ezra Fitzgerald, Hanna Marin, Personagens Originais, Spencer Hastings, Toby Cavanaugh
Tags Alison Dilaurentis, Emily Fields, Emison, Ezria, Haleb, Pll, Romance, Spoby
Visualizações 155
Palavras 3.062
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Finalmente aqui está o capitulo especial. Eu sei que demorei, me desculpem, mas é que eu estava realmente sem tempo.
Esse será o ultimo capítulo de All Of Me. Agradeço a todos que acompanharam a fanfic, e todos que estavam sempre comentando.
Eu estou começando outra fanfic com uma grande amiga minha, a fanfic também será sobre Emison ( porém terá outros casais ) e será um pouco diferente dessa. Se vocês puderem, passem lá e leiam. Espero que vocês gostem assim como gostaram dessa fanfic. A fanfic se chama I Won't Give Up, leiam, por favor.

LEIAM AS NOTAS FINAIS, POR FAVOR.

Capítulo 31 - The End.


Um ano depois..

Exatamente uma semana depois da prisão de Brandon e Stella, Alison retornou à sua casa, pegando de sua surpresa toda sua família e amigos que estavam ali reunidos.

Alison realmente sofrera o acidente, mas logo após Stella deixar o local achando que a loira estava morta, a mesma recuperou a consciência. Saiu do carro e se escondeu na floresta, antes que o seu carro pegasse fogo. Ela sabia que Brandon tinha causado o acidente junto com Stella, mas sua intenção não era de mata-la, era de matar Emily. Alison então resolveu esconder-se até que Brandon e Stella fossem presos, mais uma vez ela estava disposta a se afastar de todos que amava para protege-los.

Enquanto estava na floresta, de longe a loira pôde ver todo o desespero de sua amada e o sofrimento de seus amigos. Por mais que aquilo lhe partisse o coração ela sabia que seria o melhor a ser feito uma vez que Brandon jamais desistiria de acabar com sua vida ou com a vida daqueles que ela amava. Agora que ela estava supostamente morta, Brandon não iria atrás de Emily ou suas amigas, ele já tinha cumprido o seu plano de vingança.

Flashback on

Estavam todos na sala da casa que agora voltara a ser de Alison. A loira estava sentada no sofá, com sua filha em seu colo e sua noiva ao seu lado, a abraçando. Seus amigos estavam a sua frente, e assim ela contou como tudo aconteceu naquela noite. Após terminar percebeu que alguns de seus amigos estavam com lágrimas em seus olhos, Emily a apertava mais forte, como se não fosse mais solta-la.

— Eu sempre soube que você não estava morta, Ali. – Hanna sorriu ainda com os olhos marejados, segurando a mão da amiga. Alison retribuiu o sorriso.

— Durante esses meses Hanna foi a única que insistia na teoria louca de que você estava viva. – Spencer confessou. — Não nos entenda mal, mas vimos aquilo de anos atrás se repetindo. – A morena suspirou.

— Com uma diferença; vimos o seu carro pegando fogo, Ali. – Aria falou com lágrimas em seus olhos, lembrando-se da cena. — Do jeito que o carro estava era quase impossível você estar viva. E tínhamos Emily para apoiar, a história se repetia e de nós, ela era a que mais sofria, e dessa vez com uma eterna lembrança sua. – A baixinha direcionou seu olhar para Avery, que dormia abraçada à sua mãe.

 

Alison olhou para a filha e deu um sorriso fraco, se lembrando do quanto tinha sido doloroso para ela se afastar da filha e de todos aqueles que ela amava. Ela olhou para Emily e apertou forte sua mão, a morena a olhou com um sorriso fraco em seus lábios.

 

— Me desculpe, babe. – Alison encostou sua cabeça na de Emily e a morena apenas balançou a cabeça de forma positiva, dando um beijo na bochecha de sua amada. Emily não conseguia acreditar que sua noiva estava realmente viva, e estava novamente em sua casa. Em seus braços.

— Vocês deveriam aprender a não duvidar de mim. – Hanna falou. — Estão me devendo um pedido de desculpas por todas as vezes que me chamaram de louca. – A loira deu de ombros, com um breve sorriso. Alison a olhou e sorriu.

— Você está certa. Nos desculpe por te chamar de louca quando você tinha razão sobre a Alison estar viva, banana. – Spencer falou e Aria apenas concordou.

— Tudo bem. – Hanna sorriu e se virou para Alison. — Eu só vou acreditar que você morreu quando eu ver o cadáver e o reconhecer. Afinal, você é quase imortal. – Falou rindo, tentando descontrair suas amigas. Todas deram risos baixinhos.

— Imortalidade não existe, Hanna. – Spencer falou, apenas para implicar com a amiga.

— É claro que existe. A prova disso é a Alison! – Hanna se defendeu. — Alison foi enterrada viva e sobreviveu. Sofreu um acidente quando estava grávida e sobreviveu. E agora mais esse acidente. Se isso não é imortalidade, é o que? – Hanna se virou para Spencer que deu de ombros. Nem mesmo Spencer Hastings tinha uma explicação para a sorte que sua amiga tinha. Se é que isso poderia ser chamado de sorte. — Eu quero essa receita da imortalidade, hein? – Hanna falou para Alison, que riu junto com suas amigas. Hanna sempre conseguia deixar o ambiente mais leve, estava sempre tentando animar suas amigas, por mais difícil que fosse a situação.

Flashback off

 

Aos poucos as vidas de Alison e Emily foram voltando ao normal, ao mesmo tempo que planejavam seu casamento que estava cada dia mais próximo.

•••

Todos os convidados já estavam ocupando seus respectivos lugares. Emily já se encontrava ao lado do altar, usava um lindo – e curto  vestido – branco rendado e seus cabelos estavam soltos, como sempre, o excesso virado para o lado esquerdo.
A morena se encontrava mais ansiosa do que nunca, ainda sem acreditar que tudo aquilo era real. Ela estava finalmente se casando com o amor de sua vida.
 

— Você vai acabar desmaiando se não se controlar. – A voz de Aria soou quase como um sussurro. Ela parou ao lado de Emily, deixando sua mão no ombro da morena.

— Não consigo me controlar. – Emily mordeu o lábio, nitidamente nervosa. — Ela está demorando.

— Primeiro, pare de morder o lábio. Alison não vai querer te beijar se estiver com gosto de sangue na boca. – A baixinha soltou uma pequena risada, fazendo Emily revirar os olhos e respirar fundo. — E segundo, atrasos são normais, principalmente com Alison. Você deveria saber. – Emily apenas assentiu.

— Escute, se eu desmaiar ou coisa assim, diga que minha resposta é sim, ok? – Emily falou em um tom de brincadeira, tentando descontrair. Aria riu, assentindo. — Não está na hora? – Emily perguntou segundos depois, novamente mordendo o lábio.

— Emily! – Aria a repreendeu. — Quando Alison chegar, você irá reconhece-la. – Aria sorriu para a amiga. — Acho que ela é que não vai reconhecer você. Afinal, quantas vezes na sua vida você usou um vestido? – Zombou da amiga que apenas revirou os olhos como resposta.

— Eu ainda mato você, gnoma. – Emily fez uma careta para amiga, que ainda ria.

— Você já está pegando os costumes da Alison. – Revirou os olhos. — Cuidado, Fields. – Aria sorriu para a amiga e caminhou calmamente para o lado de Spencer.

 

No mesmo instante a música Every Breath You Take começou a tocar, anunciando a chegada de Alison. Emily sentiu seu corpo congelar, olhou para o início do corredor de rosas. Todos os convidados se levantaram, olhando na mesma direção que Emily. E então a morena pôde ver o quanto sua amada estava linda.

Alison entrou de braços dados com Jason. A loira vestia uma blusa branca curta e sem manga, a barriga à amostra e uma saia com calda longa também branca, seus cabelos estavam soltos e cacheados. Alison se aproximou lentamente de Emily e pôde perceber que a morena já chorava emocionada. Emily foi incapaz de tirar os olhos de Alison até que finalmente a loira estava ao seu lado. Jason então deu um beijo na testa da irmã e em seguida repetiu o ato, dando um beijo na testa de Emily seguido de um aperto de mão. A morena sorriu em agradecimento.

Em seguida, entrou Avery e Alice. –As pequenas tinham dois anos e um ano e meio, respectivamente. – Estavam com vestidos iguais, na cor amarelo bebê e uma coroa de flores na cabeça. Avery estava um pouco tímida, era perceptível que a pequena estava corada com tantos olhares sob ela. Alice não se importava com tais olhares, talvez não tenha percebido por ser nova demais, ou simplesmente puxara à mãe. Na mão elas seguravam uma pequena almofada vermelha, cada uma com um anel em cima. Alison e Emily ficaram encantadas ao ver as pequenas, os olhos das duas estavam incrivelmente azuis e lindos sob a luz do sol. Chegaram perto das noivas, que se abaixaram e deram um beijo em cada uma das crianças. Avery entregou o anel para Emily e Alice para Alison.


•••

 

A festa iniciou, inicialmente uma banda tocou durante toda a tarde. Alison e Emily cumprimentaram todos os convidados, sentiam-se extremamente completas. Tinham acabado de realizar o sonho de suas vidas.
Avery que até então estava sendo cuidada por Sammy, se aproximou das mães, puxando levemente a saia de Alison para chamar sua atenção. A loira a olhou e sorriu, pegando-a no colo em seguida. Sammy logo apareceu a procura da pequena.

 

— Hey, aconteceu algo pequena? – Emily perguntou aproximando-se da filha e acariciando seus cabelos loiros e levemente cacheados. A pequena logo encarou a morena.

— Tia Han disse que vocês vão me dar um irmãozinho. – Um sorriso enorme se formou no rosto da pequena. Alison e Emily se entreolharam confusas enquanto Sammy segurava o riso. — É verdade? – Os olhos de Avery brilhavam. Alison mordeu o lábio visivelmente nervosa e Emily deu uma pequena risada.

— Ainda não, princesa. – Emily finalmente falou. Ao ouvir as palavras da mãe Avery logo fez um bico. Alison não conseguiu conter o riso.

— Mas eu queria um irmãozinho, mommy. – Alison apertou a filha em seus braços, a enchendo de beijos.

— Eu e a sua mamãe prometemos que vamos pensar nisso, não é? – Emily olhou para Alison e Avery rapidamente fez o mesmo. A loira assentiu, com um sorriso em seus lábios. Ela realmente não achava que seria uma má ideia dar um irmão para Avery. Ela queria aumentar a família. — Agora, que tal você ir falar para sua tia Hanna parar de inventar besteiras? – Emily fez cócegas na filha e a pequena riu. Sammy a pegou no colo e fez menção de sair, até que se virou novamente para Alison.

— Ali, estão chamando você ali no palco. – Sammy sorriu. Emily a olhou confusa e antes que Alison pudesse sair, ela segurou em seu braço.

— O que está aprontando? – Emily perguntou com um leve sorriso.

— Nada. Só estou cumprindo com a promessa que te fiz algum tempo atrás. – Alison se desvencilhou da morena.

 

A loira seguiu até a banda, sentia-se um pouco nervosa. Não estava acostumada à cantar em público, mas sempre sonhou com aquele momento. Se posicionou na frente da banda e pegou o microfone, viu que logo à sua frente estava Emily e Sammy com Avery em seus braços, a pequena encarava a mãe com certa curiosidade. Logo suas amigas se aproximaram, apenas Hanna sabia o que estava prestes a acontecer. Assim que a música começou a tocar, Alison fechou os olhos e respirou fundo, cantando All Of Me - John Legend em seguida.
Emily sentiu seu coração se aquecer ao ouvir sua amada cantando aquela música. Aquela música era especial para elas, Emily sempre lembrou de Alison ao ouvi-la.

 

‘Cause all of me

(Porque tudo de mim)

Loves all of you

(Ama tudo de você)

Love your curves and all your edges

(Ama suas curvas e todas as suas bordas)

All your perfect imperfections

(Todas as suas imperfeições perfeitas)

Give your all to me

(Dê o seu tudo para mim)

I’ll give my all to you

(Eu vou dar meu tudo para você)

You’re my end and my beginning

(Você é o meu fim e meu começo)

Even when I lose I’m winning

(Mesmo quando eu perder eu estou ganhando)

‘Cause I give you all of me

(Porque eu te dou tudo de mim)

And you give me all of you

(E você me dá tudo de você)

 

Seus olhos logo se encheram de lágrimas e Emily não conseguiu segurar seu choro. Chorou de felicidade e de emoção. Ela acabara de se casar com a mulher que sempre amou, após todas as dificuldades e todos os desencontros elas finalmente tinham uma família e Emily não poderia estar mais feliz.

Após cantar, Alison deixou que as lágrimas que ela tanto evitava, descesse por seu rosto. Ela foi de encontro com Emily, abraçando-a fortemente. A morena a acolheu em seus braços e a levantou, girando com a loira que estava com os braços em sua nuca. Emily colocou Alison no chão e finalmente a olhou, seus olhos azuis tinham um brilho especial, ambas sorriram.

 

— Por Deus, o que foi aquilo? – Emily tinha um grande sorriso em seu rosto. Sua testa estava encostada a de Alison que também sorria.

— Eu prometi que iria cantar essa música em nosso casamento, você se lembra? – Emily assentiu e a beijou apaixonadamente, a abraçando em seguida.

 

Ficaram assim durante um tempo, mas logo voltaram para a festa onde também não demoraram tanto tempo, elas precisavam descansar, logo embarcariam à caminho de Paris. Decidiram que seria melhor deixar Avery em Rosewood, a pequena ficaria alguns dias com Pam e outros com suas tias que iriam revezar para cuidar da pequena que alegrava a vida de todos à sua volta.

•••

Emily e Alison já estavam no avião que logo pousaria em Paris, a cidade tão amada pelo casal. Alison dormia tranquilamente nos braços de Em, a morena estava com os braços em volta de Alison, que apoiava sua cabeça na curva do pescoço da morena.

Para Emily, tudo aquilo parecia um sonho, sentia-se infinitamente abençoada por tudo que estava acontecendo em sua vida. Enquanto fazia carinho em sua esposa, era inevitável não lembrar do primeiro beijo das duas. Onde Emily começou a sentir que Alison poderia sentir algo por ela, mesmo que tivesse demorado anos para admitir.

 

Flashback on

Emily estava na biblioteca, e apesar de achar que nunca a encontraria naquele local, estava quase certa de que as risadas que ouvira à pouco pertenciam a Alison DiLaurentis. A morena caminhou entre as estantes cheias de livros. As risadas tornaram-se mais altas, arrancando um sorriso espontâneo da morena. Seus olhos finalmente a encontraram. A loira estava sentada no chão da biblioteca, em suas mãos estava o livro "Grandes Esperanças" de Charles Dickens, livro que ambas tinham que ler para a aluna de inglês. Por conta dos treinos, Emily ainda não havia acabado de ler.

 

— O que é tão engraçado? – A morena perguntou a tirando de seus próprios pensamentos.

Alison desviou seus olhos do livro, olhando para Emily. A morena sorriu com o simples olhar de Alison. A loira sempre teve esse efeito sob ela.

— Os nomes deles. Pip, Sr. Woples, Tio Pumblechook. – A loira falou. — Parecem nomes de bichos de pelúcia. – Falou arrancando uma risada de Emily.

— Não acredito que você acabou de ler. – Alison pôde perceber o quão orgulhosa Emily estava, a morena levou uma mexa de seu cabelo para trás da orelha. Estava tímida, nunca sabia como agir na frente da loira. Emily se aproximou lentamente, sentando ao seu lado.

— Quer que eu te conte o que acontece? – A loira perguntou, encostando a cabeça levemente contra os livros que estavam na estante atrás dela. Seu sorriso ficou mais radiante, dando espaço para as covinhas em seu rosto. — Posso te fazer um resumo. – Voltou a falar. E antes que Emily pudesse responde-la, Alison voltou a falar novamente. — Você devia me deixar trançar o seu cabelo qualquer dia.. – Disse passando os dedos levemente pelos cabelos escuros da morena. Aquele simples toque foi o bastante para que o coração de Emily disparasse.

Emily respirou fundo, procurando uma forma para mudar de assunto.

— Na noite passada eu sonhei com a Jenna. – Confessou a morena. O sorriso de Alison logo desapareceu e ela rapidamente respondeu.

— Emily, não. –  Balançou a cabeça de forma negativa.  — Pare de pensar nisso. Existem cirurgias e coisas que ela pode fazer. – Tentou convencer a morena, embora Emily ainda se sentisse mal pelo que aconteceu com Jenna.

— Sonhei que ela voltava e que estava bem.  – Emily tinha um lindo sorriso em seu rosto. Um sorriso que Alison amava, mesmo que a morena não soubesse. — Ela podia ver perfeitamente e nos perdoava. – Emily concluiu. Queria mesmo dividir com Alison sobre seu sonho. Acreditava que poderia ser um tipo de visão futura, já que era perfeito e incrivelmente real.

 

Alison sorriu docemente.

 

— É por isso que eu amo você. – Falou fazendo o coração de Emily bater ainda mais rápido. Se é que aquilo era possível. — Você é ótima em finais felizes. – Continuou falando, com aquele lindo sorriso. — E Dickens também.. – Deu um breve suspiro, voltando sua atenção por alguns segundos para a página do livro e então voltou a encarar a morena. Emily sentiu como se aquele olhar pudesse ler todos os seus segredos. — Pip fica com Estella. Posso ler para você? – A morena simplesmente balançou a cabeça de forma positiva. — "I loved her against reason, against promise, against peace, against hope, against happiness, against all discouragement that could be.." – Suas palavras doces fizeram Emily se arrepiar e por um instante, Emily imaginou que Alison estivesse lendo aquilo para ela. De verdade. Como se não fosse um trecho de um livro e sim palavras que vinham do coração da loira.

 

Emily ficou encarando os lábios de Alison, o jeito como se mexiam conforme cada palavra era dita.

 

— Já chegou nessa parte? – Alison perguntou. Emily assentiu.

 

Sem pensar, ela aproximou-se lentamente da loira. Como Alison não se afastou, Emily tomou coragem para beija-la. Os lindos olhos azuis ainda encaravam Emily quando ela fechou os seus e finalmente sentiu seu lábio tocar o de Alison. Mesmo que o beijo tenha durado apenas alguns segundos, foi tempo o suficiente para Emily sentir seu corpo inteiro arrepiar. Seu coração batia cada vez mais rápido. Os lábios de Alison eram doces, tinham gosto de morango, e quando se afastaram, aquele gosto permaneceu na boca da morena, assim como a sensação de ter finalmente beijado Alison DiLaurentis.

Alison e Emily se encararam, e então Alison baixou seu olhar, segundos depois olhou para Emily e sorriu, retribuindo o sorriso da morena. Emily passou o resto do dia pensando no que aquilo significava. Alison tinha gostado do beijo?  Havia odiado, mas tinha pena de Emily? Que ela achava Emily uma estranha por te-la beijado?

Apesar de todos os pensamentos, Emily só conseguia pensar como era bom estar tão próxima de Alison. Emily queria beija-la para sempre.

Flashback off

 

Emily então se lembrou mais uma vez das palavras de Alison.

 

"I loved her against reason, against promise, against peace, against hope, against happiness, against all discouragement that could be."

("Eu a amava contra a razão, contra a promessa, contra a paz, contra a esperança, contra a felicidade, contra todo o desencorajamento que existe.")

 

Se ela havia falado aquilo para Emily, de verdade. A morena não sabia. Mas hoje, tinha certeza de que aquela frase representava seus sentimentos por Alison.
Desde o início.


Notas Finais


Vocês gostaram? Me desculpem se não ficou bom, eu sou péssima com finais e com coisas românticas, mas como vocês me pediram muito, eu tive que trazer a Alison de volta. (Não, ela não ia voltar.)

Depois de pensar muito, resolvi que se vocês quiserem eu posso fazer uma 2ª temporada de All Of Me. E dessa vez, vocês decidem como será a história. Se vocês quiserem a segunda temporada, podem deixar sugestões nos comentários, ou até mesmo me mandar mensagem aqui no Spirit ou na DM do Twitter ( @Bea_LoveSashay)

Enfim, espero que tenham gostado, eu amo muito vocês. 💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...