1. Spirit Fanfics >
  2. All of Me - Romione >
  3. Início de uma Guerra

História All of Me - Romione - Capítulo 13


Escrita por:


Notas do Autor


Oi, gente! 😊
Tudo bem? Há quanto tempo... 😅

Bom, escolhi essa fanfic hoje para falar sobre algo específico. Todos sabem que estamos passando por algo muito complicado, que é essa história do novo CoronaVírus, COVID-19. Eu trabalho na parte administrativa em uma cooperativa de saúde, dentro de um Hospital, as coisas estão muito feias, alguns setores estarão sendo afastados a partir do dia 23, dentre eles o administrativo, com a volta prevista para o dia 06/04. Creio que vocês já devem ter visto maneiras de prevenção nos Jornais de Tv, Redes Sociais, Rádios, entre outros. Em minha cidade ainda não há casos confirmados, mas não para de chegar suspeitos no Hospital, e eu me sinto na obrigação de bater na tecla de prevenção.
Então vamos lá:

1: Lembrem de sempre lavarem as mãos com água e sabão.
2: Evitar lugares aglomerados.
3: Tossir ou espirrar em seu braço/cotovelo.
4: Para os que também estão sendo afastados de seus serviços, saírem apenas se for necessário.
5: Andar com frasco de Álcool Gel, ou passa-lo assim que chegar em locais que o tenham.

Lembrando que, os sintomas do COVID-19, são os mesmos que Gripes ou Resfriados.

Fiquem vivos, se protejam e façam sua parte. Lembrando que a maior faixa etária de risco são os idosos, vamos nos cuidar para que eles não sejam infectados, pois são humanos como a gente e merece toda a qualidade de vida possível.

Agradeço pela atenção até aqui.

Se quiserem complementar ou comentar algo que eu tenha esquecido ou compartilhar algo que saibam, fiquem a vontade 😊

Boa leitura ❤

Capítulo 13 - Início de uma Guerra


Seu reflexo no espelho do banheiro de hóspedes da casa de Draco mostrava suas olheiras roxas e escuras por ter passado a noite em claro. Faziam-se dias que mantinha um papo legal com Lilá Brown, a enfermeira. E bom, meio que estava na hora de chama-la para sair, mas ele não sabia que ela o levaria para uma balada logo após o plantão que terminou a meia noite. Quando chegou no apartamento era quase quatro horas da manhã e se arrependeu assim que fez contas mentalmente e descobrir que teria apenas cinco horas de sono até o próximo plantão. Onde ele estava com a cabeça? E essa nem foi a pior. O pior foi ter se revirado na cama tentando dormir. Insônia. Essa Insônia tinha nome: Hermione Granger.

Toda vez que ele fechava os olhos, o rosto da morena aparecia diante si. Estava assim a dias. Semanas, talvez. Desde o dia em que tranzaram no quarto de descanso dos médicos. Por que ele se permitiu entregar-se a ela naquela noite? Deixar-se levar fora um gatilho para que ele recordasse de seus belos momentos. Mas Não podia dar o braço a torcer, ela merecia sentir a dor da perda, assim como ele sentiu. Então deixaria as coisas como estavam e tentaria uma vida, um relacionamento com Lilá, por mais que ela fosse empolgada e faladeira demais.

-Se você não sair desse banheiro em dez minutos, vamos chegar atrasados! - Draco exclamou do lado de fora. O ruivo revirou os olhos e jogou a água gelada no rosto.

Saiu do banheiro e vestiu seu jaleco azul claro quase acinzentado. Olhou pela janela e viu o céu nublado, o que era comum em Londres. Ele amava aquele tempo, Não se via morando em outro lugar. Desceu as escadas e viu Draco girando um vaso na mesa de centro da sala para que ele ficasse em ângulo certo. Desde que começara morar com o louro percebera comportamentos estranhos dele como, por exemplo, excesso de organização. Afinal, quem organiza revistas por tons de cores diferentes na mesa de centro ao lado do vaso no qual ele mexia?

-Vamos? - Rony o chamou.

-Só um segundo... - Draco disse dando leves palmadinhas nas revistas - A faxineira veio aqui ontem, ela tirou tudo do lugar, os pratos estavam na prateleira de cima, e na prateleira de cima...

-Nós colocamos os copos, eu sei... - O ruivo completou a frase.

-Exatamente! - O louro exclamou colocando seu casaco e o ajeitando em seguida - Seu carro ou o meu? 

-O meu... - Ele respondeu já com a chave na mão.

-E, então? Como foi seu encontro ontem? - Claro que Draco faria aduela pergunta, mais cedo ou mais tarde. Ele só não queria ter aquela conversa. O que diria? Que a loura de vinte e quatro anos o levou para uma boate onde só havia adolescentes com falsas identidades? Ele tinha quase trinta anos, era um médico cirurgião pediatra muito conhecido na região, não devia frequentas esses lugares.

-Legal... - Mentiu, e sentiu o olhar intrigado de Draco sobre si.

-Só isso? Chegou quatro horas e tudo o que você tem a dizer é "legal"? Transaram? - Ele foi direto, Rony riu adentrando o carro. Ele não gostava de ter esse tipo de conversa. Não, não transaram, mas dera uns amaços no banco traseiro de carro, porém, Malfoy não precisava saber.

Assim que estacionou o carro Draco disse que precisava de um café. Havia um ponto de cafeteria próximo o HLH, e então ambos foram em sua direção. A porta era de vidro, o que permitia para a pessoa de fora ver o que acontecia do lado de dentro do estabelecimento. Hermione conversava com um dos internos novos toda animada. Qual era o nome do louro encaracolado e alto? Franziu a sobrancelha ao entrar no local e entrar na fila, atrás da morena.

-Bom dia, doutores! - Foi o louro que os cumprimentou primeiro e então Hermione se virou e apenas acenou com a cabeça.

-Bom dia... - Draco respondeu olhando do louro para o ruivo, esperando qualquer reação do amigo. Rony tentava se manter neutro, apesar de não haver motivos para ciúmes. Ciúmes? Como poderia sentir ciúmes? - se perguntou. Não era possível, Hermione era passado.

-Assisti sua cirurgia de ontem, do rapaz que chegou de acidente de moto, foi magnífica! Espero ter outras oportunidades para participar de novas cirurgias suas... - Rony ouviu o louro dizer enquanto dava um passo a frente para o balcão - Um café americano, por favor. - Ele pediu para a balconistas.

-Você tem interesse no trauma? - Ela perguntou, Rony pode sentir o interesse na voz nela.

-Eu ainda sou novo, mas o Trauma chamou muito minha atenção... - Ele respondeu e Rony riu debochado, chamando a atenção dos dois para si, tossiu em seguida para disfarçar, mas era tarde demais. Hermione lhe conhecia bem. Mas Qual é? Ele sabia muito bem qual era o interesse do rapaz. Em Hermione, claro! O trauma era desculpa para ficar perto da morena.

-Algum problema, doutor Weasley? - Ela perguntou com a sobrancelha arqueada. Droga! Ela era tão linda.

-Mesmo que ele realmente tivesse interesse no trauma, não poderia atuar na área ainda porque é interno... - Rony respondeu rápido - Talvez daqui dois anos, quando ele começar a residência. 

Hermione cerrou os olhos e voltou a atenção para o balcão enquanto o louro pegava seu café.

-Um chá gelado com hortelã, por favor... - Ela pediu para a moça.

-Você é tão idiota... - Draco sussurrou em seu ouvido. É, ele era. Tinha que concordar. Agora Hermione ficaria com raiva dele o resto do dia.

-Pode me ajudar no trauma hoje, se quiser, Córmaco. - Hermione disse ao sair da fila.

-Eu adoraria, Hermione... - O louro respondeu.

Córmaco? Hermione? Em que ponto eles chegaram para se chamarem do primeiro nome? Hermione não via que o tal de Córmaco cheirava fralda? 

-Está pensando o mesmo que eu? - Draco perguntou e Rony o olhou pensativo - Córmaco é o Doutor Fraldinha... - Rony riu e balançou  a cabeça.

************************************

Ela colocou seu uniforme azul com brutalidade, estava com raiva. Rony era um completo idiota. Seu plantão mal havia começado e ela já estava totalmente estressada. Suspirou fundo para se recompor, senão não poderia trabalhar daquele jeito. Ao sair do vestiário e chegar na sala dos Atendentes, encontrou o ruivo com Draco adentrando o local, ignorou a presença deles e saiu pela mesma porta que entraram.

O Trauma naquele dia estava tranquilo, ou pelo menos por enquanto. Aquele lugar, a entrada de emergência era incerto. As vezes no meio de tanta calmaria, podia-se acontecer desastres perigosos e desagradáveis. Encostou-se no balcão ao lado de Snape.

-Sabe, o Interno McLaggen me disse ter interesse no trauma assim que chegou hoje... - Ele comentou - O que você acha dele?

-Como assim o que eu acho dele? - Riu nervosa. Será que Seu chefe vira os dois chegarem juntos?

-Como interno, oras... - Snape disse digitando algo em seu celular.

-Oh, sim! Ele é esforçado, tem vontade de aprender e atencioso com os pacientes... - Respondeu aliviada.

-Certo! - Ele exclamou guardando seu celular no bolso - Estava pensando em trazê-lo para o Trauma.

-Mas ele sendo interno não pode ficar apenas no trauma, precisa aprender tantas outras áreas...

-Eu sou o chefe, cara Hermione...

-Do trauma! - Ela riu - Duvido que a Doutora McGonaggal permitiria isso... - Snape revirou os olhos.

-Fale com a minha mão... - Ele disse erguendo a mão para a morena fazendo sinal como se a mão dele falasse.

***********************************

-Aquele interno lourinho encaracolado, qual o nome mesmo? - Ele perguntou para a mulher que analisava um relatório médico.

-Córmaco Mclaggen... - Ela respondeu. Ele sabia o nome daquele fraudinha, só queria chegar no assunto - Por que, Ronald?

-Estava pensando em chama-lo para a retirada de uma apendice hoje, do garoto Gabriel de oito anos... - O ruivo respondeu - Tem algum problema, Tonks?

-Se ele for capacitado para isso, não vejo problema algum... - Ela sorriu, ajeitando seu óculos no nariz e deixa-lo no balcão sozinho em seguida.

Aquele ditado "deixe seus amigos perto e inimigos ainda mais", nunca fez tanto sentido em sua existência. Não que ele considerava o rapaz de vinte e três anos seu maior arco rival, longe dele. Mas qual era a melhor maneira de afasta-lo da Doutora Escolhas Erradas, do que botar medo nele indiretamente? Claro que também não tinha direito algum de fazer isso e talvez Hermione ficaria muito nervosa e com raiva dele, mas ela merecia algo melhor, não um rapaz que ainda cheirava fralda e leite.

Mas antes, ele precisava resolver um assunto.

Há semanas ele observava Draco e seu comportamento totalmente exagerado em limpeza e organização. Além disso ele conhecia os sintomas do famoso TOC, e não queria o amigo de torturando cada segundo do dia com coisas banais do tipo: Um vaso de flor um pouco fora do centro da mesa.

Adentrou o elevador e apertou o número que o levaria para a ala psiquiatra. Não! Ele não iria internar seu amigo, ele queria respostas e descobrir como ajuda-lo. Draco não tinha nem trinta anos, havia uma vida toda pela frente e seria muito triste vê-lo assim tão novo. 

********************************

Ela saia de uma dala de cirurgia quando a amiga veio em sua direção. Ela tinha um semblante ansioso e um tanto extrovertido.

-Umbridge disse que semana que vem teremos palestra com um médico de Manchester, minha cidade Natal, faz ideia de quem pode ser?  Ela não revelou nome, mas já estou muito ansiosa... - Astória disse eufórica - Sabe o quanto amo palestras, não sabe? Ela disse que a Doutora McGonaggal revelará o tema da palestra amanhã no almoço, no mural do refeitório. Tomara que tenha algo a ver com neurologia, é a área mais fascinante da medicina... - Hermione revirou os olhos rindo. Não existia alguém mais apaixonado pela profissão do que Astória - Como esta sendo o projeto seu e do Neville?

-Paramos! - Ela exclamou chateada, já que aquele projeto era uma das poucas coisas que a fazia se esquecer de Ronald Weasley - Neville está ocupado demais com os plantões já que dois Cirrurgiões Gerais entraram de férias... Enfim, preciso lhe contar o que aconteceu hoje mais cedo... - Ela começou pronta para contar a infantilidade de Rony no café da esquina.

-Esse Córmaco é o Interno do primeiro ano? -  Astória questionou adentrando o elevador com a amiga - Louro encaracolado e alto?

-Sim, por que? - Hermione perguntou intrigada.

-Rony acabou de nome-lo braço direito dele na Pediatria...

-COMO É QUE É?! - A morena quase gritou assim que a porta do elevador se fechou - Por que?

-Eu não sei, só sei que acabaram de entrar na sala de cirurgia... - Astória respondeu a amiga

-Qual sala de cirurgia? 

-A zero trinta e seis... - Respondeu antes que Hermione pudesse passar apressada pela porta do elevador que acabara de abrir. Não entraria na sala sem ser convidado e sem se higienizar, ficaria de plantão na porta até Ronald sair e confronta-lo.

Havia passado uma hora, duas, três e finalmente o ruivo saia pela porta sozinho. 

-Olá, Hermione! - Ele exclamou com meio sorriso tirando sua toda de cirurgia - Esperando seu namoradinho? 

-Você é um completo idiota, sabia disso? - Ela perguntou andando atrás dele, tentando acompanhar os passos largos do ruivo sardento - Fez de Córmaco seu braço direito? Essa posição nem existe!

-Agora existe...

-Você não tem autoridade!

-Tenho privilégios por não ter abandonado o HLH, para passar férias na África! - Ele exclamou entrando no mesmo elevador que a morena havia saído três horas atrás.

-Você sabe muito bem que não foram férias...

-Tanto faz... - ele deu de ombros já arrependido do que falara.

-Você fez isso de propósito...

-Isso o que? - Rony questionou batendo no botão que parava o elevador onde ele estava. Hermione se recuou por um segundo sem perder sua posição de afronte.

-Ouviu mais cedo o interesse de Córmaco no Trauma, sabia que ele ia ficar perto de mim se fosse possível e fez isso para mos afastar...

-Não é verdade...

-PROVE! - Ela gritou.

O ruivo suspirou fundo e passou as mãos pelos seus cabelos nervoso. Hermione lhe causava milhões de sentimentos em menos de cinco minutos, era difícil controlar a raiva, a nostalgia, a saudade, paixão, tesão, a vontade de gritar com ela e até mesmo a de agarra-la ali.

-Tonks e eu estávamos o observando a dias, ele é muito paciente com as crianças e transforma os dias de pesadelos delas em diversão... - Não era mentira, Córmaco realmente tinha jeito com a Pediatria, assim como na Neurologia, Trauma e entre outro. O cara era o bom em tudo o que fazia - Precisamos de pessoas assim na nossa área. Essa é a verdade... - Não era totalmente verdade, no meio disso tinha sim a vontade de afasta-lo da morena.

-Não acredito em nenhuma palavra que saia da sua boca...

-Você costumava acreditar...

-Você me fez desacreditar depois dessa infantilidade... - Ela disse olhando para o botão do elevador - Aperte, para podermos continuar nosso serviço. Rony não atendeu o pedido da morena.

-Eu sei que sua estadia na África não foi férias... - Ele comentou e ela o encarou nos olhos - Na verdade, eu sei que foi um grande aprendizado para você e... Você se tornou uma grande médica, Hermione. 

-Eu... obrigada, Ron... Ronald! - Ela exclamou - Você também se tornou um Grande pediatra... - Ele sorriu e apertou o botão do elevador para que ele voltasse a funcionar - Mas isso não significa que não estamos em Guerra. - Ela disse por fim saindo do elevador.


Notas Finais


O que vocês acham que vai acontecer depois disso tudo? Querendo ou não tivemos muitas informações nesse capítulo, ou seja, muita coisa esta por vir ☻

P.S: Agradeço todos os comentários de apoio ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...