História All Of Me - Capítulo 29


Escrita por:

Postado
Categorias Orange Is the New Black
Personagens Alex Vause, Personagens Originais, Piper Chapman
Tags Vauseman
Visualizações 127
Palavras 3.394
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Orange, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiii Gurias, nem demorei viu? Espero que gostem.
Notas Finais.
Beijoos 😘😘

Capítulo 29 - Second chance.


- Essa é a melhor notícia que eu poderia receber. - Era perceptível o tom satisfeito de Stella no telefone.

- Vejo que está feliz, me parece um bom sinal. - Healy caminhava até sua sala durante a ligação.

- Isso é um ótimo sinal meu caro, se prepare.. em breve daremos o próximo passo.

- Mau posso esperar para que isso aconteça. - Também estava sendo satisfatório para ele toda aquela situação.

- Manteremos contato, aguarde.

E assim.. encerraram aquela chamada, o primeiro passo foi dado.

- É o que eu estou pensando? - Perguntou Tonny.. amigo de Stella.

- Sim meu querido, a brilhante Alex Vause caiu em um velho truque. 

- Está feliz?

Stella sentou-se satisfeita em sua cadeira, desde que voltara para Nova York.. tinha montado um pequeno escritório de arquitetura, nada muito grande, apenas um local onde ela pudesse comandar melhor sua empresa em Camberra na Austrália, fazia poucos meses que estava de volta.

- Eu posso dizer que estou bem, muita coisa ainda estar por vir, sendo sincera, não vou cantar Vitória antes da hora, ela evoluiu muito nesses últimos anos, assim como eu.

- Bom, e.. qual será o próximo passo?

- Eu creio que ela deverá esperar mais uns dias até aparecer em Boston, e quando ela o fizer, eu já estarei lá. 

Sorriu satisfeita.

- Você só esqueceu de um detalhe meu amor. - Tonny se levantou e caminhou pela sala em busca de um café.

Stella pediu para que ele prosseguisse fazendo um sinal com a cabeça.

- Piper Chapman. - Foi a única coisa que ele precisou de dizer.

O sorriso que a morena carregava no rosto.. desapareceu, assim como sua vontade de ficar sentada.

- Isso é um caso a parte.

- Não não Mi amor, ela é o ponto chave dessa questão.

- Tonny... me escute, a Piper não saberá que eu comprei o terreno, não saberá que eu dei o golpe na namoradinha dela, caso contrário.. ela saberia que a Alex não é a vilã desse conto de fadas, se eu quero conquista-lá.. eu não posso deixar que ela saiba das coisas.

Ele apenas suspirou, não diria nada, mas, estava vendo a mesma história de anos atrás se repetir novamente.

- Vamos deixar as coisas acontecerem tudo bem? 

- Seja feita a sua vontade madame.

- Então vamos comemorar, eu preciso fazer isso.

Os dois deixaram a empresa, seguiram para o apartamento de Stella e logo mais fariam uma pequena comemoração com os amigos mais íntimos.

                          ***

- Minha filha.. o que houve? - Diane preocupou-se ao ver a Alex entrar daquela forma em casa.

- Me esqueça mãe, me deixe em paz, finja que eu não existo. - Exautada, Vause subiu as escadas e trancou-se no quarto.

Mas é claro que Diane Vause.. jamais permitiria que nenhum de seus filhos falassem assim com ela. 

- Alexandra Vause, abra agora mesmo essa porta. 

- Eu já pedi para me deixar em paz Dona Diane, Eu não quero ver e nem falar com ninguém.

Diane suspirou, lembrou-se do almoço que teve mais cedo com Benny.

- Filha, sou eu.. a mamãe, me deixe entrar por favor.

Alex por sua vez.. chorava, e não conseguia parar, não queria ver ninguém.

- Mãe, em nome do amor que você tem por mim, respeite minha decisão, por favor, eu só preciso de um tempo.

Mediante aquelas palavras.. Diane não teve outra alternativa, saiu em silêncio sem saber que a filha chorava sentada atrás da porta.

Era meio complicado entender Vause naquele momento, não foi ela quem decidiu ir tão longe? Então porque o tal sofrimento? Pois é.. mas.. como dizem por ai, coisas do coração são difíceis mesmo de entender.

Passado algum tempo naquele estado, Alex decidiu fazer a única coisa que pudesse acalmar seu coração, pegou o celular e discou o número de Piper, precisava dizer algumas coisas antes que tudo aquilo viesse à tona.

Foi preciso ligar duas vezes até que Piper atendesse.

- Oi Alex, está tudo bem?, sua voz me parece um pouco embargada. - Piper achou estranho o fato da morena ligar aquela hora do dia, costumavam se falar tarde da noite.

- Oi esquentadinha. - Alex tentava passar a melhor impressão possível.

- Não seria você se não fizesse nenhuma de suas gracinhas não é mesmo?. 

E.. mesmo sem querer, Vause acabou sorrindo de certo modo.. suave.

- Você está ocupada? Demorou para atender. - Falou de forma tranquila, não quis parecer invasiva.

- Oh sim, eu estava ajudando as meninas a organizar o lanche das crianças.

Aquela frase.. lhe teve um certo efeito.

- Eu prometo não demorar, eu só preciso que você me responda uma coisa.

Piper sabia que não estava tudo bem, apesar de terem namorado apenas alguns meses.. Ela sabia quando algo incomodava a namorada ou ex.

- Alex. - disse o nome dela de forma tao doce. Mas Vause não permitiu que ela continuasse.

- Apenas me escute. - Respirou fundo antes de continuar. - Piper.. eu não fui a pessoa mais honesta com você, eu errei.. e errei demais, talvez seja tarde para eu querer consertar as coisas, e mesmo que eu quisesse, seria impossível. - Alex ficou em silêncio por alguns segundos, todas aquelas palavras tinham duplo sentido, sentia muito por ter traído a namorada.. e também sentia muito por traí-la mais uma vez, e.. provavelmente.. Piper jamais a perdoaria desta vez.

Aproveitando o silêncio do outro lado da linha, Piper tentou falar alguma coisa, estava tonta com tanta informação. Era a primeira vez que Ouvia Alex dizer todas aquelas coisas. Havia um pesar muito grande em cada palavra - Alex.. não precisamos tocar nesse assunto novamente, faz mais de duas semanas que eu estou aqui, e.. acho que é hora de conversarmos pessoalmente.

Bom, uma coisa é certa, Vause não esperava por aquilo, por dentro sentia um misto de confusões.

- Piper... apenas me escute. - Insistiu.

- Alex.. acho que você está falando demais. - Chapman soltou um riso, o qual Alex daria tudo para vê-lo. - Eu não sei o que você fará amanhã, e também não me importo, o que eu quero dizer é.. estou mandando agora mesmo o meu endereço, e você tem duas opções, vir de avião ou.. se eu valer o mínimo de esforço, você pode dirigir umas seis horas até chegar aqui.

É.. literalmente Vause não esperava por aquilo. Enquanto tentava digerir tudo o que acabara de ouvir, percebeu que o celular fez um bip, ao abrir a mensagem, foi inevitável segurar o riso ao perceber que Piper tinha mesmo mandado o endereço de onde estava.

- E então.. o que você me diz? 

- Não terá problemas se eu chegar quase de madrugada?

Piper sorriu.

- Eu vou estar esperando por você.

Aquela era a confirmação que Alex precisava antes de desligar o celular.

- Piper sendo Piper. - Brincou.

- Eu espero que você faça uma boa viagem, e.. seja lá o que você estava tentando me dizer.  Apenas esqueça.

Alex fez uma nota mental.. tentaria esquecer o que tinha em mente, claro que ela não conseguiria dizer que havia acabado de comprar o terreno da ex namorada mas, de alguma forma.. estava se antecipando nas desculpas.

- Eu prometo tentar senhorita Piper, agora se me der licença, eu preciso arrumar umas coisas antes de pegar a estrada, eu estou indo ao encontro de uma certa donzela.

Piper gargalhou do outro lado da linha.

- Ok.. eu entendo, também preciso desligar, tenho que me preparar para receber uma certa morena de olhos verdes.

Agora foi a vez de Vause rir de verdade, era incrível como Piper tinha o dom de lhe curar, mesmo estando longe.

- Será que eu preciso me preocupar com essa tal morena? 

- Ah.. não se preocupe, ela é inofensiva.

- Ok ok.. vamos parar por aqui, não quero me sentir ofendida.

- Te vejo mais tarde Alex.

Entre risos.. encerraram a ligação. Alex no fundo sabia que aquilo não era o certo, mas.. achou que não deveria perder a chance que Piper estava lhe dando, tinha consciência também de que a loira não havia lhe prometido um final feliz, mas sabia que talvez aquela fosse sua única chance de fazer dar certo.

Sem mais tempo a perder, Vause secou as lágrimas e foi em busca de uma pequena mala em seu closet, não sabia muito bem o que pegar mas, juntou apenas quatro peças de roupa, umas peças íntimas, foi até o banheiro pegar seu kit de higiene e então fechou a mala. Separou uma roupa antes de ir tomar banho e olhou as horas, faltavam poucos minutos para as 18hs. Se adiantou, queria pegar a estrada antes das 19hs.

                        ***

- Esse sorriso bobo se chama Alex? - Lorna perguntou, e sem querer acabou assustando a amiga.

- Credo Lor.. não faça mais isso.

Lorna riu e desculpou-se.

- E então.. estava falando com ela? - Insistiu no assunto.

Sem outra alternativa, Piper enfim resolveu conversar com a amiga.

- Sim, eu estava falando com ela, ela me ligou, me pareceu um pouco estranha, começou a falar sobre o quanto estava arrependida do que fez.

- E como se sentiu? 

- Vamos, eu quero me sentar no gramado. - Piper saiu correndo deixando uma baixinha para trás.

- Piper Elizabeth Chapman, você me paga por me fazer correr. - Gritou indo atrás da amiga.

- Anda logo.. você precisa se exercitar mais vezes sabia? - Chapman até tentava não rir de Lorna, mas estava meio impossível. - Parece um Pinguim correndo. - Em troca pela ofensa, Lorna lhe mostrou o dedo do meio.

- Hahah.. muito engraçadinha você. - Disse ofegante. 

- Eu também te amo. 

- Que seja, agora senta ai e conte tudo.

A loira respirou fundo e se sentou.

- Eu pedi para que Alex viesse até aqui, eu acho que não dá mais para continuarmos desse jeito.. amanhã fará vinte dias que eu estou fora, e.. eu confesso, sinto muito a falta dela.

Lorna ficou boquiaberta com a revelação da amiga, não imaginava que Piper pudesse se abrir daquela forma com relação ao sentimentos. Era algo que ambas não conversavam muito, pelo menos por parte de Piper.

- Uau.. eu estou surpresa. -  Confessou.

- Pois é, eu também estou, e também sinto medo, eu não sei se consigo esquecer o que Alex me fez, mas.. talvez seja mais fácil perdoa-la do que tentar tirar ela da minha vida.

- Quem é você e o que fez com a minha amiga? 

Chapman deu um tava de leve no ombro da amiga e sorriu.

- Assim você não ajuda muito.

- Ok.. me desculpe, mas... estou feliz por você, finalmente está deixando o orgulho de lado e focando mais em ti.. no que diz respeito a sua felicidade, nós temos tudo Piper.. somos bem sucedidas, temos um ótimo apartamento.. dois belos carros, o qual ainda estamos pagando mas.. Acho que é hora da gente começar a viver pra nós entende?

- Acho que consigo compreender, mas.. ainda não estou pronta para um passo tão grande, eu quero ir com calma sabe.. quero que Alex demonstre que eu posso confiar nela novamente, e ai quem sabe possamos seguir um rumo juntas.

Lorna concordou. 

Seguiram conversando, aproveitando a oportunidade.. Morello contou que havia reatado com Nicky, também estavam indo com calma. 


- Boa noite mamãe. - disse Benny assim que chegou no apartamento da irmã, desde que Diane havia chegado na cidade, era raro Benny não estar por lá.

- Oi meu filho, como foi o dia? - perguntou sem tirar os olhos da salada que preparava para o jantar.

- Foi estressante, e Alex como ela está?

- Chegou soltando os chachorros, se trancou no quarto e até agora não saiu. - Respondeu frustrada.

- Imaginei que ela viesse mesmo para casa, eu sabia que essa seria a reação dela, mas ninguém nunca me escuta. - John parecia nervoso.

- Não temos culpa das escolhas de sua irmã, não fique assim.

- Eu sei, mas.. a Alex é tudo para mim mamãe.. e vê-la dessa forma mexe comigo.

Diane deixou a salada em cima da ilha da cozinha e foi abraçar o filho, John era o mais sensível da família.

- Meu querido.. não fique assim, nós somos responsáveis por nossas escolhas, apesar de eu não concordar com certas atitudes da sua irmã, eu ainda sou a mãe dela.. meu dever é estar sempre ao lado de vocês, para todas as situações.

- Fico feliz que pense assim Dona Diane. - Disse Alex ao adentrar a cozinha.

- Você está ai faz muito tempo? - Perguntou Benny.

- Para o bem da minha saúde mental, eu escutei apenas o que a mamãe disse maninho, não se preocupe.

Diane percebeu que Alex não estava de mãos vazias.

- Pretende viajar filha?

- Sim, e não.. eu só passarei uns dias fora, não irei para longe.

- Eu ficaria mais feliz se eu soubesse aonde você está.

Vause sorriu.

- Eu vou me encontrar com a Piper, vou até Boston de carro. - declarou.

Benny e Diane se entreolharam.

- Mas é longe para de ir carro, é mais de quatro horas de viagem, por que não pega um vôo? 

- Eu preciso pensar John, e.. a estrada é o melhor lugar para isso.

- Alex.. tenha cuidado por favor, já vai anoitecer.

- Não se preocupe mamãe, tomarei cuidado, e assim que eu chegar.. avisarei também.

Alex abraçou a mãe e o irmão.

- Vou esperar por notícias filha, mantenha o celular ligado por favor.

- Pode deixar Dona Diane, agora.. se me dão licença, eu preciso ir, vejo vocês em alguns dias, cuida de tudo para mim Benny?

- Sempre maninha. - Ele sorriu, parecia mais tranquilo depois de ver a irmã aparentemente.. bem.

- Obrigada. - Dito Isso, Alex saiu, já era hora de ir, ou chegaria muito tarde.


- Stella.. os convidados já estão chegando, você não vai descer?

- Claro... já estou indo. 

- Ah.. esqueci de avisar, mas... Larry Bloom já chegou também.

- Hm.. maravilha, então vamos, já estou pronta.

Tonny e Stella estavam dando uma social para comemorar aquele fato importante, o que nem eu esperava.. era que Larry também estivesse nessa social.

- Larry, que bom, fico feliz com a sua presença. - Stella foi simpática com o rapaz.

- Não tanto quanto eu. - Sorriram.

- Como sempre galanteador. - Acrescentou Tonny.

- Só para as mais belas. - E ele continuava suas investidas em Stella, mas ambos sabiam que era tudo uma questão de marketing, pois ele também estava envolvido em toda essa sujeira, (podemos colocar assim).

- Ah.. deixe de bobagem, aceita uma taça de champanhe? - Carlin ofereceu.

- Sim, obrigada.

A seu pedido.. um garçom veio servi-los.

- Hm.. fiquei sabendo que você e a Chapman se encontraram. - disse após tomar um gole do líquido em sua taça.

Ele sorriu.

- Como sempre imprevisível, mas sim, nos encontramos por acaso, ela estava no aeroporto esperando com algumas amigas.

O que provavelmente ela não sabia, era que ele havia marcado um encontro com Piper.

- Ela está em Boston só de passagem?

- Pelo que eu sei, sim, me parece que está de férias.

- É um bom sinal, eu só preciso que ela volte para Manhattan para eu poder dar início ao meu trabalho.

- Você já se encontrou com a tal Alex Vause?. 

- Ainda não meu caro, isso só irá acontecer quando eu finalmente estiver trabalhando naquelas terras. - Stella divagava enquanto falava.

Tonny como sempre, prestando atenção em tudo.

- Meus queridos, a noite está maravilhosa, que tal se a gente beber.. dançar e esquecer o trabalho pelo menos uma vez na vida? - Tonny sugeriu.

- Eu concordo.

- Muito bem, então vamos, Larry quero te apresentar uma pessoas.

- Vão indo, eu só vou retocar o meu batom e já encontro vocês. 

Stella aproveitou a oportunidade para fazer uma ligação.

- Alô? 

- Piper.. sou eu. - disse meio nervosa.

E.. sem ter muita certeza, Piper perguntou: - É você Stella?

- Sim, não reconhece mais a minha voz querida?

Bom, pelo menos ela não viu o quanto Piper revirou os olhos.

- Eu não esperava por sua ligação, aliás.. eu achei que não tivessemos mais nada para conversar. - Foi direto ao ponto.

- Me desculpe, eu senti saudades, não nos vemos faz algum tempo, eu queria poder te encontrar. 

Piper respirou fundo do outro lado da linha.

- Você sabe que isso é impossível, nós não temos mais nada.

- Piper.. amor, me dê só mais uma chance, eu prometo que não vou mais embora, eu voltei.. e.. foi por você.

- Por favor.. não insista, eu não posso ficar com você, muita coisa mudou nesses últimos anos.

- Você está com outra pessoa? - É claro que ela já sabia a resposta.

- Eu não quero falar sobre isso, a minha vida não lhe diz respeito, me desculpe.

- Eu imaginei, você está diferente, mas seja lá com quem você esteja, eu vou provar que sou melhor.

Piper se viu na obrigação de rir, era muita petulância de sua ex.

- Tudo bem, agora eu preciso desligar.

Percebendo que havia sido rude, Stella  tentou reverter a situação.

- Me perdoe pelo que eu acabei de dizer, eu só não estou bem, realmente sinto sua falta Piper, e faria de tudo para tê-la de volta.

- Tudo bem, agora só não é uma boa hora, eu preciso mesmo desligar. 

E.. sem mais nada a dizer, Piper encerrou a chamada, não estava afim de conversar, ainda mais com sua ex.. será que ela não teria paz?.

- Stella querida, estamos aguardando por você.

Disse Ana, era uma jovem bonita, modelo.. e.. uma das companhias de Stella.

- Ok.. vamos lá.


- Tia Piper, o Brian pode dormir aqui hoje?

- Por que? - Perguntou Curiosa.

- É que eu queria mostrar meu jogo novo pra ele.

- Amor, a Titia já disse que ele precisa ir para casa. - disse Lorna.

- Por favor tia. - Lou insistia para Piper, na esperança de que ela concordasse com o seu pedido.

- Vamos fazer o seguinte, amanhã quando a vovó dele o trouxer, eu peço para que ele fique conosco, pode ser?

Lou pareceu pensar por alguns segundos.

- Tudo bem, mas com uma condição. 

Lorna e Piper se entreolharam.

- E qual seria? 

- Nós vamos brincar a noite toda, até o sono chegar.

Sabendo que aquilo não daria certo, as tias concordaram.

- Muito bem, então agora eu tenho uma condição para a senhorita.

- Qual é? - Perguntou animada.

- Você precisa subir agora porque a Tia Daya vai te dar um banho maravilhoso e daí nós vamos jantar, ok?

Desanimada, ela desceu do sofá. - Tudo bem, vamos lá tia Daya.

Todas riram do modo emburrado de Lou ao subir as escadas.

- Essa cena me lembrou uma certa garotinha da mesma idade há muitos anos atrás. - Dizia Red enquanto entrava na sala.

- Será que essa garotinha era loirinha dos olhos bem azuis? - Continuou Dona Claudette.

- Irmã de um garotinho meio ruivinho? - E aquela narrativa terminou na voz de Caputo.

- Eu não acredito. - disse Piper boquiaberta ao ver o homem, desde que estava no rancho.. não havia o encontrado pois ele estava viajando. Levantou-se imediatamente para abraça-lo. - Joe.. quanto tempo.

- Como você cresceu minha menina. - Como sempre Joe era carinhoso com Piper, com ele, ela sentia o amor de Pai que na verdade nunca recebeu.

- Já já eu estarei do seu tamanho. 

- Aposto que sim, quanta saudade.

- Será que eu também mereço ganhar um abraço do homem mais charmoso que eu conheço? - Brincou Lorna.

Joe direcionou sua atenção para ela e a chamou para um abraço.

- Essa ai eu acho meio difícil crescer. - Disse Black Cindy e todos que estavam na sala não conteram a risada.

- Agora acho que a família está completa. - Acrescentou Red.

- Então será que podemos jantar família? E.. como sempre, Cindy estava morrendo de fome.

Agora sim.. a família daquele rancho estava completa. Enquanto todos caminhavam para a sala de jantar, Lorna mandou uma mensagem para a namorada solicitando que ela fosse ao seu encontro no dia seguinte, e que estaria aguardando por ela na hora do almoço.

Minutos depois, veio a resposta confirmando presença, é claro que Nicky não perderia aquela oportunidade. Lorna sorriu ao ler a mensagem, mandou o endereço e disse que ligaria mais tarde.

- Posso saber o que a senhorita está tramando? - Piper cochichou baixinho perto da amiga, percebeu que ela sorria ao olhar para o celular.

- Nada demais, só convidei a Nicky para almoçar conosco amanhã. - Respondeu simplesmente.

Piper sem ter o que dizer, apenas concordou.. e sorriu.

O jantar seguiu de forma maravilhosa, tudo estava perfeito.. era bom ter a casa cheia, aquele clima em família era tudo o que Piper tinha de mais precioso, ali era o seu lar.. aquelas pessoas eram a sua família, eram tudo o que ela tinha. E.. aproveitando o momento.. ela se levantou e fez uma selfie, aquele momento merecia ser recordado não só em suas lembranças.

Bom.. alguma coisa tinha que dar certo de vez em quando né. 



Notas Finais


Bom gente, o Capítulo não fico grande, mas é que eu não quis demorar muito para postar.
E.. eu gostaria da opinião de vocês, o que estão achando.. se devo continuar ou.. se a Fic está confusa.
Vocês são a base para que eu continue escrevendo.
Espero estar agradando.
Beijos de Luz e.. prometo não demorar Gurias. 😘😘😘❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...