História All Of Me For You - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Karin, Mebuki Haruno, Menma Uzumaki, Minato "Yondaime" Namikaze, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Amor Platonico, Colegial, Drama, Friendzone, Narusaku, Romance, Sasusaku
Visualizações 21
Palavras 2.564
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


boa leitura.

Capítulo 2 - CHPT - Two


Fanfic / Fanfiction All Of Me For You - Capítulo 2 - CHPT - Two

ESCRITA POR — KYPSZ
¤
¤
¤

━ Você o quê? ━ Ino berra, olhando a rosada com espanto ━ Não acredito, Sakura!  

─ Eu sei, é cruel o que estou fazendo com o Naruto – suspira, jogando-se sobre o colchão macio da cama de casal, o rosto afunda no travesseiro fofinho — Mas eu não consegui pensar direito, na hora só o nome dele me veio em mente e eu já tinha falado. Sasuke acreditou e não tive mais como desmentir.  

— Amiga, você sabe que eu te amo muito, né? – a outra assente, focando seu olhar na loira sentada na beira da cama. — Tem uma grande chance de você sair magoada nessa história, principalmente o Naruto, que sempre gostou de você. Acha que usá-lo para fazer ciúmes no Sasuke é a melhor opção?  

Sakura novamente afunda o rosto no travesseiro, sua vontade era de chorar por ser tão egoísta.  

Sabia que no fim aquilo poderia não dar certo, a ideia lhe era completamente sem sentido e infantil agora, todavia, poderia funcionar se ela soubesse como fazer.  

Não precisava necessariamente usar Naruto, seria só para tentar causar alguma coisa no Uchiha, já que, por serem amigos, teria mais facilidade de estarem próximos em vários momentos e sem parecer armação.  

Nunca brincaria com os sentimentos de alguém, muito menos sendo seu amigo de longa data. Mas, confessava que lhe doeu um pouco ao ver a felicidade estampada no rosto do Uzumaki ao dizer que teriam um encontro.  

O que a fez se questionar mentalmente: o quão apaixonado por ela Naruto era? Nunca chegara a lhe dar esperanças, eram apenas amigos, ele já havia tentado investir nela, lembrava de alguns momentos que ele tentara a impressionar e até convidá-la para sair com ele, ir em festas ou cinema juntos.  

Mas ela estava sempre ocupada demais correndo atrás do Uchiha para dar bola ao menino de olhos azuis e personalidade extrovertida.  

Se sentia um monstro pelo o que faria com ele, mesmo que não fosse ter qualquer contato físico, estaria talvez alimentando um sentimento antigo com falsos momentos.  

E, para piorar, não saberia o que fazer caso ele resolvesse ficar se declarando para ela. Diria que também estava atraída? O que faria se ele tentasse beijá-la? Deus, onde fora se meter? Já queria desistir de tudo aquilo.  

Mas, só de imaginar estar deixando brechas para outra qualquer investir em Sasuke, uma raiva a tomava.  

Não, Sasuke não seria de mais ninguém além dela. Não abriria mão do seu amor de maneira alguma. Sasuke tinha que se apaixonar por ela, e iria, cedo ou tarde.  

— Eu não sei, Ino. Eu suspeito que o Sasuke já sinta algo por mim – diz, olhando a loira — Ele quis saber quem era o cara que eu ia sair, e a maneira como ele agiu quando soube que era Naruto, me foi suspeita. Não sei se posso afirmar que ele ficou com ciúmes, preciso tirar minhas próprias conclusões. Fazer ciúmes nele pode ser bom, assim ele vai achar que me perdeu e vai vir correndo para mim – sorriu de repente, vendo a amiga balançar a cabeça, rindo de canto. 

— Você é tão má, amiga.  

— Não sou, não. – se levantou da cama, caminhando em direção ao closet. — É o que sempre acontece nos filmes, amiga, só que dessa vez, eu estou no controle. Não é coisa do destino, sabe? Sei o que estou fazendo. Esperei pelo Sasuke por muito tempo, o destino não parece querer colaborar comigo, então vou tê-lo para mim do meu jeito. – olhava seu reflexo no grande espelho, as palavras proferidas acompanhadas de um sorriso quase maldoso. 

Estava mais confiante agora, poderia realmente dar certo, ela tinha que acreditar que sim.  

— Uhum. Só cuidado para o destino não te passar a perna, hein. Dizem que ele pode ser traiçoeiro muitas das vezes, assim como o amor pode ser a ruína de alguém.   

Sakura se virou, olhando a figura loira se erguendo da cama e buscando pela bolsa de marca cara em cima da poltrona.  

— O que você quer dizer com isso? – estreitou os olhos verdes na direção da outra.  

Ino a fitou, séria, dando de ombros.  

— Apenas quero que você tome cuidado, amiga. Essa sua obsessão pelo amor do Sasuke pode te trazer grandes consequências. Falo isso porque te amo e sei de casos que o fim não foi um final feliz. Às vezes só precisamos aceitar que não somos para uma pessoa, afinal não escolhemos quem amar.  

Entendia exatamente o que Ino quis dizer, mas foi inevitável não se sentir irritada com suas palavras, principalmente por ser um de seus medos.  

Era uma verdade na qual ela não queria ouvir ou enxergar, queria provar que conseguia tudo o que desejava, mesmo que do seu jeito manipulador.  

Ela era assim, sempre seria.  

— Fecha a porta quando sair – disse de modo frio, deu as costas, buscando por uma roupa bonita e confortável para usar após o banho que lhe aguardava.  

Sabia o quão ridícula estava sendo, mas não queria ouvir sermões ou conselhos de pessoas que eram contra a sua decisão.  

Será que ninguém concordava com ela? Será que ninguém entendia o seu lado? Não era uma louca obcecada – ok, talvez fosse só um pouquinho -, tinha coração e sabia até onde poderia ir para ter o que almejava.  

Ela faria tudo aquilo por amor, somente. Tudo em nome do amor.  

Ouviu o suspiro da Yamanaka e logo os passos se distanciando, a porta abriu e fechou, num som único.  

Estava sozinha em seu quarto, passaria o restante da tarde perdida nos seus pensamentos e planejando cada passo que daria dali em diante.

¤

¤

No dia seguinte, Sakura acordara mais tarde que o habitual, almoçou, trancou-se no quarto e passou a assistir uma série para passar o tempo mais rápido.  

Estava nervosa, combinaram de irem para o apartamento do loiro, mesmo que antes ele tivesse preferido levá-la a um cinema ou jantarem em um restaurante.  

Sakura sabia que um lugar público não ajudaria muito, caso fosse na casa dele onde estariam apenas os dois, daria um jeito de se exibir o máximo possível com o loiro nas suas redes sociais na única intenção de que Sasuke visse. Claro, sem parecer que era essa a sua intenção.  

Pouco antes das sete, tratou de ir tomar um banho longo e relaxado, precisava estar impecável e faria uma maquiagem não muito exagerada, iria com o rosto mais natural, afinal, sabia que mesmo sem maquiagem ficava perfeita e linda.  

Após sair do banho, caçou em seu closet um vestido básico mas que deixasse-a elegante e apresentável. Optou por um modelo confeccionado em viscose plana, era verde com uma modelagem mais ampla e um decote V. Era confortável com mangas grandes e ia mais acima dos joelhos.  

Sorriu para seu reflexo no espelho, correu para terminar de escovar os fios róseos e passar um brilho nos lábios, depois um delineador e rímel, procurando destacar mais as esmeraldas.  

Depois de checar se estava pronta, pôs um saltinho pequeno, algo que não lhe atrapalhasse ou machucasse nos pés. Ouviu seu celular apitar com uma nova mensagem, provavelmente de Naruto. 

"Estou aqui. Seu porteiro não gosta de mim, ele parece me fuzilar com os olhos •▪•" 

Foi inevitável não rir, sabia que o porteiro não ia com a cara de muitas pessoas, e uma delas era Naruto, principalmente por ele sempre fazer muito escândalo ou bagunça quando aparecia no apartamento da Haruno.  

Olhou às horas: mais de oito e meia. Possivelmente ele já estava a aguardando na portaria há alguns minutos e só mandara a mensagem naquele momento.  

Deu um longo suspiro antes de pegar uma bolsinha e colocar o celular dentro, depois o brilho caso precisasse retocar mais tarde.  

Pôs uma certa quantia de dinheiro e saiu do quarto, indo em direção ao elevador, apertou o botão e quase estava agradecendo por sua mãe não ter aparecido.  

Todavia, aquele não era o seu dia de sorte.  

— Filha, vai sair? - Mebuki indaga, descendo a escadaria com uma taça de vinho na mão.  

Sakura revirou os olhos e virou o corpo para observar a mãe, pela maneira como estava vestida, logo soube que a mulher iria em mais um dos encontros casuais.  

— Vou, mãe. - arqueou uma sobrancelha — Você também, pelo visto.  

— Sim. Conheci um cara muito bacana ontem - a animação em sua voz fez com que Sakura balançasse a cabeça. Sempre do mesmo jeito — Ele me chamou para sair e... Bom, eu aceitei. Não irei dormir em casa hoje, por isso se for chegar tarde, avise ao porteiro para que eu seja comunicada.  

— Claro. Farei isso - se virou e entrou no elevador, buscando o seu celular na bolsa. — Tchau, mãe. - despediu-se brevemente, olhando a mensagem do Uzumaki de novo para parecer distraída.  

— Tchau, querida. Divirta-se! - a mulher acenou, sorrindo.  

As portas do elevador se fecham, as pernas tremem de nervosismo, depois de respirar fundo umas três vezes, finalmente sai do elevador e caminha quase parando até a portaria, passando direto com um aceno para o porteiro.  

Olha para os lados, busca pelo carro do Uzumaki e já o encontra estacionado mais à frente, caminha até o mesmo já com um sorriso forçado nos lábios.  

Suas mãos tremiam, suas pernas também, o estômago revirava e queria muito saber por que, pois na noite anterior estava tranquila e segura de que conseguiria.  

Não tinha mais volta, agora era só continuar do jeito que planejou. Ela só precisava sorrir e agir normalmente, não podia correr o risco de estragar tudo àquela altura do campeonato.  

Sakura observa o Uzumaki desencostar da Lamborghini Urus na cor amarela, o jovem de calça jeans, camiseta branca e jaqueta azul escura parou a poucos metros de si, observando-a dos pés à cabeça, suspirando e abrindo um sorriso.  

— Uau - deixou escapar, segurando a mão dela assim que ficaram um em frente ao outro, se olhando. — Você está... Muito linda.  

— Obrigada. - Sakura sorriu, agradecida e um pouco envergonhada. — Você está muito bem também.  

Quis soar gentil, analisando o loiro dos pés à cabeça, e ele acabou rindo, um pouco vermelho pelo elogio. 

— Obrigado, Sakura.  

Ela anuiu, desviando o olhar para o veículo ao lado deles, observando-o.  

— Eu não sabia que você tinha um carro - comentou, para descontrair um pouco.  

Ele olhou para o veículo, riu e a levou até a porta, abrindo para que a mesma entrasse.  

— Um presente. Demorou, mas, depois de muitos anos, realizei um dos meus maiores sonhos. Essa belezinha é responsável por eu estar sem um dos meus rins. 

Sakura entrou, sentou no banco confortável, seu olhar fixou-se nele, arregalado e congelado.  

— Está falando sério?  

Ele gargalhou, achando graça da reação da mesma. Balançou a cabeça, negando, vendo seu olhar suavizar.  

— É claro que não - fechou a porta, dando a volta no carro e entrando, vendo Sakura pôr o cinto de segurança e suspirar.  

— Ainda bem. - sabia que possivelmente seria uma piada, porém fora inevitável não sentir medo de que pudesse ser verdade.  

— Ficaria assustada se fosse verdade? - indagou, esboçando um sorriso de canto.  

Tirou os olhos da rua por alguns segundos, tudo para observá-la mais uma vez naquela noite; estava realmente linda no vestido que escolhera para aquela ocasião, sentiu o coração falhar uma batida dentro do peito.  

Ele estava ficando nervoso novamente, tinha que se controlar e não agir como um ansioso desesperado.  

É verdade que aquela seria apenas a segunda vez que ia num encontro, o primeiro acontecera há bastante tempo, mas, como a noite fora desastrosa, não chegou mais a ver a jovem ruiva que tinha dito estar interessada nele. 

— Mas é claro - disse ela, rindo levemente — É muito bonito.  

— Obrigado.  

Um silêncio se instalou no veículo, mas não chegava a ser um silêncio ruim ou constrangedor, era reconfortante e agradável demais.  

Decidiu pôr uma música para melhorar o clima, queria ser o mais romântico possível sem ser brega ou chato. 

A que começou a tocar foi Say You Won't Let Go, do James Arthur. Ia mudar, entretanto parou ao sentir os dedos dela encostarem nos seus, impedindo que tirasse a música.  

— Pode deixar - disse, olhando-o.  

Naruto assentiu, sorriu um pouco e tirou a mão, então se concentrou em dirigir.  

— Você gosta de músicas assim? - indagou, puxando assunto para não deixá-la entediada.  

— Poucas. - respondeu, distraída com a letra da música e as visões borradas. 

Sabia que Sakura odiava coisas muito melosas, principalmente caras melosos e românticos demais, então tomaria todo o cuidado para agradá-la positivamente.  

Se esforçaria para que a noite fosse boa para ela. E, quem sabe, pudessem repetir mais vezes, caso Sakura gostasse da sua companhia.  

Sorriu largamente com o pensamento de terem mais encontros daquele jeito, apenas eles, juntos.  

— 'Tá rindo por quê? - ela perguntou, olhando o rapaz e sorrindo, afim de saber por que ele estava parecendo perdido em pensamentos enquanto dirigia.  

Naruto a olhou, um pouco vermelho por ter sido pego distraído, depois continuou focado na rua, porém logo respondeu em um tom agradável:  

— Ah, nada demais. É só que... - comprimiu os lábios, não sabia se deveria dizer — Eu só estava lembrando de mais cedo, sabe? - começou, um pouco acanhado — Minha mãe achou que eu fosse sair com alguma outra garota, mas, assim que eu disse o seu nome, ela meio que berrou e me disse que... - parou quando viu um largo sorriso nos lábios da rosada, esta que o olhava fixamente, as esmeraldas grandes e brilhantes deixando-o sem palavras.  

— O que ela te disse? - Sakura incentivou, curiosa.  

Depois de piscar e limpar a garganta, Naruto parou no sinal e coçou a nuca, os olhos azuis fixos no volante, talvez não devesse ter falado aquilo, tudo culpa do nervosismo.  

— Hã... Bom, só que você era uma garota muito diferente das outras, e que era para eu não fazer nenhuma besteira... - não ousou olhá-la.  

Surpreendeu-se quando a ouviu rir alto, parecia ter gostado de ouvir o que ele dissera, mesmo que para o loiro tivesse sido constrangedor demais.  

— Eu adoro a tia Kushina - Sakura murmurou, e ele a fitou de esguelha, vendo a mesma sorrir. 

Sakura fechou a janela do carro algum tempo depois, os olhos se fecharam e a cabeça se escorou no vidro, parecia tranquila, e isso causou nele uma sensação boa. 

Gostaria de admirá-la mais um pouco, talvez pela noite toda, só que logo o sinal abriu e ele voltou a dirigir pelas ruas de Wystchim.  

Talvez tivesse sorte e conseguisse provar para Sakura que seus sentimentos eram sinceros, mesmo que tivesse consciência de que ela não o amasse além da amizade.  

E, por mais que aquilo o magoasse profundamente, ainda mais por saber que o dono do coração dela era o seu melhor amigo, ainda sentia alguma esperança, ainda mais porque ela havia o convidado para um encontro.  

E se Sakura não amasse mais Sasuke? E se ela quisesse algo a mais com ele? Se fosse isso, então ele estaria de braços abertos para ela. Daria a mesma todo o seu amor, afinal, nunca fora capaz de amar outra além da Haruno.  

Aquele encontro seria apenas o primeiro de muitos outros, disso ele tinha certeza.


Notas Finais


obgd a quem leu.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...